2ª metade do sec. XIX

982 visualizações

Publicada em

Para vos ajudar a estudar :)
Fiz este ppt quando estava no 6º ano

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
982
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2ª metade do sec. XIX

  1. 1. Índice Transportes Meios de comunicação Crescimento da população Êxodo rural A vida quotidiana no campo e nas cidades Abolição da escravatura e pena de morte Reformas no ensino
  2. 2. Transportes • O tempo gasto em viagens era enorme. De Lisboa–Porto demorava 7 dias. • Construíram-se estradas em macadame. • Passou-se a viajar mais rápido. Em 1859, a diligência ou mala posta, fazia a viagem de Lisboa-Porto em apenas 34 horas.
  3. 3. Comboio • Também construíram linhas de caminho- de-ferro. • A 1ª viagem de comboio deu-se a 28 de outubro de 1856, na linha de Lisboa- Carregado. • As linhas espalharam-se pelo país. • Assim a circulação de pessoas e mercadorias era mais rápida, barata e segura, aproximando as pessoas.
  4. 4. Meios de comunicação • Correios: Em 1853 surgiu o 1º selo postal português com a face de D. Maria II. Em 1877-78 apareceram os 1ºs bilhetes-postais. Em 1882 foram instalados os 1ºs marcos de correio. • Telefone: Em 1882 arrancaram as 1ªs redes públicas de telefones no Porto e em Lisboa.
  5. 5. • Telégrafo: O telégrafo elétrico entrou em funcionamento em 1857, permitindo comunicar mais rápido. • Imprensa: A imprensa desempenhou um papel importante na informação e circulação de ideias. Assim o gosto pela leitura de jornais diários aumentava. Meios de comunicação
  6. 6. Fontes Pereira de Melo foi um grande impulsiona dor da modernizaç ão da rede de transport es e comunicaçõ
  7. 7. Crescimento da população Melhoria na alimentação Avanços na medicina Progressos na higiene Diminuição do nº de mortes Aumento da população
  8. 8. Êxodo rural • O crescimento da população deixou muitos camponeses sem emprego, e os que tinham, recebiam salários miseráveis. • Assim, milhares de pessoas deixaram suas aldeias e foram para a cidade, sobretudo Lisboa ou Porto. • A este movimento chama-se êxodo rural.
  9. 9. A vida quotidiana no campo • Atividades: -A principal atividade era a agricultura. Nas aldeias distinguiam-se: proprietários, rendeiros, jornaleiros, pastores, cri ados, pescadores, etc. A grande maioria trabalhava nas ricas terras da burguesia ou nobreza. -O dia era bastante duro, trabalhavam de sol a sol. Viviam muito pobremente e trabalhavam desde pequenos. -Havia também a criação de gado, a produção de linho e azeite e a extração de cortiça.
  10. 10. • Alimentação: A alimentação era muito simples e pouco variada. Baseava-se no pão ou na „broa‟, bacalhau ou sardinhas, azeitonas, vinho e sopa. Comiam carne muito raramente, quando “o rei fazia anos”. A vida quotidiana no campo
  11. 11. • Vestuário: O vestuário era muito simples e variava de acordo com o clima ou região. As roupas eram velhas e andavam quase sempre descalços. • Divertimentos: Os divertimentos estavam ligados aos trabalhos e às festas religiosas. Outros divertimentos eram jogos típicos, corrida de touros, arraiais, bailes e esfolhadas. Os dia de feira e a ida à missa também eram momentos de convívio. A vida quotidiana no campo
  12. 12. • Habitação: As casas eram pequenas, simples e a sua construção dependia da região e clima. O xisto e granito sobressaíam no Norte para a proteção contra o frio e chuva. No Sul as casas eram pintadas de branco para ser mais frescas. A vida quotidiana no campo
  13. 13. • Surgiram vários serviços públicos: 1) Água canalizada, rede de esgotos e recolha de lixo; 2) Policiamento, iluminação noturna e criação de corpos de bombeiros. 3) Transportes públicos coletivos: o ‚chora‛ e o ‚americano‛. A vida quotidiana na cidade
  14. 14. • Atividades: A atividades estavam relacionadas com a indústria, comércio e artesanato. A burguesia tinha muito sucesso com os negócios. As classes populares eram pobres e tinham várias profissões: vendedores ambulantes (ardina, peixeira e aguadeiro) feirante, artesão, operários, trabalhadores servis, etc. A vida quotidiana na cidade
  15. 15. • Alimentação: A alimentação era muito rica e variada. • Vestuário: Os mais ricos seguiam a moda francesa. O seu vestuário era muito rico e muito decorado. • Habitação: Viviam em palacetes bem decorados e rodeados de belíssimos jardins. A vida quotidiana na cidade
  16. 16. • Divertimentos: A nobreza e a burguesia apreciavam muito passear, frequentando o Jardim de S. Lázaro no Porto e o Passeio Público, em Lisboa. A prática de desporto era muito habitual. A vida quotidiana na cidade
  17. 17. Abolição da escravatura e pena de morte • Foram publicadas novas leis: 1) Abolição da pena de morte; 2) Extinção das rodas dos enjeitados; 3) Abolição da escravatura.
  18. 18. Ensino Fizeram-se importantes reformas no ensino: 1. Tornaram o ensino primário obrigatório e gratuito; 2. Alargaram o ensino liceal; 3. Fundaram as primeiras escolas de ensino técnico. João de Deus publicou a ‘Cartilha Maternal’ que foi o 1º manual usado pelos professores para ensinar a ler.
  19. 19. Feito por: • Mariana Pinto • Nº23, 6ºH • Baseado no manual do 6º ano ‚Saber em Ação‛.

×