Lição 2 Revelação de Deus

4.000 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.000
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
57
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lição 2 Revelação de Deus

  1. 1. Lição nº 1 do Curso de Catecúmenos – Igreja Presbiteriana em Erechim 1 Pr. Mauro Filgueiras Filho – revisão em 24/03/2013 A Revelação de Deus Introdução Na aula de hoje aprenderemos sobre as duas principais maneiras que Deusse deu a conhecer. Revelação significa “tirar o véu”, isto é, fazer conhecido o queestava oculto. Deus se revelou. Disso nós perguntamos: Como Deus se revela? Oque nos ensina a revelação de Deus? Qual é o papel da revelação de Deus? E quala revelação que pode nos trazer salvação? Com estas questões em mentebuscaremos aprender, na Bíblia, as respostas.1. A Revelação Geral de Deus Chamamos de Revelação Geral aquela revelação de Deus na obra da suacriação. Toda a criação carrega a marca do seu Criador. É impossível abrir os olhose não enxergar uma polegada que seja que não carregue o “carimbo” de Deus. Porisso disse Davi: “Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anunciaas obras das suas mãos.” (Sl 19.1) e Asafe: “Os céus anunciam a sua justiça,porque é o próprio Deus que julga.” (Sl 50.6). Por causa dessa revelação, ohomem é indesculpável diante de Deus (Rm 1.18-32), visto que Deus faz uso da suacriação para dar testemunho de si mesmo (At 14.17) Mesmo com a evidência da existência de Deus no mundo, há os que anegam, como os ateus. Negam a verdade, mesmo estando ela estampada diantedos seus olhos; pelo que disse Davi: “Diz o insensato no seu coração: Não háDeus. Corrompem-se e praticam abominação; já não há quem faça o bem.” (Sl14.1).1.1. Criação ou Natureza? Natureza é aquilo que possui fonte de existência em si mesma. É a força ativaque tem poder de se estabelecer por si mesma. Sob a perspectiva bíblica não existenatureza, mas criação, porque a natureza não vive por si mesma e nem éindependente. Por esta razão não concordamos com o conceito “Mãe Natureza”,porque a natureza só tem razão de ser e de existir porque Deus a criou e a sustém(Sl 104.27-29).1.2. O Louvor da Criação A criação louva o nome de Deus quando ela desempenha o papel para o qualela foi criada. O pássaro louva a Deus porque ele desempenha a função que Deuslhe deu para cumprir (Sl 84.3; Mt 6.26). O processo da fotossíntese louva a Deusporque ela libera oxigênio para a respiração, dando oportunidade de vida a todacriação. Ela também cumpre a função para a qual foi criada. O céu, o mar, a terra etudo o que neles há louvam a Deus porque estão onde Deus quer que estejam efazem o que Deus quer que façam; estão na ordem da criação de Deus (ver Gn 1.1-25; Sl 93.1; 150.1ss; Am 5.8).
  2. 2. Lição nº 1 do Curso de Catecúmenos – Igreja Presbiteriana em Erechim 2 Pr. Mauro Filgueiras Filho – revisão em 24/03/20131.3. O propósito da criação A criação de Deus é maravilhosa, mas não é suficiente para nos ensinar tudoo que precisamos saber, visto não ser este o seu propósito. A criação não ensinasobre a vontade de Deus, porque ela não foi feita para isso, mas para testemunhardo seu Criador. A criação testemunha a existência de Deus (Dt 4.26; Is 1.2). Elatambém é serva de Deus como revelação de sua providência e cuidado (Gn 2.5-6;Mt 6.11, 25-29). No que se refere à revelação salvífica, a criação é limitada porque ela nãopode ensinar todas as verdades concernentes a Deus: sua vontade, seu caráter, sualei, seu evangelho, etc. A criação também não ensina sobre o homem, o que ele é eo que ele deve fazer para agradar a Deus. Por isso, a criação deve ser respeitada deacordo com o propósito que ela foi criada, que é testemunhar a Deus, seu Criador.Nesse sentido, a resposta do Catecismo Maior, nº 2 é: “A própria luz da natureza nohomem, e as obras de Deus, claramente testificam que existe um Deus; porém, só asua Palavra e o seu Espírito o revelam de um modo suficiente e eficaz, aos homens,para a sua salvação”.2. Revelação Especial de Deus Chamamos de Revelação Especial a revelação de Deus por meio da suaPalavra. Como disse Bruce Milne “A revelação especial demonstra as maneirascomo Deus se faz conhecido com uma clareza e plenitude que superam em muito arevelação geral”.1 Também na Confissão de Fé de Heidelberg, no art. 2: “Deus sefaz conhecer, ainda mais clara e plenamente, por sua sagrada e divina Palavra, istoé, tanto quanto nos é necessário nesta vida, para sua glória e para a salvação dosque lhe pertencem”. Por isso diz a Confissão de Fé de Westminster, capítulo 1, seção 1: “Ainda que a luz da natureza e as obras da criação e da providência manifestam de tal modo a bondade, a sabedoria e o poder de Deus, que os homens ficam inescusáveis, todavia não são suficientes para dar aquele conhecimento de Deus e de sua vontade, necessário à salvação; por isso foi o Senhor servido, em diversos tempos e diferentes modos, revelar-se e declarar à sua Igreja aquela sua vontade; e depois, para melhor preservação e propagação da verdade, para o mais seguro estabelecimento e conforto da Igreja contra a corrupção da carne e malícia de Satanás e do mundo, foi igualmente servido fazê-la escrever toda. Isto torna a Escritura Sagrada indispensável, tendo cessado aqueles antigos modos de Deus revelar a sua vontade ao seu povo.” Crendo na Bíblia como revelação de Deus, ela torna-se a única regra de fé econduta para o cristão. Conforme encontramos na Confissão de Heidelberg, no art.5:“Recebemos todos esses livros (os 66 livros da Bíblia), como sagrados e canônicos,para regular, fundamentar e confirmar nossa fé”.1 Bruce Milne, Conheça a Verdade, São Paulo, editora ABU, 1982, pp. 24-25.
  3. 3. Lição nº 1 do Curso de Catecúmenos – Igreja Presbiteriana em Erechim 3 Pr. Mauro Filgueiras Filho – revisão em 24/03/20132.1. Classificação dos Livros A Bíblia possui 66 livros; 39 no Antigo Testamento e 27 no Novo Testamento.Deus é tão criativo, que ele se revelou de várias maneiras em sua Palavra. O AntigoTestamento foi escrito em hebraico e aramaico, a língua dos judeus; e o NovoTestamento foi escrito na língua grega. Os livros estão classificados da seguintemaneira:No Antigo Testamento:5 Livros da Instrução Nº de capítulos Abreviatura(Pentateuco)Gênesis 50 GnÊxodo 40 ÊxLevítico 27 LvNúmeros 36 NmDeuteronômio 34 Dt12 Livros HistóricosJosué 24 JsJuízes 21 JzRute 4 Rt1 Samuel 31 1 Sm2 Samuel 24 2 Sm1 Reis 22 1 Rs2 Reis 25 2 Rs1 Crônicas 29 1 Cr2 Crônicas 36 2 CrEsdras 10 EdNeemias 13 NeEster 10 Et5 Livros PoéticosJó 42 JóSalmos 150 (não é capítulo, cada Salmo Sl é individual).Provérbios 31 PvEclesiastes 12 EcCantares 8 Ct5 Profetas MaioresIsaías 66 IsJeremias 52 JrLamentações de Jeremias 5 LmEzequiel 48 EzDaniel 12 Dn12 Profetas MenoresOséias 14 OsJoel 3 JlAmós 9 AmObadias 1 ObJonas 4 JnMiquéias 7 MqNaum 3 NaHabacuque 3 HcSofonias 3 SfAgeu 2 AgZacarias 14 ZcMalaquias 4 MlNo Novo Testamento:
  4. 4. Lição nº 1 do Curso de Catecúmenos – Igreja Presbiteriana em Erechim 4 Pr. Mauro Filgueiras Filho – revisão em 24/03/20134 Evangelhos Nº de capítulos AbreviaturaMateus 28 MtMarcos 16 McLucas 24 LcJoão 21 Jo1 Livro HistóricoAtos dos Apóstolos 28 At13 Cartas de PauloRomanos 16 Rm1 Coríntios 16 1 Co2 Coríntios 13 2 CoGálatas 6 GlEfésios 6 EfFilipenses 4 FpColossenses 4 Cl1 Tessalonicenses 5 1 Ts2 Tessalonicenses 3 2 Ts1 Timóteo 6 1 Tm2 Timóteo 4 2 TmTito 3 TtFilemom 1 Fm1 Carta de Autor DesconhecidoHebreus 13 Hb7 Cartas GeraisTiago 5 Tg1 Pedro 5 1 Pe2 Pedro 3 2 Pe1 João 5 1 Jo2 João 1 2 Jo3 João 1 3 JoJudas 1 Jd1 Livro ProféticoApocalipse 22 Ap2.2. Escritores e tempo É difícil dizer quantos escritores há na Bíblia, mas podemos dizer que háaproximadamente 36 autores diferentes, que escreveram durante 16 séculos. Adificuldade está em saber quais são os autores de alguns livros, como por exemplo,os livros de Samuel, de Reis e de Crônicas, que pode ter tido mais de um autor. Conclusão O ensino acerca da Revelação de Deus deve nos colocar em profundareflexão e adoração ao seu santo e bendito nome (Êx 20.7). Por isso, adoremos eexaltemos a Deus, dando o devido valor à sua criação e adorando a Deus por todamaravilha revelada; e apliquemos o nosso tempo, a nossa mente e o nosso coraçãopara o estudo da sua Palavra, pois somente assim podemos conhecê-lo como ele é,para dar-lhe o devido louvor. Lembremo-nos das palavras dos salmos: “Antes o seuprazer está na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite.” (Sl 1.2). Etambém: “Quanto amo a tua lei! É a minha meditação, todo o dia!” (Sl 119.97).

×