Trabalho diogo nunes nº6

744 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
744
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho diogo nunes nº6

  1. 1. Projecto Individual de Leitura
  2. 2. <ul><li>Título: Uma Aventura na Escola. </li></ul><ul><li>Autor: Ana Maria Magalhães, Isabel Alçada. </li></ul><ul><li>Editora: Caminho </li></ul><ul><li>Ilustrações: Arlindo Fagundes </li></ul>
  3. 3. Uma Aventura na Escola
  4. 4. <ul><ul><li>Era o início do ano lectivo… Os amigos estavam todos reunidos, os mais velhos orgulhavam-se porque alguns usavam uma pulseira que dizia “Em serviço”,os mais novos se precisassem de ajuda podiam dirigir-se a eles, mas com a vergonha de serem “caloiros” não lhes parecia muito conveniente pedir ajuda aos alunos mais velhos. </li></ul></ul>Uma Aventura na Escola
  5. 5. <ul><ul><ul><li>No segundo dia a escola tinha sido </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>assaltada, mas os ladrões não tinham </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>levado nada! Toda a gente dava palpites de </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>possíveis suspeitos mas sem descobrirem </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>nada. A escola ficara uma grande confusão </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>após o assalto, é então que os amigos: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Chico, Pedro, João, Teresa e Luísa, decidiram investigar! </li></ul></ul></ul>Uma Aventura na Escola
  6. 6. <ul><li>No dia seguinte, a escola parecia que estava em obras. Alguém tinha escavado uma espécie de fosso á volta de um dos pavilhões da escola, e, mais uma vez, devido ao seu espírito aventureiro, os cinco amigos murmuraram: </li></ul><ul><li>” – Vamos investigar”. </li></ul><ul><li>Ia o João a caminho das aulas até que cai numa espécie de ratoeira, caiu num buraco tapado por ervas, e logo depois os amigos o acudiram. </li></ul><ul><li>Nesse dia a professora chamara todos os alunos a reunir-se com ela para falar sobre o que acontecera naqueles dias. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Nessa noite o Pedro tinha ido para casa de um amigo, ficou até tarde a ouvir musica, de repente olham para a janela e vêem uma pessoa a olhar para a cerca da escola e parecia-lhes suspeito. </li></ul><ul><li>Decidiram ir ver quem era, mas não descobriram nada. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>O Pedro contara a toda a gente o que se tinha passado, e decidiram ver quanto é que media a pegada, que ficara lá, e notaram que tinha uma bola redonda lá á beira. Viram que se tratava de um 37,5 o tamanho do calçado, e também encontraram um botão. Depois decidiram combinar passar um dia na escola durante a noite. Ó Chico competia-lhe avariar a janela da sala de forma a poderem entrar dentro da escola, e as duas irmãs (Luísa e Teresa) como sabiam que, era o dia que os pais iam sair, para ir para casa de uns amigos, disseram que iam ficar em casa uns dos outros. Como o combinado, durante a noite foram fazer uma espécie de piquenique na escola, mas não foram muito rápidos, e a pessoa “mistério” não foi apanhada, acabara por fugir para o bairro velho, só deixara um pedaço de tecido rasgado. Depois viram lá ao fundo um homem, mas foram demasiado determinados, começaram a correr, e o homem reparou, e fugiu! </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Estavam todos nas aulas, as gémeas tinham chegado atrasadas, elas na aula estavam a debater uma coisa que tinha a ver com o professor de matemática, a seguir do debate os colegas queixaram-se que tinham os cadernos sujos com gordura e que era da mesa. Logo a seguir a professora tinha dito em alto e bom som: </li></ul><ul><li>- Parece que alguém aqui a comer! </li></ul><ul><li>A turma do Chico e do Pedro, ia a uma visita de estudo, o professor tinha-lhes dito para arrumar os cadernos. O professor dirigira-se para a sala de ferramentas e tentou abrir a porta só que não conseguira, mandou chamar o senhor Osório (presidente da escola) para perguntar se a fechadura tinha sido substituída, ao que respondeu, não . </li></ul>
  10. 10. <ul><li>O Chico e o Pedro deram a ideia ao senhor Osório para arrombar a porta. Como não houvera outra alternativa o Senhor Osório aceitara a proposta do Pedro e do Chico. </li></ul><ul><li>Eles só disseram um, dois, três, já a tinham arrombado, mas tinham que tirar as tábuas para ver o que se escondera lá. Ao precipitarem-se os dois primeiros alunos caíram num buraco que estava lá, mas nada que não se resolve-se. </li></ul>
  11. 11. <ul><li>Passados alguns dias depois descobriram, do que se tratava a bola redonda á beira da pegada. Era uma bengala. O Rui dirigira-se para casa quando ao entrar no elevador dá de caras com uma velhinha que usava uma bengala, e que tinha os botões do casaco iguais ao botão que o Pedro encontrara, e por azar, era a velhinha que fornecia os deliciosos croquetes, que gostava muito. O João no dia seguinte, foi muito rápido para ir para a escola, para contar a novidade. Eles depois de saberem, ligaram para casa da mãe do Rui a pedir a morada da velhinha, arranjando a desculpa que iam comprar croquetes. </li></ul>
  12. 12. <ul><li>Dirigiram-se para casa da velhinha, e ela abriu-lhes a porta. Disseram que tinham encontrado um botão igual ao do casaco dela onde foi cortada a cerca, e o buraco da parte de baixo da bengala. A velhinha acabara por confessar que cortara a cerca todos os dias porque já era muito velha, e não tinha pernas para dar a volta a escola deles, por isso cortara a cerca, e voltará a cortar outra vez. </li></ul>
  13. 13. <ul><li>Finalmente o Pedro e o Chico iam ter uma visita de estudo, que era no bairro velho, o Pedro pediu ao João que levasse o Faial (o cão) para tentar apanhar o ladrão. A meio da visita o Chico dá o pedaço de tecido a cheirar ao Faial e ele começou a ladrar á beira de uma barbearia, no cabide estava um casaco com um tecido igual ao que estava á volta do cerco, o Pedro quis esperar que alguém saísse com aquele casaco. Passado um bocado um homem sai com aquele casaco e disse-lhes: </li></ul><ul><li>- Já descobriram? </li></ul>
  14. 14. <ul><li>E contou-lhes que não era de cá, era de outro país, mas tinha cá o pai. Mandava-lhe dinheiro, até que o pai ficou com uma fortuna, e que tinha medo que perdesse ou fosse roubado. Então decidiu enterrar o dinheiro. Para não ser em notas, trocou por libras de ouro, assim não perdiam o valor. Depois enterrara na horta de sua casa, onde mais tarde foi construída a escola deles. Eles decidiram ajudar o homem. O homem deu-lhes a planta da escola e planta da antiga casa do pai dele. O Pedro pensou e descobriu que ficava, na pequena horta dos alunos do 1º ano. Então combinaram uma hora da noite para se encontrarem. O Chico cavava com o homem, e os outros distraíam o guarda. Então assim foi, escavaram e descobriram as libras de ouro. O homem ficou muito alegre e deu uma libra de ouro a cada um. </li></ul>
  15. 15. <ul><li>No ultimo dia o senhor Osório viu o que tinha acontecido á horta do 1ºano e viu um papel que dizia: </li></ul>

×