Cortes

65.111 visualizações

Publicada em

1 comentário
11 gostaram
Estatísticas
Notas
  • nos cortes são representados mobiliário?
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
65.111
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.713
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
823
Comentários
1
Gostaram
11
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cortes

  1. 1. 3 OS CORTES3.1 CONCEITUAÇÃOOs CORTES são representações de vistas ortográficas seccionais do tipo “corte”,obtidas quando passamos por uma construção um plano de corte e projeçãoVERTICAL, normalmente paralelo às paredes, e retiramos a parte frontal, mais umconjunto de informações escritas que o complementam. Assim, neles encontramoso resultado da interseção do plano vertical com o volume. Os cortes são osdesenhos em que são indicadas as dimensões verticais.O objetivo dos cortes em um projeto de edificação é ilustrar o maior número derelações entre espaços interiores e significantes, que se desenvolvem em altura, eque, por conseqüência, não são devidamente esclarecidos em planta baixa. A suaorientação é feita na direção dos extremos mais significantes deste espaço.Normalmente se faz no mínimo dois cortes, um transversal e outro longitudinal aoobjeto cortado, para melhor entendimento. Podem sofrer desvios, sempre dentrodo mesmo compartimento, para possibilitar a apresentação de informações maispertinentes. Os cortes podem ser transversais (plano de corte na menordimensão da edificação) ou longitudinais (na maior dimensão).A quantidade de cortes necessários em um projeto, porém, é de exclusivadeterminação do projetista, em função das necessidades do projeto. São fatoresque influenciam a quantidade de cortes: a) irregularidades das paredes internas; b) sofisticação de acabamentos internos; c) formato poligonal da construção; d) diferenças de níveis nos pisos; e) existência de detalhamentos internos. 1
  2. 2. PLANO QUE GERA O CORTE TRANSVERSAL:PLANO QUE GERA O CORTE LONGITUDINAL: 2
  3. 3. 3.2 POSICIONAMENTO DOS CORTESOs planos normalmente são paralelos às paredes, e posicionados pela presençade: pés-direitos variáveis, esquadrias especiais, barreiras impermeáveis,equipamentos de construção, escadas, elevadores...A posição do plano de corte e o sentido de observação depende do interesse devisualização. Recomenda-se sempre passá-lo pelas áreas molhadas (banheiro ecozinha), pelas escadas e poço dos elevadores.Os cortes devem sempre estar indicados nas plantas para possibilitar suavisualização e interpretação – indicar a sua posição e o sentido de visualização.A indicação dos cortes em planta baixa tem uma simbologia específica: 3
  4. 4. A orientação dos CORTES é feita na direção dos extremos mais significantes Doespaço cortado. O sentido de visualização dos cortes deve ser indicado em planta,bem como a sua localização. CORTE AB SENTIDO INDICADO CORTE AB SENTIDO INDICADO CORTE CD INDICADO CORTE CD INDICADO 4
  5. 5. D 01 560 30 15 500 15 30 15 340 60 100 15 60x60/140 15 15 15 15 120x100/90 120 SALA 275 275 275 13.75 M² 155 90x210 +0.50 15 15 15 15 25 70 100x60/140 100 150A 150 BANHO B 7001 5.70 M² +0.50 01 70x210 +0.48 10 885 15 25 15 15 15 120 380 15 15 VARANDA 370 400 400 21.20 M² +0.35 15 30 15 15 15 PROJ. COBERTURA 160 +0.20 00 30 170 160 200 200 160 200 C 01 CORTE AB E CORTE CD INDICADOS EM PLANTA 5
  6. 6. 3.3 REPRESENTAÇÃO DOS ELEMENTOS CONSTRUTIVOS3.3.1 FUNDAÇÕESSão desenhadas em função dos materiais utilizados e de sua disposição geral,com dimensões aproximadas, se houver, pois seu detalhamento é função doprojeto estrutural. Alguns exemplos de fundações mais utilizadas: VIGA VIGA BALDRAME BALDRAME BLOCOS DE SAPATA CONCRETO DE CONCRETO3.3.2 PISO/CONTRA-PISONormalmente identifica-se apenas a espesssura do contrapiso + piso comespessura aproximada de 10cm, através de duas linhas paralelas, cortadas –espessura de linha média-grossa. A terra ou aterro são indicados através dehachura inclinada. O contrapiso-piso ocorre alinhado com a viga baldrame dasparedes. PISO- CONTRAPISO VIGA BALDRAME HACHURA TERRA 6
  7. 7. 3.3.3 PAREDES Nos cortes, as paredes podem aparecer seccionadas ou em vista. No caso de paredes seccionadas, a representação é semelhante ao desenho em planta baixa. Existindo paredes em vista (que não são cortadas pelo plano de corte) a representação é similar aos pisos em planta.10 1070 70210 210 PAREDE CONVENCIONAL PAREDE TOTALMENTE PAREDE PARCIALMENTE EM VISTA IMPERMEABILIZADA (VISTA) IMPERMEABILIZADA(VISTA) 7
  8. 8. 3.3.4 EQUIPAMENTOS DE CONSTRUÇÃOOs equipamentos de construção podem aparecer em corte ou em vista narepresentação dos cortes verticais. Tanto numa situação como em outra, bastarepresentá-los com suas linhas básicas, que identificam o aparelho ouequipamento. Abaixo, algumas representações:3.3.5 FORROS/LAJESGeralmente os forros são constituídos de lajes de concreto, representadas demaneira similar ao contrapiso, com espessura de 10cm. Sobre as paredes,representa-se as vigas em concreto. Pode haver forro de madeira ou gesso, porexemplo, abaixo da laje ou sem a presença desta. Estes forros serãorepresentados por duas linhas finas paralelas com a espessura do forro. VIGA LAJE FORRO3.3.6 COBERTURASNeste semestre, representaremos a cobertura de forma simplificada – apenas comos traços básicos de seu contorno ou com laje impermeabilizada. No próximosemestre, se estudará o detalhamento da cobertura e a forma de representaçãode todos os seus elementos estruturais e materiais. 8
  9. 9. 3.3.7 ABERTURAS a) PORTAS: em vista são indicadas apenas pelo seu contorno; preferencialmente com linhas duplas (5cm), quando forem dotadas de marco. Em corte, indica-se apenas o vão, com a visão da parede do fundo em vista. b) JANELAS: em vista seguem as mesmas diretrizes das portas. Em corte têm representação similar à planta baixa, marcando-se o peitoril como parede (traço cheio e grosso) e a altura da janela (quatro linhas paralelas em traço cheio e médio).PORTA VISTA JANELA VISTA PORTA CORTE JANELA CORTE 9
  10. 10. 3.3.8 REPRESENTAÇÃO DAS INFORMAÇÕESNo desenho dos cortes verticais, as representações são as cotas verticais,indicação de níveis e denominação dos ambientes cortados. Outras informaçõesjulgadas importantes podem ser discriminadas (impermeabilizações, capacidadede reservatórios, inclinação telhados, informações relativas a escadas, rampas epoços de elevador...)3.3.8.1 CotasSão representadas exclusivamente as cotas verticais, de todos os elementos deinteresse em projeto, e principalmente: - pés direitos (altura do piso ao forro/teto); - altura de balcões e armários fixos; - altura de impermeabilizações parciais; - cotas de peitoris, janelas e vergas; - cotas de portas, portões e respectivas vergas; - cotas das lajes e vigas existentes; - alturas de patamares de escadas e pisos intermediários; - altura de empenas e platibandas; - altura de cumeeiras; - altura de reservatórios (posição e dimensões); NÃO SE COTAM OS ELEMENTOS ABAIXO DO PISO (função do projeto estrutural); Para as regras de cotagem, utilizam-se os mesmos princípios utilizados para cotas em planta baixa:a) As cotas devem ser preferencialmente externas; 10
  11. 11. b) As linhas de cota no mesmo alinhamento devem ser completas;c) A quantidade de linhas deve ser distribuída no entorno da construção, sendo que a primeira linha deve ficar afastada 2,5 cm do último elemento a ser cotado e as seguintes devem afastar-se umas das outras 1,0cm;d) Todas as dimensões totais devem ser identificadas;e) As linhas mais subdivididas devem ser as mais próximas do desenho;f) As linhas de cota nunca devem se cruzar;g) Identificar pelo menos três linhas de cota: cotas de subdivisão de paredes, esquadrias, vergas, vigas, lajes, cumeeira; cotas dos pés direitos; e cotas totais externas.3.3.8.2 Níveissão identificados todos os níveis, sempre que se visualize a diferença de nível,evitando a repetição desnecessária e não fazendo a especificação no caso deuma sucessão de desníveis iguais (escada).A simbologia para indicação de níveis nos cortes é diferenciada da simbologiapara indicação em planta, porém, os níveis constantes em planta baixa devem seros mesmos indicados nos cortes.A simbologia utilizada para indicação dos níveis em cortes é: 00 +0,30 -0,15Os níveis devem ser sempre indicados em METROS e acompanhados do sinal,conforme localizarem-se acima ou abaixo do nível de referência (00). Sempre sãoindicados com referência ao nível ZERO. 11
  12. 12. 3.4 EXEMPLO DE CORTES 12
  13. 13. 150 150 150 150 10 10 1010 10 30 30 55 70 25 475 60 265 267280 250 210 210 152 +0,50 +0,48 +0,35 WC VARANDA 00 45 4535 35CORTE ABSEM ESCALAOs cortes devem ser desenhados SEMPRE NA MESMA ESCALA DA PLANTABAIXA, preferencialmente 1/50. 13
  14. 14. 14 35 280 10 150 20 15 250 30 10 60 10 80 00 CORTE CD SEM ESCALA +0,20 +0,35 215 50 +0,50 +0,50 90 100 75 50 30 200 5 30 10 60 10 80 50 265 10 150 475
  15. 15. 3.5 ETAPAS PARA O DESENHO DO CORTE1. Colocar o papel sulfurizê sobre a planta, observando o sentido do corte jámarcado na planta baixa;2. Desenhar a linha do terreno;3. Marcar a cota do piso dos ambientes “cortados” e traçar;4. Marcar o pé direito e traçar;5. Desenhar as paredes externas (usar o traçado da planta baixa);6. Desenhar o forro, quando houver, ou a laje; desenhar também o contra-piso;7. Desenhar a cobertura ou telhado;8. Desenhar as paredes internas, cortadas pelo plano;9. Marcar as portas e janelas seccionadas pelo plano de corte;10. Desenhar os elementos que estão em vista após o plano de corte. Ex.: janelae porta não cortadas, parede em vista não cortada....Denominar os ambientes em corte;11. Colocar a indicação de nível;12. Colocar linhas de cota e cotar o desenho;Repassar os traços a grafite nos elementos em corte. Ex.: parede – traço grosso;laje – traço médio; portas, janelas e demais elementos em vista – traço finos.OBS.: No corte as cotas são somente na verticais. As portas e janelasaparecem SEMPRE FECHADAS. 15

×