Ec 23.05 corrigido

299 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
299
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
18
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ec 23.05 corrigido

  1. 1. ECONOMIA POLÍTICA AULA DIA 23/05/2011 POPULAÇÃO ECONOMICAMENTE ATIVAMão de obra disponível para o mercado: na PEA, existem aqueles que estão plenamenteempregados ou subempregados e aqueles que estão desempregados (com as condiçõesde estarem nessa situação por, no máximo, um ano e de estarem buscando trabalho). POPULAÇÃO ECONOMICAMENTE INATIVAa) Trabalhadores Desalentados: estudantes por exemplo.b) Rentistas (vivem de rendas, não trabalham)c) Incapacitados: inválidos, idosos...O IBGE tem critérios para estabelecer os tipos de desempregados. Aqueles chamadosdesalentados participam da PEI, pois não estão mais buscando emprego.CAPACIDADE PARA TRABALHAR: aptidão para a prática dos atos da vida civil.A partir dos 14 anos: aprendizDos 16 aos 18 anos: relativamente capazA partir dos 18 anos: capazTAXA NORMAL DE DESEMPREGO é tomada por uma média plurianual e é diferente emcada país. Já a TAXA DE DESEMPREGO, é aquela que oscila sobre a normal. Em regra,comparando mesmos períodos de tempo, os países europeus têm uma taxa normal dedesemprego maior do que a dos EUA. Em compensação, os americanos têm cerca de 2%da PEA presa, na cadeia, sendo que mais de 80% desses 2% são negros.Uma das grandes reinvindicações na Espanha é a questão da taxa de desemprego de20%. A média da taxa normal de desemprego da Espanha é de mais de 10%.DESEMPREGO CONJUNTURAL: oscilações normais do mercado que levam à dispensa ou àcontratação de trabalhadores. São as crises econômicas passageiras, ou seja, nãoacarretam a desestruturação da malha produtiva.DESEMPREGO ESTRUTURAL: Quando há grandes mudanças no mercado de trabalho asquais eliminam totalmente os postos de trabalho. A mecanização, no início da RevoluçãoIndustrial, foi a causa do desemprego estrutural que ocorreu na época.Exemplos: bancários e tipógrafos.Às vezes, este desemprego acontece também por culpa dos modismos. Caso o produto devárias empresas deixem de ser usados por terem saído de moda.
  2. 2. DESEMPREGO FRICCIONAL: Resultante natural da rotatividade da mão de obra. Aspessoas saem de seus empregos ou porque foram despedidas por justa causa, ou porqueestão buscando melhores trabalhos...Graças ao desemprego friccional, nunca a taxa de desemprego é igual à zero. Um paíscom pleno emprego terá desemprego de 3, 4%. A quantidade de parcelas rescisórias estádiretamente ligada ao desemprego friccional.A legislação trabalhista é um fator que influi na taxa de desemprego porque se umalegislação diz que o seguro desemprego é de 3mil, o desempregado vai procurar empregomais rapidamente do que aquele cujo seguro desemprego garantido por sua legislação émaior.Prova de Economia: dia 22/06De todos os indicadores econômicos, o mais complexo é o de desemprego.É importante estudá-lo porque o índice de desemprego é o mais confiável meio de sesaber para onde aponta a economia.O que faz uma empresa contratar, ou não, é a produtividade do trabalhador, e o lucro queele pode trazer. Não será uma reforma trabalhista que aumentará as contratações pelasempresas, mas é evidente que uma legislação do trabalho é essencial.Depois que uma empresa despede empregados, é difícil reconquistá-los, pois eles buscama concorrência.PAPEL DE NEGOCIAÇÃO COLETIVA: Atomiza as leis e aumenta a massa salarial, ou seja,aumenta a distribuição de renda via salário. Cada categoria tenta negociar para mais a suamassa salarial, que tende a ser maior do que o salário mínimo; e, não, igual.No mercado de trabalho, as posições normais da lei da oferta e da procura se invertem,pois a oferta é mais atomizada, e a demanda, mais concentrada. Contudo, as leiscontinuam seguindo as mesmas características.SALÁRIO DE EQUILÍBRIO: ponto de encontro das curvas de demanda e de oferta nomercado de trabalho. Ele é dado pelas forças do mercado. Entretanto, o mercado detrabalho é particularmente sensível às reinvindicações, às revoluções e às demandassociais. A lei da oferta e da procura determina os salários, agora, se houver greve (que éum fato; e, não, um direito) "não trabalhamos por menos de um salário X", e esta forforte o suficiente para prevalecer, o salário mudará.REAÇÃO À GREVE: Num primeiro momento, o Estado tem uma atitude repressiva.Quando o Estado impõe um salário mínimo (que deve ser fixado anualmente), issosignifica que todos aqueles salários que estão abaixo do mínimo estabelecido são ilegais.
  3. 3. Dessa forma, o Estado aplica sanções aos empregadores que descumprem a lei.O salário mínimo, por política, deve ter elevações acima da inflação.CRÍTICA LIBERAL À POLÍTICA DE SALÁRIO MÍNIMO E À DE NEGOCIAÇÃO COLETIVA: elaafirma que, ao aumentar os salários dos trabalhadores não qualificados, a legislaçãoaumenta a quantidade oferecida de trabalho e reduz a quantidade demandada. Ou seja,mais pessoas se dispõem a trabalhar e menos empresas se dispõem a contratar. Aconsequência disso é que os excessos de oferta de trabalho geram desemprego. Emsuma, quando os sindicatos elevam os salários, via greve e negociação coletiva, ocorre umaumento da oferta de trabalho e uma redução da demanda, o que resulta emdesemprego.Complemento: Essas políticas, ao invés de protegerem os trabalhadores, acabam, emmédio prazo, eliminando postos de trabalho. Isso gera “supertrabalhadores cheios dedireitos” e trabalhadores que não conseguem se qualificar para entrar no mercado detrabalho formal e ficam à margem deste. Isso significa que essas políticas geramdesemprego quando não há simultânea elevação da renda das empresas. Em época decrise, os críticos liberais estão corretos, pois, se tu não tens de onde tirar, não podes dar.TEORIA DO SALÁRIO EFICIÊNCIA: Certas empresas consideram lucrativo pagar saláriossuperiores ao de equilíbrio do mercado. Salários mais altos podem melhorar a saúdedos trabalhadores (estes se alimentam mais e faltam menos...), reduzir a rotatividadede mão de obra (diminuição dos custos de treinamento), aumentar o esforço dostrabalhadores (estímulo e satisfação) e aumentar a qualidade do resultado do trabalho.Num primeiro momento, a empresa precisa fazer um esforço maior para pagar mais aostrabalhadores (mais gastos com mão de obra). Entretanto, se esta visão for também a deoutras empresas, o aumento da massa salarial levará a um aumento de consumo que,por sua vez, gerará mais demanda de produtos e de produção. Consequentemente, esseprocesso aumentará o lucro da empresa (ciclo virtuoso).

×