Pesquisa e Estatística - Aula #03/20

8.941 visualizações

Publicada em

Material de apoio à aula 03 da disciplina de Pesquisa e Estatística do Curso Técnico de Propaganda e Marketing do Colégio Cenecista Elias Moreira. Tema da Aula: Coleta e Tabulação de dados.

0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.941
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pesquisa e Estatística - Aula #03/20

  1. 1. Pesquisa e EstatísticaAula 3: Coleta e Tabulação de Dados<br />Curso Técnico de Propaganda & Marketing<br />Colégio Cenecista Elias Moreira<br />
  2. 2. Projeto de Aula<br />Coleta de Dados<br />Documentação Indireta<br />Documentação Direta<br />Observação Direta Extensiva<br />Outras Técnicas<br />Sintetizando Dados Estatísticos (Distribuição de Frequência)<br />Transformando Dados em Informação<br />
  3. 3. Coleta de Dados<br />Parte mais importante da pesquisa<br />Gera conhecimento e serve como background <br />Pode sugerir problemas e hipóteses para outras fontes de coleta<br />Deve-se evitar esforços inúteis e duplicações de fontes<br />
  4. 4. Documentação Indireta<br />A fase da pesquisa realizada com o intuito de recolher informações prévias sobre o campo de interesse<br />Primeiro passo de qualquer pesquisa científica<br />Feito de duas maneiras<br />Pesquisa documental (fontes primárias)<br />Pesquisa bibliográfica (fontes secundárias)<br />
  5. 5. Pesquisa Documental<br />Restrita a documentos, escritos ou não,<br />Fontes primárias<br />Podem ser recolhidas no momento em que o fato ou fenômeno ocorre, ou depois<br />
  6. 6. Fontes e Tipos de Documentos<br />Fontes de Documentos<br />Tipos de Documentos<br />Escritos<br />Documentos Oficiais<br />Publicações Parlamentares<br />Documentos Jurídicos<br />Fontes Estatísticas<br />Publicações Administrativas<br />Documentos Particulares<br />Outros<br />Iconografia<br />Fotografias<br />Objetos<br />Canções Folclóricas<br />Vestuário<br />Folclore<br />Arquivos Públicos<br />Arquivos Particulares<br />Fontes Estatísticas<br />
  7. 7. Pesquisa Bibliográfica<br />Abrange toda bibliografia já tornada pública em relação ao tema de estudo:<br />Publicações avulsas, boletins, jornais, revistas, livros, pesquisas, monografias, teses, material cartográfico, etc., até meios de comunicação orais: rádio, gravações em fita magnética e audiovisuais: filmes e televisão.<br />Sua finalidade é colocar o pesquisador em contato com tudo o que foi escrito, dito ou filmado sobre determinado assunto.<br />Não é mera repetição do que já foi dito ou escrito<br />Propicia o exame de um tema sob novo enfoque ou abordagem, chegando a conclusões inovadoras<br />
  8. 8. Tipos de Fontes Bibliográficas<br />Imprensa escrita<br />Meios audiovisuais<br />Material cartográfico<br />Publicações<br />
  9. 9. Documentação Direta<br />Levantamento de dados no próprio local onde os fenômenos ocorrem.<br />Os dados podem ser obtidos de duas maneiras: <br />Pesquisa de campo <br />Pesquisa de laboratório<br />
  10. 10. Pesquisa de Campo<br />Tem o objetivo de conseguir informações e/ou conhecimentos acerca de:<br />Um problema para o qual se procura uma resposta, <br />De uma hipótese que se queira comprovar<br />Descobrir novos fenômenos ou as relações entre eles<br />
  11. 11. Pesquisa de Campo<br />Não deve ser confundida com a simples coleta dos dados<br />Exige contar com controles adequados e com objetivos preestabelecidos <br />Discriminar suficientemente o que deve ser coletado<br />
  12. 12. 3 Grandes Grupos<br />Quantitativo-descritivas <br />Estudos de verificação de hipótese;<br />Estudos de avaliação de programa;<br />Estudos de descrição de população;<br />Estudos de relação de variáveis.<br />Exploratórios<br />Estudos exploratório-descritivos combinados;<br />Estudos que usam procedimentos específicos;<br />Estudos de manipulação experimental.<br />Experimentais<br />
  13. 13. Pesquisa de Laboratório<br />Mais difícil, porém mais exato.<br />Descreve e analisa o que será ou ocorrerá em situações controladas<br />Exige instrumental específico, preciso, e ambientes adequados<br />Quatro aspectos devem ser levados em consideração:<br />Objeto,<br />Objetivo,<br />Instrumental e<br />Técnicas<br />
  14. 14. Observação Direta Extensiva<br />Realiza-se por meio de<br />Questionário<br />Formulário<br />Medidas de opinião e atitudes<br />Técnicas mercadológicas<br />
  15. 15. Questionário<br />É um instrumento de coleta de dados<br />Constituído por uma série ordenada de perguntas, <br />Devem ser respondidas por escrito e sem a presença do entrevistador.<br />O pesquisador envia o questionário ao informante, pelo correio ou por um portador;<br />Depois de ser preenchido, o pesquisador devolve-o do mesmo modo<br />
  16. 16. Vantagens do Questionário<br />Economiza tempo, viagens e obtém grande número de dados.<br />Atinge maior número de pessoas simultaneamente.<br />Abrange uma área geográfica mais ampla.<br />Economiza pessoal, tanto em adestramento quanto em trabalho de campo.<br />Obtém respostas mais rápidas e precisas.<br />Há maior liberdade e segurança nas respostas, em razão do anonimato.<br />Há menos risco de distorção, pela não influência do pesquisador.<br />Há mais tempo para responder e em hora mais favorável.<br />Há mais uniformidade na avaliação, em virtude da natureza impessoal do instrumento.<br />Obtém respostas que materialmente seriam inacessíveis<br />
  17. 17. Desvantagens do Questionário<br />Percentagem pequena dos questionários que voltam.<br />Grande número de perguntas sem respostas.<br />Não pode ser aplicado a pessoas analfabetas.<br />Impossibilidade de ajudar o informante em questões mal compreendidas, o que leva a uma uniformidade aparente.<br />Na leitura de todas as perguntas, antes de respondê-las, pode uma questão influenciar a outra.<br />A devolução tardia prejudica o calendário ou sua utilização.<br />O desconhecimento das circunstâncias em que foram preenchidos torna difícil o controle e a verificação<br />Nem sempre é o escolhido quem responde ao questionário, invalidando, portanto, as questões.<br />Exige um universo mais homogêneo<br />
  18. 18. Formulário<br />Um dos instrumentos essenciais para a investigação social<br />Consiste em obter informações diretamente do entrevistado.<br />É uma lista formal, catálogo ou inventário destinado à coleta de dados <br />O preenchimento é feito pelo próprio investigador, à medida que faz as observações ou recebe as respostas, ou pelo pesquisado, sob sua orientação.<br />Característica: contato face a face entre pesquisador e informante <br />Três qualidades essenciais:<br />Adaptação ao objeto de investigação;<br />Adaptação aos meios que se possui para realizar o trabalho;<br />Precisão das informações em um grau de exatidão suficiente e satisfatório para o objetivo proposto.<br />
  19. 19. Vantagens Formulário<br />Utilizado em praticamente todo segmento da população: alfabetizados, analfabetos, populações heterogêneas, etc., porque seu preenchimento é feito pelo entrevistador.<br />Oportunidade de estabelecer rapport, devido ao contato pessoal.<br />Presença do pesquisador, que pode explicar os objetivos da pesquisa, e orientar o preenchimento do questionário e elucidar significados de perguntas que não estejam muito claras.<br />Flexibilidade, para adaptar-se às necessidades de cada situação, podendo o entrevistador reformular itens ou ajustar o formulário à compreensão de cada informante.<br />Obtenção de dados mais complexos e úteis.<br />Facilidade na aquisição de um número representativo de informantes em determinado grupo.<br />Uniformidade dos símbolos utilizados, pois é preenchido pelo próprio pesquisador.<br />
  20. 20. Desvantagens Formulário<br />Menos liberdade nas respostas, em virtude da presença do entrevistador.<br />Risco de distorções, pela influência do aplicador.<br />Menos prazo para responder às perguntas; não havendo tempo par apensar, elas podem ser invalidadas.<br />Mais demorado, por ser aplicado a uma pessoa de cada vez.<br />Insegurança das respostas, por falta de anonimato.<br />Pessoas possuidoras de informações necessárias podem estar em localidades muito distantes, tornando a resposta difícil, demorada e dispendiosa.<br />
  21. 21. Medidas de Opiniões e Atitudes<br />Medida é uma atribuição de números a objetos (ou acontecimentos ou situações), de acordo com certa regra<br />Atitudes é essencialmente uma disposição mental em face de uma ação potencial, um sistema de valores positivos e negativos de emoções ou de atitudes favoráveis ou desfavoráveis em relação a certo objeto.<br />A opinião representa uma posição mental consciente, manifesta, sobre algo ou alguém.<br />Ao se construir uma escala, colhe-se uma série de proposições cujas respostas realmente podem medir uma atitude de maneira gradual, variando de intensidade ou de posição em relação a um objeto.<br />As escalas de atitudes e opiniões apresentam certa dificuldade em sua construção: na determinação do ponto zero e na igualdade entre os vários graus.<br />
  22. 22. Outras Técnicas<br />Testes: instrumentos utilizados com a finalidade de obter dados que permitam medir o rendimento, a competência, a capacidade ou a conduta dos indivíduos, de forma quantitativa<br />Sociometria: técnica quantitativa que procura explicar as relações pessoais entre indivíduos de um grupo, criado a fim de estudar grupos familiares, grupos de trabalho e grupos escolares<br />Análise de conteúdo: técnica de pesquisa para a descrição objetiva, sistemática e quantitativa do conteúdo evidente da comunicação<br />História de Vida: técnica de pesquisa social utilizada para obter dados relativos à experiência íntima de alguém que tenha significado importante para o conhecimento do objeto em estudo<br />
  23. 23. Outras Técnicas<br />Pesquisas Mercadológicas<br />Instrumento importante e decisivo nas empresas contemporâneas,<br />Crescimento e complexidade das atividades comerciais<br />Emprego da abordagem de marketing na direção dos negócios.<br />Teste de produto;<br />Pesquisa de audiência;<br />Store-audit;<br />Discussão em grupo;<br />Desk research.<br />
  24. 24. Tabulação de Dados<br />É a maneira ordenada de dispor os resultados numéricos para que a leitura e a análise sejam facilitadas<br />Condensa a classificação em uma distribuição de frequência<br />As repetições agrupadas dos valores da variável<br />Visa facilitar o trabalho estatístico<br />Permite melhor compreensão dos fenômenos.<br />A distribuição de frequência pode ser:<br />Absoluta,<br />Relativa e<br />Acumulada<br />
  25. 25. Tipos de Tabulação<br />TABULAÇÃO SIMPLES<br />O entrevistado só pode dar uma resposta.<br />O número de respostas é igual ao número de entrevistas<br />TABULAÇÃO COM RESPOSTAS MÚLTIPLAS<br />O entrevistado pode indicar mais de uma alternativa<br />TABULAÇÃO DE PERGUNTAS ENCADEADAS<br />A tabulação é feita com relação às diversas perguntas em sequência<br />PERGUNTAS COM ORDEM DE PREFERÊNCIA<br />Utiliza-se a tabulação ponderada<br />
  26. 26. Exemplo Prático<br />

×