A casa mal assobrada por point

254 visualizações

Publicada em

Projeto livro virtual de conto de assombração

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
254
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A casa mal assobrada por point

  1. 1. Numa sexta-feira à noite, os três porquinhos decidiram entrar em uma casa que todos diziam que era mal assombrada, mas eles não acreditavam. Levaram tochas acesas criaram coragem e entraram.
  2. 2. Atravessarem pelo salão ouviram uma voz que dizia: - Bem vindos à mansão do terror! Há, há, háaa! Eles gritaram de pavor: - Haaaaaaa!
  3. 3. Assustados andaram mais um pouco e Cícero perguntou: - Heitor, Prático eu estou com medo e vocês? - Eu estou com muito medo e você Prático? – perguntou Heitor. - Eu estou bem, vocês são uns medrosos. – falou Prático.
  4. 4. Foi quando Prático sumiu de repente e os outros dois porquinhos ficaram procuram e Cícero começou a gritar: - Prático, Prático, Prático apareça já estamos muito preocupados, como que você aprontou uma coisa dessa com a gente.
  5. 5. Quando ele ouviu o desespero do irmão, falou: - Meus irmãos me ajudem eu estou em perigo, vocês terão que ser corajosos e me ajudar. - Ai meu Deus! - falou Heitor. - E agora! – disse Cícero.
  6. 6. - Socorro! Socorro! Socorro! Ele vai me pegar. – gritou Prático. -Ai, mas quem o pegará. – falou Heitor.
  7. 7. Heitor e Cícero encheram-se de coragem e seguiram o pedido de socorro do irmão que ecoa pelo casarão. A casa é cheia de obstáculos e labirintos e para encontrá-lo, foram em busca de pistas. Primeiro encontrou o chapéu, depois um pedaço de sua roupa e por último um botão.
  8. 8. - Acho que já estamos perto. – falou Heitor. - É também acho. Caminharam mais um pouco e... -Olhe lá está ele. – disse Cícero. -Ele está amarrado. Quem será que fez isso? – perguntou Heitor.
  9. 9. E nisso apareceu um bruxo, barbudo e velho. Rodeado de espectros falando palavras estranhas. - Mas o que será que esses fantasmas estão falando? – disse Cícero. Foi quando o bruxo percebeu a presença de estranhos e gritou: - Saiam da minha casa!
  10. 10. Heitor chamou Cícero para um canto e falou: - Irmão, que tal você distrair o bruxo enquanto eu tento salvar o Prático? - Boa ideia! Mas como você vai conseguir passar por todos aqueles fantasmas? - Eu já planejei tudo! Enquanto nós estávamos procurando pistas do Prático eu encontrei dois lençóis e uma tesoura e ...
  11. 11. Cícero interrompeu o irmão para dizer: - Agora entendi! Você vai se disfarçar e se misturar com aqueles espectros! - Isso mesmo! Agora vá, distrair aquele bruxo horrível que eu vou me trocar. - Tudo bem!
  12. 12. Heitor se disfarçou e com dificuldade chegou perto de Prático e disse: - Irmão, irmão, sou eu o Heitor, vim para te salvar desse feiticeiro maluco. E Prático murmurou feliz... Heitor pegou a tesoura, cortou a mordaça e a corda que o prendia. - Graças a Deus você chegou.
  13. 13. - Pegue esse lençol e vamos passar entre os fantasmas para escaparmos daqui. – disse Heitor. - Mas e o Cícero? – perguntou Prático. Ele está distraindo o bruxo. – respondeu Heitor.
  14. 14. Eles esperaram uma chance de escapar, saíram correndo e puxaram Cícero. Pegaram a chave que estava caída no chão e saíram da casa. Prático trancou a porta, mas os fantasmas a atravessaram e começaram a se desfazer na presença da luz do sol. Os porquinhos gritaram: - Até que enfim estamos livres e nunca mais vamos voltar aqui! E não duvidar do que dizem a pessoas.

×