ANTIGO REGIME E REVOLUÇÃO INGLESA “ Construção de uma estrada em 1774” de Joseph Vernet
Entre os séculos XVI e XVIII, a distribuição da população européia era bem diferente da de hoje. Em todos os países da Eur...
 
ESTAMENTOS Nas sociedades do Antigo Regime, os grupos sociais estavam divididos em três estamentos (ordens ou estados): cl...
ABSOLUTISMO Durante a Idade Moderna (séculos XV a XVIII), o ocorreu em grande parte da Europa um processo de fortaleciment...
A DEFESA DO ABSOLUTISMO VÁRIOS TEÓRICOS ELABORARAM ARGUMENTOS QUE JUSTIFICAVAM O ABSOLUTISMO. DENTRE ELES, DESTACAREMOS TH...
 
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Antigo Regime

2.484 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.484
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Lllll
  • Antigo Regime

    1. 1. ANTIGO REGIME E REVOLUÇÃO INGLESA “ Construção de uma estrada em 1774” de Joseph Vernet
    2. 2. Entre os séculos XVI e XVIII, a distribuição da população européia era bem diferente da de hoje. Em todos os países da Europa havia um predomínio numérico da população rural sobre a urbana. Cerca de 80% das pessoas viviam no campo. Isso não significa, porém, que todas elas trabalhavam diretamente na agricultura ou na pecuária. Numerosa parcela da população rural era composta de comerciantes e artífices que exerciam ofícios variados, como os de ferreiro, metalúrgico, carpinteiro, ceramista, armeiro, moleiro, mineiro, seleiro, trabalhadores das pedreiras da construção civil, construtores de carroças e carruagens etc. O grupo familiar dos proprietários de terra e dos arrendatários também não trabalhava na terra, mas explorava o trabalho dos camponeses, que estavam submetidos a variadas formas de servidão, principalmente na Europa e na Rússia.
    3. 4. ESTAMENTOS Nas sociedades do Antigo Regime, os grupos sociais estavam divididos em três estamentos (ordens ou estados): clero, nobreza e terceiro estado. <ul><li>Características gerais: </li></ul><ul><li>Cada estamento tinha um estatuto jurídico próprio, que assegurava direitos e obrigações a seus componentes. </li></ul><ul><li>As obrigações do clero estava, por exemplo, praticar o ofício religioso, procurando conduzir os fiéis à salvação eterna; da nobreza, garantir a defesa militar da sociedade; do terceiro estado, trabalhar para o sustento da sociedade. </li></ul><ul><li>Quanto aos direitos do clero, havia, por exemplo, o de ser alimentado e defendido; dos nobres, o de contar com as orações e o trabalho de outros; do terceiro estado, o de receber orações e segurança. </li></ul><ul><li>A lei não era igual para todos porque os seres humanos não eram considerados iguais. Por esse raciocínio, a desigualdade dos estamentos determinava, as diferenças de funções, de talento, de dignidade existentes entre as pessoas. </li></ul>
    4. 5. ABSOLUTISMO Durante a Idade Moderna (séculos XV a XVIII), o ocorreu em grande parte da Europa um processo de fortalecimento dos governos das monarquias nacionais. Esse processo resultou no chamado absolutismo monárquico, termo-conceito que surgiu provavelmente no século XVIII para indicar, entre as correntes liberais, os aspectos negativos do poder monárquico ilimitado e pleno. A autoridade do rei tornou-se a fonte suprema dos poderes do Estado; em nome do soberano, o poder era exercido pelos diversos membros do governo: nas finanças, na elaboração das leis, nos tribunais de justiça, no exército, nas relações exteriores.
    5. 6. A DEFESA DO ABSOLUTISMO VÁRIOS TEÓRICOS ELABORARAM ARGUMENTOS QUE JUSTIFICAVAM O ABSOLUTISMO. DENTRE ELES, DESTACAREMOS THOMAS HOBBES (1588-1679) E JACQUES BOSSUET (1627-1704). <ul><li>HOBBES: </li></ul><ul><li>Em sua obra Leviatã (1651), o pensador comparou o Estado a um monstro poderoso, criado para acabar com a desordem e a insegurança da sociedade. </li></ul><ul><li>Segundo o pensador, nas sociedades primitivas, “ o homem era o lobo do próprio homem ”, vivendo em constantes guerras e matanças, cada qual lutando pela sua sobrevivência e olhando para os seus interesses individuais. </li></ul><ul><li>A solução dos conflitos passaria pelo estabelecimento de um contrato social, no qual os indivíduos deveriam renunciar à sua liberdade em troca da garantia de ordem e segurança. Portanto para ele o governo absoluto era fundamental . </li></ul><ul><li>BOSSUET: </li></ul><ul><li>Foi contemporâneo de Luís XIV e grande defensor da monarquia absolutista e cristã. </li></ul><ul><li>Dizia que o rei era predestinado por Deus para governar, e seu poder, sendo de origem divina, era absoluto. Por isso o rei estava acima de todos os súditos e não precisava justificar a ninguém suas atitudes e ordens, somente Deus poderia julgá-las. </li></ul><ul><li>É de Bossuet a frase “um rei, uma fé, uma lei, que se tornou uma espécie de lema das monarquias absolutistas. </li></ul>

    ×