Tese de Doutoramento

345 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
345
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • A eleição do título “O Peer Review nas revistas científicas: políticas e práticas editoriais declaradas” como tema desta tese de doutoramento deve-se ao facto de ter realizado, em Dezembro de 2007, o Diploma de Estudios Avanzados (DEA) neste tema no contexto português mais concretamente nas revistas científicas portuguesas de Ciências Sociais (Catálogo LATINDEX + Reportoriio Ulrich´s International Periodicals ). No entanto, o acontecimento realmente decisivo foi a sorte de encontrar o Sr. Professor Emilio Delgado López-Cózar, o qual considero ao longo destes anos como um dos mais excelsos especialistas nesta linha de investigação. Neste trabalho de tese de doutoramento, realizado entre Janeiro de 2008 e Julho de 2011 a escolha do tema - O Peer Review nas revistas científicas: políticas e práticas declaradas – para o desenvolvimento desta tese parte do nosso trabalho de pesquisa centrado em conhecer a transparência editorial das revistas científicas internacionais com maior factor de impacto (critério para a selecção ds revistas da nossa amostra), através das instruções ou normas de publicação aos autores sobre o processo que seguem os manuscritos e o sistema de revisão que se aplica e, por outro lado, a transparência informativa que cada revista demonstra sobre o seu sistema de revisão por pares. As revistas deverão demonstrar que utilizam um distema de selecção e avaliação dos manuscritos que recebem.
  • Como estrutura desta apresentação destacam-se desde logo as motivações para o enfoque temático e a linha de aproximação ao tema pela qual optámos. De facto, sendo este um tema complexo e multifacetado, optámos por uma análise directa às práticas declaradas pelas próprias revistas. Face aos desafios e constrangimentos que se colocam na actualidade à avaliação por pares .
  • O mundo WWW veio trazer novos desafios à produção e, sobretudo, à publicação do conhecimento. Em tempo real se pode fazer o update de conteúdos em qualquer suporte de divulgação de conteúdos, mas quanto ao processo de assegurar a sua qualidade, é todo um outro domínio de desafios que a comunidade científica enfrenta ainda hoje. Encontramo-nos perante um dilema: se os conteúdos não são publicados, é como se não existissem. Há que publicá-los em tempo real, sob pena de se tornarem obsoletos, mas a pertinência e rigor científicos mantêm-se como requisitos essenciais. O mundo académico e científico não se contenta com a produção autónoma de conteúdos sem a respectiva verificação e validação por expertos. A avaliação tem que ser contínua, normalizada e aceite pela comunidade. Sob pena de a world wide web fazer recair o seu ‘peso’ em cada um de nós, é necessário continuar a investir na forma de qualificar a avaliação do material produzido.
  • Como objectivo global delieneámos a análise das instruções aos autores das revistas científicas no sentido de estudar a forma como as publicações declaram as suas políticas editoriais. A partir das políticas editoriais declaradas pretendemos empreender uma análise crítica, com base em parâmetros de tipificação e normalização dos aspectos que concorrem para uma base de avaliação sistemática e operativa da produção de conhecimento científico. Como objectivo global delineámos a análise das instruções aos autores das revistas científicas no sentido de estudar a forma como as publicações declaram as suas políticas editoriais. A partir das políticas editoriais declaradas pretendemos empreender uma análise crítica, com base em parâmetros de tipificação e normalização dos aspectos que concorrem para uma base de avaliação sistemática e operativa da produção de conhecimento científico.
  • A noção, ao longo de vários anos de trabalho nesta temática, de que a fiabilidade dos conteúdos publicados nas revistas científicas é indispensável para uma difusão credível do conhecimento científico, auxiliou-me a seleccionar uma temática de abordagem a este tema amplo e, sem dúvida, desafiante. A avaliação das revistas científicas tem sido confrontada nas últimas décadas com sucessivos desafios que passam pela proliferação de títulos, pela dificuldade em controlar e avaliar a informação produzida e por uma certa dispersão no que diz respeito aos critérios de qualidade, dada a ausência de critérios normalizados em todos os campos da investigação científica. Nesse sentido, propus-me desenvolver o presente trabalho que visa antes de mais uma análise directa àquilo que as próprias revistas declaram serem as suas práticas editoriais, para assim proceder a uma análise fundamentada naquilo que os próprios títulos científicos colocam nas suas instruções aos autores.
  • A eleição do tema O sistema de peer review visa garantir requisitos de qualidade e uma base de uniformização da avaliação de manuscritos, avaliação essa levada a cabo por expertos, ou seja, investigadores credenciados capacitados para emitir pareceres técnicos na sua área de especialização. No entanto, o sistema não é perfeito e está sujeito a um conjunto de limitações e críticas que convocam novas abordagens (daí o surgimento nas últimas décadas de modalidades alternativas de peer review.
  • Mas em que consiste segundo a aceitação científica mais comum, o peer review? Trata-se de um processo de avaliação por pares, ou seja, especialistas que desenvolvem a sua actividade no seio da própria comunidade científica
  • Os intervenientes na produção de conteúdos científicos e sua publicação são autores, revisores e editores. Cada um destes intervenientes tem um papel diferente no processo de investigação e na produção de conhecimentos científicos, embora estes papéis confluam no objectivo final de garantir a qualidade das publicações de carácter científico. Os autores tendem a criar trabalhos originais em que predominam a variabilidade, a criatividade, necessárias ao conhecimento científico. A existência de regras para a produção de conhecimento baliza de alguma forma o output final que o autor é capaz de produzir. No entanto, o autor tem a responsabilidade de criar trabalhos com o máximo de qualidade possível e de, previamente à submissão de um artigo, verificar os critérios de publicação da revista que seleccionou. A comunidade científica é, naturalmente, beneficiária da informação que é produzida por autores, avaliada por revisores e publicada pelos editores. Mas a própria comunidade científica é também constituída por autores, revisores e editores com responsabilidade em inovar para atingir o melhor sistema de revisão possível.
  • Partindo do papel que tiveram as sociedades científicas no século XVI e XVII, iniciámos o nosso percurso de investigação identificando os aspectos mais importantes que servem de pano de fundo a um marco teórico amplo e rico no que diz respeito à forma como a comunicação científica foi aprofundando a sua presença na sociedade. A PREOCUPAÇÃO COM OS TRABALHOS QUE PODERAIM SER PUBLICADOS NASCE, ENTÃO, ENTRE OS CIENTISTAS REUNIDOS EM GRUPOS ORGANIADOS E DISPOSTOS A EXECUTAR A AVALIAÇÃO DE ORIGINAIS Exemplos percursores da criação de uma efectiva avaliação por pares em moldes semelhantes aos que hoje conhecemos são por exemplo o Journal des Sçavans e Philosophical Transactions). Seguidamente, com a profissionalização da ciência entre o século XIX e meados do século XX, profissionalização essa impulsionada pela revolução industrial, francesa e pelas Guerras Mundiais, a ciência emerge como uma actividade que se encontrava no centro da sociedade, deixando de ser uma actividade paralela, reservada a um núcleo restrito de estudiosos. Com esta mudança de paradigma, mudam também os padrões de difusão do conhecimento científico.
  • A partir da 2ª Guerra Mundial profundas mudanças tiveram lugar relativamente ao papel da Ciência na sociedade. As revistas científicas convertem-se no meio de comunicação por excelência e publicações seriadas tiveram um crescimento exponencial naquilo que se traduziu numa verdadeira industrialização do conhecimento. Esta tendência foi grandemente aprofundada pelo surgimentos das TIC e da internet em particular como meio de difusão formal do conhecimento. Abre-se uma nova etapa da comunicação científica, caracterizada pela explosão da informação e multiplicação dos intervenientes e alargamento das fronteiras editoriais a nível científico.
  • Desde aobra publicada por Lock (1985) em que se descreviam as funções, tipos e procedimentos de peer review aplicados às revistas, não foram poucas as monografias que foram publicando sobre este tema (Meadows, 1998; Godlee & Jefferson, 1999; Frederick, 2001; Weller, 2001; Abel, 2002; Hames, 2007). Sinal deste abundante aluvião de publicações foi o aparecimento de uma bibliografia (Specks, 1993), e de vários estudos sobre esta questão: (Armstrong, 1997; Campanario, 1998, 2002). Inclusivamente, e especialmente no âmbito biomédico, desde principios de 1990 iniciou-se um verdadeiro processo de investigação empírica sobre as fortalezas, debilidades e formas de melhorar o peer review, concretizado na celebração de seis congressos (International Congress on Peer Review and Biomedical Publication (1989, 1994, 1998, 2002, 2003, 2007), organizados pelo Journal of the American Medical Associati vo (JAMA). Desde a década de sessenta do seculo passado que a investigação científica do peer review nas revistas tem sido estimulada devido à decisao da JAMA em realizar conferencias com o propósito de apresentar as actuais pesquisas sobre o peer review nas revistas. 1. Assim, Conhecer QUAIS SÃO AS PRÁTICAS DE PEER REVIEW NAS REVISTAS CIENTÍFICAS converteu-se numa necessidade imperiosa. Portanto, não foram poucos os estudos começados para descrever as políticas e práticas editoriais de peer review nas revistas científicas. Entre eles destacam-se: Falar primeiramente das monografias publicadas desde Lock (1985): *LOCK (1985). A difficul balance: Editirial peer review in medicine. MEADOWS (1998). Communication Research. GODLEE & JEFFERSON (1999).Peer Review im Medicine. FREDERICKSON (2001). A Century of Scientific Publishing WELLER (2001). Editorial Peer Review: its strengts and weaknesses. ABEL (2002). Scholarly Publishing: Books, journals publishers, and libraries in the Twentith Century HAMES (2007). Peer Review and manuscripts management in scientific journals: guidelines for good practice. Em segundo lugar, conhecer as práticas de peer review nas revistas cientificas converteu-se numa necessidade imperiosa. Assim, aparecem muitos estudos com o objectivo de descrever as políticas e práticas editoriais de Peer review nas revistas científicas COE & WEINSTOCK (1964); BEYER (1978); PETERS & CECI (1982); WELLER (1900); COLOIANNI (1994); WILKES & KRAVITZ (1995); FREDA & KEARNEY (2005); THE BRITISH ACADEMY (2007); WARE (2008) RESEARCH INFORMATION NETWORK – RIN-(2010) 2 Uma fonte influente de informação para conhecer as atitudes e opiniões dos autores face às práticas de peer review nas revistas científicas são os inquéritos que se fazem desde há alguns anos pela Associati vo of Learned and Professional Spciety Publishers (ALPSP), (1999, 2000, 2000) ESTES ESTUDOS TÊM QUE TER O RESPECTIVO TÍTULO E ANO.
  • Os estudos acerca do peer review ao longo das últimas décadas contribuíram para moldar o processo, dentro dos processos de comunicação científica, em geral, e das revistas científicas em particular E ste ponto vem na sequencia do slide anterior (ponto 1 dos estudos) Falar primeiramente das monografias publicadas desde Lock (1985): LOCK (1985). A difficul balance: Editirial peer review in medicine. MEADOWS (1998). Communication Research. GODLEE & JEFFERSON (1999).Peer Review im Medicine. FREDERICKSON (2001). A Century of Scientific Publishing WELLER (2001). Editorial Peer Review: its strengts and weaknesses. ABEL (2002). Scholarly Publishing: Books, journals publishers, and libraries in the Twentith Century HAMES (2007). Peer Review and manuscripts management in scientific journals: guidelines for good practice. *Em segundo lugar falar dos estudos realizados para descrever as práticas e políticas editoriais de peer review nas revistas científicas (artigos publicados dos autores supra mencionados, no slide) e ainda estudos sobre o estado da questão: ARMSTRONG, 1997 CAMPANÁRIO (1998, 2002) *
  • Com os estudos sobre o peer review, passamos da institucionalização do Peer Review para a HISTÓRIA MODERNA DO PEER REVIEW em que se detecta um maior grau de auto crítica por parte de todos os intervenientes no processo UMA FONTE DE INFORMAÇÃO MUITO INFLUENTE PARA CONHECER AS ATITUDES E OPINIÕES DOS AUTORES, EDITIRES E REVISORES FACE ÀS PRÁTICAS DE PEER REVIEW NAS REVISTAS CIENTÍFICAS SÃO: OS INQUÉRITOS QUE FORAM REALIIZADOS DESDE HÁ UNS ANOS A ESTA PARTE PELA A SSOCIATION OF LEARNED AND PROFISSIONAL SOCIETY PUBLISHERS (ALPSP, 1999, 2000, 2002) APENAS REFERENCIAR (por causa das críticas realizadas durante a avaliação do artigo que foi publicado na REDC): Panorama espanhol e iberoamericano Surgiram diversas iniciativas que têm como objectivo a avaliação das revistas científicas desde distintas perspectivas, comprovaram a existencia ou não do peer review como sistema de avaliação dos originais: LATINDEX (Sistema Regional de Informação para América Latina, Caribe, Espanha e Portugal): este contempla 33 critérios de qualidade editorial que compoêm o seu sistema, dois parâmetros sobre a existência de arbitragem científica e de avaliadores externos que vêm comprovando desde a1999 nas revistas científicas iberoameriacanas . Os resultados da avaliação das revistas espanholas incorporadas neste sistema foram publicados por ROMAN & et al. (2002) e Urdín et al (2003) Em Espanha também apareceram surgiram, posteriormente, outros produtos como REVISTAS ESPAÑOLAS DE CIENCIAS SOCIALES Y HUMANAS (RESH) E DIFUSIÓN Y CALIDAD Editorial de las Españolas de Humanidaes y Ciencias Sociales Y juridicas (DICE), onde também oferece-se informação sobre a utilização de avaliadores externos na avaliação de originais (ALCAÍN Y ROMÁN, 2005*; ROMÁN Y ALCAÍN, 2005)**. Não obstante, até agora, à excepção dos listas de revistas publicadas pelo European Reference Index for the Humanities (ERIH), que exige que exista peer review explícito nas revistas que seleciona, NENHUM outro estudo expos a análise com profundidade dos mecanismos editoriais implicados no peer review nim ambiente internacional e aplicado a um conjunto de revistas de prestígio reconhecido. Por tal razão, este estudo tem como objectivo analisar e descrever os procedimentos editoriais aplicados na avaliação dos trabalhos que publicam um amostra de 249 reputadas revistas científicas internacionais. ______________ *” Hacia una valoración integrada de las revistas españolas de ciencias sociales e Humanas: las revistas de Psicologia, 2005. **Las revistas españolas de Prehistoria y Arqueología en el entorno se un sistema de valoracion integrada.
  • Alguns exemplos de estudos que expõem as limitações do peer review apontam para a noção de que as limitações que o peer review apresenta (e existe unanimidade em reconhecer que o sistema apresenta defeitos) não lhe retiram legitimidade, apenas convocam o ensaio de abordagens complementares (slide seguinte)
  • As tipologias de peer review, quer as que estão mais amplamente disseminadas como sistemas de avaliação por pares quer aquelas que se assumiram nos últimos anos como alternativas. Efectivamente, novas abordagens ao peer review têm surgido com o objectivo de lidar com o criticismo feito pela comunidade ao single blind review; Na nossa análise examinam-se as revistas que declaram o sistema de revisão utilizado, em sentido amplo do conceito. Assim, de acordo co Delgado et al. (2007), os sistemas de revisão podem classificar-se tendo em conta dois critérios: Origem dos revisores: os revisores podem internos ou externos; O anonimato do processo de revisão: de acordo com a omissao ou nao da identidasde dos autores e revisores do sistema de revisao, admitem-se 3 modalidades: o SINGLE BLIND PEER REVIEW ( sistema cego); o DOUBLE BLIND PEER REVIEW (sistema duplo cego) e o OPEN PEER REVIEW (sistema aberto). O OPEN PEER COMMENTARY ou PEER REVIEW PÓS-PUBLICAÇÃO É UM SISTEMA DE REVISÃO HIBRÍDO. Uma nova abordagem para lidar com o criticismo ao single-blind review é “open peer review": neste modelo, as identidades dos autores e revisores são desconhecidas por ambos, e os nomes os  revisores e (opcionalmente) os seus relatórios/pareceres são publicados ao longo da manuscrito (Ware, 2008: 6) Esta modalidade é inovadora e vai de encontro à necessidade de apresentar alternativas aos sistemas actuais mais utilizados (single bling peer review)...noção do open peer review (mais recentemente, a tecnologia electrónica de publicação ("electronic publishing technology") tem permitido desenvolver uma variante do modelo open peer review (no qual todos os leitores, não apenas os revisores seleccionados pelo editor, são capazes de avaliar e comentar no manuscrito e mesmo classificá-los numa escala numérica após a publicação. Os autores em geral fazem referencia às variantes do modelo tradicional do processo de peer review: 1. peer review pré-publicação ( arXiv) e 2. peer review pós-publicação ou peer review commentary (bEHAVIORAL & Brain Sciences; revistas da BioMed Central; BMJ. NOVOS MODELOS E VARIAÇÕES no modelo TRADICIONAL: JIME (Journal of Intractive Media in Education - caso de sucesso: desde 1996 tem o open peer review (tem 3 etapas MJA (Medical Journal of Australia) NATURE PLoS ONE: É MISTO)hibrído (PEER REVIEW PRE E PÓS PUBLICAÇAO)
  • A fiabilidade, as questões de enviesamento e a economia e eficácia do peer review são questões que preocupam todos os intervenientes do processo. Neste sentido, verifica-se a necessidade de colmatar a subjectividade que é atribuída ao peer review, aumentar a sua transparência e de buscar FORMAS INOVADORAS DE ABORDAGEM ao peer review A avaliação prévia da publicação do conhecimento científico deve ser sistemática, normalizada e aceite pela comunidade. A evolução das publicações científicas atesta que ao longo dos tempos foram feitos esforços por parte da comunidade científica no sentido de legitimar o processo e conferir-lhe um valor intrínseco. Mas até aos dias de hoje tal ainda não foi cabalmente conseguido, principalmente porque as revistas científicas tanta dificuldade em guiar-se por normas uniformes e procedimentos comuns neste processo? O marco teórico ou estado da questão fornece-nos elementos importantes para compreender que os critérios e instrumentos de avaliação da ciência são adaptados aos contextos históricos e tendem a traduzir e a incorporar mudanças contextuais (slide seguinte)
  • Como já tive oportunidade de referir, a realização deste trabalho foi motivada por um conjunto de factores de entre os quais se destacam alguns anos de experiência profissional durante os quais constatei diversas fragilidades na publicação científica internacional. No fundo trata-se de um contributo para o debate relativamente à avaliação por pares. A ausência de um processo sistemático e claramente aceite pela comunidade científica que valide de forma abrangente e transparente para todos os agentes/intervenientes da produção de conteúdos científicos é uma necessidade que se manifesta de diferentes formas. Desde logo, a produção das revistas científicas é de qualidade variável o que é testemunhado, entre outros aspectos, pelo respectivo factor de impacto. Por outro lado, verifica-se que a própria metodologia de avaliação não é explicitada e veiculada pela edição das revistas de forma a que os beneficiários do conhecimento científico tenham perfeita noção de como se chegou à produção científica apresentada. A produção de conhecimento científico encontra-se numa encruzilhada, face aos desafios do mundo moderno em que a informação é produzida a um ritmo intenso e por um conjunto alargado de agentes.
  • Seguidamente, passarei a expor a metodologia adoptada para proceder à análise das práticas editoriais das revistas.
  • O enfoque da investigação foi direccionado para as revistas científicas de maior prestígio internacional referenciadas na Web of Science. Dado que existem mais de 6 mil títulos referenciados, foram seleccionadas as revistas com maior factor de impacto num total de 249 revistas distribuídas por 4 disciplinas científicas e 27 áreas do conhecimento.
  • Para circunscrever o âmbito da amostra e seleccionar as revistas, foram usadas: Listagens Journal Citation Reports (2006) Bases de dados da Web of Science Artes e Humanidades não estando esta área representada no JCR foi usada a base Arts&Humanities
  • Para a análise de cada revista foi consultada a sua versão online e identificadas as páginas de informação da revista, sejam elas as páginas que explicitam as normas de publicação, as instruções para os autores ou as instruções para apresentação de manuscritos. Em qualquer uma destas páginas foi identificada a informação pertinente para caracterizar a política editorial da revista de forma sistemática e normalizada. Seguidamente, essa informação foi registada na FRD previamente desenhada para o efeito, folha essa que constituiu o referencial de análise normalizada de cada revista científica na amostra.
  • Feita a selecção das revistas, a análise das mesmas foi realizada, como referimos através de uma FRD em que se recolheram não só os elementos de caracterização da revista, mas também as suas práticas editoriais declaradas. Os 30 parâmetros de informativos das práticas editoriais declaradas foram agrupados em 4 grupos direccionadas para o sistema de avaliação, critérios e formulários de avaliação, procedimentos e prazos e, finalmente a questão dos revisores. Uma vez que não se encontra de momento estabelecido nenhum corpo sistemático de análise de manuscritos que seja universalmente seguido pela comunidade científica baseámo-nos no trabalho do Prof. Emílio que, enquanto profissional de referência na área, foi autor de uma série trabalhos neste domínio, o que levou ao estabelecimento de um conjunto de parâmetros que a serem utilizados universalmente na avaliação de manuscritos, garantiriam a cobertura de uma série de aspectos chave na avaliação. Os parâmetros de avaliação de manuscritos considerados foram divididos em 4 grupos que procuram agregar critérios de avaliação referentes a: sistema de avaliação propriamente dito critérios e formulários pré definidos nos quais se baseia a avaliação procedimentos e prazos a respeitar ao longo do processo guias e avaliação do trabalhos dos próprios revisores Este conjunto de parâmetros parte do princípio de que em qualquer avaliação é necessário conhecer a tipologia do seu sistema de avaliação. Por outro lado, é necessário que estejam bem explícitos à partida os critérios que estão na base dessa mesma avaliação. Esses critérios passam nomeadamente pelo estabelecimento de formulários de avaliação que sejam uniformes para todos. Os procedimentos e prazos envolvidos na avaliação de manuscritos são também aspectos importantes na medida em que permitem balizar o processo num horizonte temporal aceitável, prevenindo por assim dizer a ‘caducidade’ dos conteúdos apresentados. Por último, a forma como se processa o trabalho dos revisores é determinante no resultado final do trabalho científico.
  • Esta é a FRD utilizada para registar, individualmente para cada revista, as análises efectuadas às instruções aos autores. Para os parâmetros em que cada título apresentava informação, a coluna de Análise era assinalada com “Sim” e para os parâmetros em que as instruções aos autores não apresentavam informação, assinalava-se na coluna de análise com a indicação de “Não”. Seguidamente, transcreveu-se o conteúdo das instruções aos autores relativo a cada parâmetro informativo e assinalou-se se a informação constava das instruções aos autores ou, uma vez que a informação relativa à política editorial está, não raras vezes dispersa, de outra página do site da revista.
  • Foram ao todo 30 os parâmetros informativos analisados no conjunto de todos os grupos de parâmetros considerados. Estes parâmetros envolvem aspectos como …. «citar os mais importantes/significativos»
  • A base de dados foi concebida de modo a dar resposta às questões de investigação que colocámos no início do trabalho. Neste sentido, foram recolhidos, para cada título, um conjunto de elementos caracterizadores da revista em si e elementos que denotam a transparência da respectiva política editorial. Com base na amostra construída foram recolhidos na FRD as seguintes variáveis, por revista científica:
  • Uma vez concluída a análise individual das 249 revistas, procedeu-se à: 1. Sistematização de dados: foram reunidas todas as observações, ou seja, 30 observações por cada revista – correspondentes aos 30 parâmetros informativos – num único documento de compilação de dados 2. Extracçao de Outputs de Resultados - Tratamento de dados com origem na FRD: procedeu-se à análise de frequências i.e. contagens de observações de “Sim” e ”Não” por: parâmetros informativos por área do conhecimento por disciplina científica
  • Os resultados obtidos espelham uma situação claramente diferenciada entre a explicitação de determinados parâmetros informativos relativamente a outros. Por outro lado, entre áreas temáticas e entre disciplinas científicas, há também diferenças assinaláveis com as áreas das Ciências Exactas e Ciências Médicas a denotarem um maior investimento na declaração das suas políticas editoriais.
  • Foram analisadas as revistas com maior factor de impacto nas bases científicas SCIE, SSCI e Artes & Humanidades, num total de 249 títulos, dos quais 28,9% são pertencentes à área de Ciências Exactas, 22,9% à área de Ciências Médicas, 19,3% à área de Ciências Sociais, 16,5% à área de Engenharia e tecnologia e 12,4% à área de Humanidades.
  • As revistas analisadas evidenciam uma periodicidade maioritariamente mensal. Seguidamente, pouco mais de um quinto das revistas são trimestrais e 14,9% Bimensais. Com outras periodicidades tem-se 9,2% das publicações.
  • Os parâmetros informativos mais e menos explicitados pelas 249 revistas científicas da nossa amostra encontram-se respectivamente na parte superior e inferior desta projecção. Como se pode observar, os parâmetros mais referenciados prendem-se com Acuso de recepção e agradecimento, com a Notificação aos autores da decisão definitiva e com Mecanismos existentes na Redacção para informar o estado em que se encontra um manuscrito. Inversamente a Existência de revisores metodológicos, a Avaliação da qualidade dos revisores e a Existência de revisores de estilo são os aspectos que recolhem um menor nível de explicitação por parte das revistas.
  • Analisando o nível de PED por grupos de parâmetros, verifica-se é o grupo dos Procedimentos e Prazos aquele que apresenta um maior nível de declaração por parte dos títulos analisados. De facto, 53,5% das observações nas 249 revistas recolheram análise positiva ( “Sim”) no que respeita aos parâmetros que compõem este grupo. Seguidamente tem-se os restantes grupos, com níveis de explicitação dos respectivos parâmetros bastante inferiores, 16,4% nos caso do grupo relacionado com parâmetros referentes à utilização de revisores, 16,1% relativamente ao Sistema de Avaliação (Tipologia) e 14% relativamente aos critérios e formulários de avaliação. De salientar que é significativo que sejam precisamente os aspectos relacionados com os critérios de avaliação aqueles que apresentam um menor nível médio de evidenciação por parte das revistas. De facto, a normalização da forma como os manuscritos são avaliados através de formulários e critérios pré definidos é um dos principais aspectos que gera críticas ao sistema de peer review.
  • Esta projecção evidencia as revistas em que se identificou existir uma declaração mais e menos exaustiva dos parâmetros. Do lado das 10 revistas que exibiram uma maior declaração de política editorial encontram-se revistas das Ciências Médicas e das Ciências exactas e Naturais como a Annals of Emergency Medicine, Obstetrics and Gynecology e Nature Medicine. Do lado das 10 revistas com uma PED praticamente inexistente relativamente aos parâmetros informativos considerados encontram-se fundamentalmente títulos da área de Humanidades.
  • Da análise efectuada na FRD conclui-se que, em média, a disciplina das Ciências Médicas é aquela em que se verifica um maior nível de declaração da política editorial em todos os parâmetros, com 62,6% de observações positivas na FRD ( “Sim”) relativas aos parâmetros que compõem o grupo Sistema de Avaliação: Tipologia, 46,2% para os grupo dos parâmetros que compõem os Procedimentos e Prazos, 42,1% para o grupo dos Critérios e Formulários de Avaliação e 28,9% para a questão dos Revisores. Seguidamente, tem-se as Ciências Exactas e Naturais, disciplina na qual se verifica uma maior percentagem média de observações positivas na FRD para todos os grupos de parâmetros, com destaque para os Critérios e Formulários de Avaliação em que a disciplina de Ciências Exactas supera o nível de evidenciação demonstrado pela área de Ciências Médicas. Com menor nível de explicitação das políticas editoriais tem-se as disciplinas de Ciências Sociais (em que se verifica um nível razoavelmente elevado de declaração de política editorial no grupo Sistema de Avaliação (48,5% de observações positivas na FRD) e Humanidades
  • De entre os 30 parâmetros analisados, destaca-se que a disciplina de Ciências Médicas foi aquela em que se registou um maior número médio de parâmetros explicitados nas práticas editoriais dos títulos analisados nesta amostra. Em média, as revistas de Ciências Médicas explicitaram 13 dos 30 parâmetros analisados, enquanto na disciplina de Engenharia e Tecnologia essa média foi de 10 e nas Ciências Exactas e Naturais, foi de 12.
  • Nesta análise, o dado mais saliente é o de que grande parte das revistas em cada área não faz declaração do sistema de peer review utilizado em concreto, ainda que possa mencionar este aspecto nas suas políticas editoriais.
  • Da análise efectuada
  • São mais os aspectos positivos do que negativos subjacentes à revisão por pares
  • Neste percurso de investigação, desde logo se formulou uma primeira questão: qual o papel da avaliação na legitimação dos conteúdos científicos alvo de publicação e quais os critérios e parâmetros que podem tornar esta avaliação mais sistemática, transparente e efectiva do ponto de vista dos critérios que se exigem hoje à publicação científica. Com base no trabalho desenvolvido pelo Prof. Emílio e tirando partido da sua experiência de investigação e publicação nestas áreas, suportei-me num conjunto de parâmetros que cobrem as diversas fases do processo de avaliação e que ajudam a analisar até que ponto a avaliação dos manuscritos obedece a critérios definidos, inequívocos e exaustivos de forma a garantir os níveis de qualidade que são exigidos às publicações científicas.
  • Com vista a seguir melhorando, salienta-se um conjunto de recomendações de fundamental importância no sentido de colmatar as insuficiências detectadas nas diferentes áreas disciplinares.
  • Gostaria, agora, de agradecer aos Exmos. Srs. Membros do Júri e ao Professor Doutor D. Emílio Delgado López-Cózar a disponibilidade para estarem hoje aqui a proceder à avaliação deste trabalho que começou em 2004 dando origem a um primeiro momento de investigação e exploração deste tema (a Tesina) em que recolhi os elementos fundamentais e os rudimentos que me permitiram avançar para a exploração dos caminhos que deram origem a esta tese de doutoramento. Foi com grande persistência e sentido de tarefa que juntamente com o Professor Emílio desenvolvi este trabalho que foi desde logo motivado pela minha própria experiência enquanto docente.
  • Tese de Doutoramento

    1. 1. Director: Profesor Doctor D. Emilio Delgado López-CózarAlumno: Maria Manuela Santos Tavares de Matos CardosoUNIVERSIDAD DE GRANADA | FACULDAD DE COMUNICACIÓN Y DOCUMENTACIÓN |DEPARTAMENTO DE BIBLIOTECONOMIA Y DOCUMENTACIÓN21 |Noviembre | 2011POLÍTICAS EPRÁTICAS EDITORIAIS DECLARADASDoctorado en Documentación y Información Científica1
    2. 2. Trabajo de investigación insertado en el Programa deDoctorado en Documentación y Información Científica dela Universidad de Granada, España, impartido enasociación con la Universidad Portucalense, Oporto,Portugal.Director:Prof. Doctor Emilio Delgado López-Cózar2
    3. 3. Objectivos CientíficosJustificaçãoOrigem e desenvolvimento do temaAmostraConceitos básicos de partidaProcedimentosInstrumentosTratamento de DadosApresentação dos resultados da análise das revistas:- Por parâmetros informativos- Por área do conhecimento- Por disciplina científicaConclusões - Seguir melhorando e pistas parainvestigações futurasMATERIAL EMÉTODOSConsiderações Históricas e as Revistas CientíficasO processo editorial de peer review nas revistascientíficasEstudos empíricos editoriais de peer review3INTRODUÇÃOESTADODAQUESTÃORESULTADOS EDISCUSSÃOCONCLUSÕES
    4. 4. Introdução. . . . . . . .4
    5. 5. Crescimento contínuo (e mais acelerado) dapublicação científicaMaior exigência da qualidade da publicaçãoNovas dinâmicas de produção do conhecimentoNeste contexto, como garantir apertinência, o rigor e oportunidadeda publicação científica?Publish or perish…… se não está publicado(na www) não existe!Existe uma pressão académica einstitucional contínua muito fortepara que os investigadorespubliquem conteúdos originais,rigorosos, tempestivos … commuita regularidade
    6. 6. Analisar os sistemas de revisãopor pares (peer review)dominantes nas revistascientíficas com maior Factor deImpacto, por áreas e disciplinascientíficasAnalisar os sistemas de revisãopor pares (peer review)dominantes nas revistascientíficas com maior Factor deImpacto, por áreas e disciplinascientíficas123Estabelecer um das revistascientíficas perfil a partir dodiagnóstico resultante da análisedas políticas de peer reviewpraticadas pelas revistas científicascom maior Factor de Impacto.Estabelecer um das revistascientíficas perfil a partir dodiagnóstico resultante da análisedas políticas de peer reviewpraticadas pelas revistas científicascom maior Factor de Impacto.Analisar, descrever einformar sobre os váriossistemas de selecção eavaliação dos originais, ouseja, as políticas e práticasde peer review adoptadase declaradas pelas revistascientíficas, a partir dasInstruções aos Autoresdestas.Analisar, descrever einformar sobre os váriossistemas de selecção eavaliação dos originais, ouseja, as políticas e práticasde peer review adoptadase declaradas pelas revistascientíficas, a partir dasInstruções aos Autoresdestas.Objectivo GeralAnálise e caracterização daspolíticas e práticas de selecção eavaliação de manuscritosrecebidos por revistas científicasAnálise e caracterização daspolíticas e práticas de selecção eavaliação de manuscritosrecebidos por revistas científicas
    7. 7. 7Avaliaçãodas RevistasCientíficasProliferaçãomeios de difusãodo conhecimentoDispersão doscritérios dequalidadeAusência decritériosnormalizadosDificuldade decontrolar ainformaçãoproduzida
    8. 8. A produção editorial de revistas científicas atravessa novos constrangimentos edesafios que convocam critérios de qualidade exigentes nacomunicação da informação científicaNeste contexto, como garantir a pertinência, o rigor e oportunidade dapublicação científica?8QualidadeUniformização eEstandardizaçãoPeer ReviewLimitações ecríticasNovasabordagensA comunidade científica concorda que a avaliação por pares éindispensável mas a sua implementação encontra-se a serrepensada
    9. 9. Estado daQuestão. . . . . . . .9
    10. 10. 10O conceito de Peer Review…A avaliação pelos pares em revistas científicas é ummecanismo que consiste na apreciação minuciosa deoriginais por especialistas externos de uma ou maisdisciplinas para indicar a sua aceitação ou recusa parapublicação, ou seja, envolve todos os processos de pré-selecção, revisão e comunicação sobre a aceitação ou arejeição para a publicação dos originais submetidos pelosautores.
    11. 11. AutoresCriação de obrasoriginaisResponsabilidade pelaqualidade dosmanuscritos quesubmetemVariabilidade eCriatividadeRevisoresCabe-lhes limitar ocorpo de conhecimentocientífico apenas àquiloque pode sercientificamentevalidadoTêm por base a isençãona avaliação deconteúdosNormalização eDelimitaçãoEditoresZelam pelaregularidade daspublicações e têm a suaactividade orientadapara a divulgação doque melhor se faz naprodução científicaEdição ePublicação11Intervenientes …
    12. 12. 12Etapas do processo de Peer Review…Autor submete o manuscritoManuscrito registado,conferidoe confirmação do recebimentoLeitura/Apreciação pelo(s) Editor(es)Rejeitado semAvaliaçãoEnvio para avaliadoresexternosRetorno dasAvaliaçõesApreciação dasavaliaçõespelo(s)editor(es)RejeitadoRe submissãoencorajadaRe submissãonão encorajadaAceite comnecessidade de RevisãoAutor submetemanuscritorevistoAceiteProdução PublicaçãoAvaliação Adicional Requerida
    13. 13. Ex: Royal Society de Londres – PhilosophicalTransactionsAs sociedades científicas desempenharam um papel dedestaque para a produção científica e o respectivodesenvolvimento da ciência, pois foram estas que instituíram osalicerces da avaliação pelos paresSociedades eacademiascientíficas(séc. XVI e XVII )Pioneiras na avaliação dos resultados da investigaçãoPeer review feito através de cartas pessoais, debates e apartilha de informação acerca dos temas sujeitos a revisãoO peer review começa ter um papel destacado e publicamentereconhecido, imediatamente após a segunda guerra,institucionalizou-se, mas não de forma muito sistemática ouorganizadaInstitucionalizaçãodo Peer Review(séc. XIX – meadosséc. XX)Após a II Guerra Mundial e com a profissionalizaçãoda ciênciaVerifica-se a industrialização do saber e as revistasconvertem-se no meio de comunicação por excelência:13
    14. 14. Revistas científicas convertem-se no meiode comunicação por excelência e publicaçõesseriadas tiveram um crescimento exponencialA partir da 2ªGuerra MundialProfundas mudanças do papel da Ciência na sociedadea ciência torna-senuma questão deEstadoPublicaçõesperíodicas erevistas resumoindustrialização doconhecimentoNova etapa da comunicação científica,caracterizada pela explosão da informação emultiplicação dos intervenientes napublicação científicaTecnologias deInformação eComunicaçãoInternet como meio de publicação formalDisseminação dasorigens dapublicaçãocientíficaInvisible CollegesRevolução doconhecimentohumano14
    15. 15. 15Moldaram o processode peer reviewnasrevistas científicas osestudos sobre:1. As práticas e políticaspráticas e políticaseditoriaiseditoriais de peer reviewnas revistas científicas*2. As atitudesatitudes e visõesvisõesdos autores, editores erevisores perante o peerreview das revistascientíficas (os relatóriosoriundos dos inquéritos:ALPSP, WARE, TheBritish Academy, RIN))
    16. 16. 16Coe & Weinstock(1967)Beyer (1978)Peter & Ceci (1982)Coloianni (1994)Weller (1990)Wilkes & Kravitz(1995)Freda & Kearny(2005)The British Academy(2007)Ware (2008)RIN (2010)Moldaramo processode peerreviewContribuíram paraaperfeiçoar osprocesso decomunicação científicaem geral e das revistascientíficas emparticularAs Ciências Médicas forampercursoras pois desdecedo investiram namelhoria dos processos derevisão, pelo que dispõemhoje de práticas maisexaustivas de declaração depolítica editorial de peerreview-
    17. 17. 17
    18. 18. 18
    19. 19. 19Alternativas mais disseminadas na MEDICINA, FISICA EPSICOLOGIAMisto ou hibrídoMisto ou hibrído
    20. 20. 20
    21. 21. PublicaçãocientíficainternacionalReduzida normalizaçãonos mecanismos deavaliaçãoDiminutatransparênciaeditorial daspublicaçõesLimitaçõesdo peerreviewOs critérios e instrumentos de avaliação da ciência sãoadaptados aos contextos históricos e tendem a traduzir e aincorporar mudanças contextuais 21
    22. 22. Material e Métodos. . . . . . . .22
    23. 23. A amostra de 249 revistas científicas internacionaisamostra de 249 revistas científicas internacionais commaior factor de impactomaior factor de impacto está, naturalmente, longe de abrangero universo total de revistas científicas;A amostra foi referenciada a um critério (o do factor deimpacto) o que não exclui que outros critérios pudessem serutilizados nesta selecção;Não é possível neste trabalho estabelecer uma generalizaçãoabsoluta mas somente uma análise crítica da amostra empresença e sua comparação com outros estudos realizados emtorno desta temática.23
    24. 24. Amostra:249 revistas, num universo demais de 6 mil títulosEnfoque:Revistas Científicasde prestígiointernacionalreferenciadas naWeb of Science(WoS) nas diferentesáreas doconhecimentoCritério:De entre as revistas que publicamapenas originais (i.e. excluindo as detipo Review, foi seleccionada a revistacom maior FI em cada categoriatemática do ISI, num total de 2493 bases científicas SSCI, SCIE, A&HCI27 áreas do conhecimento5 disciplinas (adaptação declassificação UNESCO)I.Ciências Exactas e NaturaisII.Engenharia e TecnologiaIII. Ciências MédicasIV. Ciências Sociais,V. Humanidades24
    25. 25. 25Base de DadosWeb of Science(WoS)SSCI SCI A&HCIJournal Citation Reports (JCR)(2006)Seleccionada em cada categoria/disciplina da A&HCIuma revista editada/patrocinada por instituições oueditoras de prestigio reconhecido entre a comunidadeacadémica internacional.Não temJCR
    26. 26. 26Instruções aos autores - Páginas que contêm informaçãosobre a política editorial da revistapautas detalhadas para os autores prepararem os seusoriginais de acordo com o estilo da revista e informaçãoimprescindível sobre o âmbito temático coberto, o tipo detrabalhos aceites e a política editorial seguida pela revista;Revistas de investigaçãorevistas que publicam fundamentalmente trabalhos deinvestigação.Revista tipo review:revistas que publicam somente as revisões bibliográficas,os estados da questão ou estados da arte.
    27. 27. 272 tipos de observação
    28. 28. 28
    29. 29. Folha de Recolha de DadosFolha de Recolha de Dados contendo:29FRD -> :30 parâmetros informativos extraídos dos critérios de avaliação de revistas propostos por Delgado et al.(2007), "La edición de revistas científicas: directrices, criterios y modelos de evaluación",Secção "Procedimento de avaliação e aceitação de manuscritos", (itens relativos ao ponto 10.3.2. desta obra)Do parâmetro 351 ("Mecanismos da Redacção para informar o estado em que seencontra o manuscrito") até ao parâmetro 370 ("Devolução dos trabalhosrejeitados"), (Delgado et al., 2007: 187-192); eDo parâmetro 394 ("Critérios para a aceitação dos manuscritos" até ao parâmetro401 ("Procedimentos para atender às queixas e/ou reclamações dos autores"(Delgado et al, 2007: 200-204.
    30. 30. Identificaçãode RevistaAnálise econteúdo dasInstruçõesaos AutoresParâmetrosInformativos30strutura-se em 4o informativo;o (SIM, NÃO);o (quando SIM,er: e,s aos Autores.
    31. 31. Sistema de Avaliação:TipologiaNúmero e classe de artigos revistos: descriçãoExistência de Revisão Editorial: descriçãoSistema de arbitragem empregueCritérios e Formulários deAvaliaçãoCritérios para a aceitação de manuscritosFormulário de revisão editorialGuias e instruções para os revisoresFormulário de avaliação a cumprir pelos revisoresProcedimentos ePrazosPrazos gerais do processo de avaliação de manuscritosMecanismos existentes na Redacção para informar o estado em que se encontra ummanuscritoExistência de procedimento rápido de revisãoAcuso de recepção e agradecimentoPrazos remissão parecer de avaliaçãoSolicitação prévia de aceitação da avaliação do manuscrito por parte dos revisoresProcedimento de comunicação da redacção com os revisoresNotificação dos autores da decisão provisionalRéplica dos autores: forma e conteúdoDecisão definitiva: notificação de aceitação / rejeição e instruções para apresentaçãoversão definitivaNotificação aos autores da decisão definitivaComunicação decisão final dos revisoresRecurso contra a decisão de rejeiçãoDevolução de trabalhos rejeitadosProcedimentos para atender às queixas e /ou reclamações dos autoresRevisoresProcedimento para a selecção de revisoresCritérios para a selecção de revisoresResponsabilidades e funções dos revisoresNúmero de revisores empreguesExistência de revisores metodológicosExistência de revisores de estiloReconhecimento do trabalho dos revisoresAvaliação da qualidade dos revisores31
    32. 32. Variável DescriçãoTítulo da Revista Título da RevistaTítulo da Revista Abreviado Título da Revista AbreviadoBase Base Científica em que a revista se encontra registadaCobertura Área de estudo da revistaLugar de Edição Área geográfica em que a revista é editadaPeriodicidade Periodicidade de publicação da revistaData da Análise Data de análise do número que serviu de base à análiseN.º Analisado Número que serviu de base à análiseEditor Editor da revistaFactor de Impacto Factor de impacto da revista no ano 2006ISSN ISSNOn-Line ISSN ISSN da revista On-LineURL Endereço electrónicoCategoria Categoria da revista, na respectiva baseÁrea Área temática em que a categoria da revista pode serenquadradaSub-Área Subárea temática em que a categoria da revista pode serenquadradaParâmetro Parâmetro de análise da transparência da política editorialAnálise Parâmetros Referência ao parâmetro na política editorial (Sim/Não)Instruções aos Autores Referência ao parâmetro de política editorial nas instruçõesaos autores (Sim/Não)Criação de base de dados para armazenar a informação recolhida na FRD para posteriortratamento estatístico, por áreas do conhecimento e disciplinas científicas, contendo, paracada revista analisada:
    33. 33. parâmetros informativospor área do conhecimentopor disciplina científica33
    34. 34. Resultados e Discussão. . . . . . . .34
    35. 35. 35
    36. 36. A periodicidade mensal é claramentepredominante entre as revistas analisadas,seguindo-se as publicações trimestrais.Os EUA detêm a maioria das publicações.Quase metade das revistas são publicadas sobos auspícios das associações e sociedadesprofissionais36
    37. 37. 37+-Acuso de recepção e agradecimento 88,0Notificação aos autores da decisão definitiva 85,5Mecanismos existentes na Redacção para informar oestado em que se encontra um manuscrito 85,1Sistema de arbitragem empregue 64,3Decisão definitiva: notificação de aceitação / rejeição einstruções para apresentação versão definitiva 60,2Critérios para a aceitação de manuscritos 57,0Existência de Revisão Editorial: descrição 55,4Procedimento para a selecção de revisores 47,8Prazos gerais do processo de avaliação de manuscritos 45,8Critérios para a selecção de revisores 41,4Devolução de trabalhos rejeitados 21,7Formulário de avaliação a cumprir pelos revisores 19,7Recurso contra a decisão de rejeição 17,3Existência de procedimento rápido de revisão 10,8Reconhecimento do trabalho dos revisores 10,8Comunicação decisão final dos revisores 6,4Procedimentos para atender às queixas e /oureclamações dos autores 2,8Existência de revisores metodológicos 2,8Avaliação da qualidade dos revisores 1,2Existência de revisores de estilo 0,4
    38. 38. 38
    39. 39. 39Annals of Emergency Medicine CIÊNCIAS MÉDICAS 25Obstetrics and Gynecology CIÊNCIAS MÉDICAS 23Nature Medicine CIÊNCIAS MÉDICAS 22PLOS Pathogens CIÊNCIAS EXACTAS E NATURAIS 22PLOS Biology CIÊNCIAS EXACTAS E NATURAIS 21Cell Metabolism CIÊNCIAS MÉDICAS 20New England Journal of Medicine CIÊNCIAS MÉDICAS 20Radiology CIÊNCIAS MÉDICAS 20Journal of Virology CIÊNCIAS EXACTAS E NATURAIS 20Science CIÊNCIAS EXACTAS E NATURAIS 20Perspectives in Biology and Medicine HUMANIDADES 1Research in African Literatures HUMANIDADES 1Naval ArchitectENGENHARIA ETECNONOLOGIA 0Critical Quarterly HUMANIDADES 0Dance Chronicle HUMANIDADES 0English Literary Renaissance HUMANIDADES 0Journal of Film and Video HUMANIDADES 0Journal of Musicological Research HUMANIDADES 0Medieval History Journal HUMANIDADES 0Oxford Art Journal HUMANIDADES 0Victorian Literature and Culture HUMANIDADES 0+-
    40. 40. 45,4%43,7%26,6%58,2%42,1%46,2%28,9%62,6%25,0%36,8%18,5%48,6%37,5%35,4%22,6%52,4%19,4%15,5%7,7%32,3%Critérios e Formulários de AvaliaçãoProcedimentos e PrazosRevisoresSistema de Avaliação: TipologiaHUMANIDADESENGENHARIA E TECNONOLOGIACIÊNCIAS SOCIAISCIÊNCIAS MÉDICASCIÊNCIAS EXACTAS E NATURAIS40
    41. 41. 41CIÊNCIAS EXACTAS E NATURAIS 71 12,3 40,80%CIÊNCIA GERAL 1 20 66,70%CIÊNCIAS AGRÁRIAS 9 10,7 35,60%CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 25 13 43,30%CIÊNCIAS DA TERRA E DO ESPAÇO 8 11,1 37,10%FÍSICA 16 13,4 44,60%MATEMÁTICAS 4 5,3 17,50%QUÍMICA 8 13 43,30%CIÊNCIAS MÉDICAS 57 12,8 42,70%CIÊNCIAS MÉDICAS 57 12,8 42,70%CIÊNCIAS SOCIAIS 48 9,7 31,50%CIÊNCIA POLÍTICA, DA ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO 5 10,6 35,30%CIÊNCIAS ECONÓMICAS 4 9,8 32,50%CIÊNCIAS JURÍDICAS 2 6,5 21,70%CIÊNCIAS SOCIAIS, GERAL 2 13 43,30%COMUNICAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO 2 11,5 38,30%EDUCAÇÃO 3 9,7 32,20%GEOGRAFIA E URBANISMO 8 8,8 29,20%PSICOLOGIA E CIÊNCIAS DO COMPORTAMENTO 13 10,1 33,60%SOCIOLOGIA E CIÊNCIAS AFINS 9 7,8 25,90%ENGENHARIA E TECNOLOGIA 42 10,4 34,00%CIÊNCIA DOS MATERIAIS 5 11,2 37,30%ENGENHARIAS 14 10,1 33,80%INFORMÁTICA 7 10,4 34,80%TECNOLOGIA 16 9,8 32,70%HUMANIDADES 31 5,6 15,60%CIÊNCIAS DAS ARTES 7 1,7 5,70%FILOSOFIA E TEOLOGIA 6 5,8 19,40%HISTÓRIA 5 8,8 29,30%HUMANIDADES, GERAL 1 8 26,70%LINGUÍSTICA 2 5,5 18,30%LITERATURA 10 3,5 11,70%N.º RevistasanalisadasN.º deMédio deParâmetrosExplicitados% deparâmetrosexplicitados
    42. 42. Número médio de parâmetros declarados, por área científica42
    43. 43. 43Informação proporcionada sobre o tipo de sistema de arbitragem utilizado numa amostra de249 revistas internacionais indexadas na Web of Science (%)
    44. 44. 44
    45. 45. Panorama marcado por...45
    46. 46. 46
    47. 47. 47
    48. 48. A avaliação do mesmotipo de conteúdos deveser feita de acordo comos mesmos princípiosO peer review,apesar de aceitepela comunidadecientífica é porinerênciasubjectivoA transparência da políticaeditorial minimiza situaçõesde fraude, plágio, duplicação,…48
    49. 49. 49
    50. 50. 1. Circunscrever o âmbitoda revisão editorial2. Utilização de revisoresMetodológicosespecializadosSistema de arbitragemcientífica aplicadaNúmero de revisores aempregar por artigo;como se realiza a selecçãodos revisoresCritérios que os revisoresterão de ter em conta narevisão dos artigosInformação dos revisoresdos prazos de revisãoPublicação de guias einstruções de avaliaçãoempregues pelos revisoresO sistema de revisão e oscritérios de avaliação dos artigosdevem ser descritos da formamais transparente possívelO Conselho de Redacçãoacumula diferentes funções enem sempre se dedica a tempointeiro para garantir a qualidadedo processo de revisãoRemuneração do Conselho deRedacçãoInformam nas suas instruçõespara os autores ou nas suaspáginas Web sobre as suaspráticas de avaliação dosoriginais das revistasCorrecção de estiloVerificação da exactidãode títulos, resumos,palavras-chave ereferências bibliográficasVerificação da adequaçãodo método científico50Revisores que possam assegurarespecificamente:3. Profissionalização dagestão do processoeditorial das revistas
    51. 51. 51"Like a democracy, editorial peer review is messy anddoes not always work as it should, but it is essential tothe integrity of science and scholarly communication”.(Weller, 2001)É essa a expectativa dos intervenientes do processo de revisão que,de acordo com os estudos realizados (Ware, ALPSP, RIN, ...). Asalternativas propostas como por exemplo o Open Peer Review sãoopções que visam desenvolver a confiabilidade,imparcialidade/equidade e o valor preditivo dopeer review. De facto, estes são também os pressupostos da suapossível aplicação universal a todos os campos do conhecimento!
    52. 52. 52MuchasGracias!Manuela Cardosomanuela-cardoso@netcabo.pt“Explicar e fazercompreender o quepretendemos, nãoécoisa fácil, poisjamais secompreende o queé novo, senãopor analogia, como que é antigo."Francis Bacon.Novum Organum

    ×