Apresentação sobre e-commerce 2015

959 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre e-commerce produzida para a turma da Estácio em Fortaleza

Publicada em: Internet
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
959
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
73
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação sobre e-commerce 2015

  1. 1. e-commerceO V A R E J O O N - L I N E N O B R A S I L
  2. 2. Webshoppers
  3. 3. WEBSHOPPERS PLANEJAMENTO PLATAFORMA INTEGRACOES LOGISTICA MARKETING E-commerce Iniciativa da E-bit, o WebShoppers é o relatório mais sólido e respeitado sobre o comércio eletrônico, no qual é analisado a evolução do e-commerce, tendências, estimativas, as mudanças de comportamento e preferências dos e-consumidores, indicando assim para onde o mercado caminha e contribuindo para o entendimento e desenvolvimento do setor. Dados E-commerce
  4. 4. 0 0 1 1 WEBSHOPPERS PLANEJAMENTO PLATAFORMA INTEGRACOES LOGISTICA MARKETING E-commerce Relatório Webshoppers – e-bit 201 5
  5. 5. WEBSHOPPERS PLANEJAMENTO PLATAFORMA INTEGRACOES LOGÍSTICA MARKETING E-commerce HISTóRico BookNet, essa foi a primeira loja de e- commerce no Brasil. Apenas um ano após a entrada da internet no Brasil. 1996 GP Investimentos compra a BookNet e cria o Submarino. Paralelo a isso é lançado o site Americanas.com e em 2002 a NetShoes lança também sua loja virtual. 1999 Uma ano após a Submarino comprar as lojas ingresso.com e TravelWeb é anunciado sua fusão com a Americanas.com formando a B2W. Logo depois a NetShoes fecha todas suas lojas físicas. 2006 Apresentaremos um breve histórico de alguns eventos que foram chave no desenvolvimento do e-commerce no Brasil.
  6. 6. WEBSHOPPERS PLANEJAMENTO PLATAFORMA INTEGRACOES LOGÍSTICA MARKETING E-commerce timeline Ehub + Globex criam a pontofrio.com. Um ano depois a Netshoes patrocina o time do Santo André e vende 30% do seu capital ao fundo Tiger Global. 2008 eHub vira Nova PontoCom e abrange os sites do Pão de Açúcar, Globex + Casas Bahia. No Natal as reclamações no Procon por atraso contra a B2W chegam ao topo 2010 Um ano antes as Lojas Americanas fazem um aporte de R$ 1 bilhão na B2W. Magazine Luiza lança serviço de vendas por redes sociais. 2012 Nos anos que seguem temos um crescimento exponencial do segmento de comércio eletrônico. Temos uma maior abrangência de mercado e segmentação. Começamos a criar diversos especialistas nos setores essenciais para o e-commerce.
  7. 7. WEBSHOPPERS PLANEJAMENTO PLATAFORMA INTEGRACOES LOGÍSTICA MARKETING E-commerce 18,7 22,5 28,8 35,8 43 2011 2012 2013 2014 2015 Vendas online (bens de consumo) em bilhões de reais
  8. 8. WEBSHOPPERS PLANEJAMENTO PLATAFORMA INTEGRACOES LOGÍSTICA MARKETING E-commerce 53,7 66,7 88,3 103,4 122,9 2011 2012 2013 2014 2015 Pedidos e-commerce O crescimento do número de pedidos em 2014 foi de 17% em relação ao ano anterior, chegando a 103,4 milhões. Em 2013 foram 88,3 milhões de encomendas de bens de consumo via Internet. Apesar de as vendas terem se elevado, desta vez, a variação foi menor, já que de 2012 para o ano seguinte o aumento havia sido de 32%. Em 2015, espera-se que o número de encomendas seja 19% maior, chegando a 122,9 milhões.
  9. 9. WEBSHOPPERS PLANEJAMENTO PLATAFORMA INTEGRACOES LOGÍSTICA MARKETING E-commerce 349 338 327 347 350 2011 2012 2013 2014 2015 Tíquete médio / e-commerce O tíquete médio das compras de bens de consumo realizadas pelo consumidor nas lojas online em 2014 foi de R$ 347, valor 6% acima do que o registrado no ano anterior (R$ 327). Este ano a estimativa é de manutenção do tíquete médio. Apesar de o ano passado ter sido um ano de Copa do Mundo, o que tradicionalmente eleva o valor com o aumento de vendas de TVs, poderemos ver uma maior migração do online para o online nas vendas de bens de consumo mais caros como das categorias de Eletrodomésticos, Eletrônicos, Telefonia e Informática, seguindo a tendência dos últimos anos.
  10. 10. WEBSHOPPERS PLANEJAMENTO PLATAFORMA INTEGRACOES LOGÍSTICA MARKETING E-commerce 17,6 23,4 32 42,2 51,3 61,6 2011 2012 2013 20142010 Evolução do número de e-consumidores No Brasil temos 61,6 milhões de pessoas que já fizeram alguma compra online. Destes, 51,5 milhões fizeram pelo menos uma compra em 2014 e as demais (10,1 milhões) não compraram pela Internet no último ano. Considerando que tivemos 103,4 milhões de pedidos e relacionando o dado a esse grupo de 51,5 milhões de e-consumidores únicos, chegamos a uma média de duas compras por consumidor no decorrer do ano. Os entrantes, aqueles que estrearam no comércio eletrônico em 2014, representam 10,2 milhões de pessoas. 2009
  11. 11. WEBSHOPPERS PLANEJAMENTO PLATAFORMA INTEGRACOES LOGÍSTICA MARKETING E-commerce 47% 49% 53% 57% 60% 61% 60% 59% 59% 63% 62% 63% 57% Nps - Net promoter score O Net Promoter Score (NPS) é um indicador que mensura a satisfação e a fidelização dos clientes. No balanço geral do ano, o NPS presentou um bom resultado, começando com 49% (janeiro/2014) e terminando em 57% (dezembro/2014). Até maio, a linha indicadora foi crescente, chegando a 61%, seguida de uma queda até 59% (julho e agosto/2014) e subindo novamente para alcançar o ápice em setembro e novembro, com 63%. A baixa de novembro para dezembro pode se justificar pela alta quantidade de vendas, na temporada de Natal, em que se inclui também a Black Friday e a Cyber Monday, cujas ofertas se estenderam por cinco dias. Apesar do preparo e investimento feito pelos lojistas para estes eventos, o risco de haver algum tipo de insatisfação em determinada etapa do processo, que vai desde o acesso ao site e atendimento da loja até o recebimento do produto, cresce bastante nesta época, pela alta quantidade de pedidos.
  12. 12. WEBSHOPPERS PLANEJAMENTO PLATAFORMA INTEGRACOES LOGÍSTICA MARKETING E-commerce 3% 4% 6% 7% 7% 8% 8% 12% 15% 17% Brinquedos e Games Esportes e lazer Eletrônicos Casa e decoração Informática Livros / Assinaturas e Revistas Telefonia / Celulares Eletrodomésticos Cosméticos e Perfumaria Moda e Acessórios Categorias mais vendidas em 2014 A liderança de Moda e Acessórios entre as categorias mais vendidas permanece por mais um ano. Em 2014, ela foi responsável por 17% do volume de pedidos. Também mantiveram suas posições no ranking, se comparados ao ano anterior, Cosméticos e Perfumaria/Cuidados Pessoais/Saúde (15%), na segunda posição, e Eletrodomésticos (12%), em terceiro. O top 5 se completa com Telefonia e Celulares, categoria que subiu uma posição e Livros/Assinaturas e Revistas, ambos com 8%.
  13. 13. WEBSHOPPERS PLANEJAMENTO PLATAFORMA INTEGRACOES LOGÍSTICA MARKETING E-commerce 0% 0% 0,10% 0,30% 0,80% 1,30% 2,50% 3,60% 4,80% 7,00% 9,70% Share do m-commerce no brasil – volume transacional Em 2014, a E-bit calculou quanto o volume transacional do m-commerce, em navegação via browser sem uso de APPs, representava no total do volume das transações do comércio eletrônico e apresentou sua evolução desde os anos anteriores. Se em janeiro estava em 4,8% e em junho 7%, como já havia sido apontado anteriormente, a previsão era de chegar próximo dos dois dígitos até o final do ano. Essa estimativa se confirmou, já que o ano fechou com 9,7% de participação.
  14. 14. WEBSHOPPERS PLANEJAMENTO PLATAFORMA INTEGRACOES LOGÍSTICA MARKETING E-commerce PESQUISA CROSS BORDER A E-bit realizou, entre os dias 24 de novembro e 1º de dezembro de 2014, a pesquisa “Cross Border”, que analisou o comportamento de compra de consumidores brasileiros em sites internacionais. As informações se baseiam nas respostas de 1.843 usuários que fizeram pelo menos uma compra online nos 12 meses anteriores à pesquisa, coletadas por meio de um questionário estruturado. Realizamos também uma pesquisa em janeiro de 2014, abordando o mesmo tema, e, assim, o estudo atual compara os dois momentos, trazendo diversas informações sobre o comportamento desse e- consumidor, hábitos de compra e estimativas de faturamento.
  15. 15. WEBSHOPPERS PLANEJAMENTO PLATAFORMA INTEGRACOES LOGÍSTICA MARKETING E-commerce 4% 67% 33% 4% 58% 38% COMPRA DE PRODUTOS EM SITES INTERNACIONAIS Na comparação entre os dois estudos, percebe- se que cresceu a proporção do público que efetuou compras em sites internacionais: de 3 em cada 10 e- consumidores brasileiros (janeiro/2014) para 4 em cada 10 (dezembro/2014). Outra informação interessante é que os sites chineses ocuparam um espaço muito significativo nas compras em sites internacionais, sendo escolhidos por 55% dos entrevistados em sua última compra. não lembro não sim 55%33% 10% Comprou em site Internacional Dez/2014
  16. 16. WEBSHOPPERS PLANEJAMENTO PLATAFORMA INTEGRACOES LOGÍSTICA MARKETING E-commerce 4% 71% 0% 32% 67% 1% Frequência de compra EM SITES INTERNACIONAIS Dos entrevistados na pesquisa, 67% afirmaram ter feito mais de uma compra em sites internacionais no último ano. O resultado atual apresenta uma queda em relação ao começo do ano, quando 71% disseram ter comprado duas ou mais vezes. Entre os consumidores de sites chineses, 72% entram no grupo que realizou duas compras ou mais, uma percentagem mais expressiva do que os consumidores de outros sites internacionais, com 64%. 1 vez 2 vezes ou mais não lembra jan/14 X dez/14 4% 64% 28% 72% 1 vez 2 vezes ou mais Sites chineses x outros sites internacionais – Dez/14
  17. 17. Planejamento
  18. 18. WEBSHOPPERS PLANEJAMENTO PLATAFORMA INTEGRACOES LOGISTICA MARKETING e-commerce Albert Einstein Falta de tempo é desculpa daqueles que perdem tempo por falta de planejamento.
  19. 19. WEBSHOPPERS PLANEJAMENTO PLATAFORMA INTEGRACOES LOGISTICA MARKETING e-commerce ROTEIRO Quais são as tendências; Quem são os concorrentes; Que fornecedores estão disponíveis; Como trabalhar com o seu público-alvo. Comportamento do cenário (dólar, crédito) Previsão oportuinidades e ameaças Entenda seu produto Qual é a equipe disponível e necessária Analise a plataforma de operação Defina suas estratégias de crescimento Estabeleça estratégias para competir no mercado Faça um plano de comunicação e marketing Disponibilidade de capital de giro Retorno sobre os investimentos Mercado de atuação Análise Ambiental Formulação Estratégica Viabilidade Financeira
  20. 20. Plataforma
  21. 21. WEBSHOPPERS PLANEJAMENTO PLATAFORMA INTEGRACOES LOGISTICA MARKETING e-commerce Tom Peters Teste rápido, falhe rápido e ajuste rápido.
  22. 22. WEBSHOPPERS PLANEJAMENTO PLATAFORMA INTEGRACOES LOGISTICA MARKETING e-commerce PLATAFORM ASO Termo código aberto ou open souce em inglês, foi criado pela OSI (Open Source Initiative) e refere-se ao software também conhecido como software livre A sigla SaaS significa Software as Service (Software como um serviço). Você paga conforme o uso da plataforma. Se usar pouco paga menos, se usar mais paga o proporcional A solução completa para comercio eletrônico. Contempla desde a plataforma até a prestação de serviços essenciais para o sucesso da operação, do planejamentode ações de marketingaté a logistica e o atendimento especializado durante o processo de compra. OPEN SOURCE ON-PREMISSES Full commerce É o modelo tradicional de licensa de uso de softwares. É como a maioria dos softwares que temos instalados em nossos computadores. SaaS
  23. 23. WEBSHOPPERS PLANEJAMENTO PLATAFORMA INTEGRACOES LOGISTICA MARKETING e-commerce Open source 1 2 3 Distribuição livre (sem licença) Inclui código fonte Diversos autores 4 5 6 Patch de atualização restrito (se permitido) Licença neutra de tecnologia Entre outros
  24. 24. WEBSHOPPERS PLANEJAMENTO PLATAFORMA INTEGRACOES LOGISTICA MARKETING e-commerce On premisses 1 2 3 Alto custo da licença inicial Pode ou não incluir código fonte Contratação de novas versões 4 5 Necessita de uma equipe especializada para sustentação e evolução Entre outros
  25. 25. WEBSHOPPERS PLANEJAMENTO PLATAFORMA INTEGRACOES LOGISTICA MARKETING e-commerce Saas 1 2 3 É um dos conceitos de TI que mais cresce no mercado atual Baixos custos iniciais de aquisição e utilização Rápida implementação 4 5 6 Padronização do software – eventualmente padronizado para clientes e segmentos específicos ROI mais rápido, sem investimentos iniciais em licenças, aquisição de servidores e softwares Sem deprecisação de servidores e softwares
  26. 26. WEBSHOPPERS PLANEJAMENTO PLATAFORMA INTEGRACOES LOGISTICA MARKETING e-commerce Full commerce 1 2 3 Normalmente é no modelo SaaS Não necessita de know-how especializado em e-commerce Dispõe de armazenagem, logística, equipe de back office, atendimento, entre outros.
  27. 27. Integrações
  28. 28. WEBSHOPPERS PLANEJAMENTO PLATAFORMA LOGISTICA MARKETINGINTEGRACOES e-commerce Guy Kawasaki Ideias são fáceis. Implementação é que é difícil.
  29. 29. WEBSHOPPERS PLANEJAMENTO PLATAFORMA LOGISTICA MARKETINGINTEGRACOES e-commerce Front Office Front Office ou linha de frente são as atividades de uma empresa que tem alto contato com o cliente, as empresas de prestação de serviço tem um nível de contato com o cliente bem alto, mas isso não quer dizer que não exitam atividades correndo bem longe dos olhos dos clientes Anti fraude Sistemas de anti fraude verificam a autenticidade das transações e compras feitas por cartão de crédito. Esses sistemas são de grande valia para proteção do negócio online Gateway Um gateway de pagamento é uma aplicação mantida por uma operadora financeira que autoriza pagamentos de transações feitas online em websites de empresas ou pessoas físicas nos ramos de e- businnes, varejistas online. Entrega Um ponto fundamental para a finalização da compra é o preço e prazo do frete, e para isso é preciso ter integrado um bom sistema de fretes e calculo de entrega
  30. 30. WEBSHOPPERS PLANEJAMENTO PLATAFORMA LOGISTICA MARKETINGINTEGRACOES e-commerce Back Office É a gestão interna de uma operação de e-commerce. Este processo inclui logística, gerenciamento de pedidos, estoque, clientes, relatórios, inteligência e planejamento, entre outros. O back office tem como objetivo dar suporte ao front office ERP Enterprise Resource Planning – ERP. Os ERPs em termos gerais, são plataformas de softwares dsenvolvidas para integrar os diversos departamentos de uma empresa, possibilitando a automação e armazenamento de todas as informações de negócios. CRM Customer Relationship Manager, é um termo em inglês criado para definir toda uma classe de ferramentas que automatizam as funções de contato com o cliente, essas ferramentas compreendem sistemas informatizados e fundamentalmente uma mudança de atitude corporativa. WMS Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Praesent sodales odio sit amet odio tristique quis tempus odio Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit.
  31. 31. Perguntas

×