O cinema na sala de aula
O Cinema e a Escola
• A Escola descobriu o Cinema
tardiamente;
• Cultura cotidiana e elevada;
• Estética, lazer, ideologia...
O professor quer saber...
• Qual o uso possível deste filme?
• A que faixa etária ele é mais
adequado?
• Como vou abordar ...
Por que o Cinema é
importante na educação?
• Porque traz para a escola aquilo que
ela se nega a ser e que poderia
transfor...
• O Cinema é sempre ficção, ficção
engendrada pela verdade da câmera;
• A tendência é que o aluno (e mesmo o
professor) re...
• As primeiras reações da turma
podem ser de emoção ou tédio, de
envolvimento ou displicência;
• As diferentes expectativa...
• Além de preparar a turma para o filme
criando uma atmosfera de expectativa
sobre a obra, o professor também deve
articul...
• O Cinema na escola, tendo o professor
como mediador, deve propor leituras
mais ambiciosas, além da experiência
do prazer...
Atenção!!!!
• O uso do Cinema na sala de aula não irá resolver a
crise do ensino escolar, nem tampouco substituir o
desint...
Adequação e abordagem do
filme na Escola.
• Reflexão prévia;
• Fatores que influenciam no desenvolvimento
e na adequação d...
1) Possibilidades técnicas e organizativas na
exibição de um filme para a classe;
• Os aparelhos não estão disponíveis;
• ...
2) Articulação com o currículo e/ ou
conteúdo discutido, com as habilidades
desejadas e com os conceitos
discutidos;
Conteúdo curricular:
• Abordagem de acordo com temas e
conteúdos curriculares das diversas
disciplinas que formam as grade...
Habilidades e competências:
• O trabalho sistemático e articulado com filmes em salas
de aula ajuda a desenvolver competên...
Conceitos:
• Os conceitos presentes nos argumentos, nos
roteiros e nas situações direta ou indiretamente
relacionados com ...
Outros olhares...
Arte:
• Analisar as cores predominantes no filme;
• Conhecer as animações e efeitos;
• Aprofundar a repr...
Matemática:
• Resolver problemas lógicos representados nos
filmes;
• Desenvolver noção de duração e contagem de
tempo;
Cid...
História:
• Perceber diferentes visões da história;
• Desenvolver noções de pesquisa histórica
valendo-se da reconstituiçã...
Ed. Física:
• Assimilar danças e movimentos do filme;
• Hábitos de saúde física;
• Conhecer manifestações culturais de reg...
Ciências:
• Perceber e conhecer as ilusões ópticas e
os efeitos especiais presentes nos filmes;
• Acompanhar o desenvolvim...
Sugestões por disciplinas
Ciências da Natureza:
Matemática e Física:
Jogos de guerra
• Público Alvo: Ensino
Fundamental (8...
Jogos de guerra
• Direção: John Badham
• Roteiro de análise: Um jovem haker,
inconseqüente, consegue entra no sistema de
computadores do Pentágono (Departamento ...
• Como o jovem haker consegue entrar no
sistema? Hoje em dia esta possibilidade
ainda existe?
• Por que a lógica da guerra...
Titanic
Direção: James Cameron.
• Explore quais as características
do Titanic (comprimento, peso,
deslocamento). Como um n...
Ciências Humanas – História Geral e do Brasil
•Público Alvo: Ensino Fundamental (7º ao
9º anos) e Ensino Médio;
•Área prin...
• Analise com a classe a figura do militante negro
Theodore Joadson (Morgan Freeman) e seu
papel no filme;
• Quando o escr...
Ciências Humanas: Geografia
Central do Brasil;
• Público Alvo: Ensino
Fundamental e Ensino
Médio;
• Área
principal:Geograf...
• O filme retrata a trajetória de Dora e Josué, ela uma
mulher de meia idade desiludida e amoral, ele um órfão
a procura d...
GATTACA, experiência genética
• Público Alvo: Ensino
Fundamental e
Ensino Médio;
• Área principal:
genética;
• Cuidados: V...
• Roteiro de análise: um futuro no qual os seres
humanos são criados geneticamente em
laboratórios, as pessoas concebidas ...
Códigos e linguagens
• Público Alvo: Ensino
Fundamental e
Ensino Médio;
• Área principal:
criatividade e
percepção;
• Cuid...
• Roteiro de análise: Conjunto de vários episódios
dirigidos pelo mestre Akira Kurosawa, cujo
cinema se funde com outras l...
Códigos e Linguagens: Educação Física
• Público Alvo: Ensino
Fundamental e
Ensino Médio;
• Área principal:
Comportamento,
...
• Roteiro de análise: Um jovem de uma pequena cidade
da Inglaterra passa a treinar balé escondido de sua
família. Em meio ...
Temas transversais
ÉTICA:
• Mera coincidência;
• Truman show;
• Fargo;
• Crimes e pecados;
• Encurralados;
• Nove Rainhas....
Meio Ambiente
• A costa do mosquito;
• Brincando nos campos do Senhor;
• Síndrome da China;
• Dersu Uzala...
Pluralidade Cultural
• Faça a coisa certa;
• Concorrência desleal;
• Duro de matar...
Orientação sexual
• Meninos não choram;
• Morango e chocolate;
• Minha vida cor-de-rosa;
• Filadélfia;
• Lanternas vermelh...
Trabalho e consumo
• Eles não usam black-tie;
• Germinal;
• A hora da estrela;
• Tempos modernos;
• Ou tudo ou nada...
O nome da RosaO nome da Rosa
• A mídia livro como fetiche, objeto de culto e
o medo da popularização da cultura
Convergência de meios de
comunicação
Matrix: Reloaded
• Talvez oTalvez o
exemplo maisexemplo mais
bem acabado dobem acabad...
Convergência de meios de
comunicação
• A obra utilizou emA obra utilizou em
sua produçãosua produção
bonecos, maquetes,bon...
• Assim como noAssim como no
filme aconteceufilme aconteceu
a convergênciaa convergência
de meios dede meios de
comunicaçã...
EnredoEnredo
• Mundo Real x Mundo da MatrixMundo Real x Mundo da Matrix
• A ação se parra no final do século XXII;A ação s...
• Os seres humanos são entubados em umOs seres humanos são entubados em um
grande útero maquínico que transforma agrande ú...
• Mas essa realidade é virtual,Mas essa realidade é virtual,
simulada pelo mundo da Matrix.simulada pelo mundo da Matrix.
...
• Mas não há realidades sem fissuras, falhas.Mas não há realidades sem fissuras, falhas.
• Grupo de rebeldes que conhecem ...
O bem natural e o mal artificial
• O bem: a vida, a natureza, o humano na
sua integridade, a liberdade e a lealdade,
o amo...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O cinema na sala de aula

490 visualizações

Publicada em

Música e cinema

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
490
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
59
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O cinema na sala de aula

  1. 1. O cinema na sala de aula
  2. 2. O Cinema e a Escola • A Escola descobriu o Cinema tardiamente; • Cultura cotidiana e elevada; • Estética, lazer, ideologia e valores sociais são sintetizados numa mesma obra de arte; • Walter Benjamin: A obra de arte na era da reprodutibilidade técnica: Cinema como arte que perde sua aura (Arte de massa);
  3. 3. O professor quer saber... • Qual o uso possível deste filme? • A que faixa etária ele é mais adequado? • Como vou abordar o filme dentro de minha disciplina? • Como desenvolvo um trabalho interdisciplinar com o Cinema? • Qual a cultura cinematográfica dos meus alunos?
  4. 4. Por que o Cinema é importante na educação? • Porque traz para a escola aquilo que ela se nega a ser e que poderia transformá-la em algo vívido e fundamental: participante ativa da cultura e não repetidora e divulgadora de conhecimentos massificados, muitas vezes já deteriorados, defasados. (ALMEIDA, 2001. P. 48)
  5. 5. • O Cinema é sempre ficção, ficção engendrada pela verdade da câmera; • A tendência é que o aluno (e mesmo o professor) reproduza uma certa situação psicossocial trazida pela experiência na sala de vídeo para a sala de aula. • Por isso é preciso que o professor atue como mediador entre a obra e os alunos, ainda que ele pouco interfira naquelas horas mágicas de projeção, suas intervenções devem ser significativas e provocadoras.
  6. 6. • As primeiras reações da turma podem ser de emoção ou tédio, de envolvimento ou displicência; • As diferentes expectativas e experiências cotidianas dos alunos ao assistirem aos filmes será o primeiro passo em relação a atividade “leitura do Cinema em sala de aula”;
  7. 7. • Além de preparar a turma para o filme criando uma atmosfera de expectativa sobre a obra, o professor também deve articular desdobramentos articulados a outras atividades como debates temáticos, atividade escrita ou performances; • O filme deve relacionar-se com o assunto mesmo que tangencialmente dependendo da competência de leitor que o mediador tenha; • Esta relação de ver se estender á escola e à cultura cotidiana mais ampla;
  8. 8. • O Cinema na escola, tendo o professor como mediador, deve propor leituras mais ambiciosas, além da experiência do prazer, fazendo a ponte entre emoção e razão de forma mais direcionada, incentivando assim, o aluno a se tornar um expectador mais exigente e crítico, propondo relações de conteúdo/ linguagem do filme com o conteúdo escolar; • Este é o desafio: formar leitores mais críticos, do Cinema para o mundo!
  9. 9. Atenção!!!! • O uso do Cinema na sala de aula não irá resolver a crise do ensino escolar, nem tampouco substituir o desinteresse pela palavra escrita. • As competências e habilidades em escrita ainda devem ser o eixo do trabalho escolar. • Entretanto devem ser perpassadas por outras linguagens fundamentais do mundo moderno, como a audiovisual, iconográfica e sonora. • Tudo soma, tudo multiplica. • O importante é que haja troca constante de experiências, que todo professor e toda escola criem seus próprios mecanismos e procedimentos e, mais importante ainda, reflitam coletivamente sobre eles.
  10. 10. Adequação e abordagem do filme na Escola. • Reflexão prévia; • Fatores que influenciam no desenvolvimento e na adequação das atividades são: • 1) Possibilidades técnicas e organizativas na exibição de um filme para a classe; • 2) Articulação com o currículo e/ ou conteúdo discutido, com as habilidades desejadas e com os conceitos discutidos; • 3) Adequação à faixa etária e etapa específica da classe na relação ensino- aprendizagem.
  11. 11. 1) Possibilidades técnicas e organizativas na exibição de um filme para a classe; • Os aparelhos não estão disponíveis; • Substituição por um filme que você não conhece (Assistir ao filme junto com a classe!); • Tempo de aula (50 min); • Inadequação da sala de aula; • Imprevistos acontecem... O importante é conhecer os limites e as possibilidades técnicas antes mesmo de planejar suas atividades didático-pedagógicas com o Cinema.
  12. 12. 2) Articulação com o currículo e/ ou conteúdo discutido, com as habilidades desejadas e com os conceitos discutidos;
  13. 13. Conteúdo curricular: • Abordagem de acordo com temas e conteúdos curriculares das diversas disciplinas que formam as grades do ensino fundamental e médio, tanto público quanto particular; • Temas transversais definidos pelos PCNs, que encontram material abundante no argumento, no roteiro e nas situações representadas nos filmes.
  14. 14. Habilidades e competências: • O trabalho sistemático e articulado com filmes em salas de aula ajuda a desenvolver competências e habilidades diversas, tais como leitura e elaboração de textos; • Aprimoram a capacidade narrativa e descritiva; • Decodificam signos e códigos não verbais • Aperfeiçoam a criatividade artística e intelectual; • desenvolvem a capacidade de crítica sociocultural e político-ideológica, sobretudo em torno dos tópicos mídia e indústria cultural • O aluno aprimora seu olhar sobre uma das atividades culturais mais importantes do mundo contemporâneo, o Cinema, tornando-se um consumidor de cultura mais crítico e exigente.
  15. 15. Conceitos: • Os conceitos presentes nos argumentos, nos roteiros e nas situações direta ou indiretamente relacionados com os filmes selecionados pelo professor são inumeráveis, podendo ser retirados ou inferidos diretamente do conteúdo fílmico em questão ou sugeridos pelos problemas e debates suscitados pelas atividades com Cinema em sala de aula e projetos escolares.
  16. 16. Outros olhares... Arte: • Analisar as cores predominantes no filme; • Conhecer as animações e efeitos; • Aprofundar a representação das coisas observadas; • Analisar a trilha sonora e música como expressão de idéias; • Compreender a relação entre a música, o ritmo e o movimento do filme;
  17. 17. Matemática: • Resolver problemas lógicos representados nos filmes; • Desenvolver noção de duração e contagem de tempo; Cidadania e Ética: • Compartilhar opiniões sobre os filmes; • Considerar os dilemas morais e sociais dos personagens; • Conversar sobre as relações humanas representadas; • Conversar sobre perdas e mudanças na vida dos personagens;
  18. 18. História: • Perceber diferentes visões da história; • Desenvolver noções de pesquisa histórica valendo-se da reconstituição e representação do passado nos filmes; Informática: • Pesquisar e armazenar informações; • Catalogar digitalmente acervos;
  19. 19. Ed. Física: • Assimilar danças e movimentos do filme; • Hábitos de saúde física; • Conhecer manifestações culturais de regiões diversas; Geografia: • Pesquisar as culturas e os espaços sociais representados no filme; • Noções de ecologia; • Debates sobre o espaço representado no filme; • Conhecer outros modos de vida, produção e política;
  20. 20. Ciências: • Perceber e conhecer as ilusões ópticas e os efeitos especiais presentes nos filmes; • Acompanhar o desenvolvimento dos processos vitais representados; • Assimilar valores e noções sobre meio ambiente.
  21. 21. Sugestões por disciplinas Ciências da Natureza: Matemática e Física: Jogos de guerra • Público Alvo: Ensino Fundamental (8º e 9º anos) e Ensino Médio; • Área principal: Informática e Matemática, Física; • Cuidados: Nenhum;
  22. 22. Jogos de guerra • Direção: John Badham
  23. 23. • Roteiro de análise: Um jovem haker, inconseqüente, consegue entra no sistema de computadores do Pentágono (Departamento de defesa dos EUA) por pura brincadeira simulando um ataque nuclear soviético (na época que o filme foi feito, em 1983, a União Soviética e a Guerra Fria ainda existiam). Só que o computador americano leva a sério o ataque simulado e coloca em marcha o sistema de defesa nuclear automático, que incluía um ataque maciço à URSS. Ao longo deste filme eletrizante, o espectador vai acompanhando as peripécias de todos para converncer o computador do Pentágono (que não podia ser desligado nem reprogramado) que o ataque não passava de um equívoco. E isso não será nada fácil.
  24. 24. • Como o jovem haker consegue entrar no sistema? Hoje em dia esta possibilidade ainda existe? • Por que a lógica da guerra nuclear, uma possibilidade não muito remo9ta entre 1948 e 1989, é comparada à lógica do jogo da velha? • Como a teoria do jogo, na matemática, analisa a lógica do jogo da velha?
  25. 25. Titanic Direção: James Cameron. • Explore quais as características do Titanic (comprimento, peso, deslocamento). Como um navio tão grande conseguia se movimentar com velocidade nos mares? • Por que do ponto de vista físico, uma fenda (relativamente) pequena no casco do navio, provocada pelo choque com o iceberg, pode afundar um navio tão grande?
  26. 26. Ciências Humanas – História Geral e do Brasil •Público Alvo: Ensino Fundamental (7º ao 9º anos) e Ensino Médio; •Área principal: escravismo; •Cuidados: Nudez; •Roteiro de análise: O filme retoma um fato real ocorrido no século XIX: depois de ser tomado por um motim de escravos, um navio negreiro cujo destino seria Cuba vai parar na costa norte dos EUA, iniciando uma grande polêmica pública sobre qual deveria ser o destino dos 53 escravos: enviá-los de volta para a África em liberdade? Entergá-los aos comerciantes de escravos? Entregá-los, como pura mercadoria, aos que os encontraram?
  27. 27. • Analise com a classe a figura do militante negro Theodore Joadson (Morgan Freeman) e seu papel no filme; • Quando o escravo Cinque conta sua história desde quando vivia na África, o filme mostra em flashback a terrível experiência da captura, do cativeiro e da travessia do Atlântico nos navios negreiros Compare esta seqüência com a iconografia e com as outras narrativas a respeito (por exemplo, o poema Navio Negreiro de Castro Alves ou a música Todo camburão tem um pouco de navio negreiro do grupo O Rapa).
  28. 28. Ciências Humanas: Geografia Central do Brasil; • Público Alvo: Ensino Fundamental e Ensino Médio; • Área principal:Geografia Brasileira; • Cuidados: Violência contra crianças;
  29. 29. • O filme retrata a trajetória de Dora e Josué, ela uma mulher de meia idade desiludida e amoral, ele um órfão a procura do pai, possivelmente morados do interior do nordeste brasileiro. Ao viajarem em busca do pai do menino, Dora e Josué desenvolvem um afeto recíproco e, ao mesmo tempo, o espectador, junto com os personagens, redescobre o “Brasil profundo”. • Como os brasileiros do meio urbano e rural são representados? • O filme aborda graves problemas sociais, como o extermínio de menores infratores e o tráfico de órgãos humanos. Solicite um pesquisa sobre esses problemas e discuta a abordagem do filme; • Quais as várias representações de família e nação ao longo do filme? Como os dois conceitos se articulam?
  30. 30. GATTACA, experiência genética • Público Alvo: Ensino Fundamental e Ensino Médio; • Área principal: genética; • Cuidados: Violência, sexualidade moderada;
  31. 31. • Roteiro de análise: um futuro no qual os seres humanos são criados geneticamente em laboratórios, as pessoas concebidas biologicamente são consideradas "inválidas". Vincent Freeman (Ethan Hawke), um "inválido", consegue um lugar de destaque em corporação, escondendo sua verdadeira origem. Mas um misterioso caso de assassinato pode expôr seu passado. O filme aborda questões de ordem ética implicadas na manipulação genética de seres humanos, e pode gerar um bom debate sobre as atuais experiências de clonagem. • Analise com a classe as implicações éticas, psicológicas e sociais das experiências genéticas com seres humanos, com base nas questões sugeridas pelo filme.
  32. 32. Códigos e linguagens • Público Alvo: Ensino Fundamental e Ensino Médio; • Área principal: criatividade e percepção; • Cuidados: linguagem e tema difíceis;
  33. 33. • Roteiro de análise: Conjunto de vários episódios dirigidos pelo mestre Akira Kurosawa, cujo cinema se funde com outras linguagens, como as artes plásticas e a poesia. Além de o filme utilizar cores e fotografia diretamente inspirados nas artes plásticas, num dos episódios o diretor japonês constrói a representação fílmica sobre vários quadros famosos do pintor holandês Van Gogh. • O professor pode trabalhar esses quadros (cor, tema, figuras, textura, perspectiva) e como eles são transpostos para a linguagem do cinema.
  34. 34. Códigos e Linguagens: Educação Física • Público Alvo: Ensino Fundamental e Ensino Médio; • Área principal: Comportamento, orientação sexual; • Cuidados: alcoolismo
  35. 35. • Roteiro de análise: Um jovem de uma pequena cidade da Inglaterra passa a treinar balé escondido de sua família. Em meio à crise social e familiar, o menino sonha ser bailarino, porém vive em ambiente nada propício a este tipo de vocação devido ao machismo reinante. • Comparar a cultura corporal do meio social onde o filme se passa com a cultura corporal específica do protagonista que quer ser bailarino. Preste atenção nos esportes dominantes, nos gestos dos vários personagens, na divisão sexual das culturas corporais. • Comparar as culturas corporais mostradas no filme com as do meio específico onde os alunos de sua classe vivem.
  36. 36. Temas transversais ÉTICA: • Mera coincidência; • Truman show; • Fargo; • Crimes e pecados; • Encurralados; • Nove Rainhas...
  37. 37. Meio Ambiente • A costa do mosquito; • Brincando nos campos do Senhor; • Síndrome da China; • Dersu Uzala...
  38. 38. Pluralidade Cultural • Faça a coisa certa; • Concorrência desleal; • Duro de matar...
  39. 39. Orientação sexual • Meninos não choram; • Morango e chocolate; • Minha vida cor-de-rosa; • Filadélfia; • Lanternas vermelhas...
  40. 40. Trabalho e consumo • Eles não usam black-tie; • Germinal; • A hora da estrela; • Tempos modernos; • Ou tudo ou nada...
  41. 41. O nome da RosaO nome da Rosa • A mídia livro como fetiche, objeto de culto e o medo da popularização da cultura
  42. 42. Convergência de meios de comunicação Matrix: Reloaded • Talvez oTalvez o exemplo maisexemplo mais bem acabado dobem acabado do avanço técnicoavanço técnico permitido pelapermitido pela convergência deconvergência de meios demeios de comunicação.comunicação.
  43. 43. Convergência de meios de comunicação • A obra utilizou emA obra utilizou em sua produçãosua produção bonecos, maquetes,bonecos, maquetes, recursosrecursos mecânicos,mecânicos, imagens geradasimagens geradas em softwaresem softwares criados porcriados por verdadeiros artistasverdadeiros artistas da tecnologiada tecnologia digital.digital.
  44. 44. • Assim como noAssim como no filme aconteceufilme aconteceu a convergênciaa convergência de meios dede meios de comunicaçãocomunicação (hibridismo), na(hibridismo), na vida real,vida real, grande partegrande parte das imagens edas imagens e informaçõesinformações que circulamque circulam hoje no acervohoje no acervo cultural dacultural da humanidadehumanidade não provêm donão provêm do mundomundo concreto ou doconcreto ou do imaginário, masimaginário, mas do virtual.do virtual.
  45. 45. EnredoEnredo • Mundo Real x Mundo da MatrixMundo Real x Mundo da Matrix • A ação se parra no final do século XXII;A ação se parra no final do século XXII; • Mundo após catástrofe nuclear provocadaMundo após catástrofe nuclear provocada pelos humanos na tentativa de se livrar daspelos humanos na tentativa de se livrar das máquinas por eles criadas;máquinas por eles criadas; • As máquinas vencem o conflito e subjugamAs máquinas vencem o conflito e subjugam os seres humanos e utilizam sua energiaos seres humanos e utilizam sua energia bioelétrica para alimentar suas funções.bioelétrica para alimentar suas funções.
  46. 46. • Os seres humanos são entubados em umOs seres humanos são entubados em um grande útero maquínico que transforma agrande útero maquínico que transforma a energia humana em bactérias elétricas. Osenergia humana em bactérias elétricas. Os recém-nascidos são acoplados a esse úterorecém-nascidos são acoplados a esse útero alimentados por um soro produzido a partiralimentados por um soro produzido a partir dos cadáveres daqueles que já morreram.dos cadáveres daqueles que já morreram. • Os humanos passam a vida adormecidosOs humanos passam a vida adormecidos enquanto suas mentes sonham que vivem,enquanto suas mentes sonham que vivem, nascem, morrem, convivem com a família,nascem, morrem, convivem com a família, trabalham, estudam etc.trabalham, estudam etc.
  47. 47. • Mas essa realidade é virtual,Mas essa realidade é virtual, simulada pelo mundo da Matrix.simulada pelo mundo da Matrix. • Matrix é tudo: o ar, as visões,Matrix é tudo: o ar, as visões, os sons, os sentidos todos sãoos sons, os sentidos todos são simulados.simulados. • Só uma coisa não existe emSó uma coisa não existe em Matrix: a verdade, ou seja, aMatrix: a verdade, ou seja, a consciência de que se trata deconsciência de que se trata de um mundo inteiramente virtual.um mundo inteiramente virtual.
  48. 48. • Mas não há realidades sem fissuras, falhas.Mas não há realidades sem fissuras, falhas. • Grupo de rebeldes que conhecem a tecnologia daGrupo de rebeldes que conhecem a tecnologia da Matrix em uma cidade mítica chamada Zion.Matrix em uma cidade mítica chamada Zion. • O líder do grupo é o Morpheus (chefe dos piratasO líder do grupo é o Morpheus (chefe dos piratas cibernéticos).cibernéticos). • O protagonista é Neo, um hacker, que vive na MatrixO protagonista é Neo, um hacker, que vive na Matrix uma existência marginal, roubando informações. Eleuma existência marginal, roubando informações. Ele ainda não tem consciência da virtualidade em queainda não tem consciência da virtualidade em que vive.vive. • Então Neo toma a pílula que permite aos piratasEntão Neo toma a pílula que permite aos piratas descobrir seu sinal de volta à cápsula, no imensodescobrir seu sinal de volta à cápsula, no imenso útero cibernético em que seu corpo está entubado..útero cibernético em que seu corpo está entubado..
  49. 49. O bem natural e o mal artificial • O bem: a vida, a natureza, o humano na sua integridade, a liberdade e a lealdade, o amor. • O mal: a máquina, o artificial, o poder totalitário, a escravidão, a crueldade fria

×