Lição 05- Relacionamento com Pessoas Difíceis

871 visualizações

Publicada em

Slide da Lição 05- Relacionamento com Pessoas Difíceis
Lições Bíblicas Jovens 4º trimestre de 2015.
Tema: Estabelecendo Relacionamentos Saudáveis- Vivendo e Aprendendo a Viver
Se gostou, comente, curta e compartilhe.
Se não gostou, comente. Receberemos as críticas e veremos o que pode ser melhorado/modificado.
http://maxsuelaquino.blogspot.com.br
https://www.facebook.com/maxsuel.aquino
https://twitter.com/emaxsuel

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
871
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
35
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
58
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lição 05- Relacionamento com Pessoas Difíceis

  1. 1. a ê . às n: L xçis " N* s? 433 É x Aqm í 5*»- Ea a s. : »7 : F k, .y - x: x _ › , ki ígâggaãwíãâashâêfaà s * T VÍVehdoÍé' Áñrendendg a vivi? " - › ' r . e , . x. ~ * - ~: _ ' r "k 1 : v. À Lp›
  2. 2. Recapitulando. .. N? .cr
  3. 3. Recapitulando. .. Cite dois sxemplos de belas zades na Bíbliaü N? .cr O que date os tipos de _v amizades?
  4. 4. Reeapitulando. .. Iíâíââea» Quais as orientações quanto u A à manutenção, í preservação e seleção de amigos, e** as: que a Bíblia nos ensina?
  5. 5. Lição 05- Relacionamenfgo com J _3 pessoas difíceis ai** a. É. . . . 'M' ? “Ê C 'lí ("x ' _Í . TEXTO DO . ç - | , " k“ V' e a a 0 esüver em 1 “Se for possível, quan Vós, tende paz com 'codes os hometgs. ” 12_1g)"'°“ *
  6. 6. eu L a o ~ r 0 - '“ N WC' 'r' _ O deverfgf) c'r1stao e V1VeI'~6II_1~pa'Z com . . ü todos, mdependentemente : e do credo, a . xt. ¡ v¡ a , a etma e cultura, mesmoàqueeessa . q 'À . . I . A x _ ' ° seja de _d1ñc1l~cv1venc1a. ( , ° a «a à 'a e. A . s~
  7. 7. TEXTO BÍBLICO Gênesis 37.1-8 - 1 E Jacóíabitgu_ naterra¡ peregrinações*de¡§_51"1pai, *›5na terra , de 2 Estas'são as gerações deJaóó: Sendo José de dezessete anos, tapas-Éelítavààts ovelhas com seus irmãos; e estava este >. . ss 2' . _ ›1_ _ Jovem coín os ñlhos, ;de___Bk1_la$e com os l_ filhos de¡ Zilpáfvníllhergeüs de seu! pai; fe_ José a má fama deles a segnaih
  8. 8. 3:5' TEXTO Lco . Gênesis 37.1 8 -3 E Israel amgira alJosé mais e todos os seus ñlhosãforqu 'gia ñ "'o'da g. . a 1 7 -r . A *o 2 ¡ o › ¡'- o. _ sua velh1ge; °e fez-lhe uma tumca dexiivvana cores. , a x *se N « '“ ~ “e “Ú x 4 Vendo, pois, seus irmãos g e seu pa1 os_ ai] . “ -« v ' _ , u o amavamals do. que a todoslos seusk i_ . ~ na '= - 1rmaos, aborrecierameno e nao podlam_ rm ^ - v . v- “xi falarlcom ele pacúicamente. às*
  9. 9. TEXTO BÍBLIÇO Gênesis' 37ÍT1§8 6 E disse-lhes; Ouvilpeço-vos, este " sonho, o soahã' i ete-'nh d_ , d . a *A _tag _kg _ 7 Eis qu; e estávamos atandímolhpps no meio do campo, e eis que o meu @Sms se levantava e tambémrñcavakm pé; e CRSWQUC OS IVOSSOÊKTIÊIOAJJOS x t o rodeavam e¡ sehinclinavam'a i-mepi molho. i* ta. ..
  10. 10. Genes1s'-37.sr18 E e "- 'l J a tExrõíí Lc 8 Então, .lhe dissafam seíi i ags: pois, deveras reinarás sób_r: e nósgx Tu deveras terás domínioãobre nos? , 9 isso, tantp mais o aborrec'. por seus l ~ « a ~ sorçlgosp e por suaspalgvras. , p E: l a i
  11. 11. No episódio de hoje. .. l- O que são essoas diñeeis? u , H- Caracteristicas das pessoas difíceis o 9, É_ HI- Como se o relacionar comi . ._. ._. .ãÉ 237" ' pessoas dificeis** o
  12. 12. INTRODUÇÃO Conviver e relacionar-ese com pessoas é N? .çÚAâi
  13. 13. INTRODUÇÃO Ifííiíto» As pessoas são diferentes de u A muitos modos, Í inclusive na forma como gostam de s** at": serem natadas.
  14. 14. INTRODUÇÃO 7 x' v - _ a, t' , apaga WW *à í a . 1 it ll _s_ , _, z-r- 43!' . o. : I _y ' .14. y 'f' v v - _ s: ._ , tl . _ . . b» m: ,o ~: .. g ' . .v ' ou: l Í ' . v! l ¡ ' I N? lg? ! O que essa imagem renata?
  15. 15. INTRODUÇÃO a u. LIVRE-ss nos N¡ 'Í '“ a f aasosaooam, " , i MANTENHA , o DE você PESSOJÀSí t l ' QUE TE AVlSEM OUANOO voos '. ;a I h. I 4 s
  16. 16. INTRODUÇÃO 71777.7 . . Í 71. *O . cru e. l
  17. 17. :l 1. ; ã ih, W I _o o QUÊ sÃo PESSOAS ; DIFÍCEISÍP “ » _. , _ g7- , cv
  18. 18. O crítico Reelama com &equêneia e dá conselhos não solicitados N? lg? !
  19. 19. tiossessoas . d.i. -G4.S Eternamete a ' vítima, e; desoldo raautosação
  20. 20. 1gLIns tipos e, e s soas icns *eh , raers iesstan automticamente negativ
  21. 21. O Rolo Compressor O Fofoqueiro N? .ç7+ O Connolador Obsessivo
  22. 22. tipos de pessoas diñceis t r eva. ? ao O Traíra o i O Indiferente O Monsno de Olhos Verdes
  23. 23. tipos de pessoas diñceis t; eva. ? ao O Vulcão o i O Esponja
  24. 24. tipos de pessoas diñceis t r eva. ? ao O Flertador o i u . O Camaleão N? .çÚAâi
  25. 25. l. Das metáforas ao conceito “O homem í 1 i ba " iraeundo suscita V 1 contendas, mas o long: : a z s? .g1 apaziguará a luta. ” (Provérbios 15.18)
  26. 26. l. Das metáforas ao conceito É** r. ”,_; t'_- 1 ». rn, x/ , e<7 . cru e. l
  27. 27. l. Das metáforas ao conceito x/ , - ~ < 7 ç >~ 1'. y ' ' o" _ r *a , e “v, . ' W ' '~ X; . X' *xx “a3 _ N. Nü. *z= ›%§ wmeããàhm ›; °°4.
  28. 28. l. Das metáforas ao conceito e<7 . cru
  29. 29. l. Das metáforas ao conceito H , ,t Delicado e tenso i' o 'i u , por um lado, e . distorcido e conflituoso por e <~° se: ouno.
  30. 30. i (Provérbios 2224,25) l. Das metáforas ao conceito à D “Não sejas co nr eiro ts» do homem brrguento nem o Ô ~ andes com o colérico, u , t x eva. l (lina. Para que não aprendas as suas veredas, e tomes um laço para a tua alma. ” N? .çÚAâi
  31. 31. 2. Halitose de personalidade. -: .~2”
  32. 32. 2. Halitose de personalidade. H , 4' Pessoa que afasta i i u o as ounas de si por ~ causa de seu * <.7 . g1 onto
  33. 33. 2. Halitose de personalidade. Falta-lhe aquele , o bi . “bom cheiro de i u , Cristo que ça o o caráter e a p_ ic_ personalidade e d* torna a pessoa querida e ada
  34. 34. iàxgvgoríntios 2.14) / 2. Halitose de personalidade. t¡ eva. íiiam, “E graças a Deus, quà v sempre nos faz a far o i a ^ em Cristo, e por meio U x de nos manifesta em l f todo o lugar a o a S, ñagrãncia do seu ecimento. ”
  35. 35. 'm Nx. saiu# _ _ç_ p . &Ààh *KD* 'r'›'-? '-: h_ A , 2. Halitose de personalidade. 7 W “Porque para Deus a x/ , somos o bom de Cristo, nos que se salvam e nos que se o 'qj S. ; perdem? ” (2 Coríntios 2,15)
  36. 36. “Qeapçhgríntios 2.16) / 2. Halitose de personalidade. enà cheiro de morte para a i 'e morte; mas para aqueles V x cheiro de para l ' vida, E para estas coisas o ' o S. quem é idôneo? ”
  37. 37. (Cânticos 1:3) / 2. Halitose de personalidade. “ d “Suave é o aroma os teus unguentos; como o x/ , unguento derramado é o teu nome; por isso as virgens te amam. ” r 3° t* Rã . à “M
  38. 38. ÁÊíoT/ &ÉIUÍOS 12:20) / 2. Halitose de personalidade. W. “No coração dos que í o mal ha u o engano, mas os que aconselham a paz têm alegria? ” r t” t:
  39. 39. h. “xxx, . . 2. Halitose de personalidade. 7 W “Da soberba só provém a 1 a contenda, mas com os V x que se aconselham se l t* acha a sabedoria. ” o e e. s, (Provérbios 13 : 10)
  40. 40. 3. O que diz a Bíblia Vocês lembram de i i u o relacionamento com pessoas i O v* difíceis na Bíblia?
  41. 41. 3. O que diz a Bíblia r a) Jose e seus É irmãos (Gn 37) a i v ^ b) Davi e Saul (1 Sm 18,660).
  42. 42. 3. O que diz a Bíblia “Guarda-me , a bi . . como à menina i u , do olho; esconde» * me debaixo da p O o” sombra das tuas asas”
  43. 43. Penseml Os relacionamentos i i u o tornam-se insuportáveis quando a inveja é i O 5°* sua maior medida.
  44. 44. Atenção! l l A inveja assinala i i u o sua presença r quando a pessoa * < 7 . g1 não se alegra com o sucesso do outro,
  45. 45. ,, V? í j'. e r p_ ' N fly', u: @ARACTERISFIGS IMS d' v7* -üm EÍs"soA's"DIFI(-: ›Es o s E
  46. 46. 1. Invejosa di: “14 Mas, sejendesamargaxzinei ^ anti-í a . .sentimento facoc"': __i, __<'_›so eÍ_p1r1oilfvoo_s_: so org o vos glor1e1s, nem mmta1s con_ . “a a de "^ ! M 7_ f' e 15 Essa_'nao e a sabedona que _yem do, alto, masgé terrena, ammal e d1ból1ca>l>= e V Â , . t, i s¡ 16 Porque onde há inveja e etsp x r _nccioso aí a) há perturbação e to açtdjirersa. , | _ C- ~ ' _, ._ A _o r ¡ " . A . j_ ' . o ' _ , l' . il a O "VV. A o s i
  47. 47. l. Invejosa e ciumenta N? .çÚAâi
  48. 48. l. Invejosa e ciumenta H , ,H A pessoa tem i t u ciúme do que é ~ dela e inveja do * <.7 . g1 que é do ouno.
  49. 49. l. Invejosa e ciumenta a t( v O ciumento quer i t u primazia e ~ exclusividade (Nm 1127-29) di: t”
  50. 50. l. Invejosa e ciumenta . . , Ií'5:§i“ro» O mvejoso tende a H desuuir ou ignorar i x x " o que ém V ( conquistou e a influenciar s» . te, negativamente as ouuas pessoas s. , 37.11) N, a»
  51. 51. l. Invejosa e ciumenta A inveja e o , H o b” . , ciúme são i u H pecados * (Gl 5.20, 21) e m CN opostos ao (1 Co 13.4). Of
  52. 52. 2. Opressora e agressiva O opressor tem um í H a 'a conceito V x equivocado acerca à do poder que e o _, _._x CXGIÇQ,
  53. 53. 2. Opressora e agressiva Ele converte a , x legitima autoridade i t u em opressão e a Í submissão em pena (Gn 16.6; Êx 1.11; 1 Tm 1.13).
  54. 54. 2. Opressora e agressiva @às autoritário e se í H i 1 'a favorece de sua V x função superior i para impor sua e o , ep vontade sobre os
  55. 55. 2. Opressora e agressiva “Fiz juízo e justiça; q t ba ~ não me enue i u , aos meus 3 opressores. ” H O S:
  56. 56. 3, Murmuradora e mexiriqueira Ií'§: §i“ro» Um dos termos H hebraicos para i' x r 'i murmuração (hãgã) U í descreve o lhar da pomba e o rugir a <~° xe: do leão após a captura da presa
  57. 57. 3, Murmuradora e mexiriqueira Ií'§: §i“ro» Tais metáforas H descrevem o i' x 'i caráter sutil e U í ameaçador do urador e do a <~° se: mexiriqueiro, o “fofoqueiro”
  58. 58. .üiesconñança (Jr 9.8)/ 3, Murmuradora e mexiriqueira t x lwhqã “Segundo a Bíblia, essa§ H , sff-p 24-' <i“r pessoas tóxicas espalham , veneno pela língua u ' mentirosa (Pv 6,17), e, como flecha, procuram x Ô s: ferir ouuos disse 1;. ando í.
  59. 59. N Nxse , _. . “xxx ' 3, Murmuradora e mexiriqueira 7 N “O mexeriqueiro revela o Semedo, mas o fiel de ' i u . espírito o mantém em i oculto. ” N? .cr (Provérbios 11:13)
  60. 60. xx (Levítico 19:16) / Be Murmuradora e mexiriqueira “Nao andaras como M 'V mcxeriqueiro ente o teu A povo; não te porás conta o sangue do teu próximo, Eu sou o Senhor? ” A Í** As: x/ , xx xxx
  61. 61. ~§x_ (Salmos 101 t5) / Be Murmuradora e mexiriqueira Aquele que dh seu próximo às À escondidas, eu o ' $ u . desüuirei; aquele que tem í olhar altivo e coração süberbo, não @às * <7 . cr. ,a ó Í
  62. 62. Pensemí É necessário a q e ba « paciência de . E ó e a u . perseverança de * Jeremias para o * . « . g1 suporta pessoas tóxicas.
  63. 63. Atenção! ! E Prudência, í a u l' sabedoria e í tolerância são antídotos oonüa as e < ° as: pessoas difíceis
  64. 64. ,, Í , Ei _ 4' à o x 0g: coMo *sgREÊAc-: Io 6V . SIM u . .hi ooÍFEssoAs DIGE ° 14 * * “W e »e / o ~ . i à *as 7, '
  65. 65. pelo Espírito Santo k 1. Ninguém é perfeito (2 Cr 6.36; WTodos, de igual modem são unperfeitos (G1 5 .19- 21), e dependentes da gaça de Jesus Cristo para serem pessoas cujo caráter reflita a sformação operada
  66. 66. f Uma pessoa de difícim p convivência geralmente é " alguém. que não sabe a si própria e possui uma Visão 1 e <s> distorcida de Deus, de si e dos outros 1§e17_21; 14.31) v'
  67. 67. afastar-se 16.17; Is 2.22; PV 14.16).
  68. 68. “MJ 3. Cuide de si, não se esqueça do ouuo “Com que puriñoará o e b* jovem o seu ea u Observando-wo conforme a tua 99 e O . qm palavra. a - -
  69. 69. 3. Cuide de si, não se esqueça do ouuo f Cuidar de si é umaN condição indispensável para oui do outro. Desejar o melhor para si mesmo, no entanto, não signiñoa desejar o . ,,; ..-___. « 44, &loior para o próximoj N? lg? ! t r [whqã x/ , É? ” 24-' Ii? ?
  70. 70. 3. Cuide de si, não se esqueça do ouuo W N “E como Vós quereis a 1 que os homens Vos V a façam, da mesma t ' maneira fazei-lhes VÓS p * t. S. também” (Lo 6.31).
  71. 71. Pensemí A obra do Espírito i u . Santo *uansfonna * pessoas diñoeis em [o c_ pessoas dóoeis.
  72. 72. Atenção! ! E Qualquer pessoa í o u 'i pode ter seu í momento de “pessoa tóxica", e <~° es:
  73. 73. Conclusão O Espírito Santo pode u 'i uansformar uma pessoa í difícil em pessoa dócil (At 9). e ° ü
  74. 74. pessoas difíceis, Conclusão o jovem deve orar ao e agir u pmdente e sabiamente Í para consmm relacionamentos e i i ° si** saudáveis, mesmo com “x xx* "“~. *vem ».25 u. .
  75. 75. Hora Revisão 1. Deñna pessoas diñceis. É a , p u V 2. O que é “halitose da " personalidade"? p O ic_ 3, Cite duas p características das pessoas¡ difíceis. . Z
  76. 76. Hora Revisão K . N Êta» 4, Qua1s são os fatores p psicológicos desnutivos " aos quais as pessoas diñceis se apegam? x y 5, O que as Escritmas são para a vida práticae diaria do jovem?
  77. 77. - Referências httpz/ /porlzalebdorgbn/ Í ' http: l/atitudedeaprendizblogspoteombr/ i BOYER, Enciclopédia Bíblica. GPAD, 2012. na, /edweb. eom. br/ d" 'Ó
  78. 78. Ípiofsmlm! , Í . .u e u. . u** óre

×