Biblioteca e Poesia

6.581 visualizações

Publicada em

Evidências de algumas das actividades desenvolvidas

Publicada em: Educação, Diversão e humor
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.581
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5.240
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Biblioteca e Poesia

  1. 1. BIBLIOTECA E POESIA BIBLIOTECA E POESIA BIBLIOTECA E POESIA BIBLIOTECA E POESIA BIBLIOTECA E POESIA
  2. 2. BIBLIOTECA E POESIA
  3. 3. A BE da Escola EB 1,2,3 Augusto Moreno – Bragança inclui no Plano de Actividades anual, actividades variadas de desenvolvimento da leitura e da escrita. Este ano, desenvolveu já duas actividades neste âmbito. Em ambas a Poesia esteve presente, relacionando conteúdos, valores e tradições. Referimo-nos ao Natal e ao Entrudo. Natal Entrudo
  4. 4. O Natal teve a presença da poesia de Sophia de Mello Breyner Andresen, António Gedeão, Manuel Alegre, Miguel Torga, dos próprios alunos e outros, lida por alunos de vários sotaques, num desfile multicultural – Ucraniano, Chinês, Búlgaro, Russo e Português. O auge da poeticidade teve lugar quando as violas se juntaram e os poemas passaram a uma toada musical.
  5. 5. O Entrudo aconteceu na Escola, avivando tradições. Além dos disfarces preparados, a tradição cumpriu-se com um momento de Poesia, desta vez com o nome de Loas, elaboradas pelos alunos com o objectivo de tocar os pontos fortes e fracos de colegas, Professores e Funcionários, com sabor a crítica. Esta poesia cumpriu uma tradição secular transmontana. A BE, em aulas propôs, os alunos realizaram.
  6. 6. A Daniela Freitas Tira boas notas Nos dias de neve Veio sempre de botas Gosta de jogar ao berlinde E é muito brincalhão Ó Nuno, se és meu amigo, Dá cá um aperto de mão! Diz o Pai Nosso em Grego Que homem tão esperto Tanta coisa que ele sabe O nosso Professor Alberto O senhor Rui, funcionário, É o pai da Catarina Trabalha que se farta E dispõe da sua carrinha O Cândido é distraído E muito brincalhão À saída fica aceso Parece mesmo um vulcão A Dona Catarina Não é nada apressada Gosta muito de falar E deixa-me desesperada
  7. 7. Um concurso de Poesia cujos destinatários são Alunos, Professores, Funcionários e Encarregados de Educação está a decorrer. A Poesia vive-se também desta forma, que culminará com a presença de um Poeta na Escola, aquando da Entrega de Prémios. A Coordenadora da BE Elisa Ramos

×