CrôNicas

6.180 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.180
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
49
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
94
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

CrôNicas

  1. 1. Crônicas Ensinando através das Crônicas. Tema : o estudo da crônica no Ensino Médio
  2. 2. Definição <ul><li>Segundo o dicionário Houaiss crônica é: s.f. 1- registro de fatos históricos em ordem cronológica 2- pequeno texto geralmente baseado em fatos do cotidiano 3- seção ou coluna de jornal sobre tema especializado. </li></ul>
  3. 3. A origem do termo <ul><li>A origem da palavra crônica é grega e vem de chronos ( tempo). É por esse motivo que uma das características definidoras desse gênero é o seu caráter contemporâneo. De modo bastante direto e simplificado, a crônica pode ser apresentada como um texto no qual encontramos o relato de fatos contemporâneos, a partir dos quais um autor desenvolve reflexões mais genéricas sobre a questão principal a eles associada. </li></ul>
  4. 4. Classificação <ul><li>A crônica pode receber diferentes classificações, dependendo do tema por ela desenvolvido.Assim, fala-se da crônica mundana ( trata de fatos ou acontecimentos característicos de uma sociedade ), lírica ( expressão de um estado de espírito do cronista ), filosófica ( reflexão a partir de um fato ou evento ), humorística ( visão irônica ou cômica dos fatos apresentados ) e jornalística ( apresentação periódica de aspectos particulares de notícias ou fatos; pode ser policial, esportiva, política etc. ). </li></ul>
  5. 5. A carta de Pero Vaz de Caminha: a primeira crônica brasileira? <ul><li>[...] por mais que ele ( Caminha ) tenha afirmado [...] que “para o bem contar e falar, o saiba pior que todos fazer”, percebemos que tem consciência da possibilidade de “ aformosear” uma narrativa, sem esquecer que a experiência vivida é que a torna mais intensa. Daí o cuidado em reafirmar que ele escreve após ter ido à terra “ para andar lá com eles e saber de seu viver e maneiras “: a observação direta é o ponto de partida para que o narrador possa registrar os fatos de tal maneira que mesmo os mais efêmeros ganhem uma certa concretude. </li></ul><ul><li>Essa concretude lhes assegura a permanência, impedindo que caia no esquecimento, e lembra os leitores que a realidade – conforme a conhecemos, ou como é recriada pela arte – é feita de pequenos lances. Estabelecendo essa estratégia, Caminha estabeleceu também o princípio básico da crônica : registrar o essencial. </li></ul><ul><li>A história de nossa literatura se inicia, pois, com a circunstância de um descobrimento: oficialmente, a Literatura Brasileira nasceu da crônica. </li></ul>
  6. 6. Por que a crônica? <ul><li>Em primeiro lugar por sua forma leve, linguagem informal e pluralidade de temas ( geralmente extraídos do cotidiano ), a crônica é um dos gêneros literários que possui mais potencialidades para despertar o prazer da leitura e trabalhar com conhecimentos de outras áreas. </li></ul><ul><li>Em segundo lugar, para que eu possa aprofundar meus conhecimentos sobre o ensino da crônica e colocá-los em prática no meu dia-a-dia de professora. </li></ul>
  7. 7. Objetivos <ul><li>fazer um levantamento quantitativo com os alunos, no que diz respeito ao acesso às crônicas; </li></ul><ul><li>incentivar a leitura; </li></ul><ul><li>despertar nos alunos o gosto pela crônica; </li></ul><ul><li>difundir o uso da crônica como ferramenta de trabalho em sala de aula. </li></ul>
  8. 8. Estrutura do trabalho <ul><li>Capítulo I - Gêneros textuais </li></ul><ul><li>Capítulo II - Crônica ( histórico e usos ) </li></ul><ul><li>Capítulo III – Pesquisa com base no problema do trabalho </li></ul>
  9. 9. Palavras-chave s <ul><li>crônica, leitura, prática de ensino. </li></ul>

×