Aula radioproteção

7.200 visualizações

Publicada em

0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.200
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
73
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
281
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula radioproteção

  1. 1. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA produzido por Marcos Heleno
  2. 2. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA CONJUNTO DE NORMAS E PROCEDIMENTOS QUE VISA PERMITIR À SOCIEDADE OS BENEFÍCIOS PROVENIENTES DA RADIAÇÃO IONIZANTE E DE TODOS OS PROCESSOS EM QUE HÁ EMISSÃO DE RADIAÇÃO COM O MÍNIMO DE RISCO PARA O INDIVÍDUO QUE OPERA, POPULAÇÃO E MEIO-AMBIENTE.
  3. 3. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA A PROTEÇÃO RADIOLÓGICA DEVE LIMITAR AS DOSES RECEBIDAS EM NÍVEIS TAIS QUE, OS RISCOS SEJAM ACEITÁVEIS PELO INDIVÍDUO QUE MANUSEIA E PELA POPULAÇÃO EM GERAL. TENDO EM VISTA AS RAZÕES EXPOSTAS, FORAM ESTABELECIDAS AS CHAMADAS DOSES MÁXIMAS PERMITIDAS, RECOMENDADAS PELA COMISSÃO INTERNACIONAL DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA (ICRP).
  4. 4. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA RADIOATIVIDADE – HISTÓRICO .DESCOBERTA DOS RAIOS-X – W.K. ROENTGEN EM 1895 .DESCOBERTA DO POLÔNIO E RADIUM – PIERRE E MARI CURIE. DEVE-SE A ELES A DENOMINAÇÃO RADIOATIVIDADE (PROPRIEDADE DE EMISSÃO DE RADIAÇÕES POR DIVERSAS SUBSTÂNCIAS)
  5. 5. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA RADIOATIVIDADE É A EMISSÃO ESPONTÂNEA DE RADIAÇÃO POR UM NÚCLEO ATÔMICO, QUE SE ENCONTRA NUM ESTADO EXCITADO DE ENERGIA. BASICAMENTE, EXISTEM TRÊS TIPOS DE RADIAÇÃO: - PARTÍCULAS ALFA - PARTÍCULAS BETA - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS (RAIOS-X E GAMA)
  6. 6. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA BENEFÍCIOS DA ENERGIA DAS RADIAÇÕES MEDICINA NUCLEAR – É A ÁREA DA MEDICINA ONDE SÃO UTILIZADOS OS RADIOSÓTOPOS, TANTO EM DIAGNÓSTICOS COMO EM TERAPIAS. EX: IODO 131 (T1/2 8 DIAS) UTILIZADO PARA REALIZAR EXAMES DA TIREÓIDE
  7. 7. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA RADIOTERAPIA – TEVE ORIGEM NA APLICAÇÃO DO ELEMENTO RÁDIO PELO CASAL CURIE, UTILIZADO PARA DESTRUIR CÉLULAS CANCEROSAS. HOJE FAZ- SE USO, PRINCIPALMENTE, DO COBALTO 60.
  8. 8. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA APLICAÇÕES NA AGRICULTURA - COM O USO DE TRAÇADORES RADIOATIVOS, O METABOLISMO DAS PLANTAS PODE MELHORAR. VERIFICA-SE O QUANTO ELAS PRECISAM PARA CRESCER, O QUE É ABSORVIDO PELAS RAÍZES E FOLHAS E ONDE UM DETERMINADO ELEMENTO QUÍMICO FICA RETIDO.
  9. 9. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA ÁREA INDUSTRIAL – AUXILIA NA ÁREA DE CONTROLE DA QUALIDADE, UTILIZA-SE PARA VERIFICAR SE HÁ DEFEITOS OU RACHADURAS NO CORPO DAS PEÇAS. NA AVIAÇÃO FAZ-SE INSPEÇÕES FREQUENTES NAS AERONAVES, PARA VERIFICAR SE HÁ “FADIGA” NAS PARTES METÁLICAS E SOLDAS ESSENCIAIS SUJEITAS A MAIOR ESFORÇO (ASAS E TURBINAS)
  10. 10. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA OUTRAS APLICAÇÕES -INDÚSTRIA FARMACÊUTICA -COMBUSTÍVEL -DATAÇÃO DO CARBONO 14
  11. 11. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA AS DIRETRIZES BÁSICAS DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA SÃO REGULADAS PELA COMISSÃO NACIONAL DE ENERGIA NUCLEAR (CNEN), INSTITUIÇÃO LIGADA AO MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA.
  12. 12. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA O CAMPO DE APLICAÇÃO DA PROTEÇÃO RADIOLÓGICA SE APLICA ÀS PRÁTICAS, INCLUINDO TODAS FONTES ASSOCIADAS A ESSAS PRÁTICAS, BEM COMO ÀS INTERVENÇÕES.
  13. 13. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA PRÁTICAS - SÃO TODAS AS ATIVIDADES QUE ENVOLVAM: -MANUSEIO, PRODUÇÃO, POSSE E UTILIZAÇÃO DE FONTES -REJEITO, TRANSPORTE E ARMAZENAMENTO DE FONTES -QUALQUER TIPO DE EXPOSIÇÃO À RADIAÇÃO -SITUAÇÕES DE EMERGÊNCIA E INTERVENÇÃO
  14. 14. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA AS PRÁTICAS ESPECÍFICAS DE RADIODIAGNÓSTICO MÉDICO E ODONTOLÓGICO SÃO REGULAMENTADAS POR PORTARIA ESPECÍFICA DO MINISTÉRIO DA SAÚDE.
  15. 15. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA RESPONSABILIDADE OS RESPONSÁVEIS PELA APLICAÇÃO DA PROTEÇÃO RADIOLÓGICA SÃO: -DIRETORES, TITULARES E EMPREGADORES -TODOS OS INDIVÍDUOS POSSUIDORES DE FUNÇÕES RELACIONADAS COM AS PRÁTICAS
  16. 16. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA PLANO DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA EM TODA APLICAÇÃO DE PRÁTICAS, DEVE SER SUBMETIDO À APROVAÇÃO DA CNEN UM PLANO DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA, CONTENDO, NO MÍNIMO, AS SEGUINTES INFORMAÇÕES:
  17. 17. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA -IDENTIFICAÇÃO DA INSTALAÇÃO -ESTRUTURA ORGANIZACIONAL -OBJETIVO DA INSTALAÇÃO -DESCRIÇÃO DA PRÁTICA -JUSTIFICAÇÃO DA PRÁTICA -DEMONSTRAÇÃO DA OTIMIZAÇÃO DA PROTEÇÃO RADIOLÓGICA -CLASSIFICAÇÃO DAS ÁREAS -PROGRAMAS DE MONITORAÇÃO INDIVIDUAL E DE ÁREA
  18. 18. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA -GERÊNCIA DE REJEITOS E EFLUENTES -FUNÇÃO DOS IOEs -CONTROLE MÉDICO -PLANOS DE EMERGÊNCIA E INTERVENÇÃO -PROGRAMAS DE TREINAMENTO -REGULAMENTOS ESPECÍFICOS
  19. 19. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA PRINCÍPIOS DA PROTEÇÃO RADIOLÓGICA AS RECOMENDAÇÕES DE 1990 DA COMISSÃO INTERNACIONAL DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA ESTABELECERAM UM SISTEMA DE PROTEÇÃO BASEADO NOS PRINCÍPIOS: -JUSTIFICAÇÃO DA PRÁTICA -LIMITAÇÃO DE DOSE INDIVIDUAL -OTIMIZAÇÃO DA PROTEÇÃO
  20. 20. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA JUSTIFICAÇÃO DA PRÁTICA NENHUMA PRÁTICA OU FONTE ASSOCIADA A ESSA PRÁTICA SERÁ ACEITA PELA CNEN, A NÃO SER QUE A PRÁTICA PRODUZA BENEFÍCIOS, PARA OS INDIVÍDUOS EXPOSTOS OU PARA A SOCIEDADE, SUFICIENTES PARA COMPENSAR O DETRIMENTO CORRESPONDENTE.
  21. 21. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA JUSTIFICAÇÃO DA PRÁTICA A ANÁLISE É BASEADA EM CUSTOS/GASTOS: B= V – (P + X + Y)
  22. 22. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA JUSTIFICAÇÃO DA PRÁTICA ONDE, B. É O BENEFÍCIO ESPERADO V. É O VALOR DO PRODUTO P. É O CUSTO DA PRODUÇÃO X. É O CUSTO DA PROTEÇÃO Y. É O CUSTO DO DETRIMENTO RELATIVO ÀS PESSOAS AFETADAS
  23. 23. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA JUSTIFICAÇÃO DA PRÁTICA SE, B > 0 A PRÁTICA É JUSTIFICÁVEL B < 0 A PRÁTICA NÃO É JUSTIFICÁVEL
  24. 24. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA LIMITAÇÃO DE DOSE INDIVIDUAL A EXPOSIÇÃO NORMAL DOS INDIVÍDUOS DEVE SER RESTRINGIDA DE TAL MODO QUE NÃO EXCEDAM OS LIMITES DEFINIDO PELA CNEN.
  25. 25. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA LIMITAÇÃO DE DOSES ANUAIS GRANDEZA ÓRGÃO IOE IP DOSE EFETIVA CORPO INTEIRO 20mSV 1mSV DOSE EQUIVALENTE CRISTALINO 150mSV 15mSV PELE 500mSV 50mSV MÃOS E PÉS 500mSV -
  26. 26. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA OTIMIZAÇÃO DA PROTEÇÃO (ALARA) A PROTEÇÃO RADIOLÓGICA DEVE SER OTIMIZADA DE FORMA QUE A MAGNITUDE DAS DOSES INDIVIDUAIS, O NÚMERO DE PESSOAS EXPOSTAS E A PROBABILIDADE DE OCORRÊNCIA DE EXPOSIÇÕES MANTENHAM-SE TÃO BAIXAS QUANTO POSSA SER RAZOAVELMENTE POSSÍVEL, CONSIDERANDO OS FATORES SÓCIO-ECONÔMICOS.
  27. 27. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA ALARA AS LOW AS REASONABLY ACHIEVABLE TÃO BAIXO QUANTO RAZOAVELMENTE EXEQUÍVEL
  28. 28. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA OTIMIZAÇÃO O PRINCÍPIO DA OTIMIZAÇÃO VISA TORNAR MÁXIMO O BENEFÍCIO LÍQUIDO COM RELAÇÃO ÀS DESPESAS DE PROTEÇÃO E DETRIMENTO, OU SEJA: B (MÁXIMO)  X+Y (MÍNIMO) UM BENEFÍCIO MÁXIMO COM UM MÍNIMO DE GASTOS COM PROTEÇÃO E DETRIMENTO.
  29. 29. PROTEÇÃO RADIOLÓGICA OTIMIZAÇÃO PARA OBTENÇÃO DA OTIMIZAÇÃO SÃO UTILIZADAS TÉCNICAS ADMINISTRATIVAS DE GESTÃO, BEM COMO PROJETOS DE ENGENHARIA BASEADOS NOS 4 FATORES DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA: - O CUSTO DA PROTEÇÃO E DETRIMENTO; - A DOSE COLETIVA; - A DISTRIBUIÇÃO DAS DOSES INDIVIDUAIS; E - O INCÔMODO PRODUZIDO PELO PROJETOS À INSTALAÇÃO.
  30. 30. DEUS NOS ABENÇOE OBRIGADO ! FIM.

×