7. Interfaces Na Web

3.369 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.369
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
59
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
50
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

7. Interfaces Na Web

  1. 1. O Design de Interfaces na web O que é Interface?
  2. 2. 0 que é Interface Gráfica? • Se refere ao aplicativo gráfico (software) que dá forma à interação entre o usuário e o computador. • Uma espécie de tradutor, mediando entre duas partes, tornando uma sensível à outra.
  3. 3. 0 que é Interface Gráfica? • RELAÇÃO SEMÂNTICA : significado e expressão • É a parte “visível” e manipulável do conteúdo da internet ou de qualquer software, está na tela do celular, do palm, do iPod, no display do microondas, do som do carro, etc.
  4. 4. Arc-parc-mac – apontar e clicar • A revolução: anos 70 • Interface gráfica do usuário ou GUI • Palo Alto Research Center da Xerox • Metáforas visuais
  5. 5. Interface: Ciberespaço Materializado Computador é um sistema simbólico... Zeros e 0001110 uns 1011100 • O enorme poder do computador digital depende dessa capacidade de representação!
  6. 6. Interface: O Início Douglas Engelbart – pai da interface • Mapeamento de bits – A informação no espaço físico Doug Engelbart • Manipulação direta – Podíamos manipular a informação no novo espaço O Primeiro Mouse
  7. 7. Interface: O Início Pela primeira vez, em 1968, uma máquina era imaginada não como um apêndice aos nossos corpos, mas como um ambiente, um espaço a ser Doug Engelbart explorado. Podemos nos projetar nesse mundo, perder o rumo. Parecia mais uma paisagem do que uma máquina. Era a cidade de bits O Primeiro Mouse
  8. 8. Mapeamento de bits: herança O jargão high tech demonstra este espaço- informação: ciberespaço, surfar, navegar, rede, desktops, janelas, arrastar, soltar, apontar-e-clicar Hoje somos todos mapeadores de bits e vivemos “dentro” de máquinas, graças a Doug Engelbart. Interface contrapõe os pensadores que concebem as nossas máquinas como extensões do homem!
  9. 9. Posições teóricas Marshall McLuhan • A Aldeia Global • O meio é a mensagem • Os meios de comunicação como Para McLuhan, o homem extensões do homem modela as ferramentas que o modelam.
  10. 10. Posições teóricas Inteligência Coletiva • Caracteriza-se por um novo tipo pensamento sustentado por conexões sociais que são viáveis através da utilização das redes abertas na Internet. • É do equilíbrio entre a “cooperação” e a “competição” que surge a Pierre Lévy Inteligência Coletiva.
  11. 11. Posições teóricas Interface • “Há poucos atos criativos na vida contemporânea mais significativos que esse e poucos com consequências sociais tão amplas” • “Entre o meio e a mensagem está a INTERFACE” Steven Johnson
  12. 12. Interface • Há formas de comunicação perdidas no tempo. • Estão à frente do seu tempo à espera de um veículo mais apropriado para si, • Exemplos: tele-novelas nos tempos do rádio
  13. 13. Interface A mutação da interface • A interface deve mudar outros domínios da experiência contemporânea, além do computador • Exemplos: contar histórias x leitura da mídia (parasitas)
  14. 14. Interface Criticam, comentam, desmantelam Influenciam Refletem nos mutuamente convencionais
  15. 15. Interface • METAFORMAS: mediação X produção conteúdo
  16. 16. Interface • O significado por trás das metaformas é a busca por FILTROS DE INFORMAÇÃO • Os comentadores se alimentam do excesso de informação, da atordoante sobrecarga sensorial da mediasfera contemporânea. • As metaformas assim como as interfaces processam, contextualizam e traduzem em ícones a infosfera
  17. 17. Interface • Para-choques, tradutores e guias de excursão Esta linguagem que a metaforma adota é na verdade a linguagem do mundo digital Informação digital sem FILTROS não existe A interface é uma maneira de mapear esse território novo e estranho, um meio de nos orientarmos em uma ambiente desnorteante
  18. 18. Interface • Desktop: como se o computador fosse uma mesa de escritório • Janelas: “pré-janelas e pós-janelas” manuseio e organização de arquivos • Links: nova maneira de escrever e conectar os assuntos de forma coerente e ampla • Texto: o texto é a única área que continua estática, mesmo com o surgimento do hipertexto
  19. 19. Bibliografia • Leitura: • Cultura da Interface – Johnson, Steven – Páginas 15-35

×