Resposta de questionarios da voz do povo

1.582 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.582
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.018
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resposta de questionarios da voz do povo

  1. 1. ENTREVISTA BLOG VOZ DO POVO COM HIAOSMIN V. TAVARES COSTAV.P: Boa tarde - Obrigado por ter dedicado parte do seu tempo para darentrevista ao BLOG VOZ DO POVO GB. Sua contribuição é muito importantepara nós, para que possamos melhorar ainda mais nosso trabalho e fazer anossa querida pátria ser aquilo que deveria.H.V.T.C: Boa tarde - Obrigado a todos vocês do Blog Voz do Povo, eu queagradeço pela oportunidades que estão me dando, para dar a minhacontribuição enquanto Estudante e cidadão guineense residente no Brasil parafins acadêmico.Eu vou aproveitar me apresentando, sou Hiaosmin Vanderlei Tavares Costa,Formando do Curso de Biblioteconomia pela Universidade de Brasília,Cursando de linguagens de Programação em PHP e JAVA na Logus TIvinculado a Instituto Superior Fátima de Brasília. Atualmente sou Presidente daAssociação dos Estudantes da Guiné-Bissau no Distrito Federal (AEGB/DF),membro da União dos Estudantes Guineenses nas Américas (UEGA) eMembro Fundador da União dos Estudantes Africanos de Brasília (UEAB).Queria também esclarecer que estou dando esta entrevista a VOZ DO POVOna qualidade de Estudante guineense, não como presidente da Associação.V.P: Qual é a sua opinião sobre a instalação da Embaixada da Guiné-Bissauno Brasil?H.V.T.C: A Instalação da Embaixada da Guiné-Bissau em qualquer país domundo é importante, desde que vai de acordo com as regras da diplomacia erelações internacionais pensando nos princípios da convenção de Viena sobreRelações Diplomáticas e Consulares e a relação entre o dois Governos eEstados. A questão colocada sobre a instalação da Embaixada da Guiné-Bissau no Brasil é muito pertinente devido à necessidade que a ComunidadeGuineense tem enfrentado e as demandas de vários serviços e problemas quea afeta.V.P: Qual é a sua opinião sobre atividade ou trabalho da Embaixada da Guiné-Bissau no Brasil?H.V.T.C: Não tenho nada contra o trabalho que a Embaixada da Guiné-Bissauno Brasil está realizando, mas o problema que se coloca é a forma como está
  2. 2. sendo feito esse trabalho, e se vai de acordo com a realidade ou anecessidades da comunidade Guineense no Brasil, em especial, a comunidadeestudantil, o que não é o caso para falar...V.P: Você considera que a responsabilidade da Embaixada está focada naresolução dos problemas dos guineenses?H.V.T.C: KKKKKKKKKKK, pode ser o que eles pensam. Mas eu enquantoEstudante e alguém que tem acompanhado de perto o evoluir da situação dosEstudantes e a Comunidade Guineense no Brasil, em especial em Brasília, nãovejo nada que a Embaixada faz ou está a fazer, sem querer ignorar trabalhosrealizados por uma das figuras vinculados a aquela instituição, o PrimeiroSecretario. Já vive muitos problemas com Estudantes tais como: Morte donosso irmão Tony Bernardo da Silva, Estudante de Economia, que foi mortopor um Brasileiro em Cuiabá, no Estado do Mato Grosso do Sul, vitima depreconceito alegando que estava drogado, e que é ladrão e demais adjetivosde acusações, e o caso já deve ter sido arquivado devido à descontinuidade noseguimento do processo de parte das autoridades guineenses. Problemas de fiadores que muitos dos Estudantes enfrentavam aqui emBrasília, problemas com Estudantes no Estado do Rio de Janeiro, bem comono Ceará, especialmente em Fortaleza, que até hoje não foi tomado qualquermedidas, com relação a esse caso a presença da Embaixada é um poucoafastado enquanto entidade que devia engajar na resolução deste problema.V.P: Como considera o trabalho que a Embaixada faz na busca da solução dosproblemas da diáspora Guineense no Brasil?H.V.T.C: Eu acho que falta capacidade de mediação de certos problemas, ocaso em pauta, é o de Estudantes com problemas nas Universidades efaculdades Cearenses, pelas informações que vi pela mídia inclusive na ditaBlog da Embaixada cujo link é: http://embaguibrasil.blogspot.com.br/, que estãoacompanhando de perto enquanto estudantes estão resolvendo os seuspróprios problemas, salvo uma tentativa de negociação com a ProcuradoraGeral da União onde eles foram pedir que a Faculdade Parcele as dividas dosEstudantes, para que possam obter documentos que os permitirão à legalizarsuas situações de visto temporário junto à Policia Federal.Vejamos bem... Nenhum Guineense está no Brasil de favores. Pois, existe umarelação cultural, conhecido como convenio ou tratado assinado entre os doispaíses. Então, do meu ponto de vista, as Faculdades Privadas Cearenses,tinham que arcar com a responsabilidade colocada no seu edital e na clausulacontratual que os Estudantes assinaram a partir de Bissau. E eu não pautariapela questão de parcelar as dividas... Acho isso muito injusto e absurdo,porque, você vai parcelar as suas dividas, mas continua devendo na mesmaporque não saiu ainda daquela instituição em que contraiu a divida.
  3. 3. Para concluir minha opinião sobre como considero o trabalho que a Embaixadafaz na busca da solução dos problemas da diáspora Guineense no Brasil...Digo que não vejo nada que a Embaixada está fazendo de forma plausívelsenão de criar divisão no seio da comunidade Estudantil Guineense, falta deinformação muita das vezes já fui solicitado por alguns colegas e amigos quequerem saber como funciona na integra a Embaixada ou como é que podemconseguir acessar no mínimo contato da Embaixada...V.P: Você se sente satisfeito em relação ao volume do trabalho que aEmbaixadora realiza?H.V.T.C: Uma Embaixada não serve só para representar o país nas Reuniões,participar nos Cocktails, nas outras representações diplomáticas, renovarpassaportes, emissão de vistos, documentos variados para pessoasinteressados a viajar para a Guiné-Bissau mas sim, acompanhar de perto avida da sua comunidade o que não é o caso da nossa Embaixada.Além de muitos descasos, há falta de comunicação entre a Embaixada e acomunidade Guineense no seu todo. Mas a falta de comunicação é plantadapor alguém, e é apoiado e sustentado pelo Grupinho dessa mesma pessoapara transmitir o que é que os demais elementos da comunidade falam dela.Mas são grupinhos que chamo de amigos da Embaixada. Os membros dafamília colocados naquela instituição tentam a todo custo frustrar rotina dosjovens Estudantes, tentam esconder a verdade sobre o papel real de umaEmbaixada esquecendo que há algumas pessoas incluindo Estudantes aenfrentar enganação dos mais fortes no mundo do trafico de drogas, punívelpela Lei brasileira.....................................................V.P: Como você compara a situação dos guineenses antes e depois daEmbaixada?H.V.T.C: Pelo menos aqui em Brasília e nos Estados Brasileiros que tenhoinformações, só piorou a situação. Pois bem, aqui em Brasília, dantes algunsproblemas eram resolvidos pelo menos no meio que eu freqüentava e continuofreqüentando sem maiores problemas. Resolvíamos certos problemas com adireção da Universidade. Mas com achegada da Embaixada tudo piorouporque a própria Embaixada começou a disputar o mesmo espaço com acomunidade acadêmica local, o que é triste.V.P: Como você classificaria a imagem da Embaixada em relação aosguineenses?
  4. 4. H.V.T.C: A imagem da Embaixada está cada vez mais denegrida. Porque, nãoaceitamos dar mãos a palmatória por sermos Guineenses preocupando comuma Guiné-Bissau positiva independentemente da pessoa que está numdeterminado posto... kkkk infelizmente a imagem da Embaixada vai continuardenegrindo cada vez mais. Mesmo os brasileiros sabem porque estão vendo.Mas nunca falarão nada sobre o braço de ferro entre a Embaixada e aComunidade Estudantil de Brasília, somando aos problemas dos estudantes noCeará e demais problemas citados e não citados anteriormente. Mesmo a Vozdo Povo sabe disso!Mas, infelizmente, na Guiné-Bissau chefe é chefe nunca é culpado. Elespensam que somos obrigados a engolir peixe por rabo ou engolir saporefogado de malagueta. Isso é negativo. Não é verdade, vou repetir em alto eem bom som, não vamos deixar isso barato porque a Guiné-Bissau é de todosnós. O Brasil não é a Guiné-Bissau. No Brasil, há leis, incisos, alíneas, itens ecaminhos a percorrer. Creio que na Guiné-Bissau com certeza há autoridadesresponsáveis para apurar a veracidade independentemente da cor partidária,opção política há que pautar para mudar essa lamentável situação.V.P: Como considera o clima entre embaixada e associação dos Estudantesguineense no Distrito Federal?H.V.T.C: Vou responder essa pergunta enquanto Estudante guineense e nãocomo membro da associação ou responsável Maximo da mesma. Há certasinformações que não me permite fugir, ou seja, em não tocar na real situaçãoda AEGB/DF e Embaixada, respeitando a decisão da Associação e a suadireção em permanecer no silêncio para com a Embaixada, por ter tentadonegociar várias vezes com a mesma sem sinal positivo. Além de outros encontros que foram frustrados pela Embaixada, por exemplo,encontro com o Secretario de Estado da Educação, Dr. Besna Na Fonta, e asua delegação que esteve em Brasília. Simplesmente a Embaixadora recusoude reunir com Estudantes caso a reunião fosse realizada na Universidade deBrasília – UnB.V.P: Qual é a sua opinião sobre o Primeiro Encontro da Diáspora Guineenseno Brasil e qual seria a participação da associação dos estudantes guineensesno DF?H.V.T.C: Enquanto Estudante acho que é mais uma tentativa de silenciar a vozdos Estudantes a partir do Brasil e em especial Brasília porque as informaçõessobre a conduta da Embaixada chega a Guiné-Bissau quase todos os Sábadosatravés da antena da Rádio Jovem, no Programa Diáspora, o que para algunsmembros da Embaixada não pode ser.Outra coisa é tentativa de dividir Estudantes. Pois, há grupo de estudantes quenão tomam parte da Associação ou nas reuniões da Associação por terproblemas pessoais com alguns integrantes ou membros da Associação. Domeu ponto de vista, não tem nada haver porque o trabalho é trabalho e oamíguismo aparte.
  5. 5. Alguns dos Estudantes e Ex- Estudantes que não sei qual é o combinado delespara com a Embaixada usam e abusam dos automóveis da Embaixada. OsCarros da Embaixada são deixados para desfilarem em Brasília e nas cidadesSatélites, nos Churrascos, nas Baladas, ou seja, nas festas e Boates... Masque a Voz do Povo acredite existe algo por de trás de tudo isso que só elessabem e podem dizer...Este dito “Iº Encontro da Diáspora Guineense no Brasil” era intitulado PrimeiroEncontro da Diáspora Guineense em Brasília, segundo a primeira informaçãoque tenho acesso no E-mail que recebi. Dantes era um projeto pensado por um Estudante e o filho da Embaixadoraque é o Assessor de Imprensa e Cultura da nossa Embaixada no Brasil, numaconversa tida no bar, organizar um Encontro da Diáspora Guineense emBrasília. Mas a conversa transformada em escrita é pura copia de um dosprojetos que Associação dos Estudantes no Distrito Federal já executou desdeo 34˚ aniversario da Independência da Guiné-Bissau. A Embaixada teveacesso a esse Projeto anterior através daquele Estudante. Houve apenas amudança de data e alguns itens, como por exemplo, no lugar de atividade defutebol salão foi colocado futebol de campão, ou seja, futebol onze, assimsucessivamente. No dia em que foi marcado para discutir o projeto da Festa de 24 de Setembroda AEGB/DF, pelas 16H00 na UnB, o grupo amigo da Embaixada violou asregras e marcou a reunião para as 15H00 no mesmo local com toda acomunidade guineense inclusive eu, na qualidade responsável Maximo daAEGB/DF.Fui à reunião, e os ditos mentores do projeto estavam lá e queriam que eufizesse parte da mesa. Mas recusei de fazê-lo porque não sabia de nada. Osmesmos mentores apresentaram o que chamaram de esboço do projeto paraPrimeiro Encontro de Brasília, cujo papel A4 contendo logotipo da Universidadede Brasília, logo da Embaixada da Guiné-Bissau no papel timbrado daEmbaixada com o seguinte teor: A Embaixada da Republica da Guiné-Bissauno Brasil em colaboração com o Centro de convivência Negra da Universidadede Brasília, como responsáveis e parceiros responsáveis para realização desseevento... kkkkkkkkkkkkkkk..sem comunicar a Universidade nem o própriocentro de convivência negra foi avisado. Isso foi feito porque um dosEstudantes é estagiário Técnico Superior naquela Instituição fazendo partedessa dita comissão.Mesmo sabendo que todos os anos a Associação costuma organizar eventosdessa envergadura eles tiveram que pressionar e forçar os membros daAssociação dos Estudantes presentes naquela reunião para participar namaterialização da proposta deles sobre o evento. A Associação não aceitou edecidiu consultar a direção e aos membros como via mais legal e democráticano seio dos seus integrantes. A Direção da Associação dos Estudantes não aceitou colaborar ou participarno evento com os plagistas pelo e uso indevido do seu documento, violando
  6. 6. seu consentimento e autorização previa na elaboração do mesmo e classificade traiçoeiro o Estudante a testa disso por ser uma das pessoas que falounuma das entrevistas que concedeu a radio jovem que “a Embaixada não estáfazendo nada no Brasil e teceu demais considerações sobre a Embaixada daGuiné-Bissau no Brasil. A Embaixadora decidiu colocar o seu filho que ela nomeou como dito assessorda imprensa da nossa Embaixada por ser jovem, para caçar as pessoas queparticiparam naquela entrevista com a Radio Jovem da Guiné-Bissau e muitosdeles caíram na cilada de churrasco e cerveja....kkkkkkkkkkkkkk...Essescolegas não recordaram da verdade que tinham falado e beberam seu próprioveneno. O filho dela tentou comprar-me com cerveja e churrasco num dos botecos(Bares) da Asa Norte em Brasília, quando um dos Estudantes Guineenseresidente em Araraquara, em São Paulo, veio à Brasília e que me convidoupara ajudá-lo a montar uma coreografia da dança Guineense alegando que foiconvidado pela Embaixada de Angola e que na verdade a Embaixada daGuiné-Bissau estava também envolvida e que só venho, a saber,posteriormente...Continuando no Assunto do dito Primeiro Encontro da Diáspora Guineense, aAssociação dos Estudantes Guineenses no Distrito Federal fez apenas asseguintes perguntas para as pessoas que estão na frente do evento: 1. Se o projeto é deles porque consta na capa o nome e o logo da Embaixada da Guiné-Bissau? 2. Porque não consta o nome da Associação no documento e demais perguntas. Não aceitaram responder as perguntas onde o filho da Embaixadora tomou palavra e começou a falar arrogantemente de que quando tem sempre cabeças ou pessoas inteligentes sempre surgem as idéias. E é nessa ótica que estavam sentados a discutir na casa do Gaudêncio Pedro da Costa, Estudante que me referi acima, o Isaac Abubana, guineense indigitado por Ministério dos Negócios Estrangeiros da Guiné- Bissau para fazer Rio Branco, Academia Diplomática do Brasil e o Próprio Helmer Araujo, decidiram transcrever o nosso projeto para unir mais a comunidade guineense de Brasília. Conversa que já tinha achado de fiada tentando mais uma vez enganar a eles mesmos. Pois, a Associação e os Estudantes não aceitaram participar do projeto. Eles desistiram. Passado alguns dias, a própria Embaixadora emitiu um comunicado assinado por ela mesma, chamando toda a comunidade para participar da criação de uma Comissão para a Organização do Primeiro Encontro da Diáspora Guineense no Brasil, suprimindo assim o termo Brasília e decidiu alargar por todo o Brasil, trazendo o mesmo documento que era de autoria do filho dela e outros dois Estudantes Guineenses.
  7. 7. Mas pergunta-se: Como é que o dito projeto da autoria do filho se transformoucomo projeto da Embaixada?Numa sexta-feira, pelas 19H00, teve uma reunião na Embaixada da Guiné-Bissau no Brasil que terminou com um jantar onde foi avançado a decisão parafazer a festa sem envolver a Associação dos Estudantes. A reunião tem comoobjetivo criar uma comissão para a organização da festa de 24 de Setembro de2012, composta por oito (08) membros na qual conheço nomes de todos osintegrantes da dita comissão.Perceberam que, não vão ter sucesso decidiram montar uma estratégia decada um procurar um amigo nas outras cidades brasileiras enganando-os coma questão da passagem aérea de graça, alojamento e alimentação. Sabem queninguém gosta de perder 0800 no Brasil. Mas, atenção: quando a oferta émaior que a demanda é bom desconfiar... Mas, tenho certeza que nem todosos estudantes virão para o mesmo fim. Peço-vos que pensem bem no queestão fazendo o vosso/nosso futuro está em jogo.V.P: Como considera o clima entre embaixada e associação dos estudantesguineense no distrito federal?H.V.T.C: Ruim, embora há certos Estudantes que preferem se distanciardevido as ameaças que sofrem e o medo. Eu mesmo, já fui ameaçado pelofilho da Embaixadora que me disse o seguinte “ Quem te avisa amigo é.” Etambém, pela própria Embaixadora, por nosso descontentamento sobre aentrevista que ela concedeu à Rádio Jovem da Guiné-Bissau falando mal denós, Estudantes.Também, tenho todas as provas do que estou falando por vocês é só questãode dar um clique, inclusive à questão do uso de veiculo do corpo diplomáticopara fins inadequado que é fácil é só a VOZ DO POVO solicitar a informaçãoao DETRAN/DF vão descobrir toda a verdade. Quem duvidar pode ficar atentonuma das paradas de Ônibus em Brasília ou em lugares de festas paraacompanhar de perto o movimento da formula 01 dos carros da Embaixadapelo filho da Embaixadora e os amigos da cervejada. O observador, talvezadoraria ou se assustará da aventura.Outra coisa quem não me conhece pode me insultar e agredir verbalmente,mas informo que todos nós somos guineenses E que nos conhecemos uns aosoutros.O filho da Embaixadora me chamou de burro muitas vezes nas mensagens queenviou, mais estou feliz por ser burro que quer aprender mais, deixei o meupaís a minha família para estudar num país distante sem mamãe nem papaique não é o caso dele, hoje em dia sem a minha mãe consigo-me autosustentar pela formação e educação que ela me deu, Universidade de AmilcarCabral, Faculdade de Direito de Bissau e Colinas de Boé e a AJD associaçãodo meu bairro, são as instituições que passei antes de vim para Brasília.
  8. 8. Na Universidade de Brasília, além do meu curso participei e participo até hojedo Projeto Comunicação Comunitária, que é um da FAC – Faculdade deComunicação da UnB, Semanas de Extensões, Participei nas organizaçõesenaltecendo a imagem do meu país e da África.Enquanto que armando de jornalista, que todos nós o conhecemos e sabemosdo Centro técnica de jornalismo que estudou em Portugal, não temos duvidaainda mais com a criação do Blog, que nem se quer respeita ABNT, nem sei seele sabe o que significa, e a violação das regras e normas de comunicação deutilizar nome de instituição para falar mal dos outros além de copiar e colar dasinformações que não são pertinentes para a comunidade porque umaEmbaixada pode ter um boletim cultural não um blog para politicagem ou parainsultar os outros.V.P: Segundo a publicação feita no dia 9 de agosto no grupo EstudantesGuineenses no Brasil (facebook) A composição da Embaixada dão bonsexemplos e a sua atuação é guiada por valores éticos?H.V.T.C: ah..sim ....só linquei na minha pagina mas foi publicado no quadro daAssociação.kkkkkkkkk, só se for...ironicamente...é ao contrario, dentro daEmbaixada só tem uma pessoa(primeiro Secretario) o qual eu admiro muitopelo esforço que está fazendo em prol do desenvolvimento da Republica daGuiné-Bissau, e que também está sendo aterrorizado, por não coabitar comcerta coisas ligado a administração da Embaixada, que administrativamentenão pode estar acontecendo embora é comum e normal no nosso país, é umadas pessoas que sempre vai atrás dos problemas dos Estudantes ecomunidade guineense no Brasil do resto prefiro nem falar....kkkkkkkkkkkkkkk...vão La na dita Blog da Embaixada vão ver as publicações falando mal dosEstudante que não somos capazes somos criadores da proto-confederação, sóporque queremos criar uma organização que vai ajudar o nosso país como ànós mesmos.Uma coisa é certa: existe algo contra à Associação dos Estudantes da Guiné-Bissau ( AEGB/DF).... MAIS UMA VEZ É TRAGICO.V.P: Sugestão, Conselho e opinião sobre a Guiné-Bissau.H.V.T.C: Antes de terminar, queria agradecer, mais uma vez, esse meio decomunicação que vocês criaram para estar dando oportunidades para aspessoas se informarem sobre o país e a diáspora guineense espalhado pelomundo, e uma coisa vocês podem ter certeza que ameaça de morte não vainos fazer mudar de conduta e de fortalecer nossa caminhada para uma Guiné-Bissau positiva, como diz o DIDINHO. Pois, a Guiné-Bissau precisa de cadaum dos seus filhos, seja qual for o lugar onde ele esteja.
  9. 9. Vamos unir esforços, porque já está em andamento uma lista na internet paraum abaixo assinado pela retirada dos grupinhos na Embaixada da Guiné-Bissau no Brasil. Já foram inscritos 550 Estudantes à nível do Brasil incluindoBrasília. O objetivo da iniciativa dos Estudantes Guineenses espalhados peloBrasil pela retirada do grupinho é chegar o numero Maximo de assinaturas eentregá-lo ao Itamaraty e o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Guiné-Bissau.Infelizmente na situação que a Guiné-Bissau se encontra, só a juventude noseu todo é que pode mudar algo de positivo se não teremos surpresasnegativas. Podem continuar a enviar as vossas assinaturas no seguinte E-mail:caiamforadobrasil@gmail.com Colocando o nome completo, curso eEstado de residência.Aqui vai o meu Contato:HIBIBLIO2008.UnB@GMAIL.COM / COSTAHIAOSMIN@YAHOO.COM.BRCOMO DEZIA O NOSSO POETA E REVOLUCIONARIO, BOB MARLEY:"Unidos venceremos Divididos, Cairemos" Assinado por:Hiaosmin V. Tavares costa

×