Amor conjugal

2.992 visualizações

Publicada em

Curso de noivos

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.992
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
130
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Amor conjugal

  1. 1. 23/02/ Paróquia Bom Jesus Setor Pré-matrimonial
  2. 2. AMOR CONJUGAL
  3. 3. TEXTOS DE INSPIRAÇÃO:  Ct 8,6  “ O amor é forte como a morte. O amor humano é uma faísca do amor de Javé”  Jo 15,12-13  “Amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei. Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a vida por seus amigos”  Mt 7,12  “Tudo o que quereis que os homens vos façam, fazei-o vós a eles”
  4. 4. O SENTIMENTO  Conceito e modelo de amor que se tem em nossos dias: “infinito enquanto dure”;  Amor e Paixão são a mesma coisa?  Geralmente, trata-se mais de uma paixão egoísta e prazerosa do que de verdadeiro amor;  Sentimentos e os impulsos são “maneiras” que o corpo tem para reagir diante dos fatos;  Mas é a razão e a inteligência que ajudam a tomar uma decisão livre e consciente.
  5. 5. O SENTIMENTO  Os instintos são impulsos que podem, frequentemente, nos enganar quanto ao que é melhor para nós;  Os sentimentos podem nos levar a ter boas atitudes: sensibilizarmos com o sofrimento de alguém e então ajudá-lo;  O sentimento, em si, não é errado nem certo;  As atitudes que tomamos em resposta a eles é que podem ser boas ou não para nós;
  6. 6. O SENTIMENTO  Os sentimentos podem também ser induzidos e, com isso, nos enganarmos nas escolhas que fazemos;  É o que acontece nas propagandas de TV.
  7. 7. A DECISÃO DE AMAR Muita gente confunde GOSTAR com AMAR. Por quê? AMAR, no sentido cristão, significa “querer o bem”; É importante sabermos discernir uma coisa da outra (gostar ou amar) para que compreendamos a mensagem de Jesus:  “Amar a Deus sobre todas as coisas e amar ao próximo como a nós mesmos e como Ele nos amou”.
  8. 8. A DECISÃO DE AMAR  Como gostar de quem nos faz mal, se esse alguém provoca em nós reações e sentimentos contrários ao amor?  Mas o espírito pode superar esses sentimentos e amar, querer o bem, tomar atitudes em relação ao outro;  Isso depende de uma decisão íntima, pessoal. Portanto, Amar é uma Decisão Consciente e Livre!!!
  9. 9. A DECISÃO DE AMAR  Sendo Jesus, a medida do cristão é amar até os inimigos;  Podemos escolher a pessoa que mais nos atrai, com quem temos a confiança de construir juntos uma vida nova, numa vida de mútua e íntima doação pessoal;  É uma escolha pessoal, livre, que deve agradar nossos sentidos, nosso coração, nossa razão, de acordo com nossa fé e nossos ideais!  Infelizmente, às vezes os noivos tomam essa decisão movidos apenas pelo “gostar”, na procura de “prazer”.
  10. 10. A DECISÃO DE AMAR A decisão de amar faz com que tomemos atitudes que agradam ao outro. A regra de ouro do casamento é esta: “O que quer para você, faça-o ao outro; o que não quer para você, não faça ao outro”. Ao amor tudo é possível!
  11. 11. OS COMPONENTES DO AMOR CONJUGAL  O amor possui muitas dimensões e tipos: amor fraterno, paterno e materno, filial, etc;  Dentre todas as formas de amor humano, sobressai o amor conjugal  é o mais intenso que existe, em nível humano, pois envolve o coração e a razão, sentimentos e emoções, corpo e alma;  Deus o “toma emprestado” para revelar a intensidade profunda do seu amor.
  12. 12. OS COMPONENTES DO AMOR CONJUGAL  Na Bíblia Deus se compara com o Esposo que ama o seu povo, considerado como sua esposa;  Deus inscreve na humanidade do homem e da mulher a vocação e, assim, a capacidade e a responsabilidade do amor e da comunhão;  A sexualidade, mediante a qual o homem e a mulher se doam um ao outro com atos próprios e exclusivos dos esposos, não é, em absoluto, algo puramente biológico, mas diz respeito ao núcleo íntimo da pessoa humana como tal.” (Familiaris Consortio, nº 11)
  13. 13. OS COMPONENTES DO AMOR CONJUGAL  Há intensidades diferentes na maneira de amar, especialmente no amor conjugal; Podemos distinguir o amor: Eros = prazer Filo = amizade Ágape = caridade cristã.
  14. 14. OS COMPONENTES DO AMOR CONJUGAL “Eros” É o amor paixão; faz parte do amor humano. Atinge o aspecto físico e psico- corporal, a busca da complementação, da atração prazerosa que o outro proporciona. Está mais na esfera do gostar, das carícias, do prazer sensível. Isso é algo belo, e torna o relacionamento delicado e agradável.
  15. 15. OS COMPONENTES DO AMOR CONJUGAL “Filo” É o amor de amizade. Envolve o mútuo interesse, a complementação recíproca, o companheirismo, a parceria, o enriquecimento de ambos. Expressa a felicidade, a alegria do viver um com o outro e para o outro; o dar-se bem na mútua convivência. Mas o próprio “eu” ainda ocupa aqui, um lugar central em relação ao “tu”.
  16. 16. OS COMPONENTES DO AMOR CONJUGAL “Ágape” É o amor-caridade, sobrenatural. Inclui a doação total, até ao ponto de dar a vida. É o amor cristão, pronto e capaz de doar tudo, a própria vida, a doar-se plenamente pela causa do outro, pelo Reino.
  17. 17. OS COMPONENTES DO AMOR CONJUGAL A beleza do amor conjugal é um mar imenso, formado por esses três “rios”; Se houver somente “Eros”, o amor conjugal não sobrevive, pois a mera atração física tende a diminuir com o tempo, e a convivência ameniza a intensidade da paixão; Quem não estiver consciente disso, acha que “o amor acabou” ou “ que não era amor”, e é até tentado a projetar suas expectativas em outra pessoa.
  18. 18. OS COMPONENTES DO AMOR CONJUGAL A dimensão do amor “filos” já inclui elementos mais duradouros, embora possa também ser movido pelo meu interesse em relação ao outro, que me faz bem espiritualmente e me traz realização; É uma via de mão única. Não me preocupo muito com o que o outro realmente necessita, ou com que eu poderia fazer para colaborar com uma maior riqueza dele como pessoa.
  19. 19. OS COMPONENTES DO AMOR CONJUGAL O amor “ágape” é o amor doação: tanto se doa que se esquece até de si mesmo; Porém, não pode haver somente essa dimensão de amor na relação conjugal, pois também essa é uma via de mão única; Todo relacionamento conjugal é recíproco, um necessita do outro;
  20. 20. CONCLUSÃO Criados para viverem na “unidade dos dois”, o homem e a mulher são chamados, desde o início da criação, não só a existirem “um ao lado do outro”, ou “juntos”, mas também existirem reciprocamente: “um para o outro”; O livro do Gênesis (2,18-24) indica que o matrimônio é a primeira e, num certo sentido, a fundamental dimensão dessa chamada. Suas características são de um amor plenamente humano, total, fiel e exclusivo, fecundo.

×