ApresentaçãO 22 12 2008

311 visualizações

Publicada em

Public presentation of Master thesis on E-learning Pedagogy

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
311
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • ApresentaçãO 22 12 2008

    1. 1. Estudo aplicado a casos de cegueira e baixa visão Contributos para uma educação online inclusiva Apresentação pública da dissertação de Mestrado em Pedagogia do e-Learning Universidade Aberta, Portugal. 22-12-2008 Maria Manuela Amado da Silva Francisco Orientador: Professor António Quintas-Mendes
    2. 2. O estudo relatado neste trabalho pretende responder à questão de partida que lhe deu origem: O que é necessário para criar cursos online acessíveis, particularmente a pessoas com incapacidade visual?
    3. 3. <ul><li>Fase de concepção de um curso </li></ul><ul><li>Fase de implementação </li></ul><ul><li>3 participantes cegos </li></ul>Estudo de caso:
    4. 4. <ul><li>Barreiras na web: </li></ul><ul><li>Navegação </li></ul><ul><li>Conteúdos </li></ul><ul><li>Interacção </li></ul>Fase de concepção
    5. 5. <ul><li>Necessidades/soluções específicas </li></ul><ul><li>Tecnologia assistida </li></ul><ul><li>Diferentes formatos de conteúdos </li></ul><ul><li>Acesso a toda a informação e funcionalidades </li></ul>Fase de concepção
    6. 6. Normas de acessibilidade na web - Directivas do W3C - Section 508 (ADA) Fase de concepção
    7. 7. - Sessões de acompanhamento presencial - Observação de comportamentos - Propostas de melhoria Fase de implementação 2ª edição do curso
    8. 8. - Caderno de campo - Entrevista - Outros dados Recolha de dados
    9. 9. 1) Clarificação de conceitos .Usabilidade (navegabilidade e relevância) . Acessibilidade (usabilidade, legibilidade e leiturabilidade) . Inclusão (igualdade e opção de escolha) Conclusões
    10. 10. 2) Normas .Não são garantia de acessibilidade . Restritas ao conteúdo e navegação . Omissões (descrção de imagens, legendagem e áudio-descrição) Conclusões
    11. 11. 3) Tecnologia (Blackboard) . Desenho complexo do interface . Demasiados links ou mal definidos . Limitações dos leitores de ecrã Conclusões
    12. 12. 4) Conteúdos . Diversificados . Disponíveis em áudio, texto e imagem . Conteúdos multi-sensoriais Conclusões
    13. 13. Breve viagem ao mundo dos outros sentidos Colocação de venda O que falei aqui só se compreende verdadeiramente se nos colocarmos no papel de um utilizador cego. O que se vê através da voz sintetizada do leitor de ecrã. Melhorar estas condições implica a utilização de tecnologia de fácil navegação e uma oferta diversificada de conteúdos. Cada conteúdo deve ser disponibilizado em diferentes formatos cabendo ao utilizador a decisão de escolha. Isto é possível se os conteúdos forem concebidos para os diferentes sentidos. O cinema inclusivo pode trazer alguns contributos para a produção destes formatos de conteúdos. Este excerto é um exemplo disto.
    14. 14. Excerto do filme “Atrás as Nuvens” com legendagem, áudio-descrição e Língua Gestual
    15. 15. Reflexão final Criar cursos online é muito mais que criar páginas Web. É fundamental seguir normas, conciliar conhecimentos de programação com os da psico-pedagogia, da linguística e do design e desenvolver um modelo de ensino multi-sensorial. As novas formas de apresentar a arte ao público, mostram que a arte pode ser vista, ouvida e sentida, fundindo num único momento diferentes manifestações comunicativas e artísticas. Podemos estar perante uma nova forma de arte baseada na transversalidade que, ao ser transportada para o contexto virtual poderá dar origem a uma nova forma de inclusão   A educação pode inspirar-se nesta transversalidade para transmitir o conhecimento. Isto significa que devemos equacionar as diferentes formas de percepcionar e sentir um conteúdo, seja ele em contexto artístico, cultural, social ou educativo.
    16. 16. Reflexão final Como tal, é possível estar perante um novo processo de ensino-aprendizagem multi-sensorial e universal, onde todos beneficiam, podendo assim abandonar-se o termo acessibilidade para se assumir um ensino verdadeiramente democrático e inclusivo .

    ×