Antropologia filosófica

1.485 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.485
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Antropologia filosófica

  1. 1. Trabalho alienado
  2. 2. Trabalho: Do latim Tripaliare do subjuntivo Tripalium = aparelho de tortura. Filosoficamente é pelo trabalho que o Homem transforma a natureza e se destinge dos animais,é através do trabalho que o Homem estabelece uma relação dialética entre teoria e prática, pois toda ação é antecedida por um projeto que modifica a ação...originando o processo histórico.
  3. 4. Alienação: Do latim Alienuns= que pertence a outro.Alienar significa tornar alheio, transferir para outrem o que é seu. Juridicamente: Perde-se a posse de um bem. Na loucura: Perde-se a dimensão de si na relação com o outro. Na idolatria: Perde-se a autonomia.
  4. 5. Para Rousseau a soberania do povo é inalienável, não podendo ortogá-la a nenhum representante. ( Democracia direta)
  5. 6. Visão histórica do trabalho Na Bíblia: O homem passa a trabalhar após cometer o Pecado e ser expulso do Paraíso. Na Grécia Antiga: Todo trabalho manual era desvalorizado e realizado por escravos,A atividade teórica era a mais valorizada e realizada pelos homens livres.
  6. 7. Para Platão,a finalidade do Homem Livre é contemplar as idéias. Na Roma escravagista : O trabalho também era desvalorizado,e considerado como ausências de lazer. Criam aí a palavra Negócio = negação do ócio. Sendo o ócio regalia, privilégio dos homens livres.
  7. 8. Idade Média: Há uma tentativa de valorizar o trabalho manual dizendo que todos os trabalhos se equivalem, mas a Arte Mecânica continua sendo considerada inferior. Idade Moderna: Há um crescente interesse pela Arte Mecânica e pelo trabalho, devido a ascensão da burguesia.
  8. 9. Hegel faz uma leitura otimista do trabalho na passagem do “Senhor e do Escravo”.
  9. 10. O nascimento das fábricas e a urbanização Com o surgimento das fábricas, as famílias que até então trabalhavam nas manufaturas realizando todo o processo da produção e comercialização do produtos, agora têm de dispor seus instrumentos e se vêem obrigados a vender a sua força de trabalho em troca de um salário e o empresário fica com o lucro.
  10. 11. Surge uma nova classe, o Proletariado . As condições de trabalho no séc. XIX são deploráveis. Karl Marx critica a situação em que se encontra a sociedade e defende a classe do proletariado dizendo que a alienação do Homem não é só teórica, porque se manifesta na vida real quando o produto de seu trabalho deixa de lhe pertencer, além dele próprio deixa de se pertencer, não podendo escolher seu salário, horário, rítimo, etc.
  11. 12. Ocorre o fetichismo da mercadoria e a reedificação do trabalhador.A mercadoria adquire valor superior ao trabalhador. Defende também que todo o trabalho deve ser coletivo e ajudar na auto-construção do Homem.
  12. 13. Taylorismo <ul><li>Tinha por objetivo alcançar o máximo de lucro ao patrão e ao operário, através do máximo de produção. </li></ul><ul><li>Para alcançar isto Taylor adotou 4 princípios: </li></ul><ul><li>Substituição dos métodos empíricos pelos científicos; </li></ul>
  13. 14. <ul><li>Seleção e treinamento de operários; </li></ul><ul><li>Sistema de pagamento diferenciado. </li></ul><ul><li>-Divisão de responsabilidade entre patrão e operários; </li></ul>
  14. 17. Quem é o Homem? Ser que realiza de forma planejada a transformação da natureza e com isso se auto-constrói,porém quando alienado deixa de realizar um trabalho consciente exerce apenas as suas capacidades animalescas.

×