Arte RomanaEscola Técnica Estadual Maximiano Accioly Campos - História da ArteProfª Uiara Rocha
IMPÉRIO ROMANO (27 a.C a 476 d.C)
Monumento decorativo: Arco do Triunfo de Tito - Roma
ARCOS DO TRIUNFO: a construção de arcos era costume romano de construir monumentos à passagem dos vitoriosos. Eles celebra...
Arco de Sétimo            Severo - RomaArco deConstantino - Roma
Arco do Triunfo em Paris                      - Construído a pedido de                      Napoleão Bonaparte. (1810     ...
TEMA  Militarismo: Demonstração de grandeza, força e  poder.          CARACTERÍSTICAS• Imitação dos Gregos: Arquitetura e ...
Arquitetura• Busca do útil imediato, da função do edifício e não  da forma. Senso de realismo;• Monumentalidade, grandeza ...
MAPA DE ROMAANTIGA
Maquete - Urbanização da cidadeVias de Acesso Radiaisconvergindo para um únicoponto central: Centro de Roma
Estrada romana de                                          Setúbal                                              Miliario X...
Vista da cidade antiga – Centro governativo de Roma
Panteão Romano – casa dos deuses
Vistas e Planta Baixa do panteão Romano
Interior do Panteão   Detalhe da cúpula do panteãoRomano                Romano, com óculo zenital
Corte transversal do PanteãoExterior do Panteão vista decima
Aqueduto Romano – Segóvia - Espanha ( séc. I a.C)Foi construído com blocos de granito que não estão ligados por qualquer t...
Teatro Marcelus
Termas de Caracala
Eram tão imensas que tinham 11 hectares e ali os romanos se banhavam, conversavam, liam e namoravamOs romanos tinham um si...
Possui a narrativa histórica                    dos feitos do Imperador em                    baixos-relevos no fuste. Foi...
Circo Romano Maximos - Roma
O Circo RomanoEra uma das instalações lúdicas mais importantes das cidades da RomaAntiga. Junto com o Teatro e o Anfeteatr...
Coliseu Romano – Anfiteatro para jogos e batalhas de gladiadores           40.000 pessoas sentadas e 5.000 em pé.
BASÍLICAA princípio destinada a operações comerciais e a atosjudiciários (Fórum da cidade), a basílica servia parareuniões...
Basílica de Júlia
A Casa  RomanaPlebeus: Homens livres, dedicadosao comércio e agricultura.
DomusCasa dos Clientes Eram homens livres que se associavam aos patrícios, prestando-lhes diversos serviços pessoais em tr...
Vila UrbanaCasa dos Patrícios:Cidadãosromanos.Proprietários eterras, rebanhos e escravos.Desempenhavam altasfunções públic...
Vila Rústica
Esculturas eqüestresEsculturas   Escultura sempre aliada à arquitetura
Fonte de Trevi
Escultura eqüestre de Marco Aurélio
PinturaCena da vida de Íxion,Casa dos Vettii, Pompéia.
1º Estilo: Cantaria e IncrustaçãoConsiste em dar Idéia de placas deMármore recobrindo as paredes deuma sala com uma camada...
2º Estilo: Arquitetônico                                    Afresco da Villa dos Mistérios, PompéiaUma janela Aberta: Os a...
3º Estilo: Ornamental  Representações  fiéis da realidade e  valorização da  delicadeza dos  pequenos detalhes  Casa de  L...
Fim do Império Romano   Por volta do século III, o Império Romano passava por uma grande    crise econômica e política. A ...
Principais causas da decadência:• Crise econômica: a economia baseada no latifúndio escravista   entrou em decadência com ...
• Desorganização política e militar:                              a disputa pelo poder, a corrupção e o descuido com a adm...
Arte romana
Arte romana
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Arte romana

2.262 visualizações

Publicada em

BY MATEUS CARDOSO

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.262
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
54
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
95
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Arte romana

  1. 1. Arte RomanaEscola Técnica Estadual Maximiano Accioly Campos - História da ArteProfª Uiara Rocha
  2. 2. IMPÉRIO ROMANO (27 a.C a 476 d.C)
  3. 3. Monumento decorativo: Arco do Triunfo de Tito - Roma
  4. 4. ARCOS DO TRIUNFO: a construção de arcos era costume romano de construir monumentos à passagem dos vitoriosos. Eles celebram as vitórias militares romanas, representadas nos Alto-relevos dos arcos, onde os artistas esculpiam as campanhas militares e os despojos dos vencidos. Existem vários arcos espalhados pelo mundo: Arco do Triunfo em Paris – FR; Arco de Constantino - Roma ; Arco de Sétimo Severo Roma; Arco de Bruxelas; Arco de Pyongyang ( capital Norte Coreana) etc.• Arco de Tito: de 81 d. C., estão representadas cenas como a tomada de Jerusalém; numa das cenas entre os despojos da batalha figura um candelabro judaico de sete braços, “o menorah”, entre outros objetos sagrados. Neste monumento, comemorativo das vitórias de Tito, a ilusão do movimento é muito bem percebida, pelos detalhes das figuras.
  5. 5. Arco de Sétimo Severo - RomaArco deConstantino - Roma
  6. 6. Arco do Triunfo em Paris - Construído a pedido de Napoleão Bonaparte. (1810 a 1836 )Arco dePyongyang ( capitalNorte Coreana)
  7. 7. TEMA Militarismo: Demonstração de grandeza, força e poder. CARACTERÍSTICAS• Imitação dos Gregos: Arquitetura e Religião• Escultura: aliada à Arquitetura, eqüestres, militares generais de guerra.• Arquitetura: Austera, Inovação tecnológica com o aparecimento da abóbadas ou cúpulas e arcos.• Religião: Politeísta, os mesmos deuses dos gregos, apenas mudaram os nomes. Início do Cristianismo.
  8. 8. Arquitetura• Busca do útil imediato, da função do edifício e não da forma. Senso de realismo;• Monumentalidade, grandeza material, realçando a idéia de força, energia;• Predomínio do caráter sobre a beleza;• Tipo: vias urbanas de comunicação, templos, Basílica, teatro, anfiteatro, termas, aquedutos, monumentos decorativos e casas.
  9. 9. MAPA DE ROMAANTIGA
  10. 10. Maquete - Urbanização da cidadeVias de Acesso Radiaisconvergindo para um únicoponto central: Centro de Roma
  11. 11. Estrada romana de Setúbal Miliario XXIX na Via Nova emEstrada romana de Pompéia, antiga Campo do Gerês,Cidade italiana destruída pelo Vesúvio, Terras de Bouro ( Portugal)após ser recuperada nas escavações
  12. 12. Vista da cidade antiga – Centro governativo de Roma
  13. 13. Panteão Romano – casa dos deuses
  14. 14. Vistas e Planta Baixa do panteão Romano
  15. 15. Interior do Panteão Detalhe da cúpula do panteãoRomano Romano, com óculo zenital
  16. 16. Corte transversal do PanteãoExterior do Panteão vista decima
  17. 17. Aqueduto Romano – Segóvia - Espanha ( séc. I a.C)Foi construído com blocos de granito que não estão ligados por qualquer tipo de argamassa. Tem818 metros de comprimento, 170 arcos e atinge a altura de 29 metros na praça de Azoguejo.
  18. 18. Teatro Marcelus
  19. 19. Termas de Caracala
  20. 20. Eram tão imensas que tinham 11 hectares e ali os romanos se banhavam, conversavam, liam e namoravamOs romanos tinham um sistema próprio para esquentar a água edistribuir o calor para as várias salas e piscinas. Chamado hipocausto,o método consistia em uma fornalha que esquentava o ar e oespalhava pelos espaços ocos das paredes e subsolos. As águas eramaquecidas em calderões e espalhadas por bombas e canos dechumbo.
  21. 21. Possui a narrativa histórica dos feitos do Imperador em baixos-relevos no fuste. FoiColuna de Trajano erguida por ordem doAltura: 30m Senado para comemorar a vitória de Trajano sobre os dácios e os partos.
  22. 22. Circo Romano Maximos - Roma
  23. 23. O Circo RomanoEra uma das instalações lúdicas mais importantes das cidades da RomaAntiga. Junto com o Teatro e o Anfeteatro forma a trilogia de instalações decultura e divertimentos da época.Era uma arena comprida e alargada, e a maior das instalações destinadasa divertir o povo, com remates circulares nos extremos.
  24. 24. Coliseu Romano – Anfiteatro para jogos e batalhas de gladiadores 40.000 pessoas sentadas e 5.000 em pé.
  25. 25. BASÍLICAA princípio destinada a operações comerciais e a atosjudiciários (Fórum da cidade), a basílica servia parareuniões da bolsa, para tribunal e leitura de editos.Mais tarde, já com o Cristianismo, passou adesignar uma igreja com certos privilégios. Abasílica apresenta uma característicainconfundível: a planta retangular, (de quatro acinco mil metros) dividida em várias colunatas.Alguns exemplos: a basílica Julia, iniciada nogoverno de Júlio César, foi concluída no Impériode Otávio Augusto. E a basílica de São Pedro novaticano.
  26. 26. Basílica de Júlia
  27. 27. A Casa RomanaPlebeus: Homens livres, dedicadosao comércio e agricultura.
  28. 28. DomusCasa dos Clientes Eram homens livres que se associavam aos patrícios, prestando-lhes diversos serviços pessoais em troca de auxílio econômico e proteção social. Constituíam ponto de apoio da denominação política e militar dos patrícios.
  29. 29. Vila UrbanaCasa dos Patrícios:Cidadãosromanos.Proprietários eterras, rebanhos e escravos.Desempenhavam altasfunções públicas no exército,na religião na justiça e naadministração.
  30. 30. Vila Rústica
  31. 31. Esculturas eqüestresEsculturas Escultura sempre aliada à arquitetura
  32. 32. Fonte de Trevi
  33. 33. Escultura eqüestre de Marco Aurélio
  34. 34. PinturaCena da vida de Íxion,Casa dos Vettii, Pompéia.
  35. 35. 1º Estilo: Cantaria e IncrustaçãoConsiste em dar Idéia de placas deMármore recobrindo as paredes deuma sala com uma camada degesso pintado.Nome derivado de crustae, placaspétreas de revestimento simulandoblocos de pedra e suas cores etexturas para a decoração deresidências em toda volta doMediterrâneo, gerando interessantesefeitos ilusionísticos Afresco da Villa de Fannius Synistor em Boscoreale. Metropolitan Museum of Art
  36. 36. 2º Estilo: Arquitetônico Afresco da Villa dos Mistérios, PompéiaUma janela Aberta: Os artistascriavam essa ilusão, começaram entãoa pintar painéis por onde eram vistaspaisagens com animais, aves epessoas, formando um grande mural;Uso de perspectiva e de frisosgeométricos
  37. 37. 3º Estilo: Ornamental Representações fiéis da realidade e valorização da delicadeza dos pequenos detalhes Casa de Lucretius Fronto, Pompéia. Terceiro Estilo tardio 4º Estilo: Eclético Bodas de Cores mais vivas Zéfiro e Cloris, simulando uma Casa de Naviglio, tapeçaria ou Pompéia Cenário de teatro
  38. 38. Fim do Império Romano Por volta do século III, o Império Romano passava por uma grande crise econômica e política. A corrupção dentro do governo e os gastos com luxo retiraram recursos para o investimento no exercito romano. Com o fim das conquistas territoriais, diminuiu o número de escravos, provocando uma queda na produção agrícola. Na mesma proporção, caía o pagamento de tributos originados das províncias. Em crise e com o exército enfraquecido, as fronteiras ficavam a cada dia mais desprotegidas. Muitos soldados, sem receber soldo, deixavam as obrigações militares. Os povos germânicos, tratados como bárbaros pelos romanos, estavam forçando a penetração pelas fronteiras do norte do império.Após o ano 395 d.C., com a morte do imperador Teodósio I o império foidefinitivamente dividido em : Império Romano do Ocidente, com capitalem Roma e Império Romano do Oriente (Império Bizantino), com capital em Constantinopla. Em 476 d.C., o Império Romano do Ocidente caiu após a invasão pordiversos povos bárbaros. Foi o fim da Antiguidade e início de uma nova época chamada de Idade Média.
  39. 39. Principais causas da decadência:• Crise econômica: a economia baseada no latifúndio escravista entrou em decadência com o fim das conquistas, pois tornou-se difícil e cara a aquisição de escravos. Muitos trabalhadores livres e até escravos foram fixados como colonos nas grandes propriedades.• Descontentamento com os altos impostos: para sustentar o grande número de funcionários e militares, necessários em território tão extenso, era preciso muito dinheiro, que era arrecadado do povo. Esse mesmo dinheiro também sustentava o luxo e a corrupção dos governantes.• O quase desaparecimento da moeda romana: como a produção diminuiu, faltavam produtos para vender; assim, as importações aumentaram e, em consequência, grande quantidade de moeda saía e não voltava.
  40. 40. • Desorganização política e militar: a disputa pelo poder, a corrupção e o descuido com a administração eram constantes. Cada exército obedecia mais a seu general do que ao imperador. Além disso, o assassinato de imperadores era frequente.• As invasões dos bárbaros: inicialmente, eles penetraram no território do exército. No século IV, grupos armados de bárbaros foram vencendo os romanos, até derrotá-los definitivamente em 476.

×