Ludicidade Quadro

3.073 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.073
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
21
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
50
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ludicidade Quadro

  1. 1. 1 1/2 A 2 ANOS LUDICIDADE PENSAR ABSTRAIR INSTITUÍDO IMAGINAÇÃO + AÇÃO ATIVIDADE MOTIVO : PRAZER OPERAÇÃO AÇÃO BRINCAR
  2. 2. ESTÁGIOS DO DESENVOLVIMENTO SEGUNDO PIAGET Sensório-motor (aproximadamente 0 a 2 anos) A criança começa a estruturar de forma prática, corporal, as noções de espaço-tempo, e do próprio objeto. Daí a importância de enriquecer o mundo infantil com objetos que possam ser manipulados, deslocados, arrastados, enfim, permitir ações expontâneas e estruturadas. Pré-operacional (aproximadamente 2 a 7 anos) Representação simbólica através do lúdico (Faz-de-conta).importância do brincar. Existe um egocentrismo nesta fase onde há dificuldades na aceitação de regras coletivas compartilhadas. Operacional concreto (aproximadamente 7 aos 12 anos) Ações físicas passam a ser internalizadas . Desenvolve a capacidade de resolver mentalmente os problemas antes de coloca-los em prática. Diminuição do egocentrismo..
  3. 3. Operacional formal (12 anos em diante) Esquemas formais abstratos. Discute-se conceitos abstratos e desenvolve-se a argumentação.promove autonomia e enriquecimento da individualidade (não individualismo). Nota-se portanto a importância de se conhecer cada um destes estágios para que se possa proporcionar os estímulos corretos para o desenvolvimento de cada uma destas fases. A função do educador, principalmente do professor de Educação Física será a de proporcionar estímulos para incentivar a aprendizagem através das experiências corporais, da ludicidade, do brincar, onde a criança passará a formular e aceitar regras compartilhadas, noções do outro e de respeito ao grupo . O jogo é uma atividade com regras elaboradas pelos alunos ou aceitas por eles que visam desenvolver a ludicidade e a socialização através de movimentos. “ Quando as regras de um jogo, ou até mesmo o próprio jogo, não são impostas pelo professor mas resultam de uma discussão entre os alunos, conversas são necessárias para verificar a conveniência e aplicabilidade destas regras. Os alunos nesta proposta são incentivados a discutir a melhor maneira de realizar um jogo ou de resolver um determinado conflito ou problema”.(Mattos e Neira, 2000, p.84)
  4. 4. O esporte moderno tem enfraquecido o lúdico. Isto ocorre pela obrigação da execução forçada e limitadora de determinados movimentos e pela cobrança de movimentos. O esporte tem aos poucos corrompido o jogo. Ele será mais educativo se conservar a sua qualidade lúdica, sua espontaneidade e seu poder de iniciativa. “ O compromisso com o acerto, ou a proibição do erro, implícito e às vezes explícito em situações competitivas têm-se revelado, na prática, importante causa de insucesso no desempenho dos alunos em processo de aprendizagem e de conseqüente exclusão das aulas”. (Fonseca, 1999, p.69)
  5. 5. LUDICIDADE CARACTERÍSTICAS DO ALUNO ENSINO RESULTADOS DA APRENDIZAGEM COMPORTAMENTO COGNITIVO DE ENTRADA COMPORTAMENTO AFETIVO DE ENTRADA COMPORTAMENTO MOTOR DE ENTRADA TAREFAS DE APRENDIZAGEM NÍVEL E TIPO DE DESEMPENHO RITMO DE APRENDIZAGEM RESULTADOS AFETIVOS QUALIDADE DE ENSINO
  6. 6. COMPORTAMENTO COGNITIVO DE ENTRADA : Pré-requisitos necessários à aprendizagem de determinadas tarefas COMPORTAMENTO AFETIVO DE ENTRADA : Disposição para enfrentar a tarefa, antes mesmo de terem recebido qualquer instrução sobre a mesma COMPORTAMENTO MOTOR DE ENTRADA : História/cultura motora necessária à aprendizagem de uma determinada tarefa motora QUALIDADE DE ENSINO : Depende não somente da quantidade de informações, mas também do que o aluno é capaz de fazer de posse das mesmas, refletir sobre elas, elabora-las e utiliza-las com adequação, desenvolvendo permanentemente o espírito de busca e curiosidade educacional. Todo ensino supõe diálogo, comunicação, e se há comunicação, há cognição e afetividade.

×