Poema e Voz de César Salvado “ Poema Ficalho” Avanço automático
 
 
 
A palavra saudade E aquele que a inventou
E a primeira vez que a disse  Com certeza que chorou.
Com certeza que chorou, Chorou mesmo de verdade;
E aquele que a inventou E a palavra saudade!
Adeus minha linda vida, Adeus penhas e arvila…
Adeus penhas e arvila, Tudo isto eu vou deixar,
Mas levo dentro de mim E uma saudade sem fim
E uma saudade sem fim Que eu não posso disfarçar…
Adeus meu velho castelo, Vèlhinho, mas sempre belo,
Vèlhinho, mas sempre belo De lendas e tradição!
Adeus janelas floridas, Tão bonitas e garridas,
Tão bonitas e garridas… Tudo levo na estimação!
 
 
Formatação de Maria de Aguiar Marçalo
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Poema Ficalho

1.719 visualizações

Publicada em

Poesia

Publicada em: Educação, Diversão e humor
2 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.719
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
22
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
2
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Poema Ficalho

  1. 1. Poema e Voz de César Salvado “ Poema Ficalho” Avanço automático
  2. 5. A palavra saudade E aquele que a inventou
  3. 6. E a primeira vez que a disse Com certeza que chorou.
  4. 7. Com certeza que chorou, Chorou mesmo de verdade;
  5. 8. E aquele que a inventou E a palavra saudade!
  6. 9. Adeus minha linda vida, Adeus penhas e arvila…
  7. 10. Adeus penhas e arvila, Tudo isto eu vou deixar,
  8. 11. Mas levo dentro de mim E uma saudade sem fim
  9. 12. E uma saudade sem fim Que eu não posso disfarçar…
  10. 13. Adeus meu velho castelo, Vèlhinho, mas sempre belo,
  11. 14. Vèlhinho, mas sempre belo De lendas e tradição!
  12. 15. Adeus janelas floridas, Tão bonitas e garridas,
  13. 16. Tão bonitas e garridas… Tudo levo na estimação!
  14. 19. Formatação de Maria de Aguiar Marçalo

×