Trajetória daavaliação no DFProcessos adotados na história de        educação do DF
O Para os Ensinos  Fundamental e Médio, a  verificação de rendimento  compreende a avaliação  do processo de ensino e  de ...
Avaliação formativaO Como pode ser observada, a avaliação, em nossa prática educativa, está imbuída de um grande desafio, ...
Regimento EscolarO, Regimento Escolar nesse sentido, normatiza a operacionalizaçãodos critérios avaliativos previstos no A...
É preciso um olhar mais reflexivopara construir coletivamente umacultura avaliativa, ponderando aatuação de professores e ...
ReferênciasO DISTRITO FEDERAL, Projeto Político-Pedagógico Professor    Carlos Mota, SEEDF, 2012.O   SEDF. Diretrizes Peda...
Trajetória da avaliação no DF
Trajetória da avaliação no DF
Trajetória da avaliação no DF
Trajetória da avaliação no DF
Trajetória da avaliação no DF
Trajetória da avaliação no DF
Trajetória da avaliação no DF
Trajetória da avaliação no DF
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Trajetória da avaliação no DF

623 visualizações

Publicada em

Trajetória da avaliação no DF - SEDF.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
623
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trajetória da avaliação no DF

  1. 1. Trajetória daavaliação no DFProcessos adotados na história de educação do DF
  2. 2. O Para os Ensinos Fundamental e Médio, a verificação de rendimento compreende a avaliação do processo de ensino e de aprendizagem, que objetiva diagnosticar a situação de cada aluno nesse processo, bem como o trabalho realizado pelo professor.
  3. 3. Avaliação formativaO Como pode ser observada, a avaliação, em nossa prática educativa, está imbuída de um grande desafio, que é o de apropriar-se da concepção formativa acerca da avaliação escolar e proporcionar educação de qualidade que não somente leve a termo a análise de rendimento escolar, mas que considere, igualmente, alternativas de superação das desigualdades sociais.
  4. 4. Regimento EscolarO, Regimento Escolar nesse sentido, normatiza a operacionalizaçãodos critérios avaliativos previstos no Art. 24 da LDB:O avaliação formativa, contínua, cumulativa, abrangente, diagnóstica e interdisciplinar, com prevalência dos aspectos qualitativos sobre os fatores quantitativos do desempenho do aluno; aceleração de estudos para aluno com defasagem idade- série; avanço de estudos e progressão parcial com dependência, exceto para alunos inseridos nas Classes de Aceleração da Aprendizagem; recuperação paralela e contínua para alunos de baixo rendimento escolar; e aproveitamento de estudos concluídos com êxito e frequência mínima de 75% do total de horas letivas estabelecido para o ano ou o semestre letivo.
  5. 5. É preciso um olhar mais reflexivopara construir coletivamente umacultura avaliativa, ponderando aatuação de professores e demaisprofissionais da educação quetrabalham na escola. Todos devemser avaliados e todos devemavaliar. É ter como foco nãoapenas o estudante, mas tambémo professor e a escola, integrandoa avaliação da aprendizagem àavaliação da instituiçãoeducacional como um todo,possibilitando um momento deconhecimento e compreensão dosfatores associados ao êxito oufracasso dos programas, projetos,planos, currículos (BELLONI;MAGALHÃES; SOUZA, 2003).
  6. 6. ReferênciasO DISTRITO FEDERAL, Projeto Político-Pedagógico Professor Carlos Mota, SEEDF, 2012.O SEDF. Diretrizes Pedagógicas para o BIA. Edição Revisada, SEEDF, Brasília, DF, 2012O SEEDF. Diretrizes Pedagógicas do Bloco Inicial de Alfabetização, Brasília, DF, 2012.O SEEDF. Diretrizes de avaliação do processo de ensino e de aprendizagem para a educação básica. Brasília, DF, 2008.O SEDF. Regimento Escolar das Instituições Educacionais da Rede Pública de Ensino do Distrito Federal. 4.ed. 2006.O DISTRITO FEDERAL. Fundação Educacional. Escola Candanga: Diretrizes Operacionais. Caderno 4. 1998, p. 22.O Villas Boas, B. M. F. Avaliação formativa e formação de professores: ainda um desafio. Linhas Críticas, Brasília, v. 12, n. 22, p. 75-90, jan./jun. 2006.

×