Palestina 2009

3.309 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.309
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
197
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Palestina 2009

  1. 1. AA QUESTÃQUESTÃ PALESTINAPALESTINA ISRAELENSES JUDEUSISRAELENSES JUDEUS XX PALESTINOS MUÇULMANOSPALESTINOS MUÇULMANOS  Palestina -região de interesse geopolítico -petróleo;
  2. 2. AS RELIGIÕES NO MUNDO.
  3. 3. A RETOMADA DE CANAÃ (1400 a.C)
  4. 4. A TERRA DE CANAÃ (2000 a. C)
  5. 5. MAR MORTO – Fronteira entre a Palestina (Israel) e a Jordânia. Depressão absoluta alimentada até a alguns anos pelo rio Jordão. Perde aproximadamente 1 metro de área por ano.
  6. 6. • Característica do conflito: – AAPARÊNCIAPARÊNCIA: diferença étnica- religiosa – disputa pela terra santa - Jerusalém: cidade sagrada para judeus, cristãos e muçulmanos; – EESSÊNCIASSÊNCIA: questão espacial (“luta pela terra”) - mensagem de jornal árabe de Haifa (final do século XIX): “...dos judeus não comprem nada, exceto terras; aos judeus vendam tudo, exceto terras”;
  7. 7. JERUSALÉM – A TERRA SANTA. SANTA!!!
  8. 8. As ruínas do Muro das Lamentações - segundo Templo de Jerusalém, de cerca de 200 A.C., destruído pelos romanos em 70 d.C.
  9. 9. PPRINCIPAISRINCIPAIS ACONTECIMENTOSACONTECIMENTOS GEOPOLÍTICOS DAGEOPOLÍTICOS DA PALESTINA DESDE OPALESTINA DESDE O FINAL DO SÉCULO XIX.FINAL DO SÉCULO XIX.
  10. 10. • Final do século XIX - início do movimento sionista internacional - defendia a criação de um Estado judeu na Palestina - Canaã ou Terra Prometida - fato que poria um fim na diaspora do povo judeu   Declaração BalfourDeclaração Balfour - 1917 (chanceler britânico) - a Grã-Bretanha é favorável a criação do Estado Judeu na Palestina - resultou em uma significativa migração de judeus à região (compraram as melhores terras) - descontentamento árabe; • 1947 - Assembléia da ONU - Partilha Palestina - criação de um Estado Judeu (Israel - 56.4% do território) e de um Muçulmano (Palestina - 43.6%) - influência do Holocausto (mais de 6 milhões de judeus mortos);
  11. 11. 1948 - Declaração de Independência de Israel - primeiro conflito Árabe (Síria, Egito, Iraque, Arábia Saudita, Jordânia) x Israel  Israel expande território para 2/3 da Palestina;
  12. 12.  1949 - criação da Al Fatah (Yasser Arafat - Argel) - início da luta armada contra Israel;  1964 - criação da OLP (reconhecida pela ONU como representante oficial do povo pales- tino) - prática do ter- rorismo como forma de pressão contra Israel; Arafat a época da criação da OLP.
  13. 13.  1967 - Guerra dos Seis Dias - tendo como pretexto uma possível ameaça de ataque árabe/muçulmana ao seu território, Israel invade e ocupa os seguintes territórios:  Península do Sinai e Faixa de Gaza (Egito);  Colinas de Golã (Síria);  Cisjordânia e Jerusalém Oriental (Jordânia).  Início do processo de colonização dos territórios ocupados (constituição de assentamentos ou colônias judaicas - insatisfação dos palestinos);
  14. 14. Territórios ocupados por Israel em decorrência da Guerra dos Seis Dias
  15. 15. O poder bélico regional.
  16. 16. Assentamentos judeus nos territórios palestinos.
  17. 17. Desde a Guerra dos Seis Dias, o governo israelense implementou assentamentos de judeus em terras palestinas, caso da Cisjordânia. Nesta região vivem praticamente 1.800.000 palestinos contra 180.000 israelenses, que por si só é um incentivo aos conflitos.
  18. 18.  1973 - Guerra do Yon Kippur (Dia do Perdão) - países árabes atacam Israel com o intuito de reconquistar os territórios ocupados (apoio soviético)  vitória israelense (apoio estadunidense);  retaliação árabe  OPEP - crise do petróleo; O aumento acentuado custo do barril de petróleo, decorrente do boicote dos países árabes da OPEP, fez com que alguns dos maiores importadores do produto buscassem aumentar sua produção, caso dos EUA (imagem - offshore Mississipi).
  19. 19.  1982 - Israel ataca o Sul do Líbano (bases da OLP)  massacre nos campos de refugiados de Sabra e Chatila (comunidade internacional se sensibiliza com a causa palestina);  1987 - Início da Intifada nos territórios ocupados Guerra das Pedras)  1a revolta popular palestina;  fortalecimento de grupos de grupos islâmicos fundamentalistas (radicais)  Hamas, Jihad Islâmica, Hesbolah, etc. (prática do terrorismo  morrer em nome de Alah);
  20. 20. Criança palestina arremessa pedra em tanque israelense. É a intifada. Grande probabilidade de ser um homem-bomba de grupos terroristas no futuro.
  21. 21. O estrago num hotel em Netanya: homem-bomba na sala de jantar, onde tinha início ao banquete de comemoração da Páscoa judaica (Pessach).
  22. 22. Suicida palestino explodiu um restaurante de Haifa: 17 mortos e 35 feridos.
  23. 23. HOMEM-BOMBA!
  24. 24. HH A M ASA M AS • Líder: Ahmed Yassin; • Características: grupo com um braço militar e outro político. O político faz trabalhos sociais em campos de refugiados. O militar foi o primeiro a usar homens- bomba na região, em 1992; • Objetivo: destruir Israel e criar um Estado islâmico na região, sob o controle dos palestinos; • Efetivo: entre 200 e 300 militantes. Tem facilidade em recrutar voluntários porque é atualmente a facção mais popular entre os palestinos.
  25. 25. JJIHAD ISLÂ MICAIHAD ISLÂ MICA • Líder: Ramadan Shallah, ex-professor da Universidade do Estado da Flórida; • Características: é a mais independente das facções extremistas. Recebe financiamento principalmente do Irã; • Objetivo: destruir Israel e criar um Estado islâmico na região, sob o controle dos palestinos; • Efetivo: entre setenta e 100 terroristas. Tem dificuldade para recrutar colaboradores por contar com apoio restrito da população
  26. 26. BBRIGADA AL AQSARIGADA AL AQSA • Líder: Marwan Barghouti; • Características: em tese, é uma dissidência do grupo chefiado por Yasser Arafat, a Fatah. Apareceu recentemente, depois do fracasso das negociações de paz. Responde hoje por cerca de 70% dos atentados contra israelenses; • Objetivo: assustar os israelenses de modo a obter maiores concessões numa negociação de paz; • Efetivo: cerca de 1 000 homens .
  27. 27. HHEZBOLAHEZBOLAH • Líder: Xeque Hassan Nasrallah; • Características: grupo fundamentalista xiita do Líbano que existe desde 1982. Foi criado para combater as tropas israelenses que ocupavam o sul do país. É sustentado pelos iranianos. Suas lideranças decidiram apoiar os palestinos; • Objetivo: criar um Estado islâmico no Líbano, destruir Israel e transformar Jerusalém numa cidade muçulmana; • Efetivo: cerca de 800 combatentes ativos e 2 000 reservistas .
  28. 28.  1993 - Assinatura de Acordo de Paz (iniciado na Noruega, ratificado em Washington-EUA;  Principais pontos do acordo:  Criação de áreas sob controle da Autoridade Palestina (AP) - Gaza e Jericó na Cisjordânia - sede da AP;  Controle total da Cisjordânia em 5 anos (inclusive Hebron - 100 mil palestinos, 500 israelenses);
  29. 29. RATIFICAÇÃO DO ACORDO DE OSLO EM WASHINGTON. RABIN (ex. PRIMEIRO MINSTRO ISRAELENSE); CLINTON E ARAFAT (PRESIDENTE DA AUTORIDADE PALESTINA)
  30. 30.  2000 – Início de uma nova Intifada, motivada pela visita do então líder da oposição israelense, Ariel Sharon à Esplanada das Mesquitas, local mais sagrado de Jerusalém para palestinos e judeus (que o chamam de Monte do Templo), provocando protestos palestinos. Desde então, novos protestos de palestinos em Gaza e Cisjordânia e de árabes israelenses dentro de Israel já fizeram cerca de 800 mortes, a quase totalidade palestina ou árabe israelense.
  31. 31.  2003 - Assinatura de um novo Acordo de Paz, com os seguinte pontos: 1ª Fase – Implantação Imediata Medidas Adotadas pelos Israelenses  Compromisso com a criação de um Estado palestino soberano;  Fim das ações militares contra palestinos;  Desocupação de áreas sob autoridade palestina reocupadas na Intifada;  Operações de segurança conjunta;
  32. 32.  Desmantelamento de assentamentos construídos a partir de março de 2001;  Congelamento da construção de novos assentamentos na Cisjordânia e na faixa de Gaza;  Relaxamento das restrições ao tráfego entre cidades palestinas;  Autorização da entrada de trabalhadores palestinos no país;  Libertação de prisioneiros;  Fim das demolições de casas de militantes palestinos.
  33. 33. Medidas Adotadas pelos Palestinos  Admissão do direito de Israel existir em paz;  Fim do incitamento à violência contra israelenses;  Combate aos grupos terroristas e a suas atividades ilegais;  Controle das forças de segurança pelo ministro do Interior;  Eleições livres, abertas e justas;  Início do processo de adoção de Constituição
  34. 34. 2ª Fase - Transição  Avaliação de progresso por EUA, União Européia, ONU e Rússia;  Criação de um Estado palestino com fronteiras provisórias;  Restabelecimento de relações entre Estados árabes e Israel;  Ação israelense para garantir "o máximo de contiguidade territorial" aos palestinos;  Ratificação da Constituição palestina.
  35. 35. 3ª Fase - Acordo permanente em 2005  Conferência de paz (2004) para determinar formalmente como será o fim do conflito israelo- palestino;  Discussão do status final de Jerusalém e outros temas complexos;  Criação do Estado palestino com fronteiras definitivas;  Discussão do acordo entre Israel, Líbano e Síria.
  36. 36. YASSER ARAFAT ARIEL SHARON VOCÊ QUEIMARÁ NO MÁRMORE DO INFERNO!! MEUS SOLDADOS IDEAIS ACABARÃO COM VOCÊ!!! I M A G E N S
  37. 37. QUARTEL DE YASSER ARAFAT EM HAMALAH. DESTRUÍDO PELO EXÉRCITO DE ISRAEL.
  38. 38. Palestino mascarado mira estilingue contra tropas do exército durante conflitos na cidade de Nazaré
  39. 39. Membros da guarda pessoal de Arafat inspecionam os danos causados pelos bombardeios israelenses que mataram 2 e feriram 74
  40. 40. Palestinos socorrem homem ferido durante conflito com exército israelense, na colônia de Netzarin, em Gaza
  41. 41. A ira palestina: mulher grita slogans anti-Israel.
  42. 42. Soldados israelenses cercam ônibus que foi usado em um atentado contra posto do Exército israelense por um palestino. O atentado causou 8 mortes, em Tel Aviv
  43. 43. Corpo das vítimas do atentado contra posto do Exército israelense, em Tel Aviv
  44. 44. A mulher do turista brasileiro que foi morto no atentado a bomba ocorrido em um restaurante em Jerusalém atentado a bomba que matou pelo menos 15 pessoas e feriu outras 92 em Jerusalém
  45. 45. Maquiada e composta, Wafa Idris posa com um bebê: morte e destruição no centro de Jerusalém . A MULHER-BOMBAA MULHER-BOMBA
  46. 46. Wafa Idris não seguia os preceitos mais ortodoxos da religião muçulmana, não usava véus nos cabelos, vestia-se como as ocidentais, trabalhava fora e era divorciada. O atentado matou um senhor de 81 anos, feriu mais 150 israelenses e introduziu uma novidade macabra no conflito entre palestinos e Israel: a mulher-bomba.
  47. 47. Desespero após atentado palestino em Jerusalém.
  48. 48. Palestino carbonizado em Gaza por míssil israelense: paz distante .
  49. 49. Terrorista é revistado por robô e palestinos deixam a Igreja da Natividade após 38 dias de cerco.
  50. 50. ACERTO DE CONTAS.ACERTO DE CONTAS. O corpo do palestino Raed al-O corpo do palestino Raed al- Liftawi é pendurado numaLiftawi é pendurado numa praça de Ramallah, napraça de Ramallah, na Cisjordânia, e esfaqueado porCisjordânia, e esfaqueado por outro palestino. Acusado deoutro palestino. Acusado de ter colaborado com Israel,ter colaborado com Israel, Liftawi foi linchado na rua. EmLiftawi foi linchado na rua. Em Belém, outros dois palestinos,Belém, outros dois palestinos, condenados comocondenados como colaboracionistas, foramcolaboracionistas, foram retirados da prisão eretirados da prisão e linchados na Praça dalinchados na Praça da Manjedoura, próximo do localManjedoura, próximo do local onde nasceu Jesus Cristo.onde nasceu Jesus Cristo.
  51. 51. http://www.youtube.com/watch?v=oSQkrxBSQkU Cenas fortes homem bomba terrorista.Cenas fortes homem bomba terrorista.
  52. 52. A QUESTÃO DO CURDISTÃO.A QUESTÃO DO CURDISTÃO. Palestino: Você se parece muito comigo. Qual a suaPalestino: Você se parece muito comigo. Qual a sua nacionalidade? Curdo: Eu sou curdo e pareço com todos osnacionalidade? Curdo: Eu sou curdo e pareço com todos os pobres do mundo.pobres do mundo.
  53. 53. CurdistãoCurdistão é uma região com cerca de 500.000é uma região com cerca de 500.000 km² distribuídos em sua maior parte nakm² distribuídos em sua maior parte na TurquiaTurquia e o restante no Iraque, Irã, Síria, Armênia ee o restante no Iraque, Irã, Síria, Armênia e AzerbeijãoAzerbeijão. Seu nome, que vem do persa e. Seu nome, que vem do persa e significa "terra dos curdos” foi cunhado emsignifica "terra dos curdos” foi cunhado em 1150 pelo sultão seljúcida Sanjar para designar1150 pelo sultão seljúcida Sanjar para designar uma parte do Irã ocidental.uma parte do Irã ocidental. Atualmente osAtualmente os curdos são a mais numerosa etnia sem Estadocurdos são a mais numerosa etnia sem Estado no mundo. São 26 milhões de pessoas, na suano mundo. São 26 milhões de pessoas, na sua maioria muçulmanos sunitasmaioria muçulmanos sunitas, que se organizam, que se organizam em clãs e, em algumas regiões, falam o idiomaem clãs e, em algumas regiões, falam o idioma curdo.curdo.
  54. 54. 'ALI QUÍMICO' É CONDENADO À MORTE POR ATAQUE A CURDOS. O iraquiano Ali Hassan al-Majid, famoso primo do ex-ditador Saddam Hussein e mais conhecido como "Ali Químico", foi condenado à morte neste domingo (17/01/10) por ter ordenado em 1988 um ataque com gás venenoso contra os curdos, que matou mais de 5 mil civis no vilarejo de Halabja. Al-Majid já havia sido condenado à morte outras três vezes por crimes contra a humanidade no Iraque. Sobreviventes de Halabja, no entanto, queriam que o julgamento de "Ali Químico" pelo ataque contra os curdos fosse concluído antes da execução da sentença. Parentes das vítimas de Halabja comemoraram no tribunal após a condenação de Al- Majid, um dos principais arquitetos do regime de Saddam Hussein e um dos últimos a ser julgado. Al-Majid ganhou esse apelido por sua disposição em usar gás venenoso contra os curdos. O ataque de 1988 é considerado o pior deste tipo já realizado contra civis. Até hoje, muitas pessoas em Halabja ainda apresentam sequelas físicas do ataque com gás nervoso e mostarda, realizado ao final da guerra entre Irã e Iraque.
  55. 55. http://www.youtube.com/watch?v=20S_q6lRax4&feature=related The war crimes of Saddam (L.A.).The war crimes of Saddam (L.A.).

×