Introd. livros historicos

4.765 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.765
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
976
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
109
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Introd. livros historicos

  1. 1. Introdução aos livros históricos
  2. 2. Títulos <ul><li>“ Primeiros Profetas” . </li></ul><ul><li>Os hebreus denominavam seis livros como os “Primeiros Profetas” (Josué, Juízes, 1 e 2 Samuel, 1 e 2 Reis), considerando-os, porém, como quatro. Eles contrastam com os “Últimos Profetas” (Isaías, Jeremias, Ezequiel e Os Doze Profetas Menores”, também considerados quatro livros. </li></ul><ul><li>Os primeiros profetas são históricos; os últimos exortativos. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>“ Livros Históricos” </li></ul><ul><li>A denominação de “Históricos” classifica em geral os doze livros de Josué a Ester. Diferem dos livros de Moisés quanto a sua ênfase. </li></ul><ul><li>O Pentateuco traça a história redentora desde a criação até a morte de Moisés, mas dá destaque À Aliança e aos alicerces legislativos de Israel. </li></ul><ul><li>Os Livros Históricos, dramatizam o movimento histórico da nação durante toda a sua história na Palestina. </li></ul>
  4. 4. Autoria <ul><li>Todos os doze livros são anônimos. </li></ul><ul><li>Foram copilados e escritos por vários indivíduos que possuíam o dom profético, reconhecidos como representantes de Deus. </li></ul><ul><li>Quatro deles são geralmente considerados os autores principais: Josué, Samuel, Jeremias e Esdras (este último com o auxílio do sumo sacerdote Eleazar), além de Natã e Gade, profetas. Jeremias foi auxiliado pelo seu secretário, Baruque. </li></ul><ul><li>Todos orientados pelo Espírito Santo, tanto autores e compiladores. </li></ul>
  5. 5. Movimento Histórico <ul><li>Estes livros registram a história de Israel, desde a ocupação da Palestina sob a liderança de Josué, passando pelos exílios na Assíria e Babilônia, até a restauração parcial pelos persas. </li></ul><ul><li>O período cobre aproximadamente 1000 anos, de 1405 a 425 a.C. </li></ul><ul><li>As palavras finais de Moisés em Dt. 28-30 constituem uma introdução excelente aos livros históricos. </li></ul>
  6. 6. Cenário geográfico e político da Palestina <ul><li>Geografia. </li></ul><ul><li>O nome “Palestina” não era usado nos tempos bíblicos; derivou-se mais tarde do termo “filisteus”, que identificam os povos chamados de “Palaistinos” pelos gregos, e de “Palestinos” pelos romanos. O nome bíblico para a área era “Canaã”, a terra onde Canaã, filho de Cão, se estabeleceu, e que tinha sido prometida pelo Senhor a Abraão (Gn. 9.25; 10.6; 12.5-7) </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Embora Canaã designasse originalmente a terra a oeste do Jordão, Palestina passou a designar, mais tarde, a terra de ambas as margens do rio. </li></ul><ul><li>Área quadrada de aproximadamente 28.500 km, de grandes contrastes topograficos. </li></ul><ul><li>A principal característica geográfica da Palestina talvez seja a ponte que ela forma entre três continentes, e o fato de ter-se constituido historicamente a ligação entre o Egito e a Mesopotamia. Assim sendo, o centro das civilizações do mundo. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Político </li></ul><ul><li>Território altamente cobiçado pelos conquistadores do mundo. Antes do povo de Israel chegar, tinha sido ocupada pelos reis da Mesopotamia, pelos hititas e pelos faraós. </li></ul>

×