Marta Mendes Gouveia   Cavalheiro Jales
Dissertação orientada por:Professor Doutor Manuel       Frias Martins  Mestrado em Cultura e      Comunicação          2011
Estrutura       PARTE I                                       PARTE II Objectivo: explorar possibilidades do pós-humanismo...
Estrutura    Histórias de auto-                                                Stelarc: a possibilidade  superação: o cami...
Parte I
Histórias de Auto-                                                   Parte ISuperaçãoPerspectiva histórica    •Hoje: aprox...
Mitos                                  Parte IGrécia antiga produziu mitos sobre arelação do ser humano com a técnica.Prom...
Corpo                                                                        Parte IThe deities of the organized body are ...
Arte e Ciência                                                          Parte I   Proximidade histórica entre Arte e Ciênc...
Prostética                                                                 Parte I  The posthuman view thinks of the body ...
Transhumanismo e Pós-humanismo                                                                   Parte I Tranhumanismo:   ...
Ciborgue                                Parte I   •Híbrido, monstro, figuramitológica do pós-humanismo.    •Sociedade: vár...
The Ballad of Genesis and Lady Jaye                                          Parte IThe body is a flesh suitcase. (Genesis...
Parte II
Será esta…              …uma imagem…do futuro?
Parte2
Suspensions                                                       Parte 2   “The body is obsolete” - corpo em suspenso fac...
Third Hand,Prosthetic Head e Movatar                                             Parte 2     •Prótese como excesso;     •B...
Stomach Sculpture e Extra Ear                                                                          Parte 2  Nova arqui...
fomos encontrar as características doe monstro e do enquanto híbrido contemporâneo, representante máximo do pós- do pós-  ...
Exoskeleton                                                                             Parte 2   O Monstro/Ciborgue   Híb...
Comunicação                                                Parte 2        LIGAÇÃO                DISRUPÇÃO   1 - Participa...
CONCLUSÕES
Conclusões    •O ciborgue entrou na esfera da sociedade, desafiando fronteiras e categorizações;    •O corpo está permanen...
Conclusões    Stelarc    •Leva ao limite a interligação entre tecnologia e corpo;    •Importância do aspecto de ligação pr...
FIM      Obrigada
O homem multiplicado
O homem multiplicado
O homem multiplicado
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O homem multiplicado

285 visualizações

Publicada em

A apresentação da minha dissertação final para o mestrado em Cultura e Comunicação da Faculdade de Letras.

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
285
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O homem multiplicado

  1. 1. Marta Mendes Gouveia Cavalheiro Jales
  2. 2. Dissertação orientada por:Professor Doutor Manuel Frias Martins Mestrado em Cultura e Comunicação 2011
  3. 3. Estrutura PARTE I PARTE II Objectivo: explorar possibilidades do pós-humanismo através da análise da arte de Stelarc.
  4. 4. Estrutura Histórias de auto- Stelarc: a possibilidade superação: o caminho de uma imagem do para um corpo futuro? aumentado Objectivo: explorar possibilidades do pós-humanismo através da análise da arte de Stelarc.
  5. 5. Parte I
  6. 6. Histórias de Auto- Parte ISuperaçãoPerspectiva histórica •Hoje: aproximação do tecnológico e biológico. •O ser humano utilizou sempre a técnica como forma de se auto- superar.
  7. 7. Mitos Parte IGrécia antiga produziu mitos sobre arelação do ser humano com a técnica.Prometeu: exemplo de umaviso face aos perigos da buscado conhecimento.Erik Davis: Tecnologia enquantoforma de reencontrar aespiritualidade.
  8. 8. Corpo Parte IThe deities of the organized body are not sacred to the new designers ofevolutionary stable strategies. (Donna Haraway, “Simians Cyborgs andWomen”, 1991:67) •Modificação da percepção sobre o corpo humano e os seus limites; •Hoje: inúmeras possibilidades para levar a cabo modificações no corpo. Monstros: •Identificação e não-identificação; •Fascínio e temor.
  9. 9. Arte e Ciência Parte I Proximidade histórica entre Arte e Ciência: •Arte coloca questões sobre a comunidade científica e ciência cria objectos próximos da arte; •Ambas nos apresentam possibilidades; •Os monstros criados pela ciência ganham vida na literatura e no cinema.
  10. 10. Prostética Parte I The posthuman view thinks of the body as the original prosthesis we all learn to manipulate… (Katherine Hayles, “How we became posthuman: virtual bodies in cybernetics, literature and informatics”, 1999:3) Na prostética, a tecnologia apresenta-se enquanto extensão do ser humano, modificando a percepção sobre o próprio corpo.
  11. 11. Transhumanismo e Pós-humanismo Parte I Tranhumanismo: Pós-humanismo: •Profetismo de possibilidade •Distanciação da visão humanista do ser humano •Utopia formada a partir da ideia de que o mundo chegará à •Corpo é híbrido e mutável perfeição através do desenvolvimento científico e •O corpo nem sempre é tecnológico harmonioso e equilibrado •Humanidade está num estado •Ciborgue: figura central transitório
  12. 12. Ciborgue Parte I •Híbrido, monstro, figuramitológica do pós-humanismo. •Sociedade: vários indivíduostornaram a tecnologia parteintegrante do Eu. •Donna Haraway: anomalia podeser uma reacção positiva a tentativastotalitárias de poder.
  13. 13. The Ballad of Genesis and Lady Jaye Parte IThe body is a flesh suitcase. (Genesis)•Tecnologia é libertação.•Pandroginia: o fim dos dois sexos.
  14. 14. Parte II
  15. 15. Será esta… …uma imagem…do futuro?
  16. 16. Parte2
  17. 17. Suspensions Parte 2 “The body is obsolete” - corpo em suspenso face a concepções tradicionais. Fisicalidade - o corpo continua a ser central.
  18. 18. Third Hand,Prosthetic Head e Movatar Parte 2 •Prótese como excesso; •Brian Massumi: objecto e corpo existem na medida em que estão implicados um no outro; •Extensão da presença.
  19. 19. Stomach Sculpture e Extra Ear Parte 2 Nova arquitectura do corpo Nova organização do corpo. No entanto, existe dificuldade em tornar o corpo receptivo a novas ligações.
  20. 20. fomos encontrar as características doe monstro e do enquanto híbrido contemporâneo, representante máximo do pós- do pós- características do monstro do ciborgue, ciborgue, enquanto híbrido contemporâneo, representante máximohumanismo. humanismo.
  21. 21. Exoskeleton Parte 2 O Monstro/Ciborgue Híbrido contemporâneo, representa a criação de seres resultantes da união entre corpo e tecnologia. “Efeito monstro”: em união com toda a maquinaria à sua volta, o artista é um monstro, um ciborgue e um híbrido.
  22. 22. Comunicação Parte 2 LIGAÇÃO DISRUPÇÃO 1 - Participação nas 1 – Métodos de performances afastamento do público 2 - Identificação com o 2 – Não identificação com o artista artista
  23. 23. CONCLUSÕES
  24. 24. Conclusões •O ciborgue entrou na esfera da sociedade, desafiando fronteiras e categorizações; •O corpo está permanentemente interligado com a tecnologia; •The Ballad of Genesis and Lady Jaye: a tecnologia como libertação.
  25. 25. Conclusões Stelarc •Leva ao limite a interligação entre tecnologia e corpo; •Importância do aspecto de ligação presente na questão tecnológica; •Forte presença da componente humana no trabalho de Stelarc.
  26. 26. FIM Obrigada

×