A invenção da política

827 visualizações

Publicada em

A contribuição dos Gregos e Romanos para a consolidação da política

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
827
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
25
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A invenção da política

  1. 1. A INVENÇÃO DAA INVENÇÃO DA POLÍTICAPOLÍTICA In: CONVITE A FILOSOFIAIn: CONVITE A FILOSOFIA Marilena ChauíMarilena Chauí Capítulo IX – A vida políticaCapítulo IX – A vida política
  2. 2. ANTECEDENTESANTECEDENTES Nas realezasNas realezas existentes antes dosexistentes antes dos gregos, nos territóriosgregos, nos territórios que viriam formar aque viriam formar a Grécia, bem como osGrécia, bem como os que viriam a formarque viriam a formar Roma, assim comoRoma, assim como nos grandes impériosnos grandes impérios orientais vigorava oorientais vigorava o poder despótico.poder despótico.
  3. 3. CARACTERÍSTICAS DO PODERCARACTERÍSTICAS DO PODER Despótico ou patriarcal;Despótico ou patriarcal; Total;Total; Incorporador ou corporificado;Incorporador ou corporificado; MágicoMágico Transcendente;Transcendente; HereditárioHereditário
  4. 4. OS GREGOS E ROMANOSOS GREGOS E ROMANOS Quando se afirmaQuando se afirma que os gregos eque os gregos e romanos inventaramromanos inventaram a política, o que sea política, o que se diz é que desfizeramdiz é que desfizeram aquelasaquelas características dacaracterísticas da autoridade e do poderautoridade e do poder
  5. 5. Embora, no começo,Embora, no começo, gregos e romanosgregos e romanos tivessem conhecido ativessem conhecido a organização do tipoorganização do tipo despótico, umdespótico, um conjunto de medidasconjunto de medidas foi tomado pelosfoi tomado pelos primeiros dirigentesprimeiros dirigentes de modo a impedir ade modo a impedir a concentração dosconcentração dos poderes.poderes.
  6. 6. ASPECTOS COMUNSASPECTOS COMUNS PROPRIEDADE DA TERRA;PROPRIEDADE DA TERRA; FENÔMENO DA URBANIZAÇÃOFENÔMENO DA URBANIZAÇÃO DIVISÃO TERRITORIALDIVISÃO TERRITORIAL
  7. 7. PROPRIEDADE DA TERRAPROPRIEDADE DA TERRA Como a propriedade da terra não pertencia aComo a propriedade da terra não pertencia a aldeia nem ao rei, mas às famíliasaldeia nem ao rei, mas às famílias independentes, e como as guerras ampliaramindependentes, e como as guerras ampliaram o contingente de escravos, formou umao contingente de escravos, formou uma camada pobre de camponeses que migravamcamada pobre de camponeses que migravam para as aldeias, ali se estabeleceram comopara as aldeias, ali se estabeleceram como artesãos e comerciantes, prosperaram,artesãos e comerciantes, prosperaram, transformaram as aldeias em centros urbanostransformaram as aldeias em centros urbanos e passaram a disputar o podere passaram a disputar o poder
  8. 8. URBANIZAÇÃOURBANIZAÇÃO Significou uma complexa rede de relaçõesSignificou uma complexa rede de relações econômicas e sociais que colocava emeconômicas e sociais que colocava em confronto não só proprietários agrários de umconfronto não só proprietários agrários de um lado, e artesãos de outro, mas também a massalado, e artesãos de outro, mas também a massa de assalariados da população urbana, os nãode assalariados da população urbana, os não proprietários, genericamente chamados de “osproprietários, genericamente chamados de “os pobrespobres A luta de classe incluía, assim lutas entre osA luta de classe incluía, assim lutas entre os ricos e entre ricos e pobresricos e entre ricos e pobres
  9. 9. DIVISÃO TERRITORIALDIVISÃO TERRITORIAL Visando diminuir o poderia das famílias ,Visando diminuir o poderia das famílias , ricas agrárias, dos artesãos ericas agrárias, dos artesãos e comerciantes urbanos ricos e satisfazer acomerciantes urbanos ricos e satisfazer a reivindicações dos camponeses pobres ereivindicações dos camponeses pobres e dos artesãos e assalariados urbanosdos artesãos e assalariados urbanos pobres.pobres. Foi uma solução política para as lutas deFoi uma solução política para as lutas de classesclasses
  10. 10. UNIDADES SÓCIOPOLÍTICASUNIDADES SÓCIOPOLÍTICAS Em Roma asEm Roma as unidades foramunidades foram denominadas Tribusdenominadas Tribus Em Atenas a pólis foi subdividida em unidades denominada DEMO
  11. 11. DEMO X TRIBUSDEMO X TRIBUS Quem nascesse numQuem nascesse num demosdemos ou numaou numa tribustribus,, independente de sua situação econômica,independente de sua situação econômica, tinha assegurado o direito de participar diretatinha assegurado o direito de participar direta ou indiretamente das decisões da cidadeou indiretamente das decisões da cidade No caso de Atenas, todos os naturais doNo caso de Atenas, todos os naturais do demos tinham o direito de participardemos tinham o direito de participar diretamente do poder, daí o regime ser umadiretamente do poder, daí o regime ser uma DEMOCRACIADEMOCRACIA
  12. 12. Em Roma, os não proprietários ou osEm Roma, os não proprietários ou os pobres formavam a PLEBE, quepobres formavam a PLEBE, que participava indiretamente do poder porqueparticipava indiretamente do poder porque tinha o direito de eleger um representantetinha o direito de eleger um representante – o tribuno da plebe – para defender e– o tribuno da plebe – para defender e garantir os interesses dos plebeus juntogarantir os interesses dos plebeus junto aos interesses e privilégios dos que oaos interesses e privilégios dos que o participavam diretamente do poder, osparticipavam diretamente do poder, os patrícios (populus ramanus)patrícios (populus ramanus) O regime político romano era, assim, umaO regime político romano era, assim, uma OLIGARQUIA.OLIGARQUIA.
  13. 13. PRINCIPAIS TRAÇOSPRINCIPAIS TRAÇOS Separaram a autoridade pessoal privada doSepararam a autoridade pessoal privada do chefe da família e o poder impessoal públicochefe da família e o poder impessoal público pertencente a coletividade;pertencente a coletividade; Separaram autoridade militar e poder civil,Separaram autoridade militar e poder civil, subordinando a primeira ao segundo;subordinando a primeira ao segundo; Separaram autoridade mágico-religiosa eSepararam autoridade mágico-religiosa e poder temporal laico, impedindo a divinizaçãopoder temporal laico, impedindo a divinização dos governantes;dos governantes;
  14. 14. Criaram a idéia e a prática da lei comoCriaram a idéia e a prática da lei como expressão de uma vontade coletiva e pública,expressão de uma vontade coletiva e pública, definidora dos direitos e deveres do cidadão,definidora dos direitos e deveres do cidadão, impedindo que fosse confundida com aimpedindo que fosse confundida com a vontade pessoal de um governante. Criaram avontade pessoal de um governante. Criaram a LEI e o DIREITO. Retiraram dos indivíduosLEI e o DIREITO. Retiraram dos indivíduos privados o direito de fazer justiça com asprivados o direito de fazer justiça com as próprias mãospróprias mãos
  15. 15. Criaram instituições e funções públicasCriaram instituições e funções públicas para aplicação das leis e garantia dospara aplicação das leis e garantia dos direitos, isto é, os tribunais e osdireitos, isto é, os tribunais e os magistrados;magistrados; Criaram a instituição do erário público ouCriaram a instituição do erário público ou do fundo público – impostos – impedindodo fundo público – impostos – impedindo a concentração da propriedade e daa concentração da propriedade e da riqueza nas mãos dos dirigentesriqueza nas mãos dos dirigentes Criaram o espaço político ou espaçoCriaram o espaço político ou espaço público: Grécia/ ASSEMBLÉIA –público: Grécia/ ASSEMBLÉIA – Roma/SENADORoma/SENADO
  16. 16. SIGNIFICADO DO ESPAÇOSIGNIFICADO DO ESPAÇO PÚBLICOPÚBLICO Que a sociedade está aberta aosQue a sociedade está aberta aos acontecimentos;acontecimentos; Que as ações não foram fixadas porQue as ações não foram fixadas por alguma vontade transcendente;alguma vontade transcendente; Que erros de avaliação e de decisãoQue erros de avaliação e de decisão podem ser corrigidos;podem ser corrigidos; Que uma ação pode gerar problemasQue uma ação pode gerar problemas novosnovos
  17. 17. Tornaram a política inseparável do tempoTornaram a política inseparável do tempo Conceberam a ação política ligada aConceberam a ação política ligada a noção de possível – de possibilidadesnoção de possível – de possibilidades Conceberam a política como açãoConceberam a política como ação humanahumana Inauguraram a idéia e a prática da criaçãoInauguraram a idéia e a prática da criação contínua da realidade social ou de suacontínua da realidade social ou de sua transformação, isto é, a históriatransformação, isto é, a história
  18. 18. SIGNIFICADO DA INVENÇÃO DASIGNIFICADO DA INVENÇÃO DA POLÍTICAPOLÍTICA Em lugar de reprimir os conflitos pelo usoEm lugar de reprimir os conflitos pelo uso da força e da violência das armas, ada força e da violência das armas, a política aparece como trabalho legítimopolítica aparece como trabalho legítimo dos conflitos, de tal modo que o fracassodos conflitos, de tal modo que o fracasso nesse trabalho é a causa do uso da for;canesse trabalho é a causa do uso da for;ca e da violência.e da violência.
  19. 19. A democraciaA democracia Ateniense e asAteniense e as Oligarquias deOligarquias de Esparta e daEsparta e da República RomanaRepública Romana fundaram a idéia e afundaram a idéia e a prática da política naprática da política na cultura ocidentalcultura ocidental
  20. 20. Concluindo....Concluindo.... A invenção da políticaA invenção da política como solução e respostacomo solução e resposta que uma sociedade ofereceque uma sociedade oferece para suas diferenças, seuspara suas diferenças, seus conflitos e suasconflitos e suas contradições, semcontradições, sem escondê-los sob aescondê-los sob a sacralização do poder e dosacralização do poder e do governante e sem fechar-segovernante e sem fechar-se à temporalidade e àsà temporalidade e às mudanças.mudanças.
  21. 21. ORIGEM DA VIDA POLÍTICAORIGEM DA VIDA POLÍTICA A RAZÃO FUNDA A POLÍTICAA RAZÃO FUNDA A POLÍTICA A CONVENÇÃO FUNDA A POLÍTICAA CONVENÇÃO FUNDA A POLÍTICA A NATUREZA (COMO A NATUREZAA NATUREZA (COMO A NATUREZA HUMANA) FUNDA A POÍTICAHUMANA) FUNDA A POÍTICA
  22. 22. A razão funda a políticaA razão funda a política Inspiradas no mito das Idades do HomemInspiradas no mito das Idades do Homem No princípio (Idade de Ouro) os seres humanosNo princípio (Idade de Ouro) os seres humanos viviam em companhia dos deuses, nasciam jáviviam em companhia dos deuses, nasciam já adultos diretamente da terra, eram imortais eadultos diretamente da terra, eram imortais e felizes – sem necessidade de leis e governo.felizes – sem necessidade de leis e governo. Há num determinado momento a queda doHá num determinado momento a queda do homem que são afastados dos deuseshomem que são afastados dos deuses
  23. 23. Passam viver sob ameaças e intempériesPassam viver sob ameaças e intempéries Descobrem o FOGODescobrem o FOGO Passam para a IDADE DE BRONZEPassam para a IDADE DE BRONZE Na IDADE DE FERRO é descrita como aNa IDADE DE FERRO é descrita como a era dos homens organizados em grupos,era dos homens organizados em grupos, fazendo guerra entre si.fazendo guerra entre si. Para cessar o estado de guerra, osPara cessar o estado de guerra, os deuses fazem nascer um homemdeuses fazem nascer um homem eminente, que redigirá as primeiras leis eeminente, que redigirá as primeiras leis e criará o governocriará o governo
  24. 24. Simboliza a origemSimboliza a origem da política comoda política como atividade da razãoatividade da razão através das leis e daatravés das leis e da figura do Legislador.figura do Legislador. Leis e LegisladorLeis e Legislador garantem a origemgarantem a origem racional daracional da POLIÍTICAPOLIÍTICA
  25. 25. A convenção funda a políticaA convenção funda a política Inspirada pela obra do poeta gregoInspirada pela obra do poeta grego HESÍODO, O trabalho e os dias.HESÍODO, O trabalho e os dias. Graças ao fogo os humanos podemGraças ao fogo os humanos podem trabalhar os metais, cozer alimentos ...vãotrabalhar os metais, cozer alimentos ...vão de descobrirem diferente dos animaisde descobrirem diferente dos animais Percebem que viverão melhor se viveremPercebem que viverão melhor se viverem em comunidadeem comunidade Ainda recebem as leis dos deusesAinda recebem as leis dos deuses
  26. 26. Pouco a pouco descobrem que sua vidaPouco a pouco descobrem que sua vida possui problemas e exige soluções quepossui problemas e exige soluções que somente eles podem enfrentar esomente eles podem enfrentar e encontrar.encontrar. Mantendo a piedade pelos deuses criamMantendo a piedade pelos deuses criam leis e instituições humanas dando origemleis e instituições humanas dando origem a comunidade política propriamente ditaa comunidade política propriamente dita
  27. 27. MITO DE HESÍODOMITO DE HESÍODO Nasce a comunidadeNasce a comunidade política não comopolítica não como obra de um legisladorobra de um legislador enviado pelos deusesenviado pelos deuses mas como umamas como uma convenção entre osconvenção entre os homens que decidemhomens que decidem viver em comum eviver em comum e combinam entre si ascombinam entre si as regras e normasregras e normas
  28. 28. A natureza funda a políticaA natureza funda a política A política decorre da natureza humana eA política decorre da natureza humana e que a cidade existe por natureza. Osque a cidade existe por natureza. Os humanos são por natureza diferente doshumanos são por natureza diferente dos animais. Por serem dotados da palavraanimais. Por serem dotados da palavra são naturalmente sociais – são animaissão naturalmente sociais – são animais políticospolíticos Basta conhecer a natureza do homemBasta conhecer a natureza do homem para encontrar a causa da políticapara encontrar a causa da política
  29. 29. Concluindo ...Concluindo ... PRIMEIRA TEORIA: a política é oPRIMEIRA TEORIA: a política é o remédio que a razão encontra para aremédio que a razão encontra para a perda da felicidade da comunidadeperda da felicidade da comunidade origináriaoriginária SEGUNDA TEORIA: resulta doSEGUNDA TEORIA: resulta do desenvolvimento – sendo uma convençãodesenvolvimento – sendo uma convenção TERCEIRA TEORIA: a política define aTERCEIRA TEORIA: a política define a própria essência do homem e a cidade éprópria essência do homem e a cidade é considerada uma instituição natural.considerada uma instituição natural.

×