1
E. E. Arnaldo Barreto
Marcos – Professor de Química
Turma 2º TA - 1º bimestre do 2º semestre de 2014
Unidade 1 – Poluiçã...
2
se encontra em maior quantidade é denominado solvente (na maioria das soluções
que vamos estudar nesta unidade, o solven...
3
Quais os problemas causados pelo lançamento de esgotos, sem tratamento,
diretamente nas águas?
O esgoto que corre a céu ...
4
Muitos dinoflagelados são bioluminescentes (capazes de converter energia
química em energia luminosa), produzindo o que ...
5
tifoide, entre outras. Do ponto de vista de saúde pública, é importante considerar não
apenas a possibilidade da transmi...
6
E. E. Arnaldo Barreto
Nome: __________________________________________________nº _____ 2ºTA
Nome: ______________________...
7
( ) Investir em mecanismos de reciclagem da água utilizada nos processos industriais.
( ) Investir em obras que viabiliz...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Expressões físicas de concentração 2º ta

2.093 visualizações

Publicada em

Neste capítulo abordaremos o conceito de solução e vamos identificar os seus componentes, soluto e solvente. Os níveis de concentração são caracterizados neste capítulo, destacando a poluição das águas.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.093
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Expressões físicas de concentração 2º ta

  1. 1. 1 E. E. Arnaldo Barreto Marcos – Professor de Química Turma 2º TA - 1º bimestre do 2º semestre de 2014 Unidade 1 – Poluição da água Capítulo 1 – Expressões físicas de concentração Neste capítulo abordaremos o conceito de solução e vamos identificar os seus componentes, soluto e solvente. Os níveis de concentração são caracterizados neste capítulo. Objetivos:  Conceituar solução, soluto e solvente;  Compreender o conceito de concentração;  Analisar e relacionar soluções por meio de suas implicações com relação a alterações de concentração. 1 - Solução Convivemos diariamente com vários tipos de soluções, algumas de grande importância para a manutenção da vida, como o ar atmosférico e a água potável. Soluções são misturas homogêneas e podem ser encontradas nos estados de agregação gasoso, líquido e sólido. Nessa unidade vamos estudar as propriedades das soluções líquidas. Vamos começar pelas soluções formadas por dois componentes: em geral, o componente que
  2. 2. 2 se encontra em maior quantidade é denominado solvente (na maioria das soluções que vamos estudar nesta unidade, o solvente será a água). O componente que se encontra em menor quantidade é denominado soluto. Para que se forme uma solução, o soluto deve ser totalmente dissolvido no solvente. 2 – Relações entre soluto e solução Podemos expressar a concentração de uma solução relacionando a quantidade de soluto existente em uma quantidade-padrão de solução. Nesta unidade vamos conhecer e aprender a trabalhar com a concentração em massa. Concentração em massa A concentração em massa (C) indica a quantidade em massa de soluto (m) que se encontra dissolvida em um volume-padrão de solução (V) e normalmente é expressa em g/L (gramas por litro). Quando dizemos, por exemplo, que uma solução possui concentração igual a 150 g/L, isso significa que em cada litro de solução há 150 g de soluto dissolvido. Questão: 1) A água do mar possui uma concentração ideal de sais (30g/L) que permite a sobrevivência dos seres vivos. Determine a quantidade de sais em Kg que se deve adicionar em um aquário contendo 2000 litros de água.
  3. 3. 3 Quais os problemas causados pelo lançamento de esgotos, sem tratamento, diretamente nas águas? O esgoto que corre a céu aberto é considerado um dos maiores problemas ambientais e de saúde pública do país. Os danos ambientais decorrentes do lançamento in natura de esgotos em corpos hídricos são enormes. É preciso perceber que tudo que é jogado nos ralos das pias, vasos sanitários, bueiros e mesmo nos quintais das casas acaba poluindo os recursos hídricos, encarecendo o tratamento de água e comprometendo a qualidade da água de abastecimento. O lançamento de esgoto doméstico sem tratamento prévio em cursos de água fornece uma grande quantidade de matéria orgânica rica em nutrientes como nitrogênio e fósforo que passam a nutrir a população microscópica de algas que constituem o chamado fitoplâncton. Bem nutrida, essa população de algas se reproduz numa velocidade acima do normal. Quando as algas morrem, produzem grandes quantidades de detritos que são decompostos por microrganismos aeróbios, ou seja, que utilizam as reservas de oxigênio da água para realizar suas atividades, diminuindo a quantidade de oxigênio dissolvido na água, o que pode causar a morte de plantas aquáticas e peixes, num processo que vai se agravando progressivamente até que todo o ecossistema fique comprometido. Esse fenômeno é conhecido por eutrofização. O esgoto também carrega para a água diversos organismos nocivos, como bactérias, vírus e larvas de parasitas. E como em geral os rios deságuam no mar, o esgoto industrial e o esgoto doméstico são uma das grandes ameaças para a vida marinha e para quem vive no litoral. A grande quantidade de matéria orgânica despejada nos oceanos pode gerar um crescimento exagerado na população de certos microrganismos da classe dos fitoplânctons, como os dinoflagelados (vegetais unicelulares marinhos), conhecida como bloom, causando a chamada maré vermelha. Tais marés são provocadas por uma invasão maciça de dinoflagelados rubros de diversas espécies, que tornam a água avermelhada ou marrom.
  4. 4. 4 Muitos dinoflagelados são bioluminescentes (capazes de converter energia química em energia luminosa), produzindo o que os primitivos navegadores chamavam de a “queima do mar à noite”. Os dinoflagelados não são alimentos somente dos peixes, mas também de moluscos, que acumulam tais toxinas e, dependendo da espécie do dinoflagelado, podem se tornar perigosos quando ingeridos pelo ser humano. Os venenos produzidos por alguns dinoflagelados tais como Gonyaubax catanella, constituem toxinas tão poderosas que foram estudadas como armas químicas. No Brasil, entre os meses de março e abril de 2007, uma maré vermelha causou a morte de cerca de 50 toneladas de peixes e mariscos, que foram despejados pelo mar em várias praias do litoral baiano, causando um prejuízo imensurável aos habitantes que vivem basicamente da venda de peixes e de turismo. Uma das principais causas dessa maré vermelha, que desencadeou um processo de pobreza nos municípios afetados, foi justamente a poluição crônica provocada pelo sistema de esgotos jogados na baía. Praias impróprias para banho As características do ambiente marinho, tais como salinidade, sedimentos e condições de marés, dificultam o isolamento de bactérias patogênicas. Isso explica por que as pesquisas sobre a contaminação microbiana do litoral limitam-se geralmente à determinação das concentrações de bactérias indicadoras da poluição fecal. No mundo todo, o grupo mais utilizado nessas pesquisas é o dos coliformes e, mais recentemente, dos estreptococos fecais que, por serem mais resistentes ao ambiente marinho, tornam-se mais adequados para o monitoramento da qualidade das águas marinhas. “Cursos de água contaminados por esgotos domésticos, ao atingirem as águas das praias, podem expor os banhistas a bactérias, vírus e protozoários. Estes microrganismos são responsáveis pela transmissão, aos banhistas, de doenças de veiculação hídrica tais como: gastroenterite, hepatite A, cólera, febre
  5. 5. 5 tifoide, entre outras. Do ponto de vista de saúde pública, é importante considerar não apenas a possibilidade da transmissão dessas doenças, mas também, a presença de organismos patogênicos oportunistas, responsáveis por dermatoses e outras doenças, como conjuntivite, otite e doenças das vias respiratórias. A doença mais comum associada à água poluída por esgotos é a gastroenterite. Essa doença ocorre numa grande variedade de formas e pode apresentar um ou mais dos seguintes sintomas: enjoo, vômitos, dores de estômago, diarreia, dor de cabeça e febre. Outras manifestações menos graves incluem infecções dos olhos, ouvidos, nariz e garganta. O fato da praia estar imprópria não significa que todas as pessoas que se banharem no local irão contrair alguma dessas doenças. Isso depende das condições imunológicas de cada um e do tipo de exposição de cada um ( se fica muito tempo na água, se mergulha a cabeça, se engole água ) A impropriedade significa que existe o risco de se contrair tais doenças. Nesse sentido recomenda-se que se EVITE: - Banhar-se em água do mar consideradas impróprias: - Tomar banho de mar após chuvas muito intensas - Banhar-se em canais córregos ou rios que deságuam no mar - Engolir água do mar.” http://www.cetesb.sp.gov.br/agua/praias/26-respostas-as-perguntas-frequentes Acesso em: 6 fev. 2013.
  6. 6. 6 E. E. Arnaldo Barreto Nome: __________________________________________________nº _____ 2ºTA Nome: __________________________________________________nº _____ 2ºTA Marcos – Prof. de Química – 1º bim./2º sem. De 2014 – data _____/_____/_____ Atividade em sala de aula (vale de 0 a 10) 1) Quais os problemas causados pelo lançamento de esgotos, sem tratamento, diretamente nas águas? ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ____________________________________________________________________. 2) Assinale a (s) alternativa (s) adequada (s). Algumas medidas podem ser propostas com relação aos problemas da água: I. Represamento de rios e córregos próximo às cidades de maior porte; II. Controle da ocupação urbana, especialmente em torno de mananciais; III. Proibição do despejo de esgoto industrial e doméstico sem tratamento nos rios e represas. 3) Coloque (V) para verdadeiro e (F) para falso. A situação atual das bacias hidrográficas de São Paulo tem sido alvo de preocupações ambientais: a demanda hídrica é maior que a oferta de água e ocorre excesso de poluição industrial e residencial. Um dos casos mais graves de poluição da água é o da bacia do alto Tietê, onde se localiza a região metropolitana de São Paulo. Os rios Tietê e Pinheiros estão muito poluídos, o que compromete o uso da água pela população. Avalie se as ações apresentadas a seguir são adequadas para se reduzir à poluição desses rios.
  7. 7. 7 ( ) Investir em mecanismos de reciclagem da água utilizada nos processos industriais. ( ) Investir em obras que viabilizem a transposição de águas de mananciais adjacentes para os rios poluídos. ( ) Implementar obras de saneamento básico e construir estações de tratamento de esgotos. 4) Determinada estação trata cerca de 30.000 litros de água por segundo. Para evitar riscos de fluorose, a concentração máxima de fluoretos nessa água não deve exceder a cerca de 1,5 miligrama por litro de água. Qual é a quantidade máxima dessa espécie química que pode ser utilizada com segurança, no volume de água tratada em uma hora. 5) Assinale a alternativa correta. No processo de eutrofização de águas, pode ser encontrado o seguinte fenômeno: a) grande mortandade de peixes; b) suprimento escasso de nutrientes na água; c) diminuição das taxas de decomposição bacteriana; d) aumento da concentração de oxigênio na água; e) diminuição da concentração de matéria orgânica.

×