Projeto circo blog

15.644 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
15.644
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
915
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
162
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projeto circo blog

  1. 1. Maria Virgínia Rietra Marzano PROJETO “O CIRCO” Escolinha do Faz-de-Conta Orlândia – SP 2012
  2. 2. Apresentação O Projeto “O Circo” foi desenvolvido no primeiro semestre do ano letivo de 2012, na Escolinha do Faz-de-Conta, com as crianças do grupo III (idades entre 4-5 anos) e grupo II (idades entre 3-4 anos), nas aulas de Música. O circo e os artistas que lá atuam, oferecem inúmeras possibilidades para desenvolvermos atividades como: histórias, parlendas, cantigas, apreciação musical, movimento corporal, instrumentos musicais e criação musical. O tema, além de muito rico, faz parte da vida das crianças, que se encantam com os palhaços, as bailarinas, os mágicos, domadores e malabaristas. A arte circense é universal. Segundo Del Ben existem várias formas de organizar o ensino de música na escola: partir de uma listagem de conteúdos que queremos abordar, propondo atividades com seus respectivos objetivos; definir primeiramente os objetivos da aprendizagem, para em seguida planejar e desenvolver um conjunto de atividades, ou, ainda, definir eixos que deverão nortear as ações do professor e dos alunos. Outra maneira seria a aprendizagem baseada em projetos pedagógicos. A autora defende esta forma de organização de ensino, afirmando: “trata-se, isto sim, de buscar abordagens que permitam aproximar a escola e a vida, em que se ensine e se aprenda pelas experiências proporcionadas pelos problemas criados, pela ação desencadeadora.” (DEL BEN, 2011, p.26). Desenvolver um projeto é uma forma de articular saberes escolares com saberes sociais, fazendo com que o aluno compreenda o valor do que está aprendendo, através de temáticas significativas do universo cultural das crianças da escola. Objetivos - proporcionar conhecimento musical; - vivenciar, através de músicas, histórias e brincadeiras, as atividades do circo; - estimular a percepção auditiva e a descoberta de novas possibilidades de produzir sons; - proporcionar experiências de movimento e expressão corporal, coordenação motora e integração das crianças.
  3. 3. Conteúdos e Orientações Gerais - Histórias e vídeos sobre o circo; - Canções e parlendas; - Apreciação musical; - Movimento e expressão corporal; - Instrumentos musicais; - Construção de instrumentos e objetos sonoros; - Exploração de diferentes materiais para produção de som; - Percussão corporal. Público Alvo – crianças com idades entre 3 – 6 anos. Duração – Primeira Etapa: 3 meses. As aulas de música aconteceram duas vezes por semana, com duração de 50 minutos cada. Segunda Etapa: 1 mês.
  4. 4. Síntese e Contextualização de Livros, CDs e DVDs Livros:  A Risada do Biriba – Isabel Botelho. Editora Scipione – 2012.  Brincando no Circo – Eloisa Poncio. Editora do Brasil – 1996.  O Circo Cheio de Lua – Memélia de Carvalho. Editora Abril – 1982.  O Macaquinho Equilibrista e Palhaço – Laura Teixeira. Bolsa Nacional do Livro.  Linda Avestruz, uma Bailarina Maravilhosa – Bolsa Nacional do Livro.  A Foca Famosa – Sonia Junqueira. Editora Ática – 2007.  A Orquestra Tintim por Tintim – Liane Hentschke, Susana Kruger, Luciana Del bem e Elisa da Silva e Cunha. Editora Moderna. 2005. Livros de Canções: Coralito e Dia de Festa – Thelma Chan. Editora Fermata. CDs: Festival Infantil 1 – Coleção Disquinho. 1963. Circo – Parlapatões – Gravadora Atração. 1998. Adriana Partimpim – Gravadora Sony. 2004. Casa de Brinquedos – Gravadora Universal. 1983. A Arca de Noé – Vinícius de Moraes. Gravadora Universal. 1980. Poemas Musicais – Cecília Cavalieri França. Editora Sonhos & Sons. Corpo do Som – Barbatuques. 2002. DVDs: Dumbo. Edição Especial – Disney. O Palhaço – Selton Mello. 2010.
  5. 5. JUSTIFICATIVA O trabalho com música na Educação Infantil é muito bem recebido pelas crianças e constitui “um excelente meio para o desenvolvimento da expressão, do equilíbrio, da autoestima e autoconhecimento, além de poderoso meio de integração social” (RCN para Educação Infantil, 1998). A música faz parte do dia a dia das crianças e elas naturalmente se envolvem com os sons, prestando atenção a tudo ao seu redor, movimentando-se, dançando, cantando e brincando com a música. Atividades dirigidas para esta faixa etária podem levar a uma ampliação dos modos de expressão, ajudando a crianças nas conquistas vocais e corporais. Além disso, as atividades musicais são fundamentais para aumentar os vínculos afetivos e a necessidade de contato corporal das crianças. Ainda, segundo o Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil, as crianças “podem articular e entoar um maior número de sons, inclusive os da língua materna, reproduzindo letras simples, refrões, onomatopeias, etc., explorando gestos sonoros como bater palmas, pernas e pés, especialmente depois de conquistada a marcha, a capacidade de correr, pular e movimentar-se acompanhando a música.”
  6. 6. Proposta Musical 1 Conhecendo o Circo 1.1 Histórias: O livro “O Circo Cheio de Lua” da coleção TABA foi escolhido para introduzir o tema para as crianças. Como moramos em uma cidade pequena, pudemos conversar sobre as diferenças entre cidades grandes e pequenas. Ainda temos o costume, nas noites quentes, de colocarmos cadeiras nas calçadas para conversarmos com os vizinhos, enquanto as crianças brincam na rua. Esta história favoreceu uma troca muito grande de saberes e experiências. É comum, pelo menos uma vez por ano, um circo visitar nossa cidade. Apesar de serem circos bem simples, muitos pais levam seus filhos para assistirem os espetáculos. Pude verificar nas nossas conversas que algumas crianças já tinham ido à um circo. Alguns alunos assistiram espetáculos de grandes circos, como o Cirque du Soleil, por exemplo. As histórias, neste projeto, foram usadas principalmente para introduzir o tema de cada aula, reunindo as crianças na roda e provocando o diálogo. A partir de cada história foram propostas atividades diferenciadas como: canções, apreciação musical, atividades de aquecimento e sonorização. Após a leitura do livro “ A Risada do Biriba” aprendemos a cantar “Palhaçada” de Thelma Chan. O livro “O Macaquinho Equilibrista e Palhaço” serviu como introdução para exercícios de coordenação e equilíbrio motor, tendo como trilha sonora a música “Piruetas” de Chico Buarque. Para falar da bailarina trouxe o livro “Linda Avestruz, uma Bailarina Maravilhosa”. A história “A Foca Famosa” introduziu as brincadeiras com bolas e a apreciação musical da faixa “A Foca” do CD “A Arca de Noé”. 1.2 Canções: Ao cantar uma canção, imprimimos sobre os alunos uma dada estrutura de tempos, tons e qualidades vocais. O aluno está envolvido em atividades que trabalham aspectos rítmicos-motores, tonalidades e intervalos musicais. O aluno apropria-se da linguagem musical, contribuindo para sua formação geral. Cantamos várias músicas. Algumas delas vieram acompanhadas por palmas, movimentos corporais, brincadeiras de roda e dança. As crianças ficaram atentas e aprenderam rapidamente as letras das canções. Uma das canções que fizeram muito sucesso foi “O Palhaço e a Bailarina” de Cecília Cavalieri França. As crianças ouviram e cantaram. Propus duas atividades de interpretação da canção: primeiro, através de expressão corporal, eles deveriam sugerir gestos ou movimentos de dança que ilustrassem os sentimentos de alegria do palhaço e da tristeza da bailarina. Em seguida utilizamos instrumentos de percussão para sonorizar as mesmas emoções, buscando sons mais fracos e delicados para a bailarina e alegres e fortes para o palhaço.
  7. 7. 1.3. Parlendas As Parlendas usam rimas e ritmos para estimular as brincadeiras e a memória. Neste projeto apresentei às crianças algumas parlendas e quadrinhas que falavam sobre o circo, o sol e a lua. “Hoje tem espetáculo” sugere um jogo de pergunta e resposta muito interessante. As crianças decoraram muito rápido e se divertiram com frases como: “e o palhaço o que é? É ladrão de mulher”. Ensinei também “Oi, Viva o Sol! Oi, Viva a Lua! Viva o palhaço no meio da rua”; “É hoje, só! Só, só! Vai acabar! Já, já! Aproveita macacada que amanhã não tem mais nada!” e “A Lua já vem saindo”. 1.4. Apreciação Musical Foram apresentadas várias músicas de compositores brasileiros e músicas feitas para o público infantil que falassem do circo. Do CD “Circo” dos Parlapatões escutamos “Hoje tem espetáculo?”, “O Circo”, “Piruetas”, “Tem Gato na Tuba”, “Dona Véia”, “Olê-lê, seu Tomás”, “Muito Bem” e “Na Carreira”. Ouvimos também “O Palhaço Ventania” da coleção Disquinho, de autoria de João de Barro e E. Magalhães, “A Ciranda da Bailarina” de Chico Buarque, “A Bailarina” de Toquinho e “A Foca” de Vinicius de Moraes. Algumas destas canções foram usadas no espetáculo do final de ano, onde as crianças dançaram e cantaram. Outras foram usadas em brincadeiras de aquecimento como “Dona Véia”. Ouvimos algumas músicas do CD ”Corpo do Som” do grupo Barbatuques, que enriqueceu nossas atividades de percussão corporal. As crianças dançaram muito e era comum que, logo após a primeira audição, elas pedissem que eu colocasse de novo a música. Segundo o RCN para Educação Infantil (1998, p. 64): “O trabalho com a apreciação musical deverá apresentar obras que despertem o desejo de ouvir e interagir, pois para essas crianças ouvir é, também, movimentar-se, já que as crianças percebem e expressam-se globalmente.” 1.5. Expressão Corporal e Movimento Andar sobre cordas esticadas no chão, andar sobre bancos de madeira, pular de um banquinho, passar dentro de bambolês, dar cambalhotas e fazer piruetas foram atividades que buscaram favorecer o equilíbrio, a coordenação motora, a força e a resistência muscular. Com a música “A Ciranda da Bailarina” fizemos uma atividade com lenços de pano. Todos andavam pela sala, brincando, jogando seus lenços para cima e apanhando-os no ar. A música “Bagadalá” da Thelma Chan serviu para fazermos a brincadeira de estátua. Na última frase “você fica assim...” todas as crianças viravam estátuas. Estátuas de bichos, super-heróis, personagens do circo, o que puderam imaginar. A música “Olê-lê, seu Tomás” sugere uma brincadeira de roda com rima e movimento. A brincadeira da “Dona Véia” foi muito bem recebida. A letra é engraçada, as crianças recitam e batem palmas, mas tem que ficar atentas para não errar no final. Muitas crianças erravam de propósito, pois, para elas, era bastante divertido ir para o meio da roda imitar a velha. 1.6. Vídeos Os grupos tiveram oportunidade de assistir o DVD “Dumbo” da Disney. Durante o período de realização da primeira fase do projeto assisti o filme “O Palhaço” de Selton Mello. Selecionei algumas cenas e assistimos juntos na escola. O filme fez o maior sucesso entre as crianças.
  8. 8. Proposta Musical 2 Percussão Corporal A ideia de inserir percussão corporal no projeto veio do CD “Circo” dos Parlapatões. Nas faixas 8 e 9 do CD os palhaços fazem sons com o corpo e tocam a Sinfonia do Cuspe. As crianças ouviram atentas. Fizemos uma atividade de exploração das possibilidades de sons que podemos fazer com nosso corpo. As crianças foram testando e mostrando que sons poderiam fazer com as mãos, os pés, a boca e até mesmo o nariz. Alguns alunos foram bastante criativos e sugeriram diferentes sons. Depois de alguns momentos de exploração livre, perguntei se era possível fazer música utilizando os sons corporais. Os alunos ficaram quietos e pensativos, até que um deles disse que gostava de acompanhar músicas batendo os pés. Aproveitei para levar uma gravação do grupo Barbatuques, a música “Peixinhos do Mar”, do CD “O Corpo do Som”. A receptividade das crianças me surpreendeu. Elas ouviram atentamente, pediram para repetir e dançaram, imitando os sons com alegria. Segundo Brito (2003, p. 127) “devemos ampliar o contato das crianças com produtos musicais diversos, o que exige disposição para escutar, pesquisar e ir além do que a mídia costuma oferecer.” A proposta seguinte foi selecionar alguns sons corporais e fazer uma composição, organizando-os para formar uma música. Fui anotando as ideias na lousa. Criamos uma sequência de sons, interpretamos a partitura escrita e conversamos sobre os resultados alcançados. Para os sons de palmas grafamos mãos, para batidas de pés grafamos sapatos, línguas para estalos de língua, bocas para vibração do lábio e até mesmo um cachorro, pois uma criança sugeriu um longo uivo. Aproveitei para explorar questões como intensidade do som e silêncio. Quando os sinais eram grandes o som ficava forte, se pequenos, fracos. Deixamos espaços vazios entre os grupos de sinais, o que representou a pausa. Fizemos também uma atividade de regência. Cada um deles foi até a lousa e regeu a música criada pelo grupo. Nesta hora pude perceber que eles valorizaram a experiência de estar frente aos colegas e dar ordens. Assim, alguns exploraram a partitura em ordem diversa, não a seguindo na sua linearidade. Outros introduziram mais pausas e exigiram o silêncio. Um menino se irritou quando notou que alguns colegas estavam conversando e não prestavam atenção nele. Aproveitei para discutir sobre a importância do saber respeitar quem está no comando, e de como era difícil estabelecer um aprendizado quando alguns alunos estavam dispersos, atrapalhando a aula.
  9. 9. Proposta Musical 3 Exploração de Sons e Construção de Instrumentos Ainda utilizando idéias do CD “Circo”, ouvimos parte da faixa 9, onde os palhaços resolvem produzir sons a partir de “trecos e cacarecos”. Pedimos que os alunos trouxessem de suas casas sucata: garrafas plásticas, tubos de papelão, copinhos, diferentes tipos de papel, tampinhas, tampas, caixinhas, caixas de ovos, etc. Levei alguns grãos e sementes, assim como tubos de conduite, barrinhas de ferro, baquetas e funis. Reunimos o material e deixei que eles os explorassem, produzindo sons de diferentes formas: soprando, batendo, raspando, construindo chocalhos ou balançando. Todos ficaram encantados com a “bagunça” permitida. Conversamos sobre os diferentes sons obtidos: quais eram fracos, fortes, agudos ou graves. Conversamos sobre os diferentes materiais e suas possibilidades sonoras. Propus a construção de três instrumentos: a trompa de conduite, o tambor de lata e o chocalho. Estes instrumentos foram usados na apresentação do teatro de final de ano, na música “Tem Gato na Tuba”, junto com os pratos de tampa de panela. Por sugestão da professora do grupo II, a professora Márica , construímos duas esculturas sonoras. Utilizamos um chapeleiro e uma cadeira para que os alunos pudessem montar a escultura, escolhendo objetos sonoros e colocando-os nos suportes. Estas esculturas ficaram expostas na entrada do teatro e puderam ser manipuladas por todos os convidados da apresentação de final do ano.
  10. 10. Proposta Musical 4 Conhecendo a Charanga Esta atividade foi bastante interessante e todos gostaram muito: conhecer a Charanga e reconhecer o som dos instrumentos musicais. Utilizando o CD “Circo”, ouvimos um trecho da faixa 3 onde os palhaços resolvem conhecer os instrumentos da charanga. Eles descobrem a clarineta, o trombone, a sanfona, a caixa clara, os pratos, a tuba e o trompete. Levei fotos destes instrumentos e o CD do livro “A Orquestra Tintim por Tintim”. Fizemos atividades de escuta e reconhecimento dos diferentes timbres dos instrumentos citados. Em seguida nós brincamos de descobrir qual instrumento estava tocando. As crianças ficaram muito atentas, pois tinham que ouvir o som, identificar o instrumento, buscar a foto e colocar no cartaz elaborado para a atividade. Esta atividade, junto com a atividade de construção de instrumentos nos incentivou a montar uma bandinha para a apresentação do final do ano, onde os alunos tocaram a música “Tem Gato na Tuba”.
  11. 11. RETOMADA DO PROJETO “CIRCO” FESTA DO FINAL DE ANO DA ESCOLA Após o término da primeira parte do projeto, que durou 3 meses (27/02 a 28/05/12), desenvolvi outras atividades nas aulas de Música. No entanto, na reunião de planejamento do segundo semestre, decidimos utilizar o tema Circo para o teatro de encerramento do ano em dezembro. Retornamos as atividades do Circo em novembro, agora envolvendo todos os grupos da escola, do maternal ao grupo III. O livro “A Risada de Biriba” foi adaptado pela professora Adriana Scannavez e transformou-se no texto do teatro. Fiquei responsável pela escolha do repertório e, junto às professoras, montamos as coreografias e participações das crianças no espetáculo. O “Tema Instrumental do Circo” ficou perfeito para acompanhar as crianças do Maternal I, que fantasiadas de elefantes e leões, brincaram com a domadora no palco. Na música “Piruetas” as crianças do Maternal II viraram equilibristas e malabaristas, andando na corda, nos bancos, pulando e dando cambalhotas. O Grupo I criou a coreografia da música “O Palhaço e a Bailarina”. A banda do circo voltou a ensaiar e, utilizando os instrumentos construídos no primeiro semestre, tocou “Tem Gato na Tuba”. O Grupo III participou atuando como as crianças da peça teatral e dançando “Muito Bem”. Este teatro foi muito especial. As crianças estavam muito empolgadas. Conhecedoras do tema, participaram ativamente do processo de criação e interpretação da peça. No saguão do teatro fizemos a exposição das esculturas sonoras e também dos personagens gigantes do circo. Estes gigantes foram elaborados pelas crianças do Grupo III sob a orientação da professora Sandra.
  12. 12. AVALIAÇÃO O Projeto Circo trouxe muitas possibilidades de brincadeiras, músicas e atividades para as crianças. Refletindo sobre os resultados, acredito que consegui alcançar meus objetivos, pois houve um grande envolvimento dos alunos com as atividades, além de um aprendizado efetivo. Este aprendizado ficou registrado principalmente na atividade que realizamos com sons corporais, nas atividades de construção de instrumentos e da escultura sonora, no teatro do final de ano e na última atividade do projeto, que descrevo a seguir. Confeccionei um circo, com tiras de EVA. Atrás de cada tira eu colei um desenho de algum artista do circo. A brincadeira foi muito animada. Dividi a classe em três grupos, cada um de uma cor. Um grupo por vez tinha que virar um tira do circo e, a partir do desenho descoberto, falar sobre o que tínhamos conversado durante as aulas de música. Eles poderiam cantar uma música, falar um verso ou lembrar uma história. O grupo que acertasse ganhava um ponto. Esta brincadeira foi importante, pois tivemos a oportunidade de lembrar todo o conteúdo visto, além de avaliar o que os alunos aprenderam, do que mais gostaram, o que ficou vivo nas suas memórias. Deu para notar que algumas crianças se destacam, mostrando maior domínio dos conhecimentos, lembrando nomes, detalhes e canções. De alguma forma a atividade serviu para que eles se avaliassem também, pois os mais desatentos ficavam chateados quando não ganhavam os pontos. Acredito que consegui trazer a música de uma forma diferente para as crianças, brincando e permitindo novas descobertas. As crianças cantaram muito e se movimentaram com as músicas, tanto nas rodas, como nas atividades de apreciação musical. Com as histórias e rodas de conversa criamos oportunidade para o desenvolvimento da oralidade, da expressão e comunicação. Segundo o RCN para Educação Infantil (1998, p.77): “A observação das formas de expressão das crianças, de suas capacidades de concentração e envolvimento nas atividades, de satisfação com sua própria produção e com suas pequenas conquistas é um instrumento de acompanhamento do trabalho que poderá ajudar na avaliação e no re-planejamento da ação educativa.” ORGANIZAÇÃO DOS ALUNOS PARA AS AULAS: É essencial que os alunos tenham acesso a uma sala ampla, com cadeirinhas e espaço para formar rodas, dispor instrumentos e facilitar o trabalho em grupo. INFRAESTRUTURA E MATERIAIS NECESSÁRIOS: Aparelho de som e CDs; televisão e DVD; instrumentos de percussão; sucata; livros recomendados na introdução; sala ampla com cadeirinhas; lousa e giz; papel, lápis, cola, tesoura, barbante; cordas, bancos, lenços, bambolês, bolas e colchonetes, teclado.
  13. 13. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS • BRASIL, Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria da Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998. 3v. • BRITO, Teca Alencar de. Música na Educação Infantil: Propostas para a formação intergral da criança. São Paulo. Peirópolis, 2003. • DEL BEN, Luciana. "Musica nas Escolas". Salto para o Futuro – Educação Musical Escolar, Ano XXI, Boletim 8, Jun/2011., p.24-33. Acesso em: http://tvbrasil.org.br/fotos/salto/series/16075508-Edu.Musical.pdf . • Arquivos de audio: • CD “Circo” dos Parlapatões. • CD “Poemas Musicais” – Cecília Cavalieri França

×