Contributos para a Inclusão Digital dos
Estudantes Com Necessidades Educativas no
Ensino Superior: Um Estudo Exploratório
...
Introdução
“La Web tiene una importancia en muchos aspectos de la vida:
educación, empleo, gobierno, comercio, salud, entr...
Enquadramento teórico
“… essencial criar
mudanças metodológicas e
organizativas que respondam
positivamente a alunos que
a...
Objetivos específicos
 Conhecer as soluções/estratégias pedagógicas inclusivas
desenvolvidas pelas Universidades Abertas ...
Grande questão da investigação
Quais as realidades educativas a distância de um
conjunto de Universidades Abertas europeia...
Sub-questões da investigação
• De que modo é que as Universidades Abertas, a nível
europeu, estão a responder à especifici...
Opções metodológicas
Estudo de caso exploratório
7
No trilho das questões…
8
State of Art das Universidades Abertas europeias
NEE e/ou DA - Politica e Legislação Educativa a nível superior
Existência...
Respondendo às questões…
Quais as realidades educativas a distância de
um conjunto de Universidades Abertas
europeias, fac...
Estudantes com NEE e/ou DA em menor número.
Incidência na NEE sensorial e na NEE motora.
Esforço em criar equidade legisla...
Linhas orientadoras da investigação: A 1ª sub-questão
De que modo é que as Universidades Abertas, a nível europeu,
estão a...
Asseguram e viabilizam
experiências em ambientes virtuais
educativos.
(existência e implementação do
módulo de ambientação...
 Acessibilidade espácio-temporal (modalidade e-learning);
 Variabilidade nos materiais didático-pedagógicos (recursos em...
Linhas orientadoras da investigação: A 3ª sub-questão.
Como é que os estudantes com NEE e/ou DA inscritos na UAb
portugues...
Outros aspetos a ponderar segundo os estudantes da UAb
com NEE e/ou DA
 situações em que os “ficheiros em formato PDF” d...
 Modelo Pedagógico da
dá resposta aos estudantes com NEE e/ou DA;
disponibiliza flexibilidade de tempo e de espaço;
 p...
Reflexões finais
Ícone das acessibilidades sempre ativo;
Projeto de Formação de Docentes Especializado em atendimento à
di...
Reflexões finais – Os 3 primados para a Inclusão e a Acessibilidade
19
“De que serve viver
senão tornarmos a vida menos difícil aos outros?”
(George Eliot, 1819-1880)
Photos by Miguel Dias
20
21
22
Procedimentos para a recolha de dados:
1ª fase
• elaboração de guiões de questionários para as
Universidades Abertas, sua ...
1ª Fase: Categorização das NEE e/ou DA de acordo
com NEE existentes
Categorias das NEE
NEE social
NEE
cognitivo
NEE
comuni...
25
OUUK
Motor – 20,7%
Cognitivo – 22,7%
Sensorial – 26,6%
Social – 2,4%
Comunicativo – 27,6%
Tratamento e interpretação de dados:
Q1 e
Q2
Disponibilização
online
(Googledocs)
Tabelas
Excel
Gráficos
Excel
Análise e
c...
1ª Fase: Apresentação, análise e interpretação de dados (Excel)
Universidades Abertas
(Dados 2010 – 2012)
Estudantes
inscr...
1ª Fase: Caraterização do regime EaD e experiências em AVA
Caraterização do regime EaD
Modelo de EaD LMS
HOU, UAb, OUNL,
O...
1ª Fase: Outros aspetos relevantes
Avaliação
Todos os estudantes
são submetidos a
avaliação.
HOU e OUC – não
há adaptações...
2ª Fase: Apresentação, análise e interpretação de dados (Excel)
0.0
50.0
100.0
Estudantes inscritos Estudantes com NEE
e/o...
2ª Fase: Porquê a UAb?
13.6
27.3
18.2
18.2
9.1
13.6
0 10 20 30
Facilidades na gestão geográfica
Facilidades na gestão do t...
2ª Fase: Estudantes com NEE e/ou DA na UAb
0.0 5.0 10.0 15.0 20.0 25.0 30.0 35.0 40.0
Dificuldade na assimilação dos
conte...
2ª Fase: Existência e validação de um Departamento de apoio
a estudantes com NEE e/ou DA
0.0 10.0 20.0 30.0 40.0 50.0
sim
...
2ª Fase: Conteúdos e produtos de apoio mais utilizados
 Produtos de apoio mais utilizados:
Rato adaptado;
Sistema de voz ...
2ª Fase: Atividades mais inclusivas e ferramentas mais
utilizadas para comunicar
textos
14% testes
14%
ficheiros digitais
...
2ª Fase:
NEE e/ ou DA
Critérios inerentes à avaliação
mais tempo
disponibilizado
o mesmo
prazo que
os
colegas
tempo de
rea...
2ª Fase: UAb em termos inclusivos
A melhorar:
 Inovações ao nível do software;
 Tutor mais presente;
 Bolsa de estudo p...
3ª Fase: Apresentação, análise e interpretação de dados.
Entrevista semi estruturada a um membro do
Projeto Acessibilidade...
4ª Fase: Apresentação, análise e interpretação de dados
Intervenções no Fórum do Projeto Acessibilidades da UAb
Intervenç...
4ª Fase: Fórum P. A. – Análise e interpretação de dados
• EaD na UAb “mais valia” potencializa “ (…)o acesso a pessoas
com...
4ª Fase: Fórum do P. A. - Memorando
Memorando do
P. A.
sugestões sobre o que
existe na UAb
Dificuldades sentidas e
pedidos...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Contributos para a Inclusão Digital dos Estudantes com Necessidades Educativas Especiais no Ensino Superior: Um Estudo Exploratório

297 visualizações

Publicada em

Powerpoint on an exploratory study for a Thesis investigation.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
297
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Contributos para a Inclusão Digital dos Estudantes com Necessidades Educativas Especiais no Ensino Superior: Um Estudo Exploratório

  1. 1. Contributos para a Inclusão Digital dos Estudantes Com Necessidades Educativas no Ensino Superior: Um Estudo Exploratório Marina Moleirinho Dissertação orientada por Doutora Sofia Malheiro e co-orientada por Professora Doutora Lina Morgado. 2013 Departamento de Educação e Ensino a Distância Mestrado em Pedagogia do Elearning
  2. 2. Introdução “La Web tiene una importancia en muchos aspectos de la vida: educación, empleo, gobierno, comercio, salud, entreteniemiento, participación activa en sociedad y muchos más. Es por ello que es esencial contar com una Web accesible, y en este caso específico ambientes de aprendizaje virtuales (e-Learning) accesibles, para proveer un acceso equitativo y oportunidad equilibrada a las personas con discapacidades.” (Hilera, 2010) 2
  3. 3. Enquadramento teórico “… essencial criar mudanças metodológicas e organizativas que respondam positivamente a alunos que apresentem dificuldades, gerando um ambiente educativo mais enriquecedor para todos os envolvidos no processo.” Ainscow, M. (1995) 3
  4. 4. Objetivos específicos  Conhecer as soluções/estratégias pedagógicas inclusivas desenvolvidas pelas Universidades Abertas em estudo, no âmbito do atendimento aos estudantes com NEE e/ou DA com recurso à tecnologia e ao EaD.  Contribuir para a construção de uma proposta de modelo pedagógico virtual para o atendimento aos estudantes com NEE e/ou DA no âmbito da Universidade Aberta portuguesa. 4
  5. 5. Grande questão da investigação Quais as realidades educativas a distância de um conjunto de Universidades Abertas europeias, face à resposta pedagógica oferecida aos estudantes com NEE e/ou DA? 5
  6. 6. Sub-questões da investigação • De que modo é que as Universidades Abertas, a nível europeu, estão a responder à especificidade dos estudantes com NEE e DA? • Que variáveis parecem surgir no atendimento aos estudantes com NEE e/ou DA no âmbito da especificidade da formação ministrada na Universidade Aberta, em Portugal? • Como é que os estudantes com NEE e/ou DA inscritos na UAb portuguesa veem e sentem a acessibilidade e a inclusão no decorrer do seu percurso académico? 6
  7. 7. Opções metodológicas Estudo de caso exploratório 7
  8. 8. No trilho das questões… 8
  9. 9. State of Art das Universidades Abertas europeias NEE e/ou DA - Politica e Legislação Educativa a nível superior Existência de politica e legislação especifica, mas compete às Universidades assegurar o percurso dos estudantes com NEE e/ou DA. Holanda - OUNL Chipre – OUC Existência de politica educativa e legislação especifica. Reino Unido – OUUK Espanha – UNED Existência de politica educativa e legislação especifica, mas só até a escolaridade obrigatória. Portugal – UAb Devido ao condicionamento do estudo não foi possível aferir. Grécia - HOU 9
  10. 10. Respondendo às questões… Quais as realidades educativas a distância de um conjunto de Universidades Abertas europeias, face à resposta pedagógica oferecida aos estudantes com NEE e/ou DA? Linhas orientadoras da investigação: A grande questão. 10
  11. 11. Estudantes com NEE e/ou DA em menor número. Incidência na NEE sensorial e na NEE motora. Esforço em criar equidade legislativa e acessibilidade física. Preocupação em assegurar e acompanhar o percurso de estudantes com NEE e/ou DA. (Re)criar medidas e estratégias que visem a realização plena de atividades educativas. Mais-valia na existência de departamento especializado em estudantes com NEE e/ou DA : Central no apoio dado ao estudante; Preserva o seu anonimato garantindo a entrada num sistema educativo superior mais equitativo e mais inclusivo. 11
  12. 12. Linhas orientadoras da investigação: A 1ª sub-questão De que modo é que as Universidades Abertas, a nível europeu, estão a responder à especificidade dos estudantes com NEE e DA? 12
  13. 13. Asseguram e viabilizam experiências em ambientes virtuais educativos. (existência e implementação do módulo de ambientação: mais valia) Atividades diferenciadas, com recursos, adaptações e formatos alternativos. [ maior diversidade em formatos de conteúdos] (acessibilidade e inclusão) Procuram criar respostas prevento-formativas. ( Implementação de workshops, sessões de formação) Fórum (ferramenta mais utilizada para comunicar) 13
  14. 14.  Acessibilidade espácio-temporal (modalidade e-learning);  Variabilidade nos materiais didático-pedagógicos (recursos em formato multimédia);  Experiência de gestão flexível dos processos de ensino aprendizagem por parte do corpo docente;  Existência do Projeto Acessibilidades;  Taxas de sucesso de estudantes com NEE e/ou DA nos cursos; conjunto de boas práticas de inclusão visíveis nas práticas de processo formativo e no sucesso alcançado em produtos de aprendizagem conseguidos. Linhas orientadoras da investigação: A 2ª sub-questão Que variáveis parecem surgir no atendimento aos estudantes com NEE e/ou DA no âmbito da especificidade da formação ministrada na Universidade Aberta, em Portugal? 14
  15. 15. Linhas orientadoras da investigação: A 3ª sub-questão. Como é que os estudantes com NEE e/ou DA inscritos na UAb portuguesa veem e sentem a acessibilidade e a inclusão no decorrer do seu percurso académico? Projeto Acessibilidades  “ponto de encontro e de entreajuda entre todos os estudantes”, dizendo que “[querem] congratular a equipa do projeto acessibilidades (…) por qualquer iniciativa que promova a acessibilidade”, e agradecem a todos os que “possibilitaram a concretização do […] sonho”  [desabafam depois] apesar de entregarem os comprovativos sobre a “deficiência” de que são portadores, “não são contatados”, nem “questionados sobre as [suas] necessidades”, [e enfrentam] o sentimento de “abandono”. 15
  16. 16. Outros aspetos a ponderar segundo os estudantes da UAb com NEE e/ou DA  situações em que os “ficheiros em formato PDF” devem ser “convertidos noutros de texto”;  alterações em P-fólios, a fim de ultrapassar “dificuldades sentidas” e garantir maior sentido de equidade;  incompatibilidade ao nível de acessibilidades em locais de exame, duração destes, e questões de logística como “mesas um pouco mais altas para a cadeira de rodas entrar por baixo, bem como PC’s com acessibilidade digital.”  o P. A. é muito importante, mas deveria constar na página inicial da UAb ou encontrar-se após aceder ao ícone das acessibilidades e esclarecer futuros estudantes com NEE e/ou DA, sobre a forma como os pode auxiliar. 16
  17. 17.  Modelo Pedagógico da dá resposta aos estudantes com NEE e/ou DA; disponibiliza flexibilidade de tempo e de espaço;  possui uma tipologia de ensino centrada no estudante. Contudo há ainda metas a atingir: • a ausência de um enquadramento legal; • ausência de um departamento que se encarregue destes estudantes e que lhes ilumine o caminho; • a necessidade de formação atualizada de docentes, técnicos e tutores; • a promoção de adaptações tecnológicas. 17
  18. 18. Reflexões finais Ícone das acessibilidades sempre ativo; Projeto de Formação de Docentes Especializado em atendimento à diversidade; Investimento na Área dos Conteúdos em Multi-formatos; Vantajoso: melhorar as acessibilidades e os conteúdos em formatos alternativos para garantir uma multiplicidade destes ao dispôr. Apoio financeiro a estudantes com NEE e/ou DA; Criação de um Roteiro de Inclusão Pedagógica; Existência de 3 primados focados na questão da Inclusão e da Acessibilidade. 18
  19. 19. Reflexões finais – Os 3 primados para a Inclusão e a Acessibilidade 19
  20. 20. “De que serve viver senão tornarmos a vida menos difícil aos outros?” (George Eliot, 1819-1880) Photos by Miguel Dias 20
  21. 21. 21
  22. 22. 22
  23. 23. Procedimentos para a recolha de dados: 1ª fase • elaboração de guiões de questionários para as Universidades Abertas, sua disponibilização online, cruzamento e respetiva análise de dados; 2ª fase • criação de novos questionários para estudantes com NEE e/ou DA da UAb, cruzamento de dados e análise de dados; 3ª fase • elaboração de um guião de entrevista semi estruturada e sua aplicação a um membro do Projeto Acessibilidades (P. A.) da UAb, análise de conteúdo e cruzamento de dados; 4ª fase • acesso ao Fórum do P. A., análise de conteúdo das intervenções dos estudantes com NEE e/ou DA em fórum assíncrono de discussão. 23
  24. 24. 1ª Fase: Categorização das NEE e/ou DA de acordo com NEE existentes Categorias das NEE NEE social NEE cognitivo NEE comunicativo NEE motor NEE sensorial Autismo Deficiência Cognitiva/ Neurológica Deficiência ao nível do discurso; Dislexia Deficiência Física Deficiência Auditiva; Deficiência Visual 24
  25. 25. 25 OUUK Motor – 20,7% Cognitivo – 22,7% Sensorial – 26,6% Social – 2,4% Comunicativo – 27,6%
  26. 26. Tratamento e interpretação de dados: Q1 e Q2 Disponibilização online (Googledocs) Tabelas Excel Gráficos Excel Análise e categorização Entrevista semi estruturada Análise de conteúdo Categorização (metacategoria, categoria, subcategoria e indicadores) Análise de intervenções no Fórum do PA Análise de conteúdo Categorização (metacategoria, categoria, subcategoria e indicadores) Tabelas Excel Transparência, objetividade, rigor, análise e interpretação. 26
  27. 27. 1ª Fase: Apresentação, análise e interpretação de dados (Excel) Universidades Abertas (Dados 2010 – 2012) Estudantes inscritos e a frequentar Estudantes com NEE e/ou DA (Género) Hellenic Open University Greece ± 25.000 < 250 Universidade Aberta Portugal ± 10.000 < 250 Universidad Nacional de Educación a Distancia Spain < 250.000 ± 13.500 Open Universiteit The Netherlands ± 20. 000 501 - 750 (625 = valor médio) Open University of Cyprus Cyprus < 5.000 < 250 Open University United Kingdom Não foi revelado Devido ao condicionamento do estudo não foi possível obter dados 27
  28. 28. 1ª Fase: Caraterização do regime EaD e experiências em AVA Caraterização do regime EaD Modelo de EaD LMS HOU, UAb, OUNL, OUC,– E-Learning OUUK, UAb e OUC – Moodle UNED – B-Learning UNED – dot LRN OUNL - Blackboard Universidades Abertas Conteúdos Conteúdos existentes Formatos alternativos Ferramentas UAb Textual Textual Vídeo Textual UNED Áudio; Língua gestual; Vídeo; Textual Elementos gráficos sem descrições; Áudio; Língua gestual; Vídeo; Textual A utilizar todos: Áudio; Língua gestual; Vídeo; textual Áudio; Língua gestual; Vídeo; Textual OUNL Textual Áudio; Vídeo; Textual Áudio; Vídeo; Textual Textos; Testes; GráficosOUC Áudio, Vídeo, Textual 28
  29. 29. 1ª Fase: Outros aspetos relevantes Avaliação Todos os estudantes são submetidos a avaliação. HOU e OUC – não há adaptações; UAb, UNED, OUNL – mais tempo na realização de exames e na entrega de trabalhos. Caraterização das Universidades Abertas quanto à inclusão - Todas possuem arquitetura inclusiva. OUNL – 25% do curso componente presencial. UAb – realização de provas presencial. Ajuda financeira HOU e UAb – não possuem; UNED – possui; OUNL – possui [o rendimento no ato da inscrição] OUUK – possui [a legislação e politica de apoio educativo] Formação de professores, tutores, técnicos HOU, UAb, OUC – não possuem formação especial UNED – sim [condicionamento do estudo ausência de dados] OUNL – sim (Workshops e Online Training Tutorials] Reflexão - presença de estudantes com NEE e/ou DA muito significativa (reforço do propósito de uma educação inclusiva no EaD 29
  30. 30. 2ª Fase: Apresentação, análise e interpretação de dados (Excel) 0.0 50.0 100.0 Estudantes inscritos Estudantes com NEE e/ou DA 42.8 57.8 Universidade Aberta, Portugal, percentagem de estudantes inscritos sem e com NEE. e/ou DA. Dos 21 estudantes da UAb que participaram no Q2 verificou-se que: 30
  31. 31. 2ª Fase: Porquê a UAb? 13.6 27.3 18.2 18.2 9.1 13.6 0 10 20 30 Facilidades na gestão geográfica Facilidades na gestão do tempo Flexibilidade proporcionada considerando vida profissional e pessoal Impossibilidades de frequentar um curso presencial devido a barreiras arquitétonicas Falta de materiais ou adaptações adequadas às minhas necessidades no ensino presencial Outro Motivos dos Estudantes com NEE e/ou DA no momento da escolha da Universidade Aberta e do Modelo EaD 31
  32. 32. 2ª Fase: Estudantes com NEE e/ou DA na UAb 0.0 5.0 10.0 15.0 20.0 25.0 30.0 35.0 40.0 Dificuldade na assimilação dos conteúdos leccionados Daltonismo Problema auditivo Problema cognitivo/ neurológico Problema motor Problema visual 6.7 6.7 6.7 13.3 40.0 26.7 NEE e/ou DA existentes na UAb segundo os estudantes com NEE e/ou DA. 32
  33. 33. 2ª Fase: Existência e validação de um Departamento de apoio a estudantes com NEE e/ou DA 0.0 10.0 20.0 30.0 40.0 50.0 sim sim e uso não não sei 8.3 25.0 41.7 25.0 Respostas dos estudantes quando questionados sobre a existência de um departamento especializado NEE e/ou DA 0.0 20.0 40.0 60.0 80.0 sim não 80.0 20.0 O departamento tem estado presente facultando materiais atualizados, adequados e necessários 33
  34. 34. 2ª Fase: Conteúdos e produtos de apoio mais utilizados  Produtos de apoio mais utilizados: Rato adaptado; Sistema de voz Jall; Leitor de ecrã; Linha Braille OCR (reconhecimento ótico de carateres) 0.0 20.0 40.0 áudio formato PDF textos script video 26.7 6.7 26.7 40 Conteúdos mais utilizados de acordo com as respostas dos estudantes com NEE e/ou DA 34
  35. 35. 2ª Fase: Atividades mais inclusivas e ferramentas mais utilizadas para comunicar textos 14% testes 14% ficheiros digitais 4% resumos 9% resolução de casos 14% jogos e simulações 18% discussões nos fóruns 18% trabalho de grupo 9% Atividades mais inclusivas segundo os estudantes NEE e/ou DA 43% 48% 9% Ferramentas mais utilizadas para comunicar segundo os estudantes com NEE e/ ou DA. Forúns email chats 35
  36. 36. 2ª Fase: NEE e/ ou DA Critérios inerentes à avaliação mais tempo disponibilizado o mesmo prazo que os colegas tempo de realização de testes e frequências diferente realização de testes em formato eletrónico não se aplica mais tempo disponibilizado Daltonismo 1 NEE Auditivo 1 NEE cognitivo/neurológico 5 NEE motor 1 5 1 1 1 NEE visual 1 2 1 2 1 NEE e/ou DA na assimilação dos conteúdos 1 Total 2 14 2 3 1 2 36
  37. 37. 2ª Fase: UAb em termos inclusivos A melhorar:  Inovações ao nível do software;  Tutor mais presente;  Bolsa de estudo para estudantes deficientes;  Melhor acessibilidade aos manuais necessários;  Legendagem nos recursos de vídeo;  Mais e melhores recursos eletrónicos adaptados às necessidades presentes. 10 25 15 25 10 5 5 5 0 5 10 15 20 25 30 <25% presencial recursos educacionais disponiveis em áudio e outros arquitetura inclusiva hardware e software inclusivo exames adaptados para escolha multipla materiais em Braille não se aplica nenhum dos indicados Opiniões dos Estudantes com NEE e/ou DA, considerando o fator inclusão, no que respeita a deslocações à Universidade Aberta 37
  38. 38. 3ª Fase: Apresentação, análise e interpretação de dados. Entrevista semi estruturada a um membro do Projeto Acessibilidades (P. A.) Tipologia de guião flexível adaptado Recolha de dados qualitativa. Análise: grelha de categorização (metacategoria  categoria subcategoria  indicadores P . A . Plataforma (espaço de partilha e de entreajuda) “ato da inscrição (…) os estudantes indicam se têm ou não alguma limitação (…). A lista dos estudantes é depois fornecida ao projeto (…) que mediante o assentimento destes, [os inscreve] no espaço do projeto.” (…) ;“(…) muito há ainda a fazer(…)” 38
  39. 39. 4ª Fase: Apresentação, análise e interpretação de dados Intervenções no Fórum do Projeto Acessibilidades da UAb Intervenções de cariz informal  Presença Social (partilha, colaboração, entreajuda) 31 intervenções relacionadas com o conteúdo do objeto do estudo Categorização [Metacategoria, categoria, subcategoria e indicadores] Análise e interpretação de dados [Excel] 39
  40. 40. 4ª Fase: Fórum P. A. – Análise e interpretação de dados • EaD na UAb “mais valia” potencializa “ (…)o acesso a pessoas com diversas dificuldades e, seguramente que na sua grande maioria não passa por portadores de deficiência física (…)” ; • Acessibilidades – Portal académico da UAb “bastante aceitável”, mas há dificuldades nos acessos a algumas ferramentas (fóruns); • Dificuldades ou handicaps sensoriais e motoras mais abundantes; “espaço para dialogar” Divulgar o que a UAb pode oferecer Organizar e harmonizar “espaço ´[de dialogo] no Moodle Trocar informações 40
  41. 41. 4ª Fase: Fórum do P. A. - Memorando Memorando do P. A. sugestões sobre o que existe na UAb Dificuldades sentidas e pedidos de ajuda Partilha de informações Elementos do P. A. e estudantes inscritos no espaço OBJETIVO: • objetivo apontar rotinas de funcionamento da UAb; • facilitar a frequência das Unidades Curriculares, • conselhos a transmitir conselhos a coordenadores de curso e docentes com estudantes com NEE e/ou DA. 41

×