1
www.riojug.org
Desde 2001 difundindo o software aberto e
a tecnologia Java no Rio de Janeiro
Hoje, mais de 1200 membros ...
2
Software LivreSoftware Livre
Magno A. Cavalcante
(Engenheiro de Software)
Março de 2006
3
Sumário
1. Hardware
2. Software
3. Sistema Operacional
4. Internet
5. Richard M. Stallman
6. Fundação GNU
7. General Pub...
4
Sumário
10.Copyleft
11.Linus Torvalds
12.Linux
13.Distribuições do Sistema Operacional
GNU/LinuxSoftware Livre
14.Softwa...
5
Sumário
16.Diretrizes da Implementação do Software
Livre no Governo Federal
17.Objetivos da Implementação do Software
Li...
6
Hardware
7
Hardware
• Uma tradução de hardware poderia ser
lataria.
• Parte física, propriamente dita, de um
computador.
• Ou seja,...
8
Hardware
• O software fornece instruções baseadas nos
dados, para o hardware processar.
• O hardware se distingue dos da...
9
Software
10
Software
• Software ou programa de computador é uma
sequência de instruções a serem seguidas
e/ou executadas, na manipu...
11
Software
• Quando um software está escrito usando
instruções que podem ser executadas
diretamente por um processador di...
12
Software
• Uma categoria especial e notável de
interpretadores são as máquinas virtuais,
como a JVM (Java Virtual Machi...
13
Software
• Qualquer computador moderno tem uma
variedade de programas que fazem diversas
tarefas. Eles podem ser classi...
14
Software
• O Programa tem que ser "carregado" na memória
principal para ser executado. Após carregar o
programa, o comp...
15
Software
• de Sistema:
– Inclui o firmware (a BIOS dos computadores
pessoais, por exemplo), drivers de dispositivos, o
...
16
Software
• Aplicativo:
– Permite ao usuário fazer uma ou mais tarefas específicas.
– Os softwares aplicativos podem ter...
17
Sistema Operacional
18
Sistema Operacional
• Conjunto de ferramentas necessárias para
que um computador possa ser utilizado de
forma adequada....
19
Sistema Operacional
• É constituído por um kernel, ou núcleo, e um
conjunto de softwares básicos, que executam
operaçõe...
20
Sistema Operacional
• Se ele não existisse, todo software desenvolvido
deveria saber se comunicar com os dispositivos d...
21
Sistema Operacional
• No início da computação, os primeiros
"sistemas operacionais" eram únicos, pois
para cada mainfra...
22
Sistema Operacional
• Por causa dos altos custos da máquina, iniciou-se a
pesquisa de sistemas operacionais que
automat...
23
Sistema Operacional
• Um dos primeiros sistemas operacionais foi o
CTSS, desenvolvido no MIT.
• Outro que revolucionou ...
24
Sistema Operacional
• O UNIX criou um ecossistema de versões e
inovações, entre estes destacam-se:
– System V e derivad...
25
Sistema Operacional
• Década de 1970
• Deu-se início da era dos computadores pessoais
(PCs). Havia a necessidade de um ...
26
Sistema Operacional
• O DOS vendeu muito como sistema
operacional padrão para os computadores
pessoais desenvolvidos pe...
27
Sistema Operacional
• Década de 1990
• Um estudante de computação finlandês postou um
comentário numa lista de discussã...
28
Sistema Operacional
• Classificações Quanto ao Tipo de
Funcionamento Interno:
– Sistemas Monotarefa (ex: DOS);
– Sistem...
29
Sistema Operacional
• Classificações Quanto ao Tipo de Comercialização:
– Sistemas Proprietários: São pagos e você não ...
30
Internet
31
Internet
• Vinculada ao Departamento de Defesa dos Estados
Unidos da América existia a empresa ARPA
(Advanced Research ...
32
Internet
• Podemos dizer que ARPANET foi a mãe da
Internet.
• Ela foi criada para a guerra, pois com essa rede
promisso...
33
Internet
• 1979: a ARPANET tinha crescido tanto que o
seu protocolo de comutação de pacotes
original, chamado de Networ...
34
Internet
• 1991: Tim Berners-Lee publicou seu novo projeto
para a World Wide Web, dois anos depois de
começar a criar o...
35
Internet
• A Internet é uma rede de redes, em escala
mundial de milhões de computadores.
• Internet não é sinônimo de W...
36
Internet
• Serviços Comumente Disponíveis:
– Conteúdo multimídia e hipermídia (WWW);
– Acesso remoto a outras máquinas ...
37
Richard M. Stallman
38
Richard M. Stallman
• 1969: Teve seu primeiro acesso a um computador
durante seu último ano na escola secundária.
• Dep...
39
Richard M. Stallman
• 1969: Teve seu primeiro acesso a um computador
durante seu último ano na escola secundária.
• Dep...
40
Richard M. Stallman
• Hackers são especialistas em computação que
comumente trocam informações técnicas entre si
sobre ...
41
Richard M. Stallman
• 1980: A emergência “do software portátil” (que
poderia funcionar em tipos diferentes de
computado...
42
Richard M. Stallman
• 1980: A emergência “do software portátil” (que
poderia funcionar em tipos diferentes de
computado...
43
Richard M. Stallman
• 1983: Após três anos de embates financeiros e
legais entre duas empresas de ex-colegas de
trabalh...
44
Richard M. Stallman
• 1984: Em janeiro daquele ano ele se demitiu do MIT
para poder trabalhar em tempo integral no proj...
45
Richard M. Stallman
• Ele tem dito repetidamente que as tentativas
dos fabricantes de software proprietário em
proibir ...
46
Fundação GNU
47
Fundação GNU
• 1985: Stallman publicou o manifesto de GNU, que
esboçou sua motivação para criar um sistema
operacional ...
48
Fundação GNU
• Stallman inventou e popularizou o conceito do
Copyleft, um mecanismo legal para proteger as
modificações...
49
Fundação GNU
• Pela produção das ferramentas de software
necessárias para escrever software, e
publicando uma licença g...
50
Fundação GNU
• Até então, muitas partes do sistema GNU já
tinham sido completadas, com exceção do
kernel.
• 1990: Membr...
51
Fundação GNU
• 1991: Um jovem finlandês chamado Linus Torvalds
havia criado um kernel que poderia usar todas as
peças d...
52
Fundação GNU
• Stallman pede às pessoas para dizer “GNU/Linux”
quando se referem ao sistema operacional
construído pela...
53
General Public License
54
General Public License
• GPL = General Public License (Licença
Pública Geral)
• É uma licença de software livre publica...
55
General Public License
• As licenças do projeto GNU têm o respaldo
legal da constituição dos Estados Unidos por
terem s...
56
General Public License
• Permite que programas sejam distribuídos e
reaproveitados, mantendo, porém, os direitos
do aut...
57
Direito Autoral
58
Direito Autoral
• Direito autoral ou direitos de autor, é o nome dado
ao direito que o autor, o criador, o tradutor, o
...
59
Direito Autoral
• Reprodução é a cópia em um ou mais exemplares
de uma obra literária, artística ou científica.
• Contr...
60
Direito Autoral
• O símbolo de Copyright é uma letra “C”.
• No Brasil, atualmente essa matéria é
regulada pela Lei n.º ...
61
Patente
62
Patente
• Uma teoria da legislação da patente é induzir o
inventor a divulgar o conhecimento para o avanço
da sociedade...
63
Patente
• Patente, ao contrário do Copyright, não
permite nem mesmo a reprodução da obra
sem o devido pagamento de roya...
64
Patente
• Segundo a lei brasileira, não são passíveis
de registro formal criações puramente
intelectuais e abstratas, t...
65
Copyleft
66
Copyleft
• Copyleft é um trocadilho com o termo
Copyright. Traduzindo literalmente significa
"deixamos copiar“.
• Copyl...
67
Copyleft
• Um projeto (programas ou outros trabalhos livres)
sobre a licença Copyleft, requer que as
modificações desse...
68
Linus Torvalds
69
Linus Torvalds
• Linus Benedict Torvalds (Finlândia, 1969) é o
criador do kernel do sistema operacional
GNU/Linux, muit...
70
Linus Torvalds
• 1988: No mesmo ano o famoso professor Ph.D.
Andy Tannenbaum traz a público o Sistema
Operacional Minix...
71
Linus Torvalds
• 1990: Torvalds começa a aprender programação
em Linguagem C nos seus estudos.
• 1991: Linus obteve e e...
72
Linus Torvalds
• O kernel do Linux foi primeiramente desenvolvido
por Torvalds numa tentativa de desenvolver um
sistema...
73
Linus Torvalds
• Linux é uma junção de Linus com Unix, criada por
Ari Lemmke para nomear o diretório remoto de
Linus no...
74
Linus Torvalds
• O nome do mascote Tux (o pinguim do
Linux), foi escolhido por votação, pelo próprio
Linus. Segundo ele...
75
Linux
76
Linux
• Linux é o kernel, tecnicamente falando, de um
sistema operacional livre e popular, sendo
considerado um sistema...
77
Linux
• Arquitetura:
– Kernel híbrido monolítico;
– Drivers de dispositivo facilmente configurados
como módulos, sendo ...
78
Linux
• Portabilidade:
– Funciona em dezenas de plataformas, desde um
relógio de pulso da IBM até em mainframes,
passan...
79
Linux
• Termos de Licenciamento :
– Inicialmente, Torvalds lançou o Linux sob uma
licença que proibia qualquer uso come...
80
Distribuições do Sistema
Operacional GNU/Linux
81
Distribuições do Sistema
Operacional GNU/Linux
• Atualmente, um Sistema Operacional Linux
completo (uma “distribuição d...
82
Distribuições do Sistema
Operacional GNU/Linux
• Existem distribuições com ferramentas para
configuração e monitorament...
83
Distribuições do Sistema
Operacional GNU/Linux
• Algumas Distribuições:
•Arch
•Caixa Mágica
•Debian
•Debian-BR-CDD
•Fed...
84
Software Livre
85
Software Livre
• O termo Software Livre se refere aos softwares que
são fornecidos aos seus usuários com a liberdade
de...
86
Software Livre
• Para que seja possível modificar o software (para
uso particular ou para distribuir) é necessário ter ...
87
Software Livre
• Mais precisamente se refere a quatro tipos de
liberdade para os usuários do software, definidas
pela F...
88
Software Livre
• Liberdade de Utilizar:
– Significa a liberdade para qualquer tipo de
pessoa física ou jurídica utiliza...
89
Software Livre
• Liberdade de Redistribuir:
– Deve incluir a possibilidade de se repassar tanto
os códigos-fonte quanto...
90
Software Livre
• Para que as liberdades sejam reais, elas têm
que ser irrevogáveis, desde que você não
faça nada errado...
91
Software Livre
• Atualmente Software Livre também deve reunir o
conceito de Padrões Abertos.
• Isto significa que o sof...
92
Software Livre
• A Open Source Initiative (OSI) tem buscado
uma solução mais prática para a utilização,
tanto no mercad...
93
Software Livre
• A OSI, além das regras indicadas pela FSF,
recomenda que no software aberto e livre:
– Não exista disc...
94
Software Livre nos
Governos
95
Software Livre nos
Governos
• Alguns governos começaram a adotar leis ou
medidas favoráveis ao software livre.
• Os cas...
96
Software Livre nos
Governos
• Segundo a FSF e a OSI, os governos deviam
adotar porque:
– Deixariam de pagar as caras li...
97
Software Livre nos
Governos
• Os defensores do software proprietário contrapõem:
– O software livre tem custos de manut...
98
Software Livre no
Governo do Brasil
99
Software Livre no
Governo do Brasil
• No governo do Presidente Lula, o Poder Executivo
emitiu o Decreto de 29 de Outubr...
100
Software Livre no
Governo do Brasil
• Como consequência foi criado o Portal de Software
Livre que reúne documentação s...
101
Diretrizes da Implementação do
Software Livre no Governo Federal
102
Diretrizes da Implementação do
Software Livre no Governo Federal
• Priorizar soluções, programas e serviços baseados e...
103
Diretrizes da Implementação do
Software Livre no Governo Federal
• Garantir ao cidadão o direito de acesso aos serviço...
104
Diretrizes da Implementação do
Software Livre no Governo Federal
• Priorizar a aquisição de hardware compatível às
pla...
105
Diretrizes da Implementação do
Software Livre no Governo Federal
• Promover capacitação/formação de servidores público...
106
Objetivos da Implementação do
Software Livre no Governo Federal
107
Objetivos da Implementação do
Software Livre no Governo Federal
• Ampliar a capacitação dos técnicos e servidores públ...
108
Objetivos da Implementação do
Software Livre no Governo Federal
• Disseminar a cultura de software livre nas escolas e...
109
Objetivos da Implementação do
Software Livre no Governo Federal
• Ampliar significativamente a oferta de serviços aos ...
110
111
Referências
• Lei n.º 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998 -
www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9610.htm
• Software Livr...
112
FIM
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Conceitos de Software Livre

955 visualizações

Publicada em

Conceitos de software livre e diretrizes de implantação de software livre nas instituições governamentais do Brasil.

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
955
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Conceitos de Software Livre

  1. 1. 1 www.riojug.org Desde 2001 difundindo o software aberto e a tecnologia Java no Rio de Janeiro Hoje, mais de 1200 membros ativos
  2. 2. 2 Software LivreSoftware Livre Magno A. Cavalcante (Engenheiro de Software) Março de 2006
  3. 3. 3 Sumário 1. Hardware 2. Software 3. Sistema Operacional 4. Internet 5. Richard M. Stallman 6. Fundação GNU 7. General Public License 8. Direito Autoral 9. Patente
  4. 4. 4 Sumário 10.Copyleft 11.Linus Torvalds 12.Linux 13.Distribuições do Sistema Operacional GNU/LinuxSoftware Livre 14.Software Livre nos Governos 15.Software Livre no Governo do Brasil
  5. 5. 5 Sumário 16.Diretrizes da Implementação do Software Livre no Governo Federal 17.Objetivos da Implementação do Software Livre no Governo Federal 18.Referências
  6. 6. 6 Hardware
  7. 7. 7 Hardware • Uma tradução de hardware poderia ser lataria. • Parte física, propriamente dita, de um computador. • Ou seja, a máquina em si, que é dividida em vários componentes, como processador, memória, disco rígido, dispositivos de entrada e saída, etc.
  8. 8. 8 Hardware • O software fornece instruções baseadas nos dados, para o hardware processar. • O hardware se distingue dos dados que o computador opera e do software que o controla. • Podemos resumir como: hardware é o que você chuta, enquanto software é o que você xinga.
  9. 9. 9 Software
  10. 10. 10 Software • Software ou programa de computador é uma sequência de instruções a serem seguidas e/ou executadas, na manipulação, redirecionamento ou modificação de um dado/informação ou acontecimento. • Sequência lógica de instruções, que é interpretada e executada por um hardware.
  11. 11. 11 Software • Quando um software está escrito usando instruções que podem ser executadas diretamente por um processador dizemos que está escrito em linguagem de máquina. • A execução de um software também pode ser intermediada por um programa interpretador, responsável por interpretar e executar cada uma de suas instruções.
  12. 12. 12 Software • Uma categoria especial e notável de interpretadores são as máquinas virtuais, como a JVM (Java Virtual Machine ou Máquina Virtual Java), que simulam um computador inteiro, real ou imaginado. • Hoje, cada um de nós acessa e usa computadores, mesmo que aparentemente eles não sejam o que nós pensamos que são.
  13. 13. 13 Software • Qualquer computador moderno tem uma variedade de programas que fazem diversas tarefas. Eles podem ser classificados em duas grandes categorias: – Software de Sistema – Software Aplicativo
  14. 14. 14 Software • O Programa tem que ser "carregado" na memória principal para ser executado. Após carregar o programa, o computador entra em funcionamento, executando outros programas. • As instruções de um programa aplicativo podem ser passadas para o sistema ou diretamente para o hardware, que recebe as instruções na forma de linguagem de máquina.
  15. 15. 15 Software • de Sistema: – Inclui o firmware (a BIOS dos computadores pessoais, por exemplo), drivers de dispositivos, o sistema operacional e tipicamente uma interface gráfica que, em conjunto, permitem ao usuário interagir com o computador e seus periféricos.
  16. 16. 16 Software • Aplicativo: – Permite ao usuário fazer uma ou mais tarefas específicas. – Os softwares aplicativos podem ter uma abrangência de uso de larga escala, muitas vezes em âmbito mundial; nestes casos, os programas tendem a ser mais robustos e mais padronizados. – Programas escritos para um pequeno mercado têm um nível de padronização menor e tendem a ser mais técnicos.
  17. 17. 17 Sistema Operacional
  18. 18. 18 Sistema Operacional • Conjunto de ferramentas necessárias para que um computador possa ser utilizado de forma adequada. • Camada intermediária entre o software aplicativo e a máquina ou hardware, gerenciando os recursos da mesma.
  19. 19. 19 Sistema Operacional • É constituído por um kernel, ou núcleo, e um conjunto de softwares básicos, que executam operações simples, mas que juntos fazem uma grande diferença do desempenho e usabilidade do computador. • Podemos dizer que um computador não possui nenhuma utilidade prática sem pelo menos um sistema operacional instalado.
  20. 20. 20 Sistema Operacional • Se ele não existisse, todo software desenvolvido deveria saber se comunicar com os dispositivos de máquina de que precisasse. • Com ele, um software que seja feito não precisará de informações específicas da máquina. Ao invés disso, ele chamará funções do kernel e o sistema operacional é que fará a comunicação, repassando os resultados.
  21. 21. 21 Sistema Operacional • No início da computação, os primeiros "sistemas operacionais" eram únicos, pois para cada mainframe vendido, era fornecido um sistema operacional específico para aquela máquina. • As máquinas eram caras e de uso em monobloco: um usuário por vez para todo o computador (sistema tipo monousuário).
  22. 22. 22 Sistema Operacional • Por causa dos altos custos da máquina, iniciou-se a pesquisa de sistemas operacionais que automatizassem a troca de jobs (tarefas), pois os sistemas eram mono-usuário e tinham cartões perfurados como entradas. • Assim poderiam eliminar o trabalho de pessoas que eram contratadas apenas para fazer a troca dos cartões perfurados, além de um sistema poder executar mais de uma tarefa em concorrência.
  23. 23. 23 Sistema Operacional • Um dos primeiros sistemas operacionais foi o CTSS, desenvolvido no MIT. • Outro que revolucionou conceitos foi o Multics, desenvolvido nos laboratórios da AT&T. • Geralmente os sistemas operacionais eram programados em Assembly, até mesmo o UNIX em seu início. • Após poucas versões, o UNIX passou a ser desenvolvido através de uma nova linguagem (a Linguagem C) e teve em seus princípios muitas inovações derivadas do Multics.
  24. 24. 24 Sistema Operacional • O UNIX criou um ecossistema de versões e inovações, entre estes destacam-se: – System V e derivados; – Família BSD (FreeBSD, NetBSD, OpenBSD, etc.); – HP-UX; – Sun Solaris; – IBM AIX; – Linux (e derivados); – Mac OS X (que é uma variante dos BSD's).
  25. 25. 25 Sistema Operacional • Década de 1970 • Deu-se início da era dos computadores pessoais (PCs). Havia a necessidade de um sistema operacional que fosse de fácil utilização. • Década de 1980 • William (Bill) Gates e seu colega de faculdade, Paul Allen, compraram o sistema QDOS (Quick and Dirty Operating System) de Tim Paterson por US$50.000, rebatizaram-no de DOS (Disk Operating System), adicionaram funcionalidades e venderam licenças à IBM.
  26. 26. 26 Sistema Operacional • O DOS vendeu muito como sistema operacional padrão para os computadores pessoais desenvolvidos pela IBM do tipo IBM-PC. • Assim nasceu a Microsoft.
  27. 27. 27 Sistema Operacional • Década de 1990 • Um estudante de computação finlandês postou um comentário numa lista de discussão da Usenet dizendo que estava desenvolvendo um kernel de sistema operacional e perguntou se alguém gostaria de auxiliá-lo na tarefa. • Este estudante chamava-se Linus Torvalds e este foi seu primeiro passo em direção ao tão conhecido Linux.
  28. 28. 28 Sistema Operacional • Classificações Quanto ao Tipo de Funcionamento Interno: – Sistemas Monotarefa (ex: DOS); – Sistemas Multitarefa Mono-usuário (ex: Windows 98, Windows XP Professional, BeOS, Mac OS, Linux, Unix, Symbian); – Sistemas Multitarefa Multi-usuários (ex: Windows Server, Linux, Unix).
  29. 29. 29 Sistema Operacional • Classificações Quanto ao Tipo de Comercialização: – Sistemas Proprietários: São pagos e você não tem acesso ao código fonte. (ex: Windows); – Sistemas Gratuitos: Não são pagos, mas você não tem acesso ao código fonte (ex: BeOS); – Sistemas Open Source (Código Aberto): Você tem acesso ao código fonte, sendo pagos ou não (ex: Unix); – Sistemas Livres: Não são pagos e são abertos, podendo- se alterar o código livremente (ex: Linux).
  30. 30. 30 Internet
  31. 31. 31 Internet • Vinculada ao Departamento de Defesa dos Estados Unidos da América existia a empresa ARPA (Advanced Research and Projects Agency). • 1969: Com o objetivo de conectar as bases militares e os departamentos de pesquisa do governo americano, mesmo após um ataque nuclear, a ARPA desenvolveu a ARPANET, acrônimo em inglês de Advanced Research Projects Agency Network.
  32. 32. 32 Internet • Podemos dizer que ARPANET foi a mãe da Internet. • Ela foi criada para a guerra, pois com essa rede promissora, os dados valiosos do governo americano estariam espalhados em vários lugares, ao invés de centralizados em apenas um computador servidor. • Usando conexões por cabos que passavam por baixo da terra, a ARPANET ligava os militares e pesquisadores sem ter um centro definido ou mesmo uma rota única para as informações, tornando-se quase indestrutível.
  33. 33. 33 Internet • 1979: a ARPANET tinha crescido tanto que o seu protocolo de comutação de pacotes original, chamado de Network Control Protocol (NCP), tornou-se inadequado. • 1983: a ARPANET começou a usar um novo protocolo chamado TCP/IP (Transfer Control Protocol/Internet Protocol).
  34. 34. 34 Internet • 1991: Tim Berners-Lee publicou seu novo projeto para a World Wide Web, dois anos depois de começar a criar o HTML, o HTTP e as poucas primeiras páginas no CERN, na Suíça. • 1993: Web Browser Mosaic 1.0 foi lançado, e no final de 1994 já havia interesse público na Internet. • 1996: A palavra Internet já era de uso comum, principalmente nos países desenvolvidos, referindo- se na maioria das vezes a tecnologia WWW.
  35. 35. 35 Internet • A Internet é uma rede de redes, em escala mundial de milhões de computadores. • Internet não é sinônimo de World Wide Web. Esta é parte daquela, sendo a World Wide Web, ou simplesmente Web, que utiliza hipermídia na formatação básica, um dos muitos serviços oferecidos na Internet.
  36. 36. 36 Internet • Serviços Comumente Disponíveis: – Conteúdo multimídia e hipermídia (WWW); – Acesso remoto a outras máquinas (Telnet e SSH); – Transferência de arquivos (FTP); – Correio eletrônico (e-mail normalmente através dos protocolos POP3 e SMTP); – Boletins eletrônicos (news ou grupos de notícias); – Bate-papo online (Chat); – Mensagens instantâneas (ICQ, YIM, Jabber, MSN Messenger, Blogs).
  37. 37. 37 Richard M. Stallman
  38. 38. 38 Richard M. Stallman • 1969: Teve seu primeiro acesso a um computador durante seu último ano na escola secundária. • Depois de terminar a escola secundária, passou o verão escrevendo seu primeiro programa de computador, um pré-processador para a linguagem de programação de PL/I do IBM 360, Centro Científico da IBM em Nova York. • 1974: Como calouro de Física da Universidade de Harvard, tornou-se um programador do Laboratório de Inteligência Artificial do MIT, passando a ser um aficcionado pela comunidade hacker.
  39. 39. 39 Richard M. Stallman • 1969: Teve seu primeiro acesso a um computador durante seu último ano na escola secundária. • Depois de terminar a escola secundária, passou o verão escrevendo seu primeiro programa de computador, um pré-processador para a linguagem de programação de PL/I do IBM 360, Centro Científico da IBM em Nova York. • 1974: Como calouro de Física da Universidade de Harvard, tornou-se um programador do Laboratório de Inteligência Artificial do MIT, passando a ser um aficcionado pela comunidade hacker.
  40. 40. 40 Richard M. Stallman • Hackers são especialistas em computação que comumente trocam informações técnicas entre si sobre o hardware e sobre o software em desenvolvimento, com o objetivo de aumentar o próprio conhecimento e, consequentemente, co conhecimento do grupo, pelo simples prazer de viver com a tecnologia. • Crackers são indivíduos, nem sempre especialistas, que utilizam todos os meios ao seu alcance para quebrar ou alterar sistemas alheios com o intuito de auferir qualquer vantagem financeira ou competitiva.
  41. 41. 41 Richard M. Stallman • 1980: A emergência “do software portátil” (que poderia funcionar em tipos diferentes de computadores) em conjunto com a habilidade dos usuários para modificar e compartilhar o software entre si era agora um problema para os modelos do negócios dos fabricantes de computador. • Para impedir que o respectivo software fosse usado em computadores dos concorrentes, os fabricantes pararam de distribuir o código-fonte e começaram a restringir a cópia e a redistribuição de seu software por cláusulas de direitos autorais e patentes.
  42. 42. 42 Richard M. Stallman • 1980: A emergência “do software portátil” (que poderia funcionar em tipos diferentes de computadores) em conjunto com a habilidade dos usuários para modificar e compartilhar o software entre si era agora um problema para os modelos do negócios dos fabricantes de computador. • Para impedir que o respectivo software fosse usado em computadores dos concorrentes, os fabricantes pararam de distribuir o código-fonte e começaram a restringir a cópia e a redistribuição de seu software por cláusulas de direitos autorais e patentes.
  43. 43. 43 Richard M. Stallman • 1983: Após três anos de embates financeiros e legais entre duas empresas de ex-colegas de trabalho de Stallman sobre o fornecimento de software proprietário e fechado para o MIT, ele viu a ideologia hacker desmoronar. • Mesmo assim ele rejeitou um futuro onde tivesse que assinar acordos de não-divulgação e executar outras ações que considerou contrárias aos seus princípios, e escolheu compartilhar seu trabalho com outros no que considerava o espírito clássico da colaboração científica.
  44. 44. 44 Richard M. Stallman • 1984: Em janeiro daquele ano ele se demitiu do MIT para poder trabalhar em tempo integral no projeto GNU, que ele já tinha anunciado em Setembro de 1983. Ele não terminou um Ph.D, mas lhe foi concedido como título honorário. • Ele argumenta que os usuários do software devem ter a liberdade, em particular a liberdade para “compartilhar com o seu vizinho” e poder estudar e fazer modificações no software que usam.
  45. 45. 45 Richard M. Stallman • Ele tem dito repetidamente que as tentativas dos fabricantes de software proprietário em proibir essa liberdade de copiar e modificar são “anti-sociais” e “antiéticas. • Ele argumenta que a liberdade é vital dentro do processo de desenvolvimento de software.
  46. 46. 46 Fundação GNU
  47. 47. 47 Fundação GNU • 1985: Stallman publicou o manifesto de GNU, que esboçou sua motivação para criar um sistema operacional livre chamado GNU, que seria compatível com Unix. • O nome GNU é um trocadilho recursivo para GNU's Not Unix (em português: GNU não é Unix). • Logo após, ele criou a organização sem fins lucrativos Free Software Foundation (FSF) para empregar programadores de software livre e para fornecer um infra-estrutura para a comunidade de software livre.
  48. 48. 48 Fundação GNU • Stallman inventou e popularizou o conceito do Copyleft, um mecanismo legal para proteger as modificações e os direitos de redistribuição para o software livre. • Foi primeiramente implementada dentro da “GNU Emacs General Public License”. • 1989: Primeiro programa independente dentro da “GNU General Public License” foi liberado.
  49. 49. 49 Fundação GNU • Pela produção das ferramentas de software necessárias para escrever software, e publicando uma licença genérica que poderia ser aplicada a qualquer projeto de software (GPL), Stallman ajudou e inspirou que outros escrevessem software livre, mesmo independentemente do projeto GNU.
  50. 50. 50 Fundação GNU • Até então, muitas partes do sistema GNU já tinham sido completadas, com exceção do kernel. • 1990: Membros do projeto de GNU começaram um kernel chamado GNU Hurd, mas uma decisão de projeto arriscada provou ser um má aposta, e o desenvolvimento do Hurd era lento.
  51. 51. 51 Fundação GNU • 1991: Um jovem finlandês chamado Linus Torvalds havia criado um kernel que poderia usar todas as peças do sistema operacional GNU. • Este kernel ficou conhecido como Linux, contração de Linus e Unix. • O kernel Linux poderia ser combinado com o software existente, incluindo software GNU, para montar um sistema operacional completo.
  52. 52. 52 Fundação GNU • Stallman pede às pessoas para dizer “GNU/Linux” quando se referem ao sistema operacional construído pela combinação do sistema GNU e do kernel Linux, em razão do termo ser a conexão entre a filosofia do projeto GNU e seu software. Já quando as pessoas chamam a combinação somente de Linux, ela é quebrada. • Stallman procurar dar importância as palavras que as pessoas usam quando falam sobre o relacionamento entre software e liberdade.
  53. 53. 53 General Public License
  54. 54. 54 General Public License • GPL = General Public License (Licença Pública Geral) • É uma licença de software livre publicada pelo projeto GNU com a intenção de permitir que software possa ser distribuído de maneira livre e gratuita, utilizando a filosofia de deixar copiar.
  55. 55. 55 General Public License • As licenças do projeto GNU têm o respaldo legal da constituição dos Estados Unidos por terem sido publicadas pela Free Software Foundation, e são válidas em todos os países que aceitam o acordo internacional de respeito a patentes e direitos autorais.
  56. 56. 56 General Public License • Permite que programas sejam distribuídos e reaproveitados, mantendo, porém, os direitos do autor, e sem permitir que essa informação seja usada de maneira indevida. • NÃO permite, por exemplo, que outra pessoa se apodere do código-fonte, ou que sejam impostos sobre ele restrições que impeçam a sua distribuição da mesma maneira (livre!) que foi adquirido.
  57. 57. 57 Direito Autoral
  58. 58. 58 Direito Autoral • Direito autoral ou direitos de autor, é o nome dado ao direito que o autor, o criador, o tradutor, o pesquisador ou o artista tem de controlar o uso que se faz de sua obra. É garantido ao autor os direitos morais e patrimoniais sobre a obra que criou. • Cabe ao autor o direito exclusivo de utilizar, fluir e dispor da obra literária, artística ou científica, dependendo de autorização prévia e expressa do mesmo, para que a obra seja utilizada, por quaisquer modalidades, dentre elas a reprodução parcial ou integral.
  59. 59. 59 Direito Autoral • Reprodução é a cópia em um ou mais exemplares de uma obra literária, artística ou científica. • Contrafação é a cópia não autorizada de uma obra, total ou parcial. É vulgarmente chamada de “pirataria”. • Toda a reprodução é uma cópia. E cópia sem autorização do titular dos direitos autorais e/ou detentor dos direitos de reprodução ou fora das estipulações legais constitui contrafação, um ato ilícito civil e criminal.
  60. 60. 60 Direito Autoral • O símbolo de Copyright é uma letra “C”. • No Brasil, atualmente essa matéria é regulada pela Lei n.º 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998
  61. 61. 61 Patente
  62. 62. 62 Patente • Uma teoria da legislação da patente é induzir o inventor a divulgar o conhecimento para o avanço da sociedade na troca de um período limitado de exclusividade. • Consequentemente uma patente é um direito similar ao direito de monopólio. • É um documento legal que representa um conjunto de direitos exclusivos concedidos por um governo a um inventor ou a um pretendente por tempo limitado (normalmente 20 anos a contar da data de arquivo).
  63. 63. 63 Patente • Patente, ao contrário do Copyright, não permite nem mesmo a reprodução da obra sem o devido pagamento de royalties, atribuindo poder máximo de exploração na utilização da obra pelo autor. • No Brasil, Patentes são regulamentadas pela Lei de Propriedade Intelectual (Lei 9279 de 14/5/1996).
  64. 64. 64 Patente • Segundo a lei brasileira, não são passíveis de registro formal criações puramente intelectuais e abstratas, tais como um Método Rápido de Divisão, um Novo Método para Ensinar Idiomas, etc. • Portanto, software não é, no geral, passível de patenteamento. No entanto, na prática isso não ocorre, visto que muitas empresas o fazem sob regime jurídico do Direito do Autor.
  65. 65. 65 Copyleft
  66. 66. 66 Copyleft • Copyleft é um trocadilho com o termo Copyright. Traduzindo literalmente significa "deixamos copiar“. • Copyleft é uma forma de proteção de direitos de autor que tem como objetivo prevenir que não sejam colocadas barreiras à utilização, difusão e modificação de uma obra criativa devido à aplicação clássica das normas de propriedade intelectual.
  67. 67. 67 Copyleft • Um projeto (programas ou outros trabalhos livres) sobre a licença Copyleft, requer que as modificações desse projeto ou extensões do mesmo, sejam livres, passando adiante a liberdade de copiar e modificar novamente o projeto. • O símbolo de Copyleft é um “C invertido”. • Como existem várias licenças de Copyleft, as implicações do símbolo de Copyleft não são tão precisas como as do símbolo de Copyright, a não ser que se indique também qual a licença aplicável.
  68. 68. 68 Linus Torvalds
  69. 69. 69 Linus Torvalds • Linus Benedict Torvalds (Finlândia, 1969) é o criador do kernel do sistema operacional GNU/Linux, muitas vezes chamado simplesmente de "Linux". • 1983: Stallman criou a Free Software Foundation (GNU). • 1986: Marice J. Bach publicou Design of the Unix Operating System. • 1988: Linus é admitido na Universidade de Helsinki.
  70. 70. 70 Linus Torvalds • 1988: No mesmo ano o famoso professor Ph.D. Andy Tannenbaum traz a público o Sistema Operacional Minix. • O Minix é uma versão do Unix, porém gratuita e com o código fonte disponível, desenvolvido a partir do zero para ajudar os alunos a compreender diversos conceitos de computação. • Isso significa que qualquer programador experiente pode fazer alterações nele. Ele foi criado originalmente para uso educacional, para quem quisesse estudar o Unix "em casa".
  71. 71. 71 Linus Torvalds • 1990: Torvalds começa a aprender programação em Linguagem C nos seus estudos. • 1991: Linus obteve e estudou o Minix, mas não ficou satisfeito com a arquitetura deste. Baseando- se no projeto do sistema Unix e modificando gradualmente o núcleo do Minix, criaria uma adaptação do Unix para executar o software do GNU, mas sobre plataforma IBM-PC.
  72. 72. 72 Linus Torvalds • O kernel do Linux foi primeiramente desenvolvido por Torvalds numa tentativa de desenvolver um sistema operacional Unix-like que executasse em processadores Intel 80386. • O projeto foi lançado em 1991 em uma, hoje famosa, mensagem para a Usenet. • Desde os primeiros dias, ele recebeu ajuda de hackers do Minix. E hoje já recebe contribuições de milhares de programadores.
  73. 73. 73 Linus Torvalds • Linux é uma junção de Linus com Unix, criada por Ari Lemmke para nomear o diretório remoto de Linus no servidor da Finnish University. • Só 2% de Linux foi criado por ele nos anos 90, mas em sua pessoa segue vinculada a paternidade deste sistema operacional. • Torvalds possui a marca registrada “Linux” e supervisiona o uso (ou abuso) da marca através da organização sem fins lucrativos Linux International.
  74. 74. 74 Linus Torvalds • O nome do mascote Tux (o pinguim do Linux), foi escolhido por votação, pelo próprio Linus. Segundo ele "gostaria de um pinguim cheio, satisfeito por ter comido muitos peixes". • Dizem que o motivo verdadeiro por trás da escolha do Tux como mascote foi uma mordida que Linus levou de um pinguim em um zoológico.
  75. 75. 75 Linux
  76. 76. 76 Linux • Linux é o kernel, tecnicamente falando, de um sistema operacional livre e popular, sendo considerado um sistema do tipo Unix. • Um kernel não é um sistema operacional completo. • Sistemas completos construídos em torno do kernel do Linux usam o projeto GNU que oferece uma shell, utilitários, bibliotecas, compiladores e ferramentas, bem como outros programas como o editor Emacs.
  77. 77. 77 Linux • Arquitetura: – Kernel híbrido monolítico; – Drivers de dispositivo facilmente configurados como módulos, sendo carregados ou descarregados enquanto o sistema está executando; – Suporte a multiprocessamento simétrico.
  78. 78. 78 Linux • Portabilidade: – Funciona em dezenas de plataformas, desde um relógio de pulso da IBM até em mainframes, passando por várias arquiteturas, como IBM S/390, PowerPC, Intel 586, Apple, strongARM, Apple, etc., com grande penetração também em dispositivos embarcados, como Handhelds, CLPs, video-games, centrais de entretenimento, PABX e celulares .
  79. 79. 79 Linux • Termos de Licenciamento : – Inicialmente, Torvalds lançou o Linux sob uma licença que proibia qualquer uso comercial. Isso foi logo mudado para a Licença Pública Geral GNU (versão 2 exclusivamente). Essa licença permite a distribuição e mesmo a venda de versões possivelmente modificadas do Linux, mas requer que todas as cópias sejam lançadas dentro da mesma licença e acompanhadas do código fonte.
  80. 80. 80 Distribuições do Sistema Operacional GNU/Linux
  81. 81. 81 Distribuições do Sistema Operacional GNU/Linux • Atualmente, um Sistema Operacional Linux completo (uma “distribuição de Linux”) é uma coleção de software livre (e por vezes não-livres) criados por indivíduos, grupos e organizações ao redor do mundo, tendo o kernel como seu núcleo. • O que faz a diferença é como estão organizados e pré-configurados os aplicativos. • Como exemplo o Kurumin, criado por Carlos E. Morimoto, tem boa parte de seus aplicativos traduzidos para o português, o que facilita aos brasileiros ter acesso integrado nos aplicativos.
  82. 82. 82 Distribuições do Sistema Operacional GNU/Linux • Existem distribuições com ferramentas para configuração e monitoramento, o que facilita na administração dos sistemas. • As principais diferenças entre as distribuições são nos seus sistemas de pacotes, nas estruturas dos diretórios e na sua biblioteca básica. • Com ambientes gráficos como KDE e GNOME , o GNU/Linux oferece um interface gráfica, semelhante aos sistemas Mac/OS e Windows, mais intuitiva que a tradicional interface de linha de comando do Unix.
  83. 83. 83 Distribuições do Sistema Operacional GNU/Linux • Algumas Distribuições: •Arch •Caixa Mágica •Debian •Debian-BR-CDD •Fedora •Gentoo •Gobo •Knoppix •Kurumin •Lycoris •Mandriva •Muriqui •Red Hat •Slackware •Sorcerer •SuSE •Tech •Tsl •Ubuntu
  84. 84. 84 Software Livre
  85. 85. 85 Software Livre • O termo Software Livre se refere aos softwares que são fornecidos aos seus usuários com a liberdade de executar, estudar, modificar e repassar (com ou sem alterações) sem que, para isso, os usuários tenham que pedir permissão ao autor do programa. • A maioria dos softwares livres é licenciada através de uma licença de software livre, como a GNU GPL.
  86. 86. 86 Software Livre • Para que seja possível modificar o software (para uso particular ou para distribuir) é necessário ter o código-fonte. • O acesso aos fontes é pré-requisito para a liberdade do software. • Caso ele não seja distribuído junto com os executáveis, deve ser disponibilizado em local de onde possa ser baixado, ou deve ser entregue ao usuário, se solicitado, sem custos adicionais (ou cobrando-se apenas transporte e mídia).
  87. 87. 87 Software Livre • Mais precisamente se refere a quatro tipos de liberdade para os usuários do software, definidas pela FSF: – Executar o programa, para qualquer propósito (liberdade nº 0). – Estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suas necessidades (liberdade nº 1). – Redistribuir cópias de modo que você possa ajudar ao seu próximo (liberdade nº 2). – Aperfeiçoar o programa, e liberar os seus aperfeiçoamentos, de modo que toda a comunidade se beneficie (liberdade nº 3).
  88. 88. 88 Software Livre • Liberdade de Utilizar: – Significa a liberdade para qualquer tipo de pessoa física ou jurídica utilizar o software em qualquer tipo de sistema computacional, para qualquer tipo de trabalho ou atividade, sem que seja necessário comunicar ao desenvolvedor ou a qualquer outra entidade em especial.
  89. 89. 89 Software Livre • Liberdade de Redistribuir: – Deve incluir a possibilidade de se repassar tanto os códigos-fonte quanto os arquivos binários gerados da compilação desses códigos, quando isso á possível, seja o programa original ou uma versão modificada. – Não é preciso pedir autorização do autor ou do distribuidor do software para que ele possa ser redistribuído, já que as licenças de software livre já dão prévia autorização.
  90. 90. 90 Software Livre • Para que as liberdades sejam reais, elas têm que ser irrevogáveis, desde que você não faça nada errado • Caso o desenvolvedor original do software tenha o poder de revogar a licença, mesmo que você não tenha dado motivo, o software não é livre.
  91. 91. 91 Software Livre • Atualmente Software Livre também deve reunir o conceito de Padrões Abertos. • Isto significa que o software deve ser desenvolvido baseado em padrões amplamente aceitos pela indústria de informática, alguns deles constantes em normas ISO, IEEE, ANSI, W3C e ABNT. • Sempre que possível, deve ser portável entre diferentes arquiteturas de hardware sem que seja necessário recompilá-lo. • Deve ter o menor custo possível para quem utiliza.
  92. 92. 92 Software Livre • A Open Source Initiative (OSI) tem buscado uma solução mais prática para a utilização, tanto no mercado capitalista como no mercado governamental, do software livre baseado em padrões abertos. • Criou o documento “The Open Source Definition”, com as regras para um software ser considerado aberto.
  93. 93. 93 Software Livre • A OSI, além das regras indicadas pela FSF, recomenda que no software aberto e livre: – Não exista discriminação de pessoas ou grupos; – Não exista restrições de uso ou de esforços; – A integridade do trabalho original do autor deve ser mantida; – A licença de uso não deve ser específica para um produto, não deve restringir outros softwares e deve ser tecnologicamente neutra, permitindo a redistribuição do software.
  94. 94. 94 Software Livre nos Governos
  95. 95. 95 Software Livre nos Governos • Alguns governos começaram a adotar leis ou medidas favoráveis ao software livre. • Os casos mais notáveis são os do Brasil e da França. • É uma questão polêmica. Por um lado, as organizações defensoras do software livre procuram mostrar as vantagens do software livre, enquanto do outro as grandes empresas de software proprietário, sendo a Microsoft a mais notável, procuram defender a tese contrária.
  96. 96. 96 Software Livre nos Governos • Segundo a FSF e a OSI, os governos deviam adotar porque: – Deixariam de pagar as caras licenças do software proprietário, bem como os royalties devidos. – Defenderiam a sua soberania, particularmente no que se refere a software (sejam sistemas operacionais ou não) que em teoria podem, de maneira furtiva, enviar dados dos computadores de usuários para os sites dos fabricantes (ou outros não identificados). – Ocorreria uma promoção da economia interna, já que desenvolvedores e técnicos locais encontrariam trabalho na construção de soluções próprias.
  97. 97. 97 Software Livre nos Governos • Os defensores do software proprietário contrapõem: – O software livre tem custos de manutenção maiores porque requer pessoal especializado, e a maioria dos técnicos locais já possuem conhecimentos para trabalhar nos atuais sistemas. – A questão da soberania não é assim tão importante porque as grandes empresas de software estão dispostas a fornecer acesso a seus códigos-fontes para a análise dos governos ou de grandes grupos empresariais.
  98. 98. 98 Software Livre no Governo do Brasil
  99. 99. 99 Software Livre no Governo do Brasil • No governo do Presidente Lula, o Poder Executivo emitiu o Decreto de 29 de Outubro de 2003 que Institui Comitês Técnicos do Comitê Executivo do Governo Eletrônico e dá outras providências. • Com a utilização de software livre o governo pretende diminuir custos com licenças de uso e royalties, além de promover a nacionalização do código-fonte de software em uso.
  100. 100. 100 Software Livre no Governo do Brasil • Como consequência foi criado o Portal de Software Livre que reúne documentação sobre o que está ocorrendo no âmbito dos poderes da União e dos Estados para a adoção desta nova política. • No portal estão disponíveis para consulta pública as “Diretrizes, Objetivos e Ações Prioritárias conforme Planejamento Estratégico do Comitê Técnico de Implementação de Software Livre”
  101. 101. 101 Diretrizes da Implementação do Software Livre no Governo Federal
  102. 102. 102 Diretrizes da Implementação do Software Livre no Governo Federal • Priorizar soluções, programas e serviços baseados em software livre que promovam a otimização de recursos e investimentos em tecnologia da informação. • Priorizar a plataforma Web no desenvolvimento de sistemas e interfaces de usuários. • Adotar padrões abertos no desenvolvimento de tecnologia da informação e comunicação e o desenvolvimento multiplataforma de serviços e aplicativos. • Popularizar o uso do software livre. • Ampliar a malha de serviços prestados ao cidadão através de software livre.
  103. 103. 103 Diretrizes da Implementação do Software Livre no Governo Federal • Garantir ao cidadão o direito de acesso aos serviços públicos sem obrigá-lo a usar plataformas específicas. • Utilizar o software livre como base dos programas de inclusão digital. • Garantir a auditabilidade plena e a segurança dos sistemas, respeitando-se a legislação de sigilo e segurança. • Buscar a interoperabilidade com os sistemas legados. • Restringir o crescimento do legado baseado em tecnologia proprietária. • Realizar a migração gradativa dos sistemas proprietários.
  104. 104. 104 Diretrizes da Implementação do Software Livre no Governo Federal • Priorizar a aquisição de hardware compatível às plataformas livres. • Garantir a livre distribuição dos sistemas em software livre de forma colaborativa e voluntária. • Fortalecer e compartilhar as ações existentes de software livre dentro e fora do governo. • Incentivar e fomentar o mercado nacional a adotar novos modelos de negócios em tecnologia da informação e comunicação baseados em software livre. • Promover as condições para a mudança da cultura organizacional para adoção do software livre.
  105. 105. 105 Diretrizes da Implementação do Software Livre no Governo Federal • Promover capacitação/formação de servidores públicos para utilização de software livre. • Formular uma política nacional para o software livre.
  106. 106. 106 Objetivos da Implementação do Software Livre no Governo Federal
  107. 107. 107 Objetivos da Implementação do Software Livre no Governo Federal • Ampliar a capacitação dos técnicos e servidores públicos para a utilização de software livre. • Ampliar significativamente a adesão e o comprometimento dos servidores públicos com o software livre. • Desenvolver um ambiente colaborativo para permitir a expansão do software livre. • Definir e implantar padrões de interoperabilidade. • Efetivar o software livre como ferramenta corporativa padrão do governo federal. • Conter o crescimento do legado.
  108. 108. 108 Objetivos da Implementação do Software Livre no Governo Federal • Disseminar a cultura de software livre nas escolas e universidades. • Elaborar e por em vigência a regulamentação técnico-legal do software livre. • Promover migração e adaptação do máximo de aplicativos e serviços para plataforma aberta e software livre. • Elaborar e iniciar implantação de política nacional de software livre. • Articular a política de software livre a uma política de fomento à indústria.
  109. 109. 109 Objetivos da Implementação do Software Livre no Governo Federal • Ampliar significativamente a oferta de serviços aos cidadãos em plataforma aberta. • Envolver a alta hierarquia do governo na adoção do software livre.
  110. 110. 110
  111. 111. 111 Referências • Lei n.º 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998 - www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9610.htm • Software Livre no Executivo - www.softwarelivre.gov.br • Instituto Nacional de Tecnologia da Informação - www.iti.br • SERPRO – www.serpro.gov.br • Instituto Nacional da Propriedade Industrial - www.inpi.gov.br • Free UERJ - www.uerj.br/dinfo/freeuerj/freeuerj.php • Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto - paginas.fe.up.pt/freefeup • Free Software Foundation - www.fsf.org • Open Source Initiative - www.opensource.org • Linux International - www.li.org
  112. 112. 112 FIM

×