Criação de bezerras em sistemas leiteiros

3.986 visualizações

Publicada em

Seminário II

Publicada em: Educação
2 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.986
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
13
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
238
Comentários
2
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Criação de bezerras em sistemas leiteiros

  1. 1. Compreender a importância da criação de bezerras em rebanhos leiteiros, com foco na nutrição  Gestação - Pré-parto - Parto - Pós-parto  Dados zootécnicos  Práticas com a bezerra  Instalação  Nutrição
  2. 2. GESTAÇÃO PRÉ-PARTO PARTO PÓS-PARTO
  3. 3. Nutrição Bem-estar Profilaxia
  4. 4. Limpeza - instintiva/ humana Cura do umbigo Ingestão de colostro Aleitamento
  5. 5. DADOS ZOOTÉCNICOS
  6. 6. Facilita o manejo E a aplicação do melhoramento Anotar : 1. Data do nascimento 2. Sexo/ Nome/ Número 3. Peso ao nascer 4. Paternidade 5. Raça/ Grupo genético
  7. 7. PRÁTICAS COM A BEZERRA
  8. 8. 1. Número (nome) 2. Nome do pai ou da mãe
  9. 9. Supranumerárias Devem ser cortadas na 1º semana de vida Evita problemas mastite Cicatrização futuros com
  10. 10. Recomendada até os 30 dias de vida Facilita o manejo na propriedade Ocupa menos espaço nos cochos Evita acidentes com outros animais
  11. 11. INSTALAÇÃO
  12. 12. Coletivos/ Individuais Limpos/ secos/ desinfetados Bem-estar Pastagem Concentrado Água
  13. 13. NUTRIÇÃO
  14. 14. Água: 70-80% do conteúdo corporal  Termorregulador corporal  Maior componente sanguíneo  Melhora a ingestão de alimentos  Responsável pelo transporte dos nutrientes  Auxilia o processo de digestão
  15. 15. Impacto da disponibilidade de água sobre o desempenho de bezerras: Consumo médio (kg/dia) Consumo de concentrado (kg/dia) Dias em diarréia Água à vontade 0,308 Sem água 0,421 0,292 4,5 5,4 Fonte: kertz et al. (1984) 0,180
  16. 16. Função Depende:  Raça  Volume  Histórico de doenças  Calendário profilático  Estação do ano - parto Tipos de avaliação:  Visual  Colostrômetro  Kits comerciais
  17. 17. Estudo realizado em Minas Gerais, avaliando qualidade de colostro em 496 animais da raça Pardo Suíço, durante 5 anos: Número de animais 59 Animais (%) 12 Imunoglobulinas 288 58 21 a 50 mg/ml² 149 30 >51 mg/ml³ ¹Pobre; ²Moderado; ³Excelente Fonte: adaptado de Coelho (2009) <20 mg/ml¹
  18. 18. Fonte: Lopes (2011)
  19. 19. Tempo e qualidade  Sítios de absorção  Colonização do intestino por bactérias Fonte: Embrapa (2012)
  20. 20. Composição do colostro dos animais da raça holandesa: Fonte: Coelho (2009) adaptado de Folley (1978)
  21. 21. Fonte: Lopes (2011)
  22. 22. Composição do colostro através do tempo transcorrido: Fonte: Heng, 1999
  23. 23. Consumo de primeiras 12 colostro horas de durante vida as e a mortalidade de bezerras entre 0 e 6 meses Volume ingerido (litros) 0,9 a 1,8 Número de rebanhos 18 Média de mortalidade (%) 15,3 2,8 a 3,7 16 9,9 3,7 a 4,7 26 6,5 Fonte: Lopes (2011)
  24. 24. Ilustração da quantidade de colostro produzida, em um universo de 111 vacas da raça holandesa, com produção média de 5,8kg na primeira ordenha: Fonte: Santos (2012)
  25. 25. Dieta líquida: Aleitamento Natural Artificial
  26. 26. Vantagens do aleitamento artificial:  Racionalização do manejo, separando as bezerras das vacas  Controle da quantidade de leite ingerida  Ordenha mais higiênica  Diminuição da incidência de doenças  Controle de custos na fase de cria Usar:  Leite integral  Sucedâneo  Alternativos
  27. 27. Concentração de nutrientes recomendada para sucedâneos de leite: ¹Mínimo 15% em climas quentes e 20% em frios; ²Unidades Internacionais; ³200UI/kg estimula o sistema imune Fonte: NCR (1989)
  28. 28. Peso vivo (PV), ganho de peso (GP), altura na cernelha (AC) e perímetro torácico (PT) de terneiros Holandês preto e branco, de acordo com duas dietas líquidas, dois tipos de concentrado e o sexo, e os respectivos coeficientes de variação (CV) a,b: média dos fatores seguidas de letras distintas na mesma linha diferem pelo teste de Tuckey (P>0,05) Fonte: Medina et al (2002)
  29. 29. Ganho médio diário de bezerros mestiços tratados com colostro fermentado, associado ou não ao promotor de crescimento Letras maiúsculas iguais na mesma linha e minúsculas na mesma coluna são diferentes pelo teste F (P>0,05) Aumento de 44,23% na ingestão de concentrado Fonte: Mancio et al. (2005) Aumento de 132% na ingestão de concentrado
  30. 30. Dieta sólida: Concentrado Volumoso
  31. 31.  pré-ruminante  volumoso + concentrado  ác. graxos voláteis  epitélio ruminal  ruminante Efeito físico e químico
  32. 32. Parâmetros: 1. Peso 2. Idade 3. Consumo de concentrado
  33. 33.  O sucesso da produção leiteira depende de fatores que iniciam com os cuidados com a vaca  Atentar para o período pré-parto, parto e pós-parto, necessário agindo quando apenas  Realizar todos os procedimentos essenciais ao recém nascido, melhorando condições de vida e bem-estar as  E, cuidar minuciosamente da nutrição das bezerras, desde a colostragem até as condições ideais de ruminante
  34. 34.  Campos, O.; Prata, M.; Ribeiro, A. Fases críticas na criação de bezerras. Embrapa leite.  Coelho, S. G. Criação de bezerros. UFMG, 2009.  Marra, A. E.; Costa, H. Aleitamento de bezerras - O mito dos 4 litros de leite. Rehagro, 2009.  Oliveira, A. A.; Azevedo, H. C.; de Melo, C. B. Criação de bezerras em sistemas de produção de leite. Embrapa Circular técnica 38, 2005.  Savastano, S. A. A. L. Criação de bezerros. Dextru - Divisão de extensão rural, 2000.  Vieira, R. N. F. Instalações para criação de bezerros em aleitamento. Rehagro, 2008.
  35. 35. OBRIGADA!

×