A mais bela prenda de anos Naquela sexta-feira, 12 de Junho, Anne acorda às seis
da manhã. Compreende-se: é o seu dia de a...
No n.° 307 da Rua Marbach, Otto, Edith e Margot ocupam os dois primeiros andares do lado
direito. Mudam-se para aqui quand...
Papá e os seus tesouros,
escreverá mais tarde Anne no
seu álbum como legenda desta
fotografia que data de 1930. Anne
e Mar...
10 de Março de 1933.
Os maiores frios do Inverno passaram.
Anne e Margot já só usam meias até
aos joelhos, embora continue...
Adolfo Hitler, líder dos nazis, durante um discurso. A 30 de Janeiro de
1933, torna-se o chefe do Governo alemão.
Um grupo de refugiados judeus chega à estação de Naarden,
na Holanda.
Anne começa a ir à escola em 1934 Nos dois primeiros anos,
frequenta um jardim infantil da Escola Montessori, que é perto ...
No diário, Anne utiliza duas escritas diferentes. Umas vezes escreve
em letra de imprensa, mas utiliza mais frequentemente...
Judeus esperando a deportação.
Na Holanda, existem pequenos grupos de "caçadores de judeus" que recebem
uma recompensa por...
A fachada do edifício, no n º 263 de
Prinsengracht, onde estão instalados
os escritórios de Otto Frank. 0 pai de
Bep e mai...
Este desenho dá
uma ideia bastante
aproximada da
maneira como o
Anexo estava
disposto.
O quartinho de Margot e Anne. O nosso quartinho ficava muito despido com as
paredes vazias. Graças ao Papá, que já tinha t...
A maioria dos clandestinos não estão tão confortavelmente alojados
como os Frank. Como este casal, escondido sob o soalho ...
O quarto do senhor e da senhora Van Pels (Van Daan). Quando, no cimo das
escadas, se abre a porta, fica-se espantado por e...
Quando a família Frank vem habitar o Anexo, em 6 de Julho de 1942, ainda não há estante giratória, há só
uma porta. Sobre ...
No Oeste da Holanda, milhares de pessoas morrem de fome
e de frio no Inverno de 1944-45.
A estação de
Auschwitz-Birkenau. É
aqui que chegam os
oito clandestinos do
Anexo e é aqui que é
realizada a selecção.
Os q...
Os exércitos aliados libertam os sobreviventes dos campos da morte
alemães e polacos. Os soldados mal conseguem acreditar ...
Otto Frank em 1967.
Ele morrerá em Birsfelden, nos
arredores de Basileia, a 19 de
Agosto de 1980, com 91 anos, e
faz doaçã...
A Casa de Anne Frank, em
Amesterdão.
Vindas de todo o mundo,
visitam-na todos os anos cerca
de 600 000 pessoas.
O quartinho de Anne Frank. Não há móveis no Anexo, mas há ainda
vestígios dos clandestinos. No quarto de Anne, mantêm-se a...
Anne frank1
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Anne frank1

2.294 visualizações

Publicada em

Vida e fotografias de Anne Frank e sua família.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.294
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
13
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
38
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Anne frank1

  1. 1. A mais bela prenda de anos Naquela sexta-feira, 12 de Junho, Anne acorda às seis da manhã. Compreende-se: é o seu dia de aniversário, festeja treze anos! Como lhe custa esperar a hora de se levantar! Anne vive com o pai, a mãe e a irmã mais velha, Margot, num bairro novo de Amesterdão. Estamos em 1942. É a guerra. Já há dois anos que a Holanda está ocupada pelos alemães. A família Frank é judia. Os judeus são humilhados e perseguidos pelos alemães. Cada vez lhes é mais difícil viver normalmente. Mas, hoje, Anne não pensa em nada disso. Às sete horas, vai ao quarto de seus pais. Depois, a família reúne-se na sala de jantar para a cerimónia das prendas. Nesse dia, Anne recebe: livros, um puzzle, um broche, bombons e outros presentes miúdos. Os pais oferecem-lhe também um diário. Um caderno com capas duras forradas de pano aos quadrados vermelhos e brancos. Anne está muito contente: é a sua mais bela prenda. Nunca teve um diário. Anne tem muitos amigos e amigas, mas com eles só fala de coisas banais. Agora, decide fazer como se o diário fosse a sua melhor amiga. Uma confidente a quem poderá dizer tudo e a quem chamará "Kitty". Na primeira página do diário, Anne escreve: Espero poder confiar-te tudo, como nunca o pude ainda fazer com ninguém, e espero que sejas para mim um grande apoio. (Anne Frank, 12 de Junho de 1942) Na parte interior da capa, Anne cola uma fotografia sua e escreve: Que bonita fotografia! Não é? Dois dias depois, domingo, 14 de junho, Anne redige as primeiras notas do seu diário. Claro que nem imagina que a sua vida vai mudar por completo. Durante mais de dois anos, Anne descreverá nesse caderno tudo o que lhe vai acontecer. Outra coisa que ela também não pode imaginar é que, mais tarde, milhões de pessoas de todo o mundo lerão o seu diário.
  2. 2. No n.° 307 da Rua Marbach, Otto, Edith e Margot ocupam os dois primeiros andares do lado direito. Mudam-se para aqui quando Margot tem dezoito meses, porque desejam viver numa casa com jardim.
  3. 3. Papá e os seus tesouros, escreverá mais tarde Anne no seu álbum como legenda desta fotografia que data de 1930. Anne e Margot adoram o pai, a quem chamam, carinhosamente, Pim. Mais tarde, no seu diário, Anne usa muito esse nome quando se lhe refere. À noite, à hora de deitar, Otto conta às filhas histórias que ele próprio inventa e cujas heroínas são duas meninas chamadas Paula. A Paula boa obedece aos pais e porta-se bem; a Paula má porta-se mal e faz tolices.
  4. 4. 10 de Março de 1933. Os maiores frios do Inverno passaram. Anne e Margot já só usam meias até aos joelhos, embora continuem a vestir os casacos de Inverno. Os Frank vão às compras e Otto tira uma fotografia em Hauptwache, uma praça bem conhecida no centro de Francoforte. Muitas coisas mudaram durante esse Inverno para a família Frank, assim como para todos os outros judeus da Alemanha. Seis semanas antes, em Janeiro, Adolfo Hitler chegou ao poder. Otto e Edith estão muito preocupados, mas não deixam que as filhas o percebam.
  5. 5. Adolfo Hitler, líder dos nazis, durante um discurso. A 30 de Janeiro de 1933, torna-se o chefe do Governo alemão.
  6. 6. Um grupo de refugiados judeus chega à estação de Naarden, na Holanda.
  7. 7. Anne começa a ir à escola em 1934 Nos dois primeiros anos, frequenta um jardim infantil da Escola Montessori, que é perto de casa. Margot frequenta a mesma escola. Na foto, pode ver-se Anne na aula do professor Van Gelder. Tem sete anos, e já sabe ler e escrever correctamente.
  8. 8. No diário, Anne utiliza duas escritas diferentes. Umas vezes escreve em letra de imprensa, mas utiliza mais frequentemente uma escrita cursiva.
  9. 9. Judeus esperando a deportação. Na Holanda, existem pequenos grupos de "caçadores de judeus" que recebem uma recompensa por cada judeu entregue - mulher, homem ou criança. A polícia alemã dá 37,50 florins a todos os que denunciaram cinco judeus. Na altura, esta quantia representava o equivalente a, pelo menos, uma semana de salário médio.
  10. 10. A fachada do edifício, no n º 263 de Prinsengracht, onde estão instalados os escritórios de Otto Frank. 0 pai de Bep e mais dois homens trabalham no armazém, no rés-do-chão (1). A porta da esquerda (2) conduz aos armazéns dos segundo e terceiro andares. A porta (3), ao lado, conduz ao escritório do primeiro andar. No cimo das escadas, há uma porta em vidro fosco, na qual tinha havido uma placa a dizer "ESCRITÓRIO". É o escritório principal que dá para a frente, muito grande, com muita luz e muito cheio. (9 de Julho de 1942.) Nas traseiras, há também um pequeno escritório onde dantes estavam o senhor Van Daan e Victor Kugler. Agora, só este trabalha lá. Por trás da casa, há uma outra, que não é visível da rua, o "Anexo". Esta casa comunica, por um estreito corredor, com o n.° 263 de Prinsengracht.
  11. 11. Este desenho dá uma ideia bastante aproximada da maneira como o Anexo estava disposto.
  12. 12. O quartinho de Margot e Anne. O nosso quartinho ficava muito despido com as paredes vazias. Graças ao Papá, que já tinha trazido toda a minha colecção de postais e de fotografias de estrelas de cinema, pude decorar as paredes todas usando cola e pincel e transformar o quarto numa imagem gigantesca. Assim, está agora muito mais alegre. (11 de Julho de 1942.) É nesta mesa que Anne escreve uma boa parte do seu diário. Esta fotografia foi tirada depois da guerra. 0 quarto tinha sido arrumado provisoriamente de acordo com as instruções de Otto Frank e Miep Gies. Hoje, o quarto está vazio.
  13. 13. A maioria dos clandestinos não estão tão confortavelmente alojados como os Frank. Como este casal, escondido sob o soalho de uma casa.
  14. 14. O quarto do senhor e da senhora Van Pels (Van Daan). Quando, no cimo das escadas, se abre a porta, fica-se espantado por encontrar, neste velho edifício, uma sala tão grande, clara e espaçosa (...) e uma banca. É aí a cozinha e, ao mesmo tempo, o quarto do casal Van Daan, a sala de estar, a sala de jantar e a sala de estudo comunitária. (9 de Julho de 1942) É nesta divisão que os clandestinos passam a maior parte do seu tempo. O lixo é queimado no fogão. Na fotografia, a divisão também está arrumada provisoriamente de acordo com as indicações de Otto Frank e de Miep Gies. Presentemente, está vazia.
  15. 15. Quando a família Frank vem habitar o Anexo, em 6 de Julho de 1942, ainda não há estante giratória, há só uma porta. Sobre isto, Anne escreve: Ninguém suspeitaria que tantas divisões se escondem por detrás desta porta pintada de cinzento. Basta subir um degrau à frente da porta e tudo se desvenda. (9 de Julho de 1942.) A entrada para o Anexo foi camuflada como medida de segurança. Um mês depois, Anne escreverá no diário: Querida Kitty, o nosso esconderijo tornou-se um autêntico esconderijo. O senhor Kugler achou mais prudente colocar uma estante a tapar a porta de entrada. (...). É uma estante giratória que se abre como uma porta. (...). Agora, para descermos, temos de baixar primeiro a cabeça e, depois, saltar. Ao fim de três dias, tínhamos todos a testa cheia de papos porque todos batíamos no baixo enquadramento da porta. Peter tentou amortecer a pancada colocando um pano cheio de serrim. Esperemos que funcione! (21 de Agosto de 1942).
  16. 16. No Oeste da Holanda, milhares de pessoas morrem de fome e de frio no Inverno de 1944-45.
  17. 17. A estação de Auschwitz-Birkenau. É aqui que chegam os oito clandestinos do Anexo e é aqui que é realizada a selecção. Os que são suficientemente fortes para trabalhar para os alemães ficarão vivos (mais algum tempo). Os outros, entre os quais a quase totalidade dos menores de quinze anos, são conduzidos directamente para as câmaras de gás. Anne escapa a este destino porque acaba de completar quinze anos.
  18. 18. Os exércitos aliados libertam os sobreviventes dos campos da morte alemães e polacos. Os soldados mal conseguem acreditar no que vêem. Para os libertados começa então a difícil viagem de regresso. A maior parte deles perdeu a família e os amigos. Muitas vezes, os seus relatos esbarram em cepticismo e incredulidade.
  19. 19. Otto Frank em 1967. Ele morrerá em Birsfelden, nos arredores de Basileia, a 19 de Agosto de 1980, com 91 anos, e faz doação dos diários de Anne ao Estado holandês.
  20. 20. A Casa de Anne Frank, em Amesterdão. Vindas de todo o mundo, visitam-na todos os anos cerca de 600 000 pessoas.
  21. 21. O quartinho de Anne Frank. Não há móveis no Anexo, mas há ainda vestígios dos clandestinos. No quarto de Anne, mantêm-se as fotografias de artistas de cinema que ela tinha colado nas paredes.

×