Semana santa parte 2

2.258 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.258
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
224
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
162
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Semana santa parte 2

  1. 1. SEXTA-FEIRA SANTA DA PAIXÃO DO SENHOR “Ele tomou o vinagre e disse: ‘Tudo está consumado’. E inclinando a cabeça, entregou o espírito” (Jo 19, 29-30).
  2. 2. • Segundo tradição muito antiga, neste dia a Igreja não celebra a Eucaristia, mas põe em destaque a proclamação da palavra. A comunidade cristã se reúne para vivenciar não um funeral, mas a morte vitoriosa de Jesus Cristo.• A celebração da Paixão do Senhor compõe-se de três partes: Liturgia da palavra, incluindo-se a oração universal, adoração da cruz e comunhão.
  3. 3. Liturgia da Palavra • A profecia de Isaías (Is 52) nos apresenta a imagem do Cristo sofredor, conduzido ao matadouro como uma ovelha muda, carregando todos os nossos pecados. • O Salmo 30: Pai em tuas mãos entrego o meu espírito. Com este versículo a Igreja atribui a Cristo o salmo todo, descrevendo a sua paixão e seu completo abandono ao Pai.
  4. 4. • A carta aos Hebreus (Hb 4) nos mostra Cristo obediente que se torna causa de salvação eterna para todos os que lhe obedecem.• No relato da paixão, João, em vez de acentuar os aspectos do sofrimento humano de Jesus, destaca os sinais da sua divindade e da sua glória.• A oração universal exprime verdadeiramente a abertura universal da comunidade cristã, consciente de que a salvação de Cristo é oferecida a todas as pessoas.
  5. 5. Apresentação e adoração da Cruz • A Igreja ergue diante dos fiéis o sinal do triunfo do Senhor, que havia dito: Quando vocês levantarem o Filho do Homem, saberão que EU SOU (Jo 8,28).
  6. 6. Comunhão• Embora não haja celebração eucarística, os fiéis podem comungar das hóstias consagradas na missa da quinta-feira santa. Mesmo que seja feita fora da missa, a comunhão é íntima união com Cristo que se oferece por nós em sacrifício ao Pai.• A Igreja prescreve o jejum para este dia. Trata- se de um sinal exterior da participação interior ao sacrifício de Cristo.
  7. 7. • Ao encerrar a celebração, faça- se o desnudamento do altar, colocando-se porém a cruz em lugar adequado, de modo que os fiéis possam adorá-la.• A Via-sacra e outros exercícios piedosos. Por sua importância pastoral, sejam valorizados os piedosos exercícios da via- sacra, procissão da paixão e memória de N. Sra.
  8. 8. SÁBADO SANTO • A Igreja permanece junto ao sepulcro do Senhor, meditando sua paixão e morte, e abstendo-se de celebrar o sacrifício da Missa até que, após a solene Vigília em que espera a ressurreição.
  9. 9. • O sábado santo, portanto, é considerado um dia alitúrgico, isto é, sem celebração eucarística. É dia de contemplação e respeito em face do mistério que a Igreja acabou de celebrar na sexta-feira santa.
  10. 10. • É um dia de recolhimento, de silêncio e de oração. Mesmo assim não deve ser um dia vazio, mas de um silêncio meditativo e de grande vigília, perante Jesus que está no sepulcro.• Na igreja, pode ser exposta, para a veneração dos fiéis, a imagem de Jesus crucificado ou a do Senhor morto, ou ainda a imagem de N. Sra. Das dores. Não se celebra a Eucaristia, nem outros sacramentos, exceto o da penitência e da unção dos enfermos.
  11. 11. VIGÍLIA PASCAL• A liturgia da vigília pascal constitui-se de quatro partes: liturgia da luz, liturgia da palavra, liturgia batismal e liturgia eucarística.
  12. 12. Liturgia da Luz• Na vigilia pascal, o fogo novo, simboliza Jesus ressuscitado, que, saindo do sepulcro, vence as trevas do mal e vai ao encontro de sua glória.• O círio aceso simboliza Jesus com suas chagas e sua cruz gloriosa no esplendor da ressurreição.
  13. 13. • A procissão dos fiéis ao redor do círio lembra a presença de Deus que, na coluna de fogo, vai adiante do povo de Israel, iluminando-o na escuridão da noite.• O canto do EXULTE, ou proclamação da Páscoa, é um convite para que celebremos nesta noite santa, o ponto culminante da história da salvação.
  14. 14. LITURGIA DA PALAVRA• As leituras bíblicas são nove ao todo. As sete leituras do AT recordam os fatos principais da ação de Deus na vida do povo. A epístola e o evangelho mostram como Deus realiza em Jesus Cristo as promessas feitas ao longo da história da salvação.
  15. 15. Liturgia Batismal• Desde os primeiros séculos, a Igreja ligou a celebração do batismo à noite pascal. Um aspecto relevante é a bênção da fonte, indicando que a graça do batismo não vem da água, mas do Espírito santo.• Após a administração do batismo, toda a assembleia renova as promessas batismais. Isso indica que o batismo é um compromisso que o cristão deve renovar e assumir cada dia.
  16. 16. Liturgia Eucarística• A liturgia eucarística é o ponto culminante de toda a Vigília pascal. É a mais elevada ação de graças que a igreja apresenta ao pai, por ele nos ter dado seu filho morto e ressuscitado.• Cristo é o verdadeiro cordeiro que tirou o pecado do mundo; morrendo, destruiu a morte e, ressurgindo, deu-nos a vida.
  17. 17. Cristo, Nossa Páscoa • Em que Cristo, nossa Páscoa, Foi imolado. Pela oblação de seu corpo, pregado na cruz, Levou à plenitude os sacrifícios antigos. Confiante, entregou em vossas mãos seu espírito, cumprindo inteiramente vossa santa vontade, revelando-se, ao mesmo tempo, Sacerdote, altar e cordeiro.

×