Curso: Enfermagem
Disciplina: Enfermagem na
Saúde da criança
Docente: Francine Paixão
Discentes:
Mariana Freire
Silvani de...
Pneumonia
 Definição:
 Processo inflamatório agudo dos pulmões,
difusa ou localizada que resulta da
infecção bacteriana,...
Etiologia
 Bactérias,vírus,fungos,parasitas,inalação
de produtos químicos,aspiração de
conteúdo gástrico ou acúmulo de lí...
Etiologia
Incidência
 A pneumonia é uma das causas mais
comuns de admissões hospitalares,
principalmente nos meses de inverno.
 A ...
Modos de Aquisição
 Pneumonia adquirida antes do
nascimento: Via intra-uterina por
transplacentária, Liquido amniótico in...
FisiopatologiaResposta ao corpo
estranho inalado
ou aspirado.
Multiplica-se os
microorganismos
Invasão de
microorganismos
...
Agentes causadores
 Viral: Vírus da Rubéola, Herpes
Simples, Enterovírus e Adenovírus.
 Bacteriana: Gram positivas(S.
au...
Sinais e Sintomas
 Sinais de infecção sistêmica,como
demência,letargia,anorexia e febre.
 Sinais de insuficiência respir...
Sinais e Sintomas
 Derrame pleural pode ocorrer em geral
associado a pneumonia por estafilococos
do grupo a,estreptococos...
Diagnóstico
Clínico
 Vários fatores de riscos pré-natais e natais
podem predispor às infecções sistêmicas e
pulmonar ;
 ...
Diagnóstico
Radiológico
 Radiografia de torax póstero-anterior e perfil
constitui o melhor exame para o diagnóstico
radio...
Diagnóstico
Laboratorial
 Hemograma:
 Embora seja um exame inespecífico,pode
demostrar a presença de anemia,
leucocitose...
Tratamento
 Esquema inicial: Antibióticos(penicilina
ou derivados) associada a um
aminoglicisídeo ou cefalosporina de
ter...
Tratamento
 Quando há suspeita de bactérias
anaeróbicas,as drogas de escolha são:
Clidamicina,cefoxitina,metronidazol,imi...
Tratamento
 Manutenção do equilíbrio hidroeletrolítico;
 Drenagem pleural – Quando houver derrame
importante;
 Suporte ...
Prevenção
 Cuidado materno adequado;
 Pré natal bem feito;
 Prevenção dos fatores de risco maternos;
 Orientação mater...
Caso Clinico
F. O, J, (Pront 6013066-F/I.Cr),
procedente de São Paulo (Capital),
sexo masculino, branco, nascido em
18 de ...
Diagnóstico de Enfermagem
 Padrão respiratório ineficaz relacionado a
hipoventilação caracterizado por batimento
de asa d...
Cuidados de Enfermagem
 Monitorar sinais vitais,principalmente
temperatura e freqüência respiratória.
 Proporcionar meio...
Cuidados de Enfermagem
 Avaliar o estado nutricional.
 Posicionar o bebê, na posição de inclinação
de até 10 – 30º.
 At...
“Cada criança ao nascer, nos trás a
mensagem de que Deus não perdeu
as esperanças nos homens” (Tagore).
Bibliografia
 Gonce, Patricia.Cuidados críticos de
enfermagem: uma abordagem holística.
Rio de Janeiro:Guanabara Koogan, ...
Pneumonia rnc 2013
Pneumonia rnc 2013
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Pneumonia rnc 2013

426 visualizações

Publicada em

Pneumonia em RN

Publicada em: Saúde
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
426
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pneumonia rnc 2013

  1. 1. Curso: Enfermagem Disciplina: Enfermagem na Saúde da criança Docente: Francine Paixão Discentes: Mariana Freire Silvani de Araújo Rosane Santos
  2. 2. Pneumonia  Definição:  Processo inflamatório agudo dos pulmões, difusa ou localizada que resulta da infecção bacteriana,viral, ou de origem química.  Ocorre no parênquima pulmonar e alvéolos.
  3. 3. Etiologia  Bactérias,vírus,fungos,parasitas,inalação de produtos químicos,aspiração de conteúdo gástrico ou acúmulo de líquidos nas bases pulmonares. Vias de Transmissão:  Inalação direta de partículas contaminadas,por aspiração de material infectado através da boca e nasofaringe ou por via hematogênica e exógena(após broncoscopia e /ou intubação endotraqueal).
  4. 4. Etiologia
  5. 5. Incidência  A pneumonia é uma das causas mais comuns de admissões hospitalares, principalmente nos meses de inverno.  A incidência de pneumonia há uma relação importante com as condições socioeconômicas, raça e idade.  Cerca de 10 a 20% dos RN internados na UTI apresentam alguma forma de Pneumonia.
  6. 6. Modos de Aquisição  Pneumonia adquirida antes do nascimento: Via intra-uterina por transplacentária, Liquido amniótico infectado, parte de uma infecção congênita, doença inflamatória inespecífica dos pulmões de RN natimorto.  Pneumonia adquirida durante o nascimento: Contaminação do feto ou do RN ou do canal de parto.  Pneumonia aquiridas após o nascimento: Infecção hospitalar ou domiciliar.
  7. 7. FisiopatologiaResposta ao corpo estranho inalado ou aspirado. Multiplica-se os microorganismos Invasão de microorganismos no TRI Acumulo de Neutrófilos e macrófagos imaturos nos brônquios periféricos e alvéolos pulmonares. Sistema de defesa atua removendo e repeli os microorganismos no TR.
  8. 8. Agentes causadores  Viral: Vírus da Rubéola, Herpes Simples, Enterovírus e Adenovírus.  Bacteriana: Gram positivas(S. aureus, S.pneumoniae, Pneumocystis canii), Gram Negativas( P. aeroginosa, Flavobacteria, Serratia marcescens, S. Pneumoniae, H. influenza e B. catartarrhalls).
  9. 9. Sinais e Sintomas  Sinais de infecção sistêmica,como demência,letargia,anorexia e febre.  Sinais de insuficiência respiratória como taquipnéia,dispnéia,gemido,tosse seca,batimento de asa de nariz.  Respirações irregulares,cianose,retração costal e esternal,além de estertores crepitantes e subcrepitantes e múrmurio vesicular diminuído,podem fazer parte de uma infecção Sistêmica.
  10. 10. Sinais e Sintomas  Derrame pleural pode ocorrer em geral associado a pneumonia por estafilococos do grupo a,estreptococos e e. Coli.  Nos casos mais graves,a insuficiência respiratória é progressiva,acompanhada por sinais e sintomas clínicos intensos,apnéia,choque e falência respiratória.
  11. 11. Diagnóstico Clínico  Vários fatores de riscos pré-natais e natais podem predispor às infecções sistêmicas e pulmonar ;  Prematuridade;  Rotura prematura de membranas;  Fisometria;  História de febre materna;  Parto prolongado associado à manipulação obstétrica excessiva;
  12. 12. Diagnóstico Radiológico  Radiografia de torax póstero-anterior e perfil constitui o melhor exame para o diagnóstico radiológico da pneumonia.  Tomografia com contraste: Para diagnosticar lesões localizadas,como abscesso pulmonar,empiema,fístulas.  Ultra-sonografia para o diagnóstico de doenças pulmonares,principalmente dos derrames pleurais como empiemas,hidrotórax,quilotórax.
  13. 13. Diagnóstico Laboratorial  Hemograma:  Embora seja um exame inespecífico,pode demostrar a presença de anemia, leucocitose ou leucopenia,plaquetopenia e índice neutrofílico(in) maior ou igual a 0,2,sugerindo processo infeccioso.  Outros Exames: Aspiração de secreção traqueal, Broncoscopia, Punção Pulmonar.
  14. 14. Tratamento  Esquema inicial: Antibióticos(penicilina ou derivados) associada a um aminoglicisídeo ou cefalosporina de terceira geração.  Duração: Quando causado por bacilos entéricos gram-negativos ou por streptococo do grupo B, pelo menos 14 dias.Estafilococos ou anaeróbios, prolonga-se por três a quatro semanas.
  15. 15. Tratamento  Quando há suspeita de bactérias anaeróbicas,as drogas de escolha são: Clidamicina,cefoxitina,metronidazol,imipin em ou a combinação de uma penicilina(ticarcilina) com um inibidor da beta-lactamase (ácido clavulônico) o cloranfenicol também pode ser utilizado,porém com as devidas preucações por causa de sua toxicidade para o RN.
  16. 16. Tratamento  Manutenção do equilíbrio hidroeletrolítico;  Drenagem pleural – Quando houver derrame importante;  Suporte nutricional- instituir a nutrição parenteral prolongada com aminoácidos e lipídeos, além de nutrição enteral mínima, de preferência com leite materno em pequenos volumes e intervalos regulares, a fim de manter a função enzimática e nutricional do TGI.  Assistência respiratória – Na forma de oxigenação direta por meio de halo ou ventilação mecânica nos casos mais graves.
  17. 17. Prevenção  Cuidado materno adequado;  Pré natal bem feito;  Prevenção dos fatores de risco maternos;  Orientação materna adequada em relação aos cuidados higiênicos e dietéticos do RN;
  18. 18. Caso Clinico F. O, J, (Pront 6013066-F/I.Cr), procedente de São Paulo (Capital), sexo masculino, branco, nascido em 18 de janeiro de 1985, foi internado em 27 de janeiro de 1985 com 9 dias de vida, apresenta taquipnéia FR:90, FC:130, cianose que piorava durante a alimentação e impedia o sono, batimentos de asa de nariz,gemência e tosse com secreção que tinham iniciado há 24 horas. A mãe não fez pré-natal e apresentava nos últimos meses de gestação leu correia abundante.
  19. 19. Diagnóstico de Enfermagem  Padrão respiratório ineficaz relacionado a hipoventilação caracterizado por batimento de asa de nariz.  Débito Cardíaco diminuído relacionado a pós carga alterada evidenciada por Dispnéia.  Risco de volume de líquidos deficiente relacionado a perdas excessivas por vias normais.  Trocas de gases prejudicada relacionado a mudanças na membrana alvéolo capilar evidenciado por Batimento de asa de nariz .  Desobstrução ineficaz das vias aéreas relacionado a infecção caracterizada por muco excessivo.
  20. 20. Cuidados de Enfermagem  Monitorar sinais vitais,principalmente temperatura e freqüência respiratória.  Proporcionar meios de resfriamento em caso de febre.  Manter oxigenoterapia conforme prescrição.  Observar e comunicar o tipo de tosse.  Admnistrar medicações, conforme prescrição médica.  Observar Oximetria, Oxigenoterapia – SN.
  21. 21. Cuidados de Enfermagem  Avaliar o estado nutricional.  Posicionar o bebê, na posição de inclinação de até 10 – 30º.  Atentar-se para Sinais de choque Séptico.  Vigiar necessidade de isolamento.  Realizar Nebulização simples.  Proporcionar ou estimular a fisioterapia respiratória.
  22. 22. “Cada criança ao nascer, nos trás a mensagem de que Deus não perdeu as esperanças nos homens” (Tagore).
  23. 23. Bibliografia  Gonce, Patricia.Cuidados críticos de enfermagem: uma abordagem holística. Rio de Janeiro:Guanabara Koogan, 2007.  Marconde, Eduardo.Pediatria Geral e Neonatal.Editora Sarvier, 2003.  Maria, Moraes. Cuidados de Enfermagem ao indivíduo hospitalizado. Editora Artmed, 2004, capítulo 4.  Diagnósticos de enfermagem da NANDA: definições e classificação 2007-2008 / North American Nursing Diagnosis Association;Porto Alegre: Artmed, 2008396 p.

×