Sessão 8 -Tarefa 2

363 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
363
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
22
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sessão 8 -Tarefa 2

  1. 1. Oficina de formação “A Biblioteca Escolar 2.0” Sessão 8 - Tarefa 2 As potencialidades das redes sociais na educação e no trabalho da biblioteca As redes sociais virtuais são um resultado da necessidade inata de comunicar doser humano, de novas formas de socialização, aplicada às redes da Internet. Boyd & Ellison definem e especificam-nas como «serviços online que permitemaos indivíduos: 1. criar um perfil público ou semipúblico dentro de um sistema com regras; 2. criar uma lista de outros utilizadores com quem partilham uma ligação; 3. ver e cruzar a sua lista de contactos e as listas criadas por outros dentro dosistema; Numa sociedade onde a informação se produz ou se divulga, a cada segundo,não seria uma atitude sensata, perspetivar as aprendizagens, como se a revoluçãotecnológica não tivesse acontecido. As redes sociais permitem maior rapidez na troca de informação, partilha desaberes e podem dar uma maior e mais célere visibilidade ao trabalho da biblioteca.Estimulam a comunicação e a interação através de comentários e possibilitam a criaçãode verdadeiras comunidades de interesses comuns. Hoje em dia, são um dos mais fortescanais de comunicação utilizados por muitos jovens para obter e partilhar informação detodo o género e nos mais variados suportes. A maioria (e os mais populares) dos sítiosfornece este serviço de forma gratuita. De entre a oferta de redes sociais a que podemos aderir, criando um registo e umperfil de utilizador, o Facebook, tornou-se a rede social com mais sucesso na Europa.Tem a vantagem de ser a ferramenta preferida e mais identificada pelos alunos e com a"linguagem" virtual com que se identificam. É também uma ferramenta usada porinstituições, além das revistas científicas se estarem a apoderar deste espaço parapublicarem e divulgarem conteúdos interessantes em diferentes áreas do conhecimento enão há político que não use as redes sociais para chegar junto dos cidadãos ou eleitores. É necessário estar onde estão os nossos alunos, os nossos utilizadores,promovendo a literacia da informação, e nada melhor do que a utilização destas redes,onde se obtém e partilha informação de todo o tipo, se estabelecem e mantêm contatos,Marta Cristina Teixeira Cardoso Maia Medeiros (Sessão 8 – Tarefa 2)
  2. 2. Oficina de formação “A Biblioteca Escolar 2.0”se oferecem conteúdos de qualidade, se dinamizam atividades, onde há intercâmbio deinformação em distintos formatos: imagens, vídeos, texto… entre outros saberes. Também a literacia digital, como parte da participação cívica, pode contribuirpara uma maior qualidade de vida porque ajuda as pessoas a compreender como é que acomunicação e a informação são construídas e apresentadas, ajudando a criar e a retirarsentido do mundo. Através do facebook muitas bibliotecas conseguem divulgar os seus sites e osseus blogues e o número de visualizações dos mesmos aumenta de uma formaextraordinária. Assim, um dos objetivos desta rede para as nossas Bibliotecas éconseguirmos fazer chegar ao público-alvo as nossas atividades, eventos, exposições…e permitir uma maior interação da biblioteca com os alunos. Através dos comentários eopiniões não só promovemos a interação como em alguns casos é possível quepossamos melhorar os nossos serviços, alargando-os para além do espaço e do temporeais, tornando a BE um local de aprendizagem e de partilha acessível a todos aqualquer hora. Não se pode ficar indiferente ao que as redes sociais oferecem às instituições e àaprendizagem. As escolas, sendo um espaço de cidadania por excelência, podemdesempenhar um papel importante a este nível, incentivando à participação na e atravésda internet. No entanto, algumas situações são preocupantes, como é a questão dasegurança e da consulta dos alunos, surgindo perigos associados, tais como apropriaçãode identidade, falsas identidades, Cyberbullying, ausência de controlo efetivo de idade,etc. A utilização das redes de forma pouco segura e expositiva é um aspeto que deveráser da nossa responsabilidade. Também se torna imperativo aprender boas formas deprocurar e de pesquisar, aprender quando confiar nas fontes de informação, saber danecessidade de confrontar as mesmas. Promover a formação de utilizadores nas redessociais, ensinando-lhes as regras de etiqueta na comunicação online e alertando-os paraos perigos que podem advir do mau uso das mesmas é essencial, considerando estesaspetos desde cedo e ajudando as crianças a aplicá-los aos trabalhos que executam,tornando-se como requisito prévio a planificação do uso das redes sociais e adeterminação dos objetivos para as mesmas. O computador e a web, e as suas potencialidades ao nível de redes sociais, sãogeniais. Os educadores/professores bibliotecários têm um papel fundamental, que étornar o processo de ensino-aprendizagem mais atrativo, instigante e eficaz através depráticas inovadoras que proporcionem mais qualidade na educação.Marta Cristina Teixeira Cardoso Maia Medeiros (Sessão 8 – Tarefa 2)
  3. 3. Oficina de formação “A Biblioteca Escolar 2.0” Cabe-nos explorá-las devidamente em benefício das aprendizagens e dodesenvolvimento das novas competências.Marta Cristina Teixeira Cardoso Maia Medeiros (Sessão 8 – Tarefa 2)

×