Fábulas recitadas e cantadas (1)

765 visualizações

Publicada em

Peça teatral que será encenada pela professora para o uso da biblioteca Maria Aparecida de Almeida, Escola Estadual Joaquim Nunes-NEEC- Biblioteca Juarez Gomes de Sá.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
765
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fábulas recitadas e cantadas (1)

  1. 1. Fábulas recitadas e cantadas Alunos: “Sinhá Olivia quem é Você? Sinhá Olivia quem é você? Conte para gente saber. Conte pra gente saber “ Sinhá Olivia: Não sou daqui, eu vim de lá Não sou daqui eu vim de lá Só para histórias contar Sá para histórias contar Sinhá Olivia:A raposa e as uvas Com as pernas já cansadas E a barriga tão vazia A Raposa viu uns cachos E deu pulos de alegria Tentava apanhar as uvas
  2. 2. Mas cansava-se em vão E a alegria que tivera Tornou-se desilusão Enganando-se a si mesma Por não conseguir tê-las Disse então que eram verdes Só cães podiam comê- lãs. Mas quando ao ir-se embora, Ouviu um leve ruído Voltou-se com a esperança De ter caído um cacho. Alunos: “ Sinhá Olivia quem é você... Sinhá Olivia: A cigarra e a formiga Durante todo o verão Que bem cantou a cigarra
  3. 3. De dia estava na praia À noite, ia parafarra Ficou no campo a formiga Pensando no seu celeiro O esforço do seu trabalho Rendeu-lhe um bom dinheiro. O inverno só trouxe frio e nada para comer À porta do formigueiro foi a cigarra bater Durante todo verão Cantei pra te alegrar Dá- me um pouco de comida. Pra eu poder jantar Enquanto te divertias Eu estava a trabalhar Cantavas todos os dias Agora vai lá dançar. Alunos: Sinhá Olivia quem é você... Sinhá Olivia: O pavão
  4. 4. Lamentava-se o pavão De não cantar nada bem De não ter voz bonita Que o rouxinol sempre tem Não reclames disse Deus Pavãozinho despeitado Não vez que pelas tuas cores És famoso em todo lado. Cada um tem seu encanto A águia tem a coragem O melro tem o seu canto O pavão rica plumagem A ave compreendeu Não se podia queixar Ninguém é perfeito em tudo
  5. 5. Em tudo há que se alegrar. Alunos: Sinhá Olivia quem é você... Sinhá Olívia: O corvo e a Raposa No ramo de um arbusto O corvo mostrava um queijo A raposa aproximou-se Atraída pelo desejo Muita esperta, a raposa Passou a elogiar o corvo As suas penas e o canto E até a forma de andar. Cego pelo seu orgulho O corvo pôs-se a cantar O queijo caiu do bico
  6. 6. E a raposa foi parar. Alunos: Sinhá Olívia quem é você... Sinhá Olivia: O leão , o rei da selva O leão, o rei da selva perdeu as forças e poder Tornou-se apenas um velho Preparado pra morrer Os burros davam-lhe coice E os lobos dentadas Gazelas faziam troça E os bois davam chifradas Mal conseguiarugir O cansado rei leão Chegara a hora de os fracos
  7. 7. Lhe poderem dizer não. Sinhá Olivia: agora para terminarum conto vou- lhes contar. Chapeuzinho Vermelho Um dia o senhor lobo que andava a passear Avistou a Chapeuzinho e foi logo perguntar: -Aonde vais, ò menina com essalinda cestinha? -Vou levar bolo e mel à minha avozinha. Mais depressa foi o lobo à casa da vovozinha Enquanto ia praticando falar com voz de netinha. Alguém bate a porta Quem está a bater?
  8. 8. É a tua querida netinha -Ai meu Deus é o lobo mau. Não te como avozinha. Que grande são os teus olhos! -São para te observar. -Que grande é o teu nariz ! -É para te cheirar. -Que grandes são tuas mãos! - São para te tocar. -Que grande é a tua boca! É pra melhor te beijar. Sinhá Olivia: Estas histórias meninos vocês podem encontrar na biblioteca do NEEC , é só ir lá pra Procurar.Um beijo pra vocês todos, eu agora vou deixar. Sai Cantando: “ Entrou por uma porta saiu pela outra, quem quiser que conte outra...” ( Poesias de Antônio José Ferreira- adaptação das fábulas La Fontaine.Peça de Maria Aparecida de Almeida.)

×