22ª Romaria do Trabalhador    Saúde, Vida e Trabalho    6 de maio de 2012 – Conceição do Rio Verde - MGFolheto de Reflexão...
22a Romaria do Trabalhador6 de Maio de 2012 – Conceição do Rio Verde - MGFolheto de Reflexão Para as Comunidades - Número ...
Informações Importantes sobre a Romaria dos Trabalhadores       A 22ª Romaria do Trabalhador acontecerá em Conceição do Ri...
Salmo 23          O Senhor é o Meu Pastor- O Senhor é o pastor que me conduz;não me falta coisa alguma.Pelos prados e camp...
1º Encontro     Eu vim para tenham vida        A realidade da saúde no Brasil e seus desafiosAmbiente: Colocar na mesa um ...
atendimentos especializados, a falta de equipamentos e medicamentos ou a própriaestrutura fraca dos postos de saúde e hosp...
necessários. Quem tem saúde deve pagá-la e que não tem deve comprá-la! Isto nãopoderia se assim.João: A dor, a enfermidade...
2º Encontro        O serviço aos enfermos       Saúde e Doença, dois lados da mesma realidade!Ambiente: Colocar na mesa um...
3 – Ouvido a Palavra de Deus - Lucas 10,25-37Animador: Ouçamos com atenção uma parábola de Jesus no Evangelho de Lucas com...
Keyla: 4º Curar – a presença do outro exige cuidado. A aproximação, a compaixão nãosão simplesmente sentimentos bondosos v...
3º Encontro                 Saúde e Trabalho              Cuidar e defender a vida, eis a missão!Ambiente: Preparar o loca...
Animador: Vamos ouvir um trecho do livro do profeta Ezequiel. Tenhamos em menteesta pergunta enquanto ouvimos o texto: Que...
Luíza: Para que saúde se concretize e as leis e nossos direitos não fiquem somente nopapel é necessário nossa atuação como...
Celebração                Partindo em RomariaEsta celebração poderá ser feita na véspera da partida em Romaria para Concei...
Refrão: Sou, sou teu, Senhor./ Sou povo novo, retirante, lutador!Deus dos peregrinos, dos pequeninos, Jesus Cristo redento...
curou. Numerosas multidões da Galiléia, da Decápole, de Jerusalém, da Judéia e dooutro lado do rio Jordão começaram a segu...
2 - No Egito antigamente, no meio da                                         escravidão,                                  ...
Canta com os seus gritos nossos filhos      Aleluia, aleluia, vamos lutar que é pramortos e a paz ferida.                 ...
2 - Vinho de festa e alegria é vida no      A mesa da Eucaristia nos quer ensinar -coração; vinho bebido na luta se torna ...
Gerando dor, tristeza e desolação.          sambar de verdade, vamos pisar sobre aÉ necessário unir o cordão.             ...
Bandeira que o povo assumiu13 - Jesus Cristo, Esperança do            No verde esperança sem fogoMundo                    ...
16 - Hino da Campanha da                     veremos mundo novo, Com maisFraternidade 2012                            just...
acesso na localidade por ora                  c) exames solicitados;indisponível. A prioridade deve ser           d) objet...
V. O recebimento das receitas e              características genéticas, condiçõesprescrições terapêuticas, que devem      ...
VI. A informação a respeito de               anteriormente poderão ser revogados adiferentes possibilidades terapêuticas d...
seu tratamento aconteça de forma            do espaço de saúde, desde que estejamadequada.                                ...
Notícias                             13º Intereclesial das CEBs      O 13º Intereclesial das CEBs acontecerá de 7 a 11 de ...
Oração do 13º Intereclesial das CEBs                                              Dom Pedro Casaldáliga          Deus da v...
O Cartaz do 13º Intereclesial de CEBs;                                         Artista - Marcos Aurélio Guimarães Rabello ...
 22ª Romaria do Trabalhador Saúde, Vida e Trabalho 6 de maio de 2012 – Conceição do Rio Verde - MG
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

22ª Romaria do Trabalhador Saúde, Vida e Trabalho 6 de maio de 2012 – Conceição do Rio Verde - MG

1.708 visualizações

Publicada em

22ª Romaria do Trabalhador
Saúde, Vida e Trabalho
6 de maio de 2012 – Conceição do Rio Verde - MG

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.708
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
226
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

22ª Romaria do Trabalhador Saúde, Vida e Trabalho 6 de maio de 2012 – Conceição do Rio Verde - MG

  1. 1. 22ª Romaria do Trabalhador Saúde, Vida e Trabalho 6 de maio de 2012 – Conceição do Rio Verde - MGFolheto de Reflexão Para as Comunidades - Número 60 - Abril/Maio - 2012 Realização - CEBs - Comunidades Eclesiais de Base Diocese da Campanha - MG
  2. 2. 22a Romaria do Trabalhador6 de Maio de 2012 – Conceição do Rio Verde - MGFolheto de Reflexão Para as Comunidades - Número 60 - Abril/Maio 2012Responsáveis pelo texto: Maria Aparecida Carvalho, Maria Lucely de Souza, LuísHenrique Alves Pinto.Ilustrações: Luís Henrique Alves PintoFontes: Texto: Fraternidade e Saúde Pública do Pe. Alfredo J. Gonçalves; Texto Baseda Campanha da Fraternidade 2012.
  3. 3. Informações Importantes sobre a Romaria dos Trabalhadores A 22ª Romaria do Trabalhador acontecerá em Conceição do Rio Verde - MG.Terá início às 08:00 horas e o término às 13:00. O tema da romaria será: Saúde, Vida eTrabalho. O lema: “Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância” (Jo10,10) Esta Romaria é uma promoção da Equipe Diocesana de Animação das CEBs.Ela tem como objetivo celebrar o dia do trabalhador e trabalhadora e também ser umencontro de confraternização dos que atuam nas CEBs, Pastoral da Juventude, Pastoraisda Criança da Saúde, da Pessoa Idosa e outras organizações da caminhada de libertaçãodo Povo. A programação da Romaria do Trabalhador será somente para a parte da manhãdo primeiro Domingo de maio. Às 08:00 horas teremos a Missa de acolhida dosromeiros, em seguida teremos apresentações das comunidades, reflexões, caminhada,benção e partilha dos alimentos. É importante que as caravanas saiam das respectivas cidades com antecedência,para não chegarem atrasadas. É fundamental a participação todos em sintonia com osdiversos momentos da Romaria. Lemas e lugares das Romarias anteriores01ª - Solidários na Dignidade do Trabalho - Três corações MG - 199102ª - Jovem Cristão no Mundo do Trabalho - Três Pontas MG - 199203ª - Trabalhador, Onde Moras? - Campanha MG - 199304ª - Trabalho com Justiça: Direito da Família - São Tomé das Letras MG - 199405ª - CEBs: Trabalho Missionário no Mundo dos Excluídos - Pouso Alto MG -199506ª - Justiça: A Paz do Trabalhador - Boa Esperança MG - 199607ª - CEBs: Presença de Jesus Libertador nas Massas - Varginha MG -199708a - Consolar e Resgatar o Povo Trabalhador - Guapé MG - 199809a - Com Trabalho, Dignidade! Sem Emprego, Solidariedade! - Campos Gerais MG - 199910a - Terra Habitada Sem Exclusão - Passa Quatro MG- 200011a - Mártires: Recordar é Resistir - Pouso Alto MG - 200112a - Terra Viva Para a Vida - Pedralva MG - 200213a - Alimento Dom de Deus Direito de Todos - Varginha MG - 200314a - Famílias Resgatando Culturas Oprimidas - Três Pontas MG - 200415ª - Seguir Jesus no Compromisso Com os Excluídos - São Lourenço - 200516ª - Na Solidariedade Transformar a Realidade - Guapé MG - 200617ª - Para que em Jesus Cristo Nossos Povos Tenham Vida - Carmo da Cachoeira MG - 200718ª - Trabalho com Dignidade em Defesa da Vida - Natércia MG - 200819ª - Semear com Teimosia na Luta do Dia a Dia - Campos Gerais MG - 200920ª - Trabalhadores, o que buscais? - Varginha MG - 201021ª - Terra Dom de Deus para Todos os Povos - Pinheirinhos MG - 2011
  4. 4. Salmo 23 O Senhor é o Meu Pastor- O Senhor é o pastor que me conduz;não me falta coisa alguma.Pelos prados e campinas verdejantesele me leva a descansarPara as águas repousantes me encaminha,e restaura as minhas forças.O Senhor é o pastor que me conduz;não me falta coisa alguma- Ele me guia no caminho mais seguro,pela honra do seu nome.Mesmo que eu passe pelo vale tenebroso,nenhum mal eu temerei.Estais comigo com bastão e com cajado,eles me dão a segurança!- Preparais à minha frente uma mesa,bem à vista do inimigo;com óleo vós ungis minha cabeça,e o meu cálice transborda.- Felicidade e todo bem hão de seguir-me,por toda a minha vida;e, na casa do Senhor, habitareipelos tempos infinitos.
  5. 5. 1º Encontro Eu vim para tenham vida A realidade da saúde no Brasil e seus desafiosAmbiente: Colocar na mesa um mapa do Brasil, caixas de remédios, vela e Bíblia.1 - AcolhidaAnimador: Sejam todos bem vindos ao primeiro encontro em preparação para a 22ªRomaria do Trabalhador da Diocese da Campanha. Hoje vamos refletir sobre arealidade da Saúde no Brasil e seus desafios. Iniciemos em nome da Trindade:Todos: Em nome do Pai, do Filho e Espírito Santo. AmémCanto inicial a escolha do grupo.2 - Olhando para a VidaAnimador: Quando pensamos na saúde do Brasil, nos vêm à mente cenas como falta devagas em hospitais, leitos nos corredores, grandes filas, a espera de meses por
  6. 6. atendimentos especializados, a falta de equipamentos e medicamentos ou a própriaestrutura fraca dos postos de saúde e hospitais. O Sistema único de Saúde (SUS) temuma concepção humanista e comunitária maravilhosa. Ela é perfeita na teoria, mas naprática deixa muito a desejar. Existe uma grande desigualdade social no nosso país quese manifesta também na saúde. Os Planos de Saúde daqueles que podem pagar, todoseles em conjunto cobrem uma população de aproximadamente 40 milhões de pessoas Orestante, os 150 milhões de brasileiros dependem do SUS. A população brasileira é de196 milhões, assim, oito de cada dez brasileiros dependem do Sistema único de Saúde.Uma consulta médica custa para o SUS cerca de R$ 7,00, ao passo que os diversosPlanos de Saúde pagam ao redor de R4 80,00 por consulta. Por isso muitos médicosmigram para as unidades de saúde cobertas pelos planos. Quais os outros desafios dasaúde no Brasil? Como você se sente em relação a esta realidade?3 – Ouvido a Palavra de Deus - João 10, 1-15Animador: Vamos ouvir um trecho do Evangelho de João. Ouçamos o Evangelho comessa pergunta na cabeça: Quem é bom pastor e quem é mercenário na realidade da saúdebrasileira? Aclamemos o Evangelho cantando.Leitor: Leitura do Evangelho de João.Eu garanto a vocês: aquele que não entra pela porta no curral das ovelhas, mas sobe poroutro lugar, é ladrão e assaltante. Mas aquele que entra pela porta, é o pastor dasovelhas. O porteiro abre a porta para ele, e as ovelhas ouvem a sua voz; ele chama cadauma de suas ovelhas pelo nome e as conduz para fora. Depois de fazer sair todas as suasovelhas, ele caminha na frente delas; e as ovelhas o seguem porque conhecem a sua voz.Elas nunca vão seguir um estranho; ao contrário, vão fugir dele, porque elas nãoconhecem a voz dos estranhos.» Jesus contou-lhes essa parábola, mas eles nãoentenderam o que Jesus queria dizer. Jesus continuou dizendo: «Eu garanto a vocês: eusou a porta das ovelhas. Todos os que vieram antes de mim são ladrões e assaltantes,mas as ovelhas não os ouviram. Eu sou a porta. Quem entra por mim, será salvo.Entrará, e sairá, e encontrará pastagem. O ladrão só vem para roubar, matar e destruir.Eu vim para que tenham vida, e a tenham em abundância. Eu sou o bom pastor. O bompastor dá a vida por suas ovelhas. O mercenário, que não é pastor a quem pertencem, eas ovelhas não são suas, quando vê o lobo chegar, abandona as ovelhas e sai correndo.Então o lobo ataca e dispersa as ovelhas. O mercenário foge porque trabalha só pordinheiro, e não se importa com as ovelhas. Eu sou o bom pastor: conheço minhasovelhas, e elas me conhecem, assim como o Pai me conhece e eu conheço o Pai. Eu doua vida pelas ovelhas.4 – Descobrindo a Palavra na VidaAnimador: Quais são as personagens da parábola que Jesus contou? Quais são asatitudes de cada uma delas? Quais são as ações de Jesus? Em relação à realidade dasaúde brasileira, quem é o bom pastor e quem são os mercenários? O que podemos fazerpara transformar a realidade da saúde em nosso país?5 – Aprofundando a ConversaAlfredo: Não faltam normas para garantir o direito universal à saúde. Entretanto, pormelhor que sejam, as leis não bastam. Infelizmente a contradição entre a letra da lei e arealidade ainda existe.Maria: O direito à saúde acaba convertendo-se em mercadoria. Uma mercadoria rara ecara, tanto em termos de acesso aos especialistas quanto na compra dos remédios
  7. 7. necessários. Quem tem saúde deve pagá-la e que não tem deve comprá-la! Isto nãopoderia se assim.João: A dor, a enfermidade e os medicamentos geram uma "indústria da doença”,altamente lucrativa e cobiçada. Fico indignado com esta realidade.Lara: Para ter acesso aos direitos garantidos pelas leis, não basta correr ao primeiroposto de saúde ou ao hospital mais próximo. Muitas vezes será necessário apelar para ajustiça. E aqui os custos com a burocracia e os honorários de advogados, acrescidos àsperdas dos dias não trabalhados, alimentam outro tipo de "indústria da doença”. Issopara não falar das fraudes, da corrupção, do tráfico de influência, da compra e venda deatestados médicos, medicamentos e outras coisas. Esta é uma outra doença, mas queatinge o Estado e deve ser combatida.Alfredo: O acesso aos meios de saúde torna-se mais difícil entre alguns grupos dapopulação como os imigrantes sem documentos, os moradores de rua, os prisioneiros,os desempregados, as mulheres prostituídas, a população do campo...Maria: Nestes casos, vigoram muitas vezes a falta de conhecimento, as distâncias doscentros de saúde ou o simplesmente o medo de expor-se, como no caso dos estrangeiros"sem papéis”.João: Uma verdadeira política pública de saúde, além de combater tais "indústrias”,deve concentrar seus esforços na melhoria do SUS – o "Plano de Saúde” dos pobres.Lara: Equipamentos de última geração; profissionais bem remunerados; atendimentohumanitário; rede ampla e integrada, nas mais diversas especialidade; remédios aoalcance das famílias de baixa renda; descentralização da cidade para o campo, cobrindotodo território nacional... Eis alguns dos desafios!6 - OraçãoAnimador: rezemos ou cantemos o salmo do Bom Pastor.Todos: O Senhor e meu pastor/ Nada me pode faltar/Onde houver muita fartura/ Onde houver muita fartura/ Ele aí vai me levar!1- Para as fontes de águas fria/ Ele vai me conduzir/ Vou repousar, ganhar força/Vou repousar, ganhar força/ E vontade de sorrir.2- Por caminhos bem traçados/ Ele me faz caminhar/ Nas passagens perigosas/Nas passagens perigosas/ Ele vem me acompanhar.3- Me prepara mesa farta/ De invejar o meu vizinho/ Me abraça e põe perfume/Me abraça e põe perfume/ Enche o meu copo de vinho.4- Me acompanham noite e dia/ Tua força e teu amor/ Vou morar na tua casa/Vou morar na tua casa/ Toda a vida, meu Senhor.Preces espontâneas.Pai NossoCompromissoAnimador: Temos que criar uma cultura de participação nas questões sociais. Às vezesdelegamos a outros para fazer por nós e nos distanciamos. Em relação ao SUS, mesmocom suas falhas é um projeto que tem tudo para melhorar o nosso sistema de saúdepública, basta mais vontade política e também mais participação popular. Para conhecermelhor como anda a saúde em seu município seria bom que cada um busqueinformações sobre a existência ou não de conselhos municipais de saúde. Esta é umamaneira de participar. As conquistas acontecem através do empenho de cada cidadão.Benção FinalO Senhor o abençoe e o guarde! O Senhor lhe mostre seu rosto brilhante e tenha piedadede você! O Senhor lhe mostre seu rosto e lhe conceda a paz! Amém.
  8. 8. 2º Encontro O serviço aos enfermos Saúde e Doença, dois lados da mesma realidade!Ambiente: Colocar na mesa um ramo verde e outro seco, vela e Bíblia.1 – AcolhidaAnimador: Sejam mais uma vez bem vindos e este encontro de preparação para a 22ªRomaria do Trabalhador. Hoje nosso tema será o serviço ao enfermo. Iniciemos emnome da Trindade:Todos: Em nome do Pai, do Filho e Espírito Santo. AmémCantemos juntos e vamos nos acolher mutuamente com abraço fraterno. Canto deacolhida a escolha do grupo.2 - Olhando para a VidaAnimador: A vida, a saúde e a doença são realidades profundas, envoltas em mistérios.Diante delas, as ciências não são capazes de oferecer uma palavra final. Assim, asenfermidades, o sofrimento e a morte se apresentam como realidades duras de seremenfrentadas e contrariam o desejo de vida e bem-estar do ser humano. A experiência dadoença mostra que o ser humano é uma profunda unidade. Não é possível separar corpoe alma. Ninguém escolhe ficar doente. A doença se impõe. Alem de não respeitar nossaliberdade, ela também atrapalha nosso direito de ir e vir. A doença é, por isso, um forteconvite à reconciliação e à harmonia com nosso próprio ser. A doença é também umapelo à fraternidade e à igualdade, pois não discrimina ninguém. Atinge a todos: ricos,pobres, crianças, jovens, idosos. Você já ficou enfermo ou cuidou de alguém doente?Como foi este tempo? Compartilhe sua experiência de vida.
  9. 9. 3 – Ouvido a Palavra de Deus - Lucas 10,25-37Animador: Ouçamos com atenção uma parábola de Jesus no Evangelho de Lucas comesta pergunta na cabeça: quais foram as ações do Samaritano? Cantemos aclamando aPalavra de Deus. Canto de aclamação à escolha do grupo.Leitor: Leitura do Evangelho de Lucas.Um especialista em leis se levantou, e, para tentar Jesus perguntou: «Mestre, o que devofazer para receber em herança a vida eterna?» Jesus lhe disse: «O que é que está escritona Lei? Como você lê?» Ele então respondeu: «Ame o Senhor, seu Deus, com todo oseu coração, com toda a sua alma, com toda a sua força e com toda a sua mente; e aoseu próximo como a si mesmo.» Jesus lhe disse: «Você respondeu certo. Faça isso, eviverá!» Mas o especialista em leis, querendo se justificar, disse a Jesus: «E quem é omeu próximo?» Jesus respondeu: «Um homem ia descendo de Jerusalém para Jericó, ecaiu nas mãos de assaltantes, que lhe arrancaram tudo, e o espancaram. Depois foramembora, e o deixaram quase morto. Por acaso um sacerdote estava descendo por aquelecaminho; quando viu o homem, passou adiante, pelo outro lado. O mesmo aconteceucom um levita: chegou ao lugar, viu, e passou adiante, pelo outro lado. Mas umsamaritano, que estava viajando, chegou perto dele, viu, e teve compaixão. Aproximou-se dele e fez curativos, derramando óleo e vinho nas feridas. Depois colocou o homemem seu próprio animal, e o levou a uma pensão, onde cuidou dele. No dia seguinte,pegou duas moedas de prata, e as entregou ao dono da pensão, recomendando: ‘Tomeconta dele. Quando eu voltar, vou pagar o que ele tiver gasto a mais’.» E Jesusperguntou: «Na sua opinião, qual dos três foi o próximo do homem que caiu nas mãosdos assaltantes?» O especialista em leis respondeu: «Aquele que praticou misericórdiapara com ele.» Então Jesus lhe disse: «Vá, e faça a mesma coisa.»4 – Descobrindo a Palavra na VidaAnimador: Qual a pergunta inicial da parábola feita pelo especialista em leis a Jesus?Qual a pergunta final feita por Jesus ao especialista em leis? Qual a diferença entre asperguntas: “Quem é meu próximo? E Qual se fez próximo?” Quais as ações doSamaritano para com o homem caído à beira do caminho? Como esta parábola podeiluminar nossas ações e sentimentos diante dos sofrimentos e enfermidades?5 – Aprofundando a ConversaLuís: A parábola do Bom Samaritano nos lembra a condição da fragilidade humana.Mas indica que os seguidores de Jesus devem descobrir a importância do cuidado. Osamaritano é aquele que diante do sofrimento do outro se deixa transformar por ele. Nãosó porque cuida do ferido e lhe dá abrigo, mas porque o faz em prejuízo dos seuspróprios planos iniciais.Keyla: Esta atitude é revelada nos sete verbos desta parábola e indicam um modo de serdiante do outro, que pode iluminar o engajamento da Igreja e dos cristãos no campo dasaúde pública:Lara: 1º Ver – a primeira atitude do samaritano que descia pelo caminho foi enxergar arealidade. Não ignorou a presença de alguém caído, de alguém que teve seus direitosviolentados e que se encontro à margem da estrada.Lucely: 2º Compadecer-se – a percepção da presença do caído conduziu o samaritano àatitude de compaixão. Ele deixou-se afetar pela presença do violentado que estava quasemorto. A compaixão desencadeou as demais atitudes tomadas pelo Samaritano.Luís: 3º Aproximar-se – ao contrário dos que vieram antes, o viajante estrangeiroaproximou-se do caído, foi ao seu encontro, não passou adiante. No homem assaltado,ferido, necessitado, reconheceu seu próximo, apesar de muitas diferenças entre ambos.
  10. 10. Keyla: 4º Curar – a presença do outro exige cuidado. A aproximação, a compaixão nãosão simplesmente sentimentos bondosos voltados ao outro. Elas se tornam obra, setransformam em ação que lança mão daquilo que tem para salvar o outro.Lara: 5º Colocar no próprio animal – o samaritano colocou a serviço do outro ospróprios bens. Não temeu oferecer ao desconhecido ferido tudo o que dispunha: seumeio de transporte, o que trazia para seu próprio cuidado e seu dinheiro.Lucely: 6º Levar à hospedaria – mudou seu itinerário e acabou mobilizando eenvolvendo outras pessoas. Nem sempre conseguimos responder a todas as demandas,mas podemos mobilizar outras forças para atender e cuidar de quem sofre.Luís: 7º Cuidar – esse é o sétimo verbo e expressa o conjunto da intervenção dosamaritano. Trata-se de um cuidado coletivo, que envolveu outros personagens, recursosfinanceiros, estruturas que o viajante, não dispunha e o compromisso de retornar. Arazão do retorno é que agora ela incluía outra pessoa, um compromisso que não estavaplanejado no início da viagem, mas não pode mais ser ignorado, cuidar passa a ser umamissão.Lara: A figura do bom samaritano assume a condição de modelo para a açãoevangelizadora da Igreja no campo da saúde e no campo da defesa das políticaspúblicas.6 - Oração e compromissoAnimador: Rezemos todos juntos a Oração da Campanha da Fraternidade deste ano:Senhor Deus de amor, Pai de bondade, nós vos louvamos e agradecemos pelo dom davida, pelo amor com que cuidais de toda a criação. Vosso Filho Jesus Cristo, em suamisericórdia, assumiu a cruz dos enfermos e de todos os sofredores, sobre elesderramou a esperança de vida em plenitude. Enviai-nos, Senhor, o Vosso Espírito. Guiaia vossa Igreja, para que ela, pela conversão se faça sempre mais, solidária às dores eenfermidades do povo, e que a saúde se difunda sobre a terra. Amém.Preces espontâneas.Pai NossoCompromisso: procurar conhecer a grande contribuição das Pastorais da Criança, daSaúde e Pessoa Idosa. Nestas Pastorais, mulheres e homens de boa vontade doam partede seu tempo em defesa da vida. Trabalho que diminuiu o índice de mortalidade infantilno país. A missão da Igreja vai além do espaço sagrado.Benção FinalO Deus da nossa libertação e garantia de nossas vitórias nos abençoe com a força do seuamor, agora e sempre. Amém.Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo.Para sempre seja louvado!
  11. 11. 3º Encontro Saúde e Trabalho Cuidar e defender a vida, eis a missão!Ambiente: Preparar o local com flores, ervas medicinais, cartão do SUS, carteira detrabalho, velas, bíblia, cruz.1 - AcolhidaAnimador: Sejam todos e todas bem vindos ao nosso encontro. É com alegria que nosjuntamos a todos os irmãos das diferentes partes de nossa Diocese para preparar nossacomunidade para nossa 22ª Romaria do Trabalhador que acontecerá dia 6 de maio de2012 em Conceição do Rio Verde. Este ano refletiremos sobre o tema: Saúde, Vida eTrabalho, e o lema: “Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância”(Jo10,10. Estamos vivendo o sonho e a utopia do Reino que é o projeto de Jesus. Hojevamos entender melhor qual é nossa ação e missão diante da realidade da saúde.Iniciemos nosso encontro em nome da Trindade.Todos: Em nome do Pai, do Filho e Espírito Santo. AmémCanto: Momento novo2 – Olhando para a VidaAnimador: O que nós sentimos diante do sofrimento, injustiça e descaso que atingeprincipalmente os pobres que se encontram doentes? Vocês conhecem os direitos doSUS? Saúde é a ausência de doença? Qual é a nossa resposta diante da falta de partilha,do consumismo exagerado, de pessoas sem qualidade de vida, da violação da vida denossa Mãe Terra, da fome, da corrupção?3 - Ouvindo a Palavra de Deus - Ezequiel 37, 1-14
  12. 12. Animador: Vamos ouvir um trecho do livro do profeta Ezequiel. Tenhamos em menteesta pergunta enquanto ouvimos o texto: Quem são estes ossos ressequidos hoje?Este relato pode ser também dramatizado. Pessoas simbolizando mendigos, negros,mulheres e homens moradores de rua, trabalhadores oprimidos, crianças desnutridas,doentes fazem um amontoado no chão, cobertas com trapos. E à medida que a Palavra éproclamada, vão se levantando.Antes cantemos aclamando a Palavra de Deus. Canto: Nova luzLeitor: Leitura da profecia de Ezequiel. A mão de Javé pousou sobre mim e o espíritode Javé me levou e me deixou num vale cheio de ossos. E o espírito me fez circular emtorno deles, por todos os lados. Notei que havia grande quantidade de ossos espalhadospelo vale e que estavam todos secos. Então Javé me disse: «Criatura humana, será queesses ossos poderão reviver?» Eu respondi: «Meu Senhor Javé, és tu que sabes». Entãoele me disse: «Profetize, dizendo: Ossos secos, ouçam a palavra de Javé! Assim diz oSenhor Javé a esses ossos: Vou infundir um espírito, e vocês reviverão. Vou cobrirvocês de nervos, vou fazer com que vocês criem carne e se revistam de pele. Emseguida, infundirei o meu espírito, e vocês reviverão. Então vocês ficarão sabendo queeu sou Javé». Profetizei de acordo com a ordem que havia recebido. Enquanto eu estavaprofetizando, ouvi um barulho e vi um movimento entre os ossos, que começaram a seaproximar um do outro, cada um com o seu correspondente. Observando bem, vi queapareciam nervos, que iam sendo cobertos de carne e que a pele os recobria; mas nãohavia espírito neles. Então Javé acrescentou: «Profetize ao espírito, criatura humana,profetize e diga: Assim diz o Senhor Javé: Espírito, venha dos quatro ventos e soprenestes cadáveres, para que revivam». Profetizei conforme ele havia mandado. O espíritopenetrou neles, e reviveram, colocando-se de pé. Era um exército imenso. Em seguida,Javé me disse: «Criatura humana, esses ossos são toda a casa de Israel. Os israelitasandavam dizendo: ‘Nossos ossos estão secos e nossa esperança se foi. Para nós, tudoacabou’. Pois bem! Profetize e diga: Assim diz o Senhor Javé: Vou abrir seus túmulos,tirar vocês de seus túmulos, povo meu, e vou levá-los para a terra de Israel. Povo meu,vocês ficarão sabendo que eu sou Javé, quando eu abrir seus túmulos, e de seus túmuloseu tirar vocês. Colocarei em vocês o meu espírito, e vocês reviverão. Eu os colocarei emsua própria terra, e vocês ficarão sabendo que eu, Javé, digo e faço - oráculo de Javé»4 - Descobrindo a Palavra na vidaAnimador: O que mais chamou sua atenção nesta leitura e dramatização do textobíblico? O que sentimos e fazemos diante do sofrimento que atinge as pessoas? O quepodemos fazer para bem viver e bem conviver para transformar a vida das pessoas e doplaneta?5 - Aprofundando a ConversaLúcia: Sempre achei que ter saúde é a gente não ficar doente, mas estes dias ouvi daPastoral da Saúde uma definição interessante sobre saúde.Ana Maria: Sou agente de Pastoral da Saúde, sei que a Organização Mundial da Saúde(OMS) define a saúde como “o completo bem estar físico, mental, social e espiritual enão só a simples ausência de doença ou enfermidade”.João: Num encontro sobre saúde do trabalhador, definiram saúde como a resultante dasboas condições de alimentação, trabalho, salário digno, saneamento, habitação, meioambiente, transporte, lazer, educação, liberdade, acesso a terra e aos serviços de saúde.Paulo: Eu entendo que saúde é um dom de Deus e uma conquista da comunidade e decada pessoa individualmente, pois, cada pessoa participa como agente de sua própriasaúde.
  13. 13. Luíza: Para que saúde se concretize e as leis e nossos direitos não fiquem somente nopapel é necessário nossa atuação como Agente Transformador da Realidade,participando dos movimentos populares, associações, pastorais sociais e se fazendorepresentar nos Conselhos Municipais de Saúde como conselheiro de saúde. Lá vamoslutar por mais dignidade e justiça para nossa comunidade, bem como, fiscalizar edeliberar sobre o dinheiro que é gasto com a saúde e com a doença em nosso município.Mateus: Como cidadãos e usuários do SUS nossa ação é defender, promover, protegere cuidar da vida. Só assim seremos agentes de transformação e de defesa da vida.6 - Oração e compromissoAnimador: Rezemos ao Deus da Vida para que nos dê sabedoria e discernimento parasermos fermento na massa defendendo a vida em todas suas formas e circunstâncias.- Deus de Esperança, fortalece em nós a coragem para que coloquemos nossa vida aserviço dos pobres e excluídos de nossa sociedade, nós te pedimos...Todos: Senhor, queremos ser Agentes de Transformação!- Deus de Compaixão, derrama sua ternura e misericórdia sobre todos os aflitos edesanimados, que a força de seu Espírito possa reanimá-los e confortá-los...Todos: Senhor, queremos ser Agentes de Transformação!- Deus dos pobres, dê senso de justiça aos nossos governantes para que não falte aopovo pão, trabalho e moradia...Todos: Senhor, queremos ser Agentes de Transformação!- Deus de Bondade, guia nossos passos na construção de um novo tempo onde aconteçaa solidariedade e a gratuidade...Todos: Senhor, queremos ser Agentes de Transformação!Pai Nosso.Todos: Comprometo-me a ser profeta no meio do povo e a trabalhar para que hajacidadania, dignidade e vida plena para todos os filhos de Deus.(Em seguida passar a vela de mão em mão e dizer com toda a força: Eu assumo ocompromisso)Oremos: Ó Deus, Pai e Mãe, nestes tempos de egoísmo e acúmulo de bens, ensinai-nosa viver valorizando a comunidade e a partilha dos dons e dos bens.Compromisso: Ler no final do livrinho, depois dos cantos, A Carta dos Direitos dosUsuários do SUS.Benção: (Impor as mãos na cabeça de quem está a seu lado)Que o Senhor nos abençoe e nos guarde dos perigos na luta pela justiça, pelatransparência e pela igualdade. Amém. Axé. Awere. Aleluia.Louvado seja Nosso Senhor Jesus CristoPara sempre seja louvado.Canto: Utopia.
  14. 14. Celebração Partindo em RomariaEsta celebração poderá ser feita na véspera da partida em Romaria para Conceição doRio Verde - MG. A comunidade se reúne no lugar combinado, o animador da Romariaacolhe as pessoas e introduz a oração.Abertura- Vem, ó Deus da vida, vem nos ajudar!Vem, não demores mais vem nos libertar!- Como é feliz quem em ti confia,Com fé e esperança vai em romaria!- Nossos pés se apressam para lá chegar,Para Conceição do Rio Verde, vamos caminhar.- Dá-nos com tua força sempre caminhar,Para ver tua face vamos, ó Senhor,- Por uma longa estrada sempre com fervor.Na estrada da justiça vem nos confirmar.- Glória ao Pai, e ao Filho e ao Santo Espírito.Glória à Trindade Santa, glória ao Deus bendito!- Aleluia, irmãs, aleluia, irmãos!Do povo peregrino tragam louvação.Recordação da VidaAnimador: Hoje estamos partindo para a 22a Romaria dotrabalhador. Ela vai acontecer na cidade de Conceição doRio Verde – MG. Vamos repetir todos juntos o tema desteano: “Saúde, Vida e Trabalho”.Todos: “Saúde, Vida e Trabalho”.Animador: Cada um vai pensar no sentido desta Romariado Trabalhador e lembrar os nomes de grupos ecomunidades que estão indo com a gente nesta Romaria etambém de pessoas que a gente leva no coração.Animador: Companheiras e companheiros de caminhada,a Romaria do Trabalhador é uma grande celebração onderecordamos e rezamos a luta do povo trabalhador. É umdos momentos em que as CEBs, as pastorais sociais,sindicatos, partidos políticos, movimentos populares etodos os que acreditam na força dos pequenos e natransformação da nossa realidade tão injusta, encontramesperança e luz para continuarem em seu serviço peloReino de Deus.HinoBendito os Romeiros da Terra1 - Bendita e louvada seja esta santa Romaria!/ Bendito opovo que marcha,bendito o povo que marcha tendo Cristo como guia.
  15. 15. Refrão: Sou, sou teu, Senhor./ Sou povo novo, retirante, lutador!Deus dos peregrinos, dos pequeninos, Jesus Cristo redentor.2 - No Egito antigamente, no meio da escravidão,/ Deuslibertou o seu povo.Hoje ele passa de novo gritando a libertação.3 - Para a terra prometida, o povo de Deus marchou./Moisés andava na frente.Hoje Moisés é agente quando enfrenta o opressor.4 - Que é fraco Deus dá força,/ Quem tem medo sofremais.Quem se une ao companheiro vence todo cativeiro é felize tem a paz.SalmodiaSalmo 121 (120)“Até os cabelos da cabeça de vocês estão todos contados.Não tenham medo!” (Lc 12, 7).Como os antigos peregrinos em suas romarias àJerusalém peçamos ao Senhor que no caminho nosguarde e nos acompanhe.Refrão (Melodia: “Envia teu Espírito” - salmodiado)Ó Senhor, tu és o nosso protetor,/ És o Deus que nos liberta do mal.1 - Eu levanto meus olhos pros montes:/ Onde está quemme ajuda, adonde?...Meu socorro está no Senhor,/ Que os céus e a terraformou!2 - Tu não vais tropeçar nas estradas,/ Acordado estáquem te guarda!Um cochilo tirar pode não/ O vigia da santa nação!3 - O Senhor fica sempre a teu lado,/ Te guardando com todo cuidado!Que o fogo do sol não te açoite,/ Nem a lua te ofenda de noite!4 - Ele vai te livrar dos desastres,/ Ele sempre te afastados males:Te protege no ir, no voltar,/ Toda hora sem nunca faltar!5 - A Deus Pai seja todo louvor,/ E a seu Filho, Jesus ,Salvador,E ao Espírito Santo também,/ Na seqüência dos tempos.Amém!Leitura BíblicaLeitura do Evangelho de Marcos 4, 23-25Jesus andava por toda a Galiléia, ensinando em suassinagogas, pregando a Boa Notícia do Reino, e curandotodo tipo de doença e enfermidade do povo. E a fama deJesus espalhou-se por toda a Síria. Levaram-lhe todos osdoentes atingidos por diversos males e tormentos:endemoninhados, epiléticos e paralíticos. E Jesus os
  16. 16. curou. Numerosas multidões da Galiléia, da Decápole, de Jerusalém, da Judéia e dooutro lado do rio Jordão começaram a seguir Jesus.Meditação - Silêncio - partilha - refrões...PrecesAnimador: Ao Deus peregrino, que acompanhou seu povo em todos os lugares emomentos de sua história, rezemos:Todos: Caminha conosco, ó Senhor!- Para que esta romaria transcorra em paz e sem acidentes, rezemos.- Para que possamos chegar sãos e salvos a nosso destino, rezemos.- Para que nós, Igreja peregrina, nunca nos cansemos da caminhada, rezemos.Preces espontâneas.Pai NossoOremos: Deus dos que caminham, envia teus mensageiros para nos proteger em nossacaminhada! Acompanha-nos com tua própria presença nesta romaria! Acima de tudo,dá-nos a graça de vivermos sempre em comunhão contigo! Por Cristo, nosso Senhor.Amém!BênçãoAnimador: Guie o nosso Deus esta peregrinação e nos dê a sua direção, agora e parasempre. Amém!Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo.Para sempre seja louvado!
  17. 17. 2 - No Egito antigamente, no meio da escravidão, Deus libertou o seu povo. Hoje ele passa de novo gritando a libertação. 3 - Para a terra prometida, o povo de Deus marchou. Moisés andava na frente. Hoje Moisés é agente quando enfrenta o opressor. 4 - Quem é fraco Deus dá força, quem tem medo sofre mais. Quem se une ao companheiro vence todo cativeiro é feliz e tem a paz. 2 -- Liberdade 1. Liberdade vem e canta e saúda este novo sol que vem. Canta com alegria o escondido amor1 - Bendito os Romeiros da Terra que no peito tem.1 - Bendita e louvada seja esta santa Mira o céu azul, espaço aberto pra teRomaria! acolher. (2x)Bendito o povo que marcha 2. Liberdade vem e pisa este firme chãobendito o povo que marcha tendo Cristo de verdes ramagens.como guia. Canta louvando as flores que ao bailarRefrão: Sou, sou teu, Senhor. do vento fazem sua mensagem.Sou povo novo, retirante, lutador! Mira essa flores abraço aberto pra teDeus dos peregrinos, dos pequeninos, acolher. (2x)Jesus Cristo redentor. 3. Liberdade vem e pousa nesta dura América triste e vendida.
  18. 18. Canta com os seus gritos nossos filhos Aleluia, aleluia, vamos lutar que é pramortos e a paz ferida. glória de Deus brilhar.Mira este lugar, desejo aberto pra te 3 - Nosso Deus é a voz que se levanta.acolher. (2x) É o canto, o gemido e o clamor.4. Liberdade, liberdade, és o desejo que É o braço erguido para a luta. É onos faz viver. abraço em nome do amor.És o grande sentido de uma vida pronta É o pé conquistando novo espaço. É apara morrer. terra, é o fruto, é a flor! (2x)Mira o nosso chão banhado em sangue Aleluia, aleluia, vamos amar que é prapra reviver. glória de Deus brilhar.Mira a nossa América banhada em 4 - Nosso Deus está brilhando noite emorte pra renascer. dia, pelos campos e praças do país. É presença na voz da meninada, que3 - Javé o Deus dos pobres convoca um futuro mais feliz.Refrão: Javé o Deus dos pobres, do É a infinita razão da plena vida. Todo opovo sofredor, aqui nos reuniu, para povo cantando hoje bendiz! (2x)cantar o seu louvor. Pra nos dar Aleluia, aleluia, vamos cantar que é praesperança, e contar com sua mão, na glória de Deus brilhar.construção do Reino: reino novo povoirmão. 5 - Fazei ressoar1 - Sua mão sustenta o pobre, ninguém Refrão: Fazei ressoar a Palavra defica ao desabrigo: Deus em todo o lugar! (Bis)Dá sustento a quem tem fome, com a 1 - Na cultura, na história, vamosfina flor do trigo. expressar, levando a Palavra de Deus2 - Alimenta os nossos sonhos, mesmo em todo o lugar. Vamos lá!dentro da prisão; 2 - Na cultura popular, vamosOuve o grito do oprimido, que lhe toca catequizar, celebrar fé e vida em todo oo coração. lugar. Vamos lá!3 - Cura os corações feridos, mostra ao 3 - Com o negro e com o índio, vamosforte o seu poder. louvar, e com a comunidade vamosDos pequenos é defesa: deixa a vida festejar. Vamos lá!florescer. 4 - Com o pandeiro e com a viola, vamos cantar. Animando a nossa luta4 - Olha a glória de Deus em todo lugar. Vamos lá!Refrão: Olha a glória de Deus 5 - Com a atabaque e com tambor,brilhando, aleluia. (Bis) vamos celebrar, a Palavra de Deus em1 - Nosso Deus é o artista do universo. todo o lugar. Vamos lá!É a fonte da luz, do ar, da cor. 6 - O Evangelho é a Palavra que DeusÉ o som, é a música, é a dança. É o mar programou. Só ele é o caminho, ajangadeiro e pescador. verdade, a vida e amor.É o seio materno sempre fértil, é beleza 7 - Juventude caminho aberto, vamos, é pureza e é calor! (2x) construir. Fraternidade, libertaçãoAleluia, aleluia, vamos criar que é pra vamos transmitir. Vamos lá!glória de Deus brilhar.2 - Nosso Deus é o caminho e a 6 - Força de pazcaminhada, dos seu povo pra libertação. 1 - O Pão sofrido da terra na mesa daOnde quer que esteja o oprimido, é Javé refeição; o pão partido na mesa se tornaque promove a redenção. certeza e se faz comunhão. O corpo doEle quebra a força do tirano, e garante a meu Senhor é foça viva de paz. (2x)vitória da união! (2x)
  19. 19. 2 - Vinho de festa e alegria é vida no A mesa da Eucaristia nos quer ensinar -coração; vinho bebido na luta se torna á, áconduta de libertação. O sangue do Que a ordem de Deus nosso Pai é o pãomeu Senhor é força viva de paz. (2x) partilhar.3 - Palavra viva do Reino na boca de Refrão: Pão em todas as mesas, dacada irmão; palavra que fortalece, Páscoa a nova certeza (A festa haveráanima e esclarece a nossa união. Palavra e o povo a cantar, aleluia) bisdo meu Senhor é força viva de paz. (2x) 2 - As forças da morte: a injustiça e a4 - Ceia sagrada aliança, ato supremo de ganância de ter - de teramor; ceia, encontro e esperança de Agindo naqueles que impedem o pobreJesus com a gente transformando a dor. viver - viverA ceia do meu Senhor é força viva de Sem terra trabalho e comida, a vida nãopaz. (2x) há - não há5 - Louvor que nasce da história, do dia- Quem deixa assim e não age, a festa nãoa-dia do povo; louvor ao Deus vai celebrar.verdadeiro, fiel justiceiro, Pai do mundo 3 - Irmãos, companheiros na luta,novo. O nome do meu Senhor é força vamos dar as mãos - as mãosviva de paz. (2x) Na grande corrente de amor, na feliz comunhão - irmãos7 - Se Calarem A Voz Dos Profetas Unindo a peleja e a certeza vamos1 - Se calarem a voz dos profetas, a construir - aquipedras falarão. Se fecharem uns poucos Na terra o projeto de Deus, todo o povocaminhos, mil trilhas nascerão. Muito a sorrirtempo não dura a verdade, nestas 4 - Que em todas as mesas de pobremargens estreitas demais Deus criou o haja festa de pão - de pãoinfinito pra vida se sempre mais. E as mesas dos ricos vazias semRefrão: É Jesus este pão de concentração - de pãoigualdade, viemos pra comungar com Busquemos aqui nesta mesa do Pãoa luta sofrida do povo, que quer ter Redentor - do céuvoz, ter vez, lugar. Comungar é A força e a esperança que anima o povotornar-se um perigo, viemos pra de Deusincomodar, com a fé e união, nosso 5 - Bendito o ressuscitado, Jesuspassos um dia vão chegar. vencedor - ô ô2 - O Espírito é um vento incessante, No pão partilhado, a presença ele nosnada há de o prender. Ele sopra até no deixou - deixouabsurdo que a gente não quer ver. Muito Bendita é a vida nascida de quem setempo não dura a verdade, nestas arriscou - ô, ômargens estreitas demais Deus criou o Na luta pra ver triunfar neste mundo oinfinito pra vida se sempre mais. amor.3 - No banquete da festa de uns poucos,só rico se sentou. Nosso Deus fica ao 9 - Momento Novolado dos pobres colhendo o que sobrou. 1 - Deus chama a gente pra umMuito tempo não dura a verdade, nestas momento novo de caminhar junto commargens estreitas demais Deus criou o seu povo. É hora de transformar o queinfinito pra vida se sempre mais. não dá mais: Sozinho, isolado, ninguém8 - Pão em todas as mesas é capaz. Por isso vem! Entra na roda1 - A mesa tão grande e vazia de amor e com a gente, também! Você é muitode paz - de paz importante! Vem! (bis)Onde há o luxo de alguns alegria não há 2 - Não é possível crer que tudo é fácil,- jamais Há muita força que produz a morte,
  20. 20. Gerando dor, tristeza e desolação. sambar de verdade, vamos pisar sobre aÉ necessário unir o cordão. dor.3 - a força que hoje faz brotar a vida 4 - Vou convidar a criançada e aAtua em nós pela sua graça juventude, tocadores nos ajudem, vamosÉ Deus que nos convida pra trabalhar, cantar por aí. O nosso canta vai encherO amor repartir e as forças juntar. todo o país, velho vi dançar feliz, quem chorou, vai ter que rir.10 - Vence a Tristeza 5 - Desempregados, pescadores,Refrão: Vence a tristeza, enxuga o desprezados e os marginalizados,pranto, ó meu povo/ Vem cantar um venham todos se juntar à nossa marchacanto novo/ Deus da vida aqui está pra nova sociedade. Que nos ama de(bis). verdade pode vir, tem um lugar.1 - Quem ama a Deus e está unido ao 6 - Vamos chamar Oneida, Rosa, Ana eseu irmão/ não há porque ficar com Maria/ a mulher que noite e dia luta emedo e sem saber/ o que vai ser do faz nascer o amor./ E reunidos no altarmundo amanhã/ quem da fome vai da liberdade/ vamos cantar a verdade/sobreviver/ está em nós a luz do amor vamos pisar sobre a dor.que vai vencer.2 - O Pobre grita e o seu grito não é em 12 - Deus Nos Abençoevão/ e cada esforço em nome dele vai Refrão: Deus nos abençoe, Deus nosvaler/ é por isso que vou cantar/ Deus dê a paz!/ A paz que só o amor é queamigo me escuta e me vê/ semente boa nos traz!está na terra e vai nascer. 1 - A paz na nossa vida, no nosso3 - Com é bonito ó meu Deus, a terra, o coração/ E a benção para toda criação!mar,/ a flor, o pássaro e a mão 2 - A paz na nossa casa, nas ruas, noplantando a paz/ tudo é nosso e nós país/ E a bênção da justiça que Deussomos irmãos/ o futuro é a gente que quis!faz/ Deus é amor quem amar sempre é 3 - A paz pra quem viaja, a paz pracapaz. quem ficou/ E a bênção do conforto a quem chorou!11 - Baião das Comunidades 4 - A paz entre as igrejas e nas religiões/Refrão: Somos Gente nova vivendo a E a bênção da irmandade entre asunião somos povo: semente de uma nações!nova nação. Ê, ê. Somos Gente nova, 5 - A paz pra toda a terra e a terra aovivendo o amor somos comunidade, lavrador/ E a bênção da fartura e dopovo do Senhor. Ê, ê. louvor!1 - Vou convidar os meus irmãostrabalhadores, operários, lavradores,biscateiros e outros mais e juntos vamoscelebrar a confiança nossa luta naesperança de ter terra, pão e paz.2 - Vou convidar os índios que aindaresistem, as tribos que ainda insistem nodireito de viver. E juntos vamos,reunidos na memória, celebrar umavitória que vai ter que acontecer.3 - Convido os negros, irmãos nosangue e na sina, seu gingado nosensina a dança da redenção. De braçosdados, no terreiro da irmandade, vamos
  21. 21. Bandeira que o povo assumiu13 - Jesus Cristo, Esperança do No verde esperança sem fogoMundo Bandeira que o povo assumiu1 - Um pouco além do presente/ alegre, A ordem é ninguém passar fomeo futuro anuncia/ a fuga das sombras da Progresso é o povo feliznoite,/ a luz de um bem novo dia. A Reforma Agrária é a voltaRefrão: venha teu Reino, Senhor!/ A Do agricultor à raizfesta da vida recria./ / A nossa espera A Reforma Agrária é a voltae ardor/ transforma em plena Do agricultor à raizalegria:/ / Aê, eá, aê, aê, aiá.2 - Botão de esperança se abre,/ 15 - O Que É, O Que É?prenúncio da flor que se faz,/ promessa - Eu fico/ Com a pureza/ Da respostada tua presença/ que viva abundante nos das crianças/ É a vida, é bonita/ E étraz. bonita...3 - Saudade da terra sem males,/ do - Viver!/ E não ter a vergonha/ De serÉden de plumas e flores,/ da paz e feliz/ Cantar e cantar e cantar/ A belezajustiça irmanadas/ num mundo se ódio de ser/ Um eterno aprendiz...nem dores. - Ah meu Deus!/ Eu sei, eu sei/ Que a4 - Saudades de um mundo sem guerras/ vida devia ser/ Bem melhor e será/ MasAnelos de paz e inocência:/ de corpos e isso não impede/ Que eu repita/ Émãos/ que se encontram./ sem armas, bonita, é bonita/ E é bonita...sem mortes, violência. - E a vida!/ E a vida o que é?/ Diga lá,5 - Saudades de um mundo sem donos:/ meu irmão/ Ela é a batida/ De umausência de fortes e fracos,/ derrota de coração/ Ela é uma doce ilusão/ Hê!todo o sistema/ que cria palácios, Hô!...barracos. - E a vida/ Ela é maravilha/ Ou é6 - Já temos preciosa semente,/ Penhor sofrimento?/ Ela é alegria/ Oudo teu Reino, agora./ Futuro ilumina o lamento?/ O que é? O que é?/ Meupresente,/ tu vens e virás sem demora. irmão... - Há quem fale/ Que a vida da gente/ É14 - Ordem e Progresso: um nada no mundo/ É uma gota, é umEsse é o nosso país tempo/ Que nem dá um segundo...Essa é a nossa bandeira - Há quem fale/ Que é um divino/É por amor a essa pátria Brasil Mistério profundo/ É o sopro doQue a gente segue em fileira criador/ Numa atitude repleta de amor...1 - Queremos que abrace essa terra - Você diz que é luta e prazer/ Ele dizPor ela quem sente paixão que a vida é viver/ Ela diz que melhor éQuem põe com carinho a semente morrer/ Pois amada não é/ E o verbo éPra alimentar a nação sofrer...Quem põe com carinho a semente - Eu só sei que confio na moça/ E naPra alimentar a nação moça eu ponho a força da fé/ Somos nósAmarelos são os campos floridos que fazemos a vida/ Como der, ouAs faces agora rosadas puder, ou quiser...Se o branco da paz se irradia - Sempre desejada/ Por mais que estejaVitória das mãos calejadas errada/ Ninguém quer a morte/ Só saúdeSe o branco da paz se irradia e sorte...Vitória das mãos calejadas - E a pergunta roda/ E a cabeça agita/2 - Queremos mais felicidades Eu fico com a pureza/ Da resposta dasNo céu deste olhar cor de anil crianças/ É a vida, é bonita/ E é bonita...No verde esperança sem fogo
  22. 22. 16 - Hino da Campanha da veremos mundo novo, Com maisFraternidade 2012 justiça, mais saúde, mais beleza!1. Ah! Quanta espera, desde as frias 4. Ah! Na saúde já é quase escuridão,madrugadas,/ Pelo remédio para aliviar Fica conosco nessa noite, meu Senhor,/a dor!/ Este é teu povo, em longas filas Tu que enxergaste, do teu povo, anas calçadas,/ A mendigar pela saúde, aflição/ E que desceste pra curar a suameu Senhor! dor.- Ref. Tu, que vieste pra que todos 5. Ah! Que alegria ver quem cuidatenham vida,/ Cura teu povo dessa dessa gente/ Com a compaixão daqueledor em que se encerra;/ Que a fé nos bom samaritano./ Que se converta essesalve e nos dê força nessa lida,/ E que trabalho na semente/ De um tratamentoa saúde se difunda sobre a terra! para todos mais humano!2. Ah! Quanta gente que, ao chegar aos 6. Ah! Meu Senhor, a dor do irmão é ahospitais,/ Fica a sofrer sem leito e sem tua cruz!/ Sê nossa força, nossa luz emedicamento!/ Olha, Senhor, a gente salvação!/ Queremos ser aquele toque,não suporta mais,/ Filho de Deus com meu Jesus, / Que traz saúde pro doente,esse indigno tratamento! nosso irmão!3. Ah! Não é justo, meu Senhor, ver oteu povo/ Em sofrimento e privaçãoquando há riqueza!/ Com tua força, nós Carta dos Direitos dos Usuários da Saúde O Ministério da Saúde, o dará de forma incondicional, emConselho Nacional de Saúde e a qualquer unidade do sistema.Comissão Intergestora Tripartite III. Em caso de risco de vida ou lesãoapresentam a Carta dos Direitos dos grave, deverá ser assegurada a remoçãoUsuários da Saúde e convidam todos os do usuário em condições seguras, quegestores, profissionais de saúde, não implique maiores danos, para umorganizações civis, instituições e estabelecimento de saúde compessoas interessadas para que capacidade para recebê-lo.promovam o respeito destes direitos e IV. O encaminhamento à Atençãoassegurem seu reconhecimento efetivo e Especializada e Hospitalar serásua aplicação. estabelecido em função da necessidade O PRIMEIRO PRINCÍPIO de saúde e indicação clínica, levando-seassegura ao cidadão o acesso em conta critérios de vulnerabilidade eordenado e organizado aos sistemas risco com apoio de centrais dede saúde, visando a um atendimento regulação ou outros mecanismos quemais justo e eficaz. facilitem o acesso a serviços deTodos os cidadãos têm direito ao acesso retaguarda.às ações e aos serviços de promoção, V. Quando houver limitaçãoproteção e recuperação da saúde circunstancial na capacidade depromovidos pelo Sistema Único de atendimento do serviço de saúde, ficaSaúde: sob responsabilidade do gestor local aI. O acesso se dará prioritariamente pronta resolução das condições para opelos Serviços de Saúde da Atenção acolhimento e devido encaminhamentoBásica próximos ao local de moradia. do usuário do SUS, devendo serII. Nas situações de prestadas informações claras ao usuáriourgência/emergência, o atendimento se sobre os critérios de priorização do
  23. 23. acesso na localidade por ora c) exames solicitados;indisponível. A prioridade deve ser d) objetivos dos procedimentosbaseada em critérios de vulnerabilidade diagnósticos, cirúrgicos, preventivos ouclínica e social, sem qualquer tipo de terapêuticos;discriminação ou privilégio. e) riscos, benefícios e inconvenientesVI. As informações sobre os serviços de das medidas diagnósticas e terapêuticassaúde contendo critérios de acesso, propostas;endereços, telefones, horários de f) duração prevista do tratamentofuncionamento, nome e horário de proposto;trabalho dos profissionais das equipes g) no caso de procedimentosassistenciais devem estar disponíveis diagnósticos e terapêuticos invasivos ouaos cidadãos nos locais onde a cirúrgicos, a necessidade ou não deassistência é prestada e nos espaços de anestesia e seu tipo e duração, partes docontrole social. corpo afetadas pelos procedimentos,VII. O acesso de que trata o caput inclui instrumental a ser utilizado, efeitosas ações de proteção e prevenção colaterais, riscos ou conseqüênciasrelativas a riscos e agravos à saúde e ao indesejáveis, duração prevista dosmeio ambiente, as devidas informações procedimentos e tempo de recuperação;relativas às ações de vigilância sanitária h) finalidade dos materiais coletadose epidemiológica e os determinantes da para exames;saúde individual e coletiva. i) evolução provável do problema deVIII. A garantia à acessibilidade implica saúde;o fim das barreiras arquitetônicas e de j) informações sobre o custo dascomunicabilidade, oferecendo intervenções das quais se beneficiou ocondições de atendimento adequadas, usuário.especialmente a pessoas que vivem com III. Registro em seu prontuário, entredeficiências, idosos e gestantes. outras, das seguintes informações, de O SEGUNDO PRINCÍPIO modo legível e atualizado:assegura ao cidadão o tratamento a) motivo do atendimento e/ouadequado e efetivo para seu internação, dados de observação clínica,problema, visando à melhoria da evolução clínica, prescrição terapêutica,qualidade dos serviços prestados. avaliações da equipe multiprofissional,É direito dos cidadãos ter atendimento procedimentos e cuidados deresolutivo com qualidade, em função da enfermagem e, quando for o caso,natureza do agravo, com garantia de procedimentos cirúrgicos e anestésicos,continuidade da atenção, sempre que odontológicos, resultados de examesnecessário, tendo garantidos: complementares laboratoriais eI. Atendimento com presteza, tecnologia radiológicos;apropriada e condições de trabalho b) registro da quantidade de sangueadequadas para os profissionais da recebida e dados que permitamsaúde. identificar sua origem, sorologiasII. Informações sobre o seu estado de efetuadas e prazo de validade;saúde, extensivas aos seus familiares c) identificação do responsável pelase/ou acompanhantes, de maneira clara, anotações.objetiva, respeitosa, compreensível e IV. O acesso à anestesia em todas asadaptada à condição cultural, situações em que for indicada, bemrespeitados os limites éticos por parte da como a medicações e procedimentosequipe de saúde sobre, entre outras: que possam aliviar a dor e o sofrimento.a) hipóteses diagnósticas;b) diagnósticos confirmados;
  24. 24. V. O recebimento das receitas e características genéticas, condiçõesprescrições terapêuticas, que devem econômicas ou sociais, estado de saúde,conter: ser portador de patologia ou pessoaa) o nome genérico das substâncias vivendo com deficiência, garantindo-prescritas; lhes:b) clara indicação da posologia e I. A identificação pelo nome edosagem; sobrenome, devendo existir em todoc) escrita impressa, datilografadas ou documento de identificação do usuáriodigitadas, ou em caligrafia legível; um campo para se registrar o nome pelod) textos sem códigos ou abreviaturas; qual prefere ser chamado,e) o nome legível do profissional e seu independentemente do registro civil,número de registro no órgão de controle não podendo ser tratado por número,e regulamentação da profissão; nome da doença, códigos, de modof) a assinatura do profissional e data. genérico, desrespeitoso ouVI. O acesso à continuidade da atenção preconceituoso.com o apoio domiciliar, quando II. Profissionais que se responsabilizempertinente, treinamento em autocuidado por sua atenção, identificados por meioque maximize sua autonomia ou de crachás visíveis, legíveis ou poracompanhamento em centros de outras formas de identificação de fácilreabilitação psicossocial ou em serviços percepção.de menor ou maior complexidade III. Nas consultas, procedimentosassistencial. diagnósticos, preventivos, cirúrgicos,VII. Encaminhamentos para outras terapêuticos e internações,unidades de saúde, observando: o respeito a:a) caligrafia legível ou a) integridade física;datilografados/digitados ou por meio b) privacidade e conforto;eletrônico; c) individualidade;b) resumo da história clínica, hipóteses d) seus valores éticos, culturais ediagnósticas, tratamento realizado, religiosos;evolução e o motivo do e) confidencialidade de toda e qualquerencaminhamento; informação pessoal;c) a não utilização de códigos ou f) segurança do procedimento;abreviaturas; g) bem-estar psíquico e emocional.d) nome legível do profissional e seu IV. O direito ao acompanhamento pornúmero de registro no órgão de controle pessoa de sua livre escolha nase regulamentação da profissão, assinado consultas, exames e internações, noe datado; momento do pré-parto, parto e pós-partoe) identificação da unidade de referência e em todas as situações previstas em leie da unidade referenciada. (criança, adolescente, pessoas vivendo O TERCEIRO PRINCÍPIO com deficiências ou idoso). Nas demaisassegura ao cidadão o atendimento situações, ter direito a acompanhanteacolhedor e livre de discriminação, e/ou visita diária, não inferior a duasvisando à igualdade de tratamento e a horas durante as internações,uma relação mais pessoal e saudável. ressalvadas as situações técnicas nãoÉ direito dos cidadãos atendimento indicadas.acolhedor na rede de serviços de saúde V. Se criança ou adolescente, em casosde forma humanizada, livre de qualquer de internação, continuidade dasdiscriminação, restrição ou negação em atividades escolares, bem comofunção de idade, raça, cor, etnia, desfrutar de alguma forma de recreação.orientação sexual, identidade de gênero,
  25. 25. VI. A informação a respeito de anteriormente poderão ser revogados adiferentes possibilidades terapêuticas de qualquer instante, por decisão livre eacordo com sua condição clínica, esclarecida, sem que lhe sejamconsiderando as evidências científicas e imputadas sanções morais,a relação custo-benefício das administrativas ou legais.alternativas de tratamento, com direito à VI. Não ser submetido a nenhumrecusa, atestado na presença de exame, sem conhecimento etestemunha. consentimento, nos locais de trabalhoVII. A opção pelo local de morte. (pré-admissionais ou periódicos), nosVIII. O recebimento, quando internado, estabelecimentos prisionais e de ensino,de visita de médico de sua referência, públicos ou privados.que não pertença àquela unidade VII. A indicação de um representantehospitalar, sendo facultado a esse legal de sua livre escolha, a quemprofissional o acesso ao prontuário. confiará a tomada de decisões para a O QUARTO PRINCÍPIO eventualidade de tornar-se incapaz deassegura ao cidadão o atendimento exercer sua autonomia.que respeite os valores e direitos do VIII. Receber ou recusar assistênciapaciente, visando a preservar sua religiosa, psicológica e social.cidadania durante o tratamento. IX. Ter liberdade de procurar segundaO respeito à cidadania no Sistema de opinião ou parecer de outro profissionalSaúde deve ainda observar os seguintes ou serviço sobre seu estado de saúde oudireitos: sobre procedimentos recomendados, emI. Escolher o tipo de plano de saúde que qualquer fase do tratamento.melhor lhe convier, de acordo com as X. Ser prévia e expressamenteexigências mínimas constantes na informado quando o tratamentolegislação, e ter sido informado pela proposto for experimental ou fizer parteoperadora da existência e de pesquisa, decidindo de forma livre edisponibilidade do plano referência. esclarecida, sobre sua participação.II. O sigilo e a confidencialidade de XI. Saber o nome dos profissionais quetodas as informações pessoais, mesmo trabalham nas unidades de saúde, bemapós a morte, salvo quando houver como dos gerentes e/ou diretores eexpressa autorização do usuário ou em gestor responsável pelo serviço.caso de imposição legal, como situações XII. Ter acesso aos mecanismos dede risco à saúde pública. escuta para apresentar sugestões,III. Acesso a qualquer momento, do reclamações e denúncias aos gestores epaciente ou terceiro por ele autorizado, às gerências das unidades prestadorasa seu prontuário e aos dados nele de serviços de saúde e às ouvidorias,registrados, bem como ter garantido o sendo respeitada a privacidade, o sigiloencaminhamento de cópia a outra e a confidencialidade.unidade de saúde, em caso de XIII. Participar dos processos detransferência. indicação e/ou eleição de seusIV. Recebimento de laudo médico, representantes nas conferências, nosquando solicitar. conselhos nacional, estadual, do DistritoV. Consentimento ou recusa de forma Federal, municipal e regional oulivre, voluntária e esclarecida, depois de distrital de saúde e conselhos gestoresadequada informação, a quaisquer de serviços.procedimentos diagnósticos, O QUINTO PRINCÍPIOpreventivos ou terapêuticos, salvo se assegura as responsabilidades que oisso acarretar risco à saúde pública. O cidadão também deve ter para queconsentimento ou a recusa dados
  26. 26. seu tratamento aconteça de forma do espaço de saúde, desde que estejamadequada. em consonância com esta carta.Todo cidadão deve se comprometer a: X. Atentar para situações da sua vidaI. Prestar informações apropriadas nos cotidiana em que sua saúde esteja ematendimentos, nas consultas e nas risco e as possibilidades de redução dainternações sobre queixas, enfermidades vulnerabilidade ao adoecimento.e hospitalizações anteriores, história de XI. Comunicar aos serviços de saúde ouuso de medicamentos e/ou drogas, à vigilância sanitária irregularidadesreações alérgicas e demais indicadores relacionadas ao uso e à oferta dede sua situação de saúde. produtos e serviços que afetem a saúdeII. Manifestar a compreensão sobre as em ambientes públicos e privados.informações e/ou orientações recebidas XII. Participar de eventos de promoçãoe, caso subsistam dúvidas, solicitar de saúde e desenvolver hábitos eesclarecimentos sobre elas. atitudes saudáveis que melhorem aIII. Seguir o plano de tratamento qualidade de vida.recomendado pelo profissional e pela O SEXTO PRINCÍPIOequipe de saúde responsável pelo seu assegura o comprometimento doscuidado, se compreendido e aceito, gestores para que os princípiosparticipando ativamente do projeto anteriores sejam cumpridos.terapêutico. Os gestores do SUS, das três esferas deIV. Informar ao profissional de saúde governo, para observância dessese/ou à equipe responsável sobre princípios, se comprometem a:qualquer mudança inesperada de sua I. Promover o respeito e o cumprimentocondição de saúde. desses direitos e deveres com a adoçãoV. Assumir responsabilidades pela de medidas progressivas para suarecusa a procedimentos ou tratamentos efetivação.recomendados e pela inobservância das II. Adotar as providências necessáriasorientações fornecidas pela equipe de para subsidiar a divulgação desta carta,saúde. inserindo em suas ações as diretrizesVI. Contribuir para o bem-estar de relativas aos direitos e deveres dostodos que circulam no ambiente de usuários, ora formalizada.saúde, evitando principalmente ruídos, III. Incentivar e implementar formas deuso de fumo, derivados do tabaco e participação dos trabalhadores ebebidas alcoólicas, colaborando com a usuários nas instâncias e nos órgãos delimpeza do ambiente. controle social do SUS.VII. Adotar comportamento respeitoso e IV. Promover atualizações necessáriascordial com os demais usuários e nos regimentos e estatutos dos serviçostrabalhadores da saúde. de saúde, adequando-os a esta carta.VIII. Ter sempre disponíveis para V. Adotar formas para o cumprimentoapresentação seus documentos e efetivo da legislação e normatizações doresultados de exames que permanecem sistema de saúde.em seu poder.IX. Observar e cumprir o estatuto, oregimento geral ou outros regulamentos
  27. 27. Notícias 13º Intereclesial das CEBs O 13º Intereclesial das CEBs acontecerá de 7 a 11 de janeiro de 2014, em Crato,no Ceará, com o tema “Justiça e profecia a serviço da vida”.
  28. 28. Oração do 13º Intereclesial das CEBs Dom Pedro Casaldáliga Deus da vida e do amor, Pai de Jesus e Pai nosso, Santíssima Trindade, a melhor comunidade: abençoai as nossas CEBs, rumo ao 13º Intereclesial, que iremos celebrar no coração alegre e forte do Nordeste, nas terras do Pe. Cícero e do Pe. Ibiapina, do beato Zé Lourenço e da beata Maria de Araújo, e de tantos sofredores e lutadores, profetas e mártires da caminhada, no Brasil, em Nossa América, no Mundo solidário. Ajudai-nos a reacender sempre mais a nossa paixão pelo Reino, no seguimento de Jesus. À luz da Bíblia e na mesa da Eucaristia, na opção pelos pobres, em diálogo ecumênico e ecológico, na defesa dos Direitos Humanos, sobretudo dos Povos Indígenas e Quilombolas. No cuidado da Terra, nossa mãe. Em família e na comunidade eclesial, no trabalho, na política, no movimento popular, crianças, jovens e adultos, mulheres e homens.Denunciando a economia neoliberal dos grandes projetos depredadores, da seca, da cerca, do consumismo e da exclusão. Mãe das Dores e das Alegrias, ensinai-nos a sermos CEBs romeiras do Reino, no campo e na cidade, fermento de justiça, de profecia e de esperança pascal. Proclamando a Boa Nova do Evangelho sobretudo com a própria vida, que é “o melhor presente que Deus nos deu”. Amém , axé, auerê, aleluia!
  29. 29. O Cartaz do 13º Intereclesial de CEBs; Artista - Marcos Aurélio Guimarães Rabello O Cartaz foi inspirado no traço da xilogravura presente na literatura de cordel eexpressão típica da cultura nordestina. No centro, encontramos a cruz do crucificado ressuscitado, de onde emanam asfitas votivas identificando as três pessoas da Trindade Santa, encontrando na outraextremidade a Palavra de Deus, experiência concreta de fé e vida. Da cruz emerge também os raios da “terra do sol”, Juazeiro do Norte no Ceará,plantada sob o chapéu do romeiro que busca seu abrigo no Pai do céu. No chapéuencontramos no santinho devocionário o mapa da América Latina, indicando a unidadedas CEBs antenadas no desafio da evangelização do campo e da cidade, contextualizadapela situação sócio-política dos tempos atuais. Na aba do chapéu encontramos a memória do trem das CEBs, acolhendo o 13ºvagão que chega de encontro a esta experiência de comunhão com as várias culturaspresentes nos interecleiais. Sob esta proteção e mística temos o movimento dos romeiros do Reino,comunidades de homens e mulheres, crianças e adultos, jovens e idosos, trabalhadores edesempregados da cidade e do campo, vocações religiosas e leigas, que unidas aopadrinho Pe. Cícero expressam em romaria que “gente simples, fazendo coisaspequenas, em lugares não importantes, conseguem mudanças extraordinárias”;demonstrando a grande certeza na esperança teimosa da flor do mandacaru queacreditamos na justiça e na profecia a serviço da vida. Congresso Continental de Teologia O ano 2012 será um ano muito significativo para a Igreja na América Latina eCaribe: são os 50 anos da inauguração do Concílio Vaticano II, celebrada pelo papaJoão XXIII, e os 40 anos da publicação do livro Teologia da Libertação. Perspectivas,de Gustavo Gutiérrez, que inaugura a rica trajetória da teologia em nosso continente. Nomarco destes dois acontecimentos que marcaram a Igreja em geral, particularmente naAmérica Latina, está a proposta de um Congresso Continental de Teologia. Com o novo impulso dado por Aparecida à tradição latino-americana, omomento atual é muito oportuno para mobilizar a comunidade teológica no continente,depois de anos particularmente difíceis, marcado por tensões, desencantamentos, faltade perspectivas, dispersão e, inclusive, certa desmobilização dos teólogos e teólogas. A finalidade do Congresso Continental é, sobretudo, olhar para o futuro, umcongresso prospectivo, que se pergunte sobre os desafios e tarefas futuras da teologia naAmérica Latina, a partir do nosso novo contexto cultural, social, político, econômico,ecológico, religioso e eclesial, globalizado e excludente. www.unisinos.br/eventos/congresso-de-teologia/

×