MABE - relatório 2010

2.915 visualizações

Publicada em

relatório-síntese, com secção C, 2010

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.915
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.154
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
33
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

MABE - relatório 2010

  1. 1. Auto avaliação da biblioteca escolar<br />Ano lectivo de 2009-2010<br />
  2. 2. Domínios <br />A- Apoio ao desenvolvimento curricular<br />B- Leitura e Literacia<br />C- Projectos, parcerias e actividades livres e de abertura à comunidade <br />D- Gestão da Biblioteca Escolar<br />2<br />
  3. 3. Domínio avaliado:<br />A- Apoio ao desenvolvimento curricular<br />Secção A<br />3<br />
  4. 4. A.1 Articulação Curricular da BE com as Estruturas e os Docentes <br />A.1.1 Cooperação da BE com as estruturas de coordenação educativa e supervisão pedagógica da escola/agrupamento<br />A.1.2 Parceria da BE com os docentes responsáveis pelas áreas curriculares não disciplinares (ACND) da escola/agrupamento<br />A.1.3 Articulação da BE com os docentes responsáveis pelos serviços de apoios especializados e educativos (SAE) da escola/agrupamento<br />4<br />
  5. 5. A.1 Articulação Curricular da BE com as Estruturas e os Docentes (cont.)<br />A.1.4 Ligação da BE ao Plano Tecnológico da Educação (PTE) e a outros programas e projectos curriculares de acção, inovação pedagógica e formação existentes na escola/agrupamento<br />A.1.5 Integração da BE no plano de ocupação dos tempos escolares (OTE) da escola/agrupamento<br />A.1.6 Colaboração da BE com os docentes na concretização das actividades curriculares desenvolvidas no espaço da BE ou tendo por base os seus recursos<br />5<br />
  6. 6. A.1.1 Cooperação da BE com as estruturas de coordenação e supervisão pedagógica <br /><ul><li>A coordenadora adquiriu um conhecimento mais abrangente de todos os órgãos pedagógicos de gestão intermédia da escola e um conhecimento mais profundo de algumas equipas de trabalho e respectivas necessidades</li></ul>6<br />Pontos fortes identificados<br />
  7. 7. A.1.1 Cooperação da BE com as estruturas de coordenação e supervisão pedagógica <br /><ul><li>Dificuldade em levar a cabo planificação sistemática com os órgãos pedagógicos de gestão intermédia, por ser ainda recente a visão da BE como um serviço educativo que deve articular a sua acção com esses mesmos órgãos e por haver sobrecarga de trabalho burocrático</li></ul>7<br />Pontos fracos identificados<br />
  8. 8. A.1.2 Parceria da BE com os docentes responsáveis pelas ACND<br /><ul><li>55,9% dos docentes afirmam “ler, consultar com os alunos obras de referência ou livros específicos”
  9. 9. 70% usam a BE para “seleccionar/requisitar materiais para a sala de aula.”
  10. 10. São disponibilizados recursos de apoio às ACD e ACND, no blogue e na PM
  11. 11. 50% “usam a BE ou os seus recursos, diariamente ou 1/2 vezes por semana”
  12. 12. 81,8% de docentes classifica “o seu conhecimento sobre os recursos da BE” como Bom ou Muito Bom
  13. 13. 86,4% consideram-nos bons ou muito bons “para a sua prática lectiva”</li></ul>8<br />Pontos fortes identificados<br />
  14. 14. A.1.2 Parceria da BE com os docentes responsáveis pelas AND<br /><ul><li>Dificuldade em articular a planificação sistemática de actividades com docentes de ACND, por sobrecarga de reuniões</li></ul>9<br />Pontos fracos identificados<br />
  15. 15. A.1.3 Articulação da BE com os docentes responsáveis pelos serviços de apoios especializados e educativos <br /><ul><li>Articulação sistemática e com actividades muito diversificadas com o PNL
  16. 16. Cooperação com o PTE, ao nível da planificação, divulgação e formação de utilizadores</li></ul>10<br />Pontos fortes identificados<br />
  17. 17. A.1.3 Articulação da BE com os docentes responsáveis pelos serviços de apoios especializados e educativos <br /><ul><li>Falta de recursos humanos para dar apoio aos alunos
  18. 18. Só 14,3% dos docentes afirma articular no âmbito de determinados projectos/programas específicos</li></ul>11<br />Pontos fracos identificados<br />
  19. 19. A.1.4 Ligação da BE ao PTE e a outros programas e projectos curriculares da escola/agrupamento<br /><ul><li>A BE articulou com o Núcleo de Projectos, da Inovação e da Qualidade, como se concluiu da leitura das actas e dos registos de reuniões informais ou contactos electrónicos
  20. 20. A BE apoiou os docentes no desenvolvimento de outros programas, como o PNL, cursos CEF e EFA, PTE</li></ul>12<br />Pontos fortes identificados<br />
  21. 21. A.1.4 Ligação da BE ao PTE e a outros programas e projectos curriculares da escola/agrupamento<br /><ul><li>Necessidade de promover de forma mais eficaz a utilização das TIC no contexto das actividades curriculares</li></ul>13<br />Pontos fracos identificados<br />
  22. 22. A.1.5 Integração da BE no plano de ocupação dos tempos escolares (OTE) da escola/agrupamento.<br /><ul><li>A BE é referida no Plano OPTE, apresentado no início do presente ano lectivo
  23. 23. A utilização da BE é rentabilizada em actividades de estudo, leitura, pesquisa orientada, clubes e projectos
  24. 24. Um dos alunos colaboradores da BE organizou dossiês com exames nacionais de Língua Portuguesa e Matemática para as turmas de 9º ano, que a BE disponibilizou para as aulas de apoio</li></ul>14<br />Pontos fortes identificados<br />
  25. 25. A.1.5 Integração da BE no plano de ocupação dos tempos escolares (OTE) da escola/agrupamento.<br /><ul><li>0% dos professores inquiridos utiliza a BE para fazer empréstimo domiciliário com a turma
  26. 26. A BE não divulgou de forma eficaz os materiais e sugestões de actividades e recursos que sirvam o Plano OTE</li></ul>15<br />Pontos fracos identificados<br />
  27. 27. A.1.6 Colaboração com os docentes na concretização das actividades curriculares na BE ou com os seus recursos.<br /><ul><li>Elevado número de exposições de trabalhos produzidos pelas turmas, bem como a solicitação frequente dos docentes
  28. 28. A coordenadora da BE participa com os docentes em actividade de sala de aula, quando solicitada</li></ul>16<br />Pontos fortes identificados<br />
  29. 29. A.1.6 Colaboração com os docentes na concretização das actividades curriculares na BE ou com os seus recursos.<br /><ul><li>Pouca rentabilização do espaço BE, para trabalho orientado para turmas ou grupos</li></ul>17<br />Pontos fracos identificados<br />
  30. 30. A.2 Promoção das Literacias da Informação, Tecnológica e Digital<br />A.2.1Organização de actividades de formação de utilizadores na escola/agrupamento<br />A.2.2 Promoção do ensino em contexto de competências de informação da escola/agrupamento<br />A.2.3 Promoção do ensino em contexto de competências tecnológicas e digitais na escola/agrupamento<br />18<br />
  31. 31. A.2 Promoção das Literacias da Informação, Tecnológica e Digital (cont.)<br />A.2.4 Impacto da BE nas competências tecnológicas, digitais e de informação dos alunos na escola/agrupamento<br />A.2.5 Impacto da BE no desenvolvimento de valores e atitudes indispensáveis à formação da cidadania e à aprendizagem ao longo da vida<br />19<br />
  32. 32. A.2.1 Organização de actividades de formação de utilizadores na escola/agrupamento<br /><ul><li>Consciencialização, ainda que gradual, da necessidade de promover a formação para o uso da BE</li></ul>20<br />Pontos fortes identificados<br />
  33. 33. A.2.1 Organização de actividades de formação de utilizadores na escola/agrupamento<br /><ul><li>Dificuldade em abranger todos os alunos em actividades de formação de utilizadores</li></ul>21<br />Pontos fracos identificados<br />
  34. 34. A.2.2 Promoção do ensino em contexto de competências de informação da escola/agrupamento<br /><ul><li>O contributo da BE para a melhoria da qualidade do trabalho foi muito bom para 45,5% dos docentes inquiridos e bom para 40,9%
  35. 35. Exposições de trabalhos realizados na BE em parceria com algumas ACD e ACND</li></ul>22<br />Pontos fortes identificados<br />
  36. 36. A.2.2 Promoção do ensino em contexto de competências de informação da escola/agrupamento<br /><ul><li>Menos de 20% dos alunos inquiridos usaram a BE ou os seus recursos em ACND
  37. 37. Dificuldade em planear antecipadamente com muitos professores os trabalhos de pesquisa a realizar</li></ul>23<br />Pontos fracos identificados<br />
  38. 38. A.2.3 Promoção do ensino em contexto de competências tecnológicas e digitais na escola/agrupamento<br /><ul><li>A BE acompanhou presencialmente os utilizadores na promoção das literacias da informação, tecnológica e digital</li></ul>24<br />Pontos fortes identificados<br />
  39. 39. A.2.3 Promoção do ensino em contexto de competências tecnológicas e digitais na escola/agrupamento<br /><ul><li>Inexistência de um manual de procedimentos com orientações para a utilização dos media e dos recursos TIC</li></ul>25<br />Pontos fracos identificados<br />
  40. 40. A.2.4 Impacto da BE nas competências tecnológicas, digitais e de informação dos alunos na escola/agrupam.<br /><ul><li>Trabalhos realizados pelos alunos e expostos na BE ao longo de todo o ano, de forma sistemática, com qualidade e com níveis de adesão elevados, como o comprovam o número de visitas e a avaliação realizada</li></ul>26<br />Pontos fortes identificados<br />
  41. 41. A.2.4 Impacto da BE nas competências tecnológicas, digitais e de informação dos alunos na escola/agrupam.<br /><ul><li>Falta de um circuito de comunicação com os professores bem estruturado, para se orientar solidamente os alunos nas competências de informação
  42. 42. Falta, ainda, uma acção concertada por parte dos docentes e uma política do agrupamento orientada para a promoção das competências da informação
  43. 43. Dificuldade em planificar atempadamente com os docentes os trabalhos de pesquisa a realizar na BE</li></ul>27<br />Pontos fracos identificados<br />
  44. 44. A.2.5 Impacto da BE no desenvolvimento de valores e atitudes na formação da cidadania e aprendizagem LVida<br /><ul><li>57,9% dos alunos consideram que a BE contribui medianamente para a melhoria da capacidade de iniciativa, autonomia e cooperação com os colegas; para33,3%, contribui muito
  45. 45. Forte ligação dos alunos à BE
  46. 46. Utilização responsável dos recursos da BE e respeito pelas normas dos mesmos</li></ul>28<br />Pontos fortes identificados<br />
  47. 47. A.2.5 Impacto da BE no desenvolvimento de valores e atitudes na formação da cidadania e aprendizagem LVida<br /><ul><li>Pouca rentabilização dos alunos colaboradores da BE.</li></ul>29<br />Pontos fracos identificados<br />
  48. 48. Perfis de desempenho<br />30<br />A.1 Articulação curricular da biblioteca escolar com as estruturas de coordenação e supervisão pedagógica e com os docentes (p.14)<br />A.2. Desenvolvimento das literacias da informação, tecnológica e digital (p.20)<br />
  49. 49. Nível obtido <br />31<br />A.1. Articulação curricular da BE com as estruturas de coordenação educativa e supervisão pedagógica e os docentes<br /> Nível obtido: 3<br />A.2. Promoção das literacias da informação, tecnológica e digital<br /> Nível obtido: 3<br />
  50. 50. ACÇÕES PARA MELHORIA<br /><ul><li>Envolver os docentes de EA em acções que promovam a requisição para leitura domiciliária
  51. 51. Articular com maior regularidade com os coordenadores de departamento dos diferentes níveis de ensino
  52. 52. Organizar uma visita à BE, no início do ano, com os coordenadores de departamento e professores novos na escola para levantamento de recursos relacionados com as diferentes áreas do conhecimento</li></ul>32<br />
  53. 53. ACÇÕES PARA MELHORIA( cont.)<br /><ul><li>Disponibilizar listas de recursos para apoiar o Plano de OPTE
  54. 54. Participar regularmente nas reuniões de directores de turma para melhorar a articulação com os PCT
  55. 55. Melhorar a articulação com o coordenador do PM
  56. 56. Articular com o Núcleo de Apoio Educativo e do Sucesso Escolar</li></ul>33<br />
  57. 57. ACÇÕES PARA MELHORIA( cont.) <br /><ul><li>Produzir e divulgar guiões de pesquisa de informação única para toda a escola/agrupamento, depois de aprovados em conselho pedagógico
  58. 58. Reforçar a articulação com o trabalho de AP, fomentando a utilização contextualizada das TIC
  59. 59. Contribuir para a criação e aplicação de um código de conduta</li></ul>34<br />
  60. 60. Restantes domínios:<br />B- Leitura e Literacia<br />C- Projectos, parcerias e actividades livres e de abertura à comunidade <br />D- Gestão da Biblioteca Escolar<br />Secção B<br />35<br />
  61. 61. Domínio B. Leitura e literacia<br />36<br />Acções para melhoria<br />Aumentar o número de requisições domiciliárias, sobretudo no 3º ciclo<br />Envolver mais activamente alunos e professores no blogue<br />  Trabalhar a articulação com os departamentos<br />Dar continuidade aos projectos existentes, implementando as melhorias decorrentes das avaliações efectuadas<br />Continuidade e reforço das acções bem sucedidas<br />A necessidade de contemplar nos PCT o contributo que a BE pode dar no âmbito da leitura e da literacia<br />Envolver professores e alunos em actividades de leitura e de escrita em ambientes diversificados <br />
  62. 62. Domínio C. Projectos, parcerias e actividades livres e de abertura à comunidade<br />37<br />Acções para melhoria<br />Promover acções que cativem os EE em algumas actividades<br />Reforçar a articulação com EA e AP<br />Organizar acções informais de formação sobre a BE junto dos docentes<br />Valorizar mais e divulgar melhor o trabalho organizado e realizado autonomamente pelos alunos<br />Envolver a comunidade educativa em mais actividades por si organizadas, através da Associação de Pais e /ou de outras Associações <br />Aprofundar a articulação com a equipa PTE para rentabilizar equipamentos e possibilidades de trabalho <br />
  63. 63. Domínio D. Gestão da biblioteca escolar<br />38<br />Acções para melhoria<br />Incluir, na equipa um elemento PTE com 90’ semanais<br />Constituir uma equipa mais consolidada, com, pelo menos, um número de horas mais elevado e 90’ coincidentes no horário<br />Sensibilizar a direcção para a necessidade de afectar uma segunda AO a tempo parcial fixo<br />Incentivar a equipa a fazer mais formação em BE<br />Melhorar as condições físicas na zona de trabalho<br />Reorganizar o acervo das estantes das classes 7 e 8 e recolocação do Fundo Local<br />
  64. 64. Domínio D. Gestão da biblioteca escolar (cont.)<br />39<br />Acções para melhoria<br />Incluir na equipa um elemento PTE com 90’ semanais<br />Constituir uma equipa mais consolidada, com, pelo menos, um número de horas mais elevado e 90’ coincidente no horário.<br />Sensibilizar a direcção para a necessidade de afectar uma segunda AO a tempo parcial fixo<br />Incentivar a equipa a fazer mais formação em BE<br />Melhorar as condições físicas da na zona de trabalho<br />Reorganizar o acervo das estantes das classes 7 e 8 e recolocação do Fundo Local<br />
  65. 65. Recomendações do Conselho Pedagógico:<br />“Os membros do Conselho Pedagógico propõem que sejam criadas as condições necessárias à implementação das acções para melhoria apresentadas, sendo de salientar a necessidade em afectar mais recursos humanos à biblioteca, uma das condições para o sucesso das acções a empreender.”<br />Secção C<br />40<br />

×