Jornal63

483 visualizações

Publicada em

Jornal escolar do Externato Secundário do Soito

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
483
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
50
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jornal63

  1. 1. JC O Jornal do Colégio Ano XXI, Nº 63 Ano Letivo 2012/2013 A conclusão do 9º ano representa o final de uma etapa na vida dos jovens, mas, alcançar com sucesso mais uma meta, não significa o fim da corrida. À saída do 3º ciclo, várias portas se abrem aos alunos, face às múltiplas vias que permitem construir um projeto, não apenas escolar, mas também pessoal, profissional e social. Nesta fase, os jovens encontram-se frente a frente com o momento em que é vital tomar a melhor decisão e fazer a escolha mais adequada, pois o que está em jogo é a construção do futuro de cada um. Nesta perspetiva, o itinerário deve ser pensado tendo em conta a continuidade na procura da vida ativa. Aqui, o serviço de psicologia e de orientação vocacional de cada escola desempenha o papel principal, reforçando o acompanhamento dos alunos, ajudandoos a encetar o melhor percurso para que cada um adquira as ferramentas que lhe permitam integrar-se no mundo profissional e desfrutar plenamente de todas as facetas da cidadania. Portanto, se o 9º ano é o ano da grande mudança, o ano em que se tomam decisões importantes na construção do futuro, desejo que cada um de vós, caros alunos, faça a melhor escolha, sabendo que diferentes respostas implicam diferentes soluções e que desistir é próprio dos fracos. António Dinis A Equipa do “J.C. o Jornal do Colégio” deseja a todos BOAS FÉRIAS Publicação Trimestral (abril/maio/junho) 9.º ANO, QUE FUTURO? EDITORIAL O FUTURO EM CONSTRUÇÃO * A tualmente, já estou no último ano de escolaridade no Externato Secundário do Soito. No próximo ano letivo, vou, em princípio, estudar para a escola do Sabugal. Para ser sincera, não estou muito entusiasmada. Vou, de certeza, sentir a mudança, pois sei perfeitamente que, no Soito, nós, os alunos e os professores, somos praticamente uma família … Enfim, é assim a vida! Neste momento ainda não tenho uma ideia daquilo que quero seguir no futuro, porque as minhas notas não são excelentes, são apenas razoáveis. Assim sendo, acho que tenho de seguir a área de humanidades, porque a matemática, no meu entender, é bastante complicada. Por vezes penso que, se já acho a matemática difícil no 9.º ano, como será nos próximos anos? O único problema é que eu tenho a perfeita noção que está cada vez mais difícil arranjar emprego em Portugal, principalmente para as pessoas da área de humanidades. Cristiana Rasteiro – 9.º Ano João Pedro Inês, n.º 11 – 9.º Ano E m 2008 começou o meu percurso nesta escola. O primeiro ano que aqui passei foi o pior, pois ainda não conhecia nem a escola, nem os professores, nem os meus colegas. A partir do 6.º ano comecei a sentir-me cada vez melhor aqui, e agora sinto que a escola é a minha segunda casa e os meus colegas e professores são a minha segunda família. Este foi já o meu último ano, o que quer dizer que, para o ano, vou ter que estar noutra escola. Vou sentir muitas saudades da escola, dos professores e dos meus colegas. Estes cinco anos foram espetaculares e nunca os irei esquecer. João António – 9.º Ano J á se passaram cinco anos desde que entrámos para o colégio. Foi no ano de 2008. Ainda me lembro que o 5.º ano foi o melhor ano de sempre da minha vida como estudante, pois aprendi muito. Conheci imensas pessoas, todas diferentes umas das outras, mas todas especiais. Passei todos os anos aqui como se fosse a minha segunda casa. Enfrentei tristezas e muitos medos, mas também muitas felicidades e alegrias, que me permitiram ir em frente e não olhar para trás. Mas os amigos e os meus professores ajudaram-me muito neste longo percurso e, por isso, só tenho que lhes agradecer muito. Agora, finalmente no 9.º ano, um ano bastante complicado por sinal, pois para além de ser o último, é provavelmente o mais difícil, tenho que começar a pensar naquilo que quero seguir. Sinceramente, preferia ir para humanidades, porque adoro o que se estuda nesta área, mas infelizmente tenho de embarcar para científica, apesar de não gostar nada. Quando sair daqui tenho a certeza que vou sentir muitas saudades, mesmo, mesmo muitas. www.extsoito.com ----------SUMÁRIO---------Editorial -------------------------------------------------- Pág. 1 9º Ano, que futuro? ----------------------------------- Pág. 1 Histórias Soltas ---------------------------------------- Pág. 2 Curso de Saúde e Socorrismo -------------- Págs. 3 e 5 Alunos do Externato Secundário do Soito .................. na Assembleia da República --------------------- Págs. 4 Os Bombeiros do Soito vieram à Escola ------ Págs. 4 Externato Secundário do Soito.................................... Adere a Projeto Educativo em parceria ...................... com Galp Energia ----------------------------------- Pág. 6 Brigadas Positivas ------------------------------------ Pág. 6 Viagem de Convívio a Espanha ------------------ Pág. 7 A Importância da Água para os Seres Vivos -- Pág. 8 Viagem de Estudo à Exponor --------------------- Pág. 9 Passatempos ---------------------------------- Pág. 10 e 11 Desporto Escolar ------------------------------------ Pág. 12 - Telf. 271 601 062 e-mail: geral@extsoito.com - Fax 271 605 513
  2. 2. HISTÓRIAS SOLTAS Os 4 desejos A visita dos marcianos stava a caminhar pela praia quando vi qualquer coisa na areia. Parecia feita de ouro, de tão brilhante que era. Aproximei-me e vi que era uma lamparina dourada, não liguei e atirei-a contra uns rochedos que estavam atrás de mim. Qual não foi o meu espanto quando me vi rodeada de um fumo com uma cor algo estranha. À minha frente estava um homenzinho verde, pequenino e voador. – Sou o génio da lâmpada, e estou aqui para te conceder quatro desejos. – Fiquei espantada mas muito agradada com aquela ideia. Perguntei-lhe se podia pedir o que quisesse e respondeume que sim. Ocorreram-me centenas de ideias… Comecei por pedir uma casa de luxo, na praia, e imediatamente apareceu, do nada, uma bela e enorme casa perto do local onde estávamos. Em seguida, pedi muito dinheiro dentro de um cofre super secreto para que ninguém o pudesse roubar. Como não queria pedir nada de que me viesse a arrepender, aproveitei para gozar, durante uns tempos, aquele dinheiro todo e a minha nova casa, enquanto pensava nos outros dois desejos. Passado uns tempos, voltei à praia e chamei pelo génio, mas ele não veio. Enquanto olhava para o mar, distraída, lá apareceu ele envolto numa nuvem de fumo e imediatamente me perguntou se estava ali para gastar os outros dois desejos. Pedi-lhe a felicidade universal e o fim de todas as guerras no mundo. Depois destes desejos satisfeitos, o génio sorriu e despediu-se de mim, dizendo que tinha gostado que eu tivesse pedido dois desejos para toda a humanidade e não apenas para mim. E tão rápido como tinha aparecido…desapareceu numa nuvem de fumo roxo! ecorria um verão solarengo no ano de 2116, quando um grupo de ovnis desceu sobre a cidade de Buenos Aires, na Argentina, cobrindo a maior parte do céu e começando a atacar esta cidade e as cidades vizinhas. Nesta altura, estava eu em casa, a ver o telejornal da SIC, quando a notícia dos ovnis me surpreendeu. Imediatamente me lembrei daquele rapaz que, ao encontrar uma lamparina mágica, tinha pedido ao génio uma poção capaz de destruir todos os seres estranhos. O pior é que, para a encontrar, tinha de subir até ao cimo do monte Evereste e entrar na caverna do urso polar azul. Assim fiz. Foi muito difícil chegar ao cimo do Evereste e, assim que entramos na caverna, vimos o urso a cuspir fogo porque estava constipado. Demos-lhe um lencinho e ele deixou-nos entrar e trazer a poção. Pouco depois, estávamos no aeroporto, preparados para espalhar a poção. Prendemos um regador automático ao avião e lá fomos regar os marcianos com a nossa poção mágica. Tudo voltou ao normal! E D Telma Tracana - 7.º Ano Sofia Nabais - 6ºAno Matilde Roque - 7.º ano JC - O Jornal do Colégio - 2
  3. 3. Curso de Saúde e Socorrismo D ecorreu durante o mês de Abril, nas instalações do Externato Secundário do Soito, o Curso de Saúde e Socorrismo administrado pelo IEFP – Instituto de Emprego e Formação Profissional, que contou com a participação de 25 pessoas, não apenas do Soito, mas de várias partes do Concelho do Sabugal e correspondendo ainda uma parte destes elementos aos docentes e funcionários da comunidade escolar do Externato Secundário do Soito. De seguida propomo-nos apresentar, de modo breve, alguns dos principais conceitos apreendidos ao logo do curso, baseado em duas componentes essenciais, por um lado a vertente teórica e posteriormente uma forte componente prática. Principais Conceitos de Saúde e Socorrismo O conceito de Primeiros Socorros pode ser definido como uma série de procedimentos simples que têm como objetivo resolver situações de emergência, feitas por pessoas comuns com esses conhecimentos, até à chegada de atendimento médico especializado. Deste modo, os Primeiros Socorros são o tratamento inicial e temporário ministrado a acidentados e/ou vítimas de doença súbita num esforço de preservar a vida, diminuir a incapacidade e minorar o sofrimento. Os primeiros socorros são habitualmente mencionados em situações graves de emergência, embora sejam igualmente relevantes para casos como escoriações, lesões, picadas, etc. Podemos considerar primeiro socorro quando falamos em proteção de feridas, imobilização de fraturas, controlo de hemorragias visíveis, desobstrução das vias respiratórias, reanimação, ventilação artificial, etc. A importância do Sistema Integrado de Emergência Médica (SIEM) O rápido acesso ao SIEM assegura o início da Cadeia de Sobrevivência, pois cada minuto sem se chamar o socorro reduz a possibilidade de sobrevivência da vítima. Para o funcionamento adequado deste elo é fundamental que quem presencia uma determinada ocorrência seja capaz de reconhecer a gravidade da situação e saiba ativar o sistema, ligando adequadamente 112. Ligar para o 112 !A chamada é gratuita e está acessível de qualquer ponto do país a qualquer hora do dia. O 112 é o Número Europeu de Emergência, sendo comum o seu recurso para ocorrer a situações de emergências de saúde, mas também outras situações tais como incêndios, acidentes de viação ou roubos. As chamadas efectuadas para o 112 são atendidas, em primeira linha, por uma Central de Emergência da PSP que apenas canaliza para os Centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do INEM as chamadas que à saúde digam respeito. Informe de forma simples e clara: . O tipo de situação (doença, acidente, parto, etc); . O número de telefone do qual está a ligar; . A localização exata e, sempre que possível, com indicação de pontos de referência; .O número, o sexo e a idade aparente das pessoas a necessitar de socorro; .As queixas principais e as alterações que observa; . A existência de qualquer situação que exija outros meios para o local, por exemplo, libertação de gases, perigo de incêndio, etc. . Desligar apenas quando o operador indicar. (Continua na pág. 5) JC - O Jornal do Colégio - 3
  4. 4. ALUNOS DO EXTERNATO SECUNDÁRIO DO SOITO NA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA enriquecidos. A empresa Sabugal+ concedeu o transporte e o Município disponibilizou uma funcionária para acompanhar o grupo. Parabéns a todas as pessoas que souberam aproveitar esta oportunidade, que nos foi proporcionada pelo Dr. Luis Andrade, a quem muito, sinceramente, agradecemos. Prof. José Manuel Campos E sta é, a intervenção que o “filho”da nossa terra, Dr. Luís Andrade, fez na Assembleia da República, no dia 9 de Abril de 2013, na cerimónia que realizou para celebrar o dia mundial da saúde. Quando tive conhecimento de que o Dr. Luis Andrade ia ter uma intervenção na Assembleia da República, no âmbito das celebrações do dia mundial da saúde, e sabendo que muitos agrupamentos escolares se iriam fazer representar, através dos respectivos alunos, diligenciei no sentido de que também o nosso concelho pudesse estar representado como, de facto, aconteceu. Desta vez foi o Externato Secundário do Soito que abraçou esta oportunidade tendo feito deslocar sete alunos(as) a participar nestas importantes cerimónias. É do meu conhecimento que foi feita uma visita guiada, à “Casa da Democracia” (Assembleia da República) pelo que não me restam dúvidas de que estes alunos (as) ficaram, certamente, mais Dia 7 de abril, seis alunos da nossa escola viajámos, logo pela manhã, a Lisboa. Esta viagem teve o propósito a ida a uma apresentação sobre a alimentação e a saúde nos diferentes continentes do mundo e foi organizada pelo Dr. Luís Andrade, que é natural dos Fóios e nos convidou para esta viagem. A palestra decorreu no edifício onde está localizada a Assembleia da República e foi muito interessante e importante porque está em causa lutar contra a fome que assola o mundo e contra as doenças que causam muitas vítimas. Seguidamente, tivemos a possibilidade de visitar os corredores e a própria sala da Assembleia e até nos sentámos no lugar dos deputados e do Governo de Portugal. Finalizada esta interessante visita, fomos almoçar e o resto da tarde foi utilizada para desfrutarmos da cidade, nomeadamente a vista do rio Tejo. Depois, iniciou-se o regresso às nossas freguesias. Penso que esta viagem foi muito divertida e, ao mesmo tempo, educativa. Acho que o colégio devia promover ainda mais viagens de modo a cativar os alunos. David Moreira – 8º ano AGRADECIMENTO O Externato Secundário do Soito agradece a oportunidade que lhe foi concedida de poder participar neste evento de tão grande dimensão, não só pela sua universalidade, mas também pelos valores humanos que promove. Para a escola foi uma honra ter participado. Para os alunos, que tiveram o privilégio de estar presentes na Assembleia da República, ficará, no mínimo, uma feliz e indelével recordação. Por isso, um sincero agradecimento ao Dr. Luís Andrade, ao professor José Manuel de Campos, à Câmara Municipal de Sabugal, à Sabugal + e a todos os que tornaram possível a concretização deste evento. Aos nossos alunos e aos encarregados de educação que, des de logo, abraçaram es ta iniciativa, um especial agradecimento. António Dinis (Diretor Pedagógico) OS BOMBEIROS DO SOITO VIERAM À ESCOLA N o dia 29 de Abril, os Bombeiros Voluntários do Soito vieram ensinar-nos como evacuar as salas de aulas numa situação de emergência. Primeiramente, o grupo de bombeiros apresentou-nos um vídeo, do qual pudemos retirar as seguintes instruções: Quando ouvires a campainha três vezes, é sinal de fogo. Não entres em pânico. Sai em fina indiana. Vai sempre encostado à parede. Obedece à sinalética. Vai com calma. Não corras. Deixa o teu material e acessórios na sala. Dirige-te ao ponto de encontro. Depois de vermos isto, decidiram fazer um simulacro onde participaram as turmas do 5º e 6º ano. A campainha tocou três vezes e nós saímos com calma respeitando as regras que observámos no vídeo. E deixámos trabalhar os bombeiros. Foi uma manhã bem instrutiva. Diogo Matias, Márcia Pires, Mónica Peres e Rodrigo Silva – 5º ano s Bombeiros Voluntários do Soito proceder se houver fogo Oensinar-nos como como devemos sairvieram na escola e explicar-nos para o exterior. A melhor atitude é descermos em fila, em passo apressado, mas sem correr. Devemos ir para o nosso ponto de encontro respeitando as indicações dos sinaleiros, para não irmos por caminhos errados. De seguida, estivemos a experimentar como se fazia e até foi divertido, porque não era a sério. Os bombeiros também nos ensinaram a usar um extintor e falaram-nos do número de telefone que devemos utilizar quando estamos aflitos. Se não soubermos o número dos bombeiros, ligamos o 112. De lá perguntam-nos algumas coisas e rapidamente ligam para os Bombeiros, para a polícia, para o INEM… Gostei muito das explicações e de tudo os que nos ensinaram. Catarina – 6ºano s bombeiros vieram ao colégio e começaram por nos mostrar um do Soito explicar-nos filme que explicava como incêndio. sala de aula em caso de como chamar o 112 Oas Bombeiros Voluntáriosincêndio evieramproceder paracomo evacuar OAprendemos no filme que,fazer em caso dena escola, temos de sair em se houver fogo em caso de emergência. Os bombeiros fizeram uma demonstração e explicaram como reagir e agir em situações de perigo. Para isso, fizemos um simulacro. Tivemos de sair ordenadamente da sala. O primeiro é o chefe de fila e o último chamase o cerra-fila e é também aquele que leva o livro de ponto. Fizemos a evacuação com a costa da mão em contacto com a parede e no ponto de encontro, que é o ringue, o professor teve de certificar-se que estavam todos os alunos. Francisco Nabais, Tatiana Teixeira, Telma Cloé e Ruben Moreno - 5ºano ordem e em fila e não levamos nada. A única coisa que se retira da sala é o livro de ponto e é o professor que o leva. Os bombeiros também nos explicaram o procedimento em caso de cismo. Aqui, já é o contrário. Temos de ficar na sala, debaixo de uma mesa, agarrados a alguma coisa fixa, protegendo a cabeça e nunca ficar ao pé de vidros. Foi um dia muito interessante e fiquei a conhecer melhor o que fazer em caso de emergência. Cláudia – 6º ano JC - O Jornal do Colégio - 4
  5. 5. (Continuação da página 3) A importância do Suporte Básico de Vida (SBV) O Suporte Básico de Vida (SBV) é um conjunto de procedimentos bem definidos e com metodologias padronizadas, que tem como objetivo reconhecer as situações de perigo de vida iminente, saber como e quando pedir ajuda e saber iniciar de imediato, sem recurso a qualquer dispositivo, manobras que contribuam para a preservação da ventilação e da circulação de modo a manter a vítima viável até que possa ser instituído o tratamento médico adequado e, eventualmente, se restabeleça o normal funcionamento respiratório e cardíaco. Para que uma vítima em perigo de vida tenha maiores hipóteses de sobrevivência, é fundamental que sejam iniciadas, de imediato, no local onde ocorreu a emergência, manobras de reanimação. Isto só se consegue se, quem presencia a situação, tiver a capacidade de iniciar o Suporte Básico de Vida. O SBV permite ganhar tempo, mantendo alguma circulação e alguma ventilação até à chegada de socorro mais diferenciado, capaz de instituir procedimentos de Suporte Avançado de Vida. A Posição Lateral de Segurança (PLS) Se a vítima respira normalmente e não existe suspeita de traumatismo da coluna cervical, deverá ser colocada em PLS. Quando uma vítima se encontra inconsciente pode desenvolver um quadro de obstrução da via aérea e deixar de respirar, devido ao relaxamento do palato mole e da epiglote. A via aérea pode também ficar obstruída por regurgitação do conteúdo gástrico, secreções ou sangue. Nestes casos a vítima deve ser colocada numa posição que mantenha a permeabilidade da via aérea, garantindo a não obstrução e permitindo a livre drenagem de um qualquer líquido da cavidade oral, evitando a entrada do mesmo nas vias respiratórias, nomeadamente no caso de a vítima vomitar. A Posição Lateral de Segurança deve respeitar os seguintes princípios: Ser uma posição o mais 'lateral' possível para que a cabeça fique numa posição em que a drenagem da cavidade oral se faça livremente; Ser uma posição estável; Não causar pressão no tórax que impeça a respiração normal; Possibilitar a observação e acesso fácil à via aérea; Ser possível voltar a colocar a vítima em decúbito dorsal de forma fácil e rápida; Não causar nenhuma lesão à vítima. Obstrução da Via Aérea por Corpo Estranho (OVACE) É uma emergência que, se não for reconhecida e resolvida, leva à morte em poucos minutos. Uma das formas mais frequentes de obstrução da via aérea é a resultante de uma causa por alimentos, sangue ou vómito. Qualquer objeto sólido pode funcionar como corpo estranho e causar obstrução da via aérea – obstrução da via aérea por corpo estranho (OVACE). Nos adultos, a obstrução da via aérea ocorre habitualmente durante as refeições com os alimentos na tentativa de engolir pedaços de comida grandes e mal mastigados. Os doentes idosos com problemas de deglutição estão também em risco de obstrução da via aérea por corpo estranho e devem ser aconselhados a comer de forma cuidadosa. Na obstrução ligeira, ou seja, enquanto a vítima respira e consegue tossir de forma eficaz, o reanimador não deve interferir, devendo apenas encorajar a tosse, vigiar se a obstrução é ou não resolvida e se a tosse continua a ser eficaz. Na obstrução grave já não existe passagem de ar na via aérea (geralmente obstrução total), a vítima não consegue falar, tossir ou respirar, nem emite qualquer ruído respiratório, demonstrando grande aflição e ansiedade e agarrando o pescoço com as duas mãos. É necessário atuar rapidamente, pois, se a obstrução não for resolvida, a vítima poderá ficar inconsciente e morrer. Neste caso de obstrução grave da via aérea causada por corpo estranho, deve começar por tentar a desobstrução da via aérea com aplicação de pancadas interescapulares e, no caso de insucesso, tentar então compressões abdominais (manobra de Heimlich). As pancadas interescapulares são aplicadas com a base da mão na parte superior das costas, ao meio, entre as omoplatas e cada pancada deverá ser efetuada com a força adequada tendo como objetivo resolver a obstrução. Após cada pancada deve verificar se a obstrução foi ou não resolvida, aplicando até 5 pancadas no total. Se a obstrução não for resolvida deve passar à aplicação de compressões abdominais ou Manobra de Heimlich. Esta manobra causa uma elevação do diafragma e aumento da pressão nas vias aéreas, com a qual se consegue uma espécie de 'tosse artificial', forçando a saída do corpo estranho. A execução da Manobra de Heimlich define os seguintes passos: Coloque-se por trás da vítima; Coloque os braços à volta da vítima ao nível da cintura; Feche uma das mãos, em punho, e coloque a mão com o polegar encostado ao abdómen da vítima, na linha média um pouco acima do umbigo e bem afastada do apêndice xifóide; Com a outra mão agarre o punho da mão colocada anteriormente e puxe, com um movimento rápido e vigoroso, para dentro e para cima na direção do reanimador. A manobra de Heimlich também pode ser executada pela própria vítima de obstrução da via aérea, caso se encontre sozinha. Para tal deverá colocar uma mão em punho um pouco acima do umbigo e com a outra mão em cima da primeira comprimir para cima e para dentro com um movimento rápido. No caso de não obter sucesso poderá comprimir a porção superior do abdómen contra uma superfície rija como por exemplo as costas de uma cadeira ou um varão de escadas. Ter em atenção que a obstrução da via aérea é uma situação emergente que pode levar à morte da vítima em poucos minutos e reconhecer a situação e iniciar de imediato medidas adequadas pode evitar a paragem cardiorespiratória e salvar uma vida. JC - O Jornal do Colégio - 5 Prof. Victor Clamote
  6. 6. EXTERNATO SECUNDÁRIO DO SOITO ADERE A PROJETO EDUCATIVO EM PARCERIA COM A GALP ENERGIA. Missão up | Unidos pelo planeta – um projeto educativo Galp Energia C omo é tradição na nossa escola e na dinâmica que sempre vamos tentando colocar no nosso projeto educativo, voltámos no ano letivo que decorre a aderir a um grande projeto educativo. Missão up | Unidos pelo planeta – concurso Brigadas Positivas, é o seu nome e desafiou “alunos e professores a organizarem equipas ou "Brigadas" com uma missão específica dedicada ao tema da eficiência energética. Estas "Brigadas Positivas" devem sugerir e implementar ações junto dos seus colegas, amigos e pais para promover uma utilização sustentável da energia.” Ora, na nossa escola, foram criadas duas Brigadas Positivas: a Brigada da Poupança (turma de 6º ano), a qual pretendeu promover a eficiência energética e a Brigada dos Transportes (turma de 5º ano), que se responsabilizou pela promoção da mobilidade sustentável. Para levar este projeto a bom porto, e porque este é baseado na sensibilização da comunidade escolar para os problemas recorrentes no uso da energia, a escolha da nossa escola recaiu numa forte aposta/componente de imagem para transmitir os ideais das Nossas Brigadas. Daí que se tenha apostado em dois momentos chave para a divulgação das ideias deste projeto. O primeiro momento foi alcançado através da afixação cartazes, que foram distribuídos não só pela nossa escola mas também pelos estabelecimentos comerciais e associações da vila, e marcadores de página, que as brigadas se encarregaram de distribuir pelos colegas e pelos moradores da vila do Soito. No segundo e último momento foi divulgado um videoclipe que visou não só demonstrar o trabalho desenvolvido durante o projeto mas também transmitir as mensagens das nossas brigadas. Este esteve disponível na internet a partir do início do mês de Maio, nas páginas da Junta de Freguesia do Soito, Jornal Cinco Quinas e Câmara Municipal do Sabugal assim como no facebook do Externato Secundário do Soito, seus colaboradores e encarregados de educação, sendo obviamente de consulta obrigatória para todos os que agora se encontram a ler este artigo e ainda não o tenham feito. Infelizmente, temos já conhecimento que o nosso projeto, apesar da qualidade, não está entre os projetos vencedores. No entanto, o hino para as Brigadas Positivas, o qual foi também por nós trabalhado e que constou no vídeo de promoção das brigadas, conseguiu com a vossa ajuda ficar classificado entre os primeiros cinco, e desta forma, está agora a concorrer para poder ser eleito o hino vencedor. Vamos ter esperança porque a qualidade está lá. Assim se explicam, ainda que em traços largos, a nossa adesão ao projeto assim como a divulgação dos resultados do mesmo. Esperamos que tenham apreciado o resultado, assim como também nós apreciámos trabalhar nele. Lembrem-se sempre que este projeto foi feito de nós para vós com a dedicação e entrega que nos caracteriza. Sendo nosso e dos nossos alunos é também vosso, pois a nossa escola pretende, e pretenderá sempre, ser um elemento aglutinador da nossa realidade. Prof. Fernando Ruas BRIGADAS POSITIVAS O lá, chamo-me Diogo e estudo no Soito. Estou aqui, hoje, para vos falar sobre um projeto em que os alunos do 5.º e do 6.º ano do Externato participaram, em conjunto com a Galp Energia. Criamos duas brigadas, a brigada dos transportes e a brigada da poupança. Eu vou falar da brigada dos transportes. A brigada dos transportes tinha a função de incentivar as pessoas a andarem mais a pé, para assim se poupar energia. Durante o tempo que durou o projeto, fizemos desenhos, vídeos e tiramos montes de fotografias. Mas, como queríamos levar esta notícia para a rua, decidimos fazer cartazes, que depois colámos pelas ruas e lojas do Soito. Durante este tempo, nós aprendemos como poupar energia, agora faça como nós: ande mais a pé ou de bicicleta; organize boleias com os colegas ou amigos. Ajude-nos a poupar o meio ambiente e a fazer o mundo sorrir! Diogo Matias – 5.º ano fomos tirando fotografias e fazendo vídeos e desenhos. Com a professora Mónica Amorim fizemos os cartazes e os marcadores que depois distribuímos pelo Soito. Com o professor Fernando fizemos um vídeo e gravamos o hino das brigadas positivas, que foi inventado pela professora Ilina. Foi um projeto muito engraçado e onde eu gostei muito de participar. Margarida Martins – 6.º Ano A Diogo Matias - 5ºAno s primeiras semanas do terceiro período foram muito divertidas. A escola decidiu participar num projeto: o projeto Missão Up – Brigadas Positivas. Neste projeto, os alunos tinham o dever de incentivar os colegas e o resto das pessoas a poupar energia. No dia 5 de abril, tivemos uma aula de energia. Veio um senhor da Galp explicar várias maneiras de se poupar energia dentro e fora de casa. Nas aulas de inglês e de ET, JC - O Jornal do Colégio - 6 Glória - 6ºAno
  7. 7. Viagem de convívio a Espanha “CONOCIÉNDONOS” N o dia 4 de junho fomos até Espanha, até à vila de Fuenteguinaldo. Assim que lá chegámos, fomos muito bem recebidos, e tivemos direito a uma visita guiada pela escola que nos recebeu. Em seguida, os alunos espanhóis apresentaram-nos uma peça de teatro “O capuchinho vermelho”. O teatro foi muito bem representado. Assim que o teatro acabou, fomos para o pavilhão municipal, onde fizemos jogos populares e tradicionais. A escola de Freixo de Espada à Cinta apresentou-nos quatro coreografias de músicas. Também jogámos futebol, contra as outras duas escolas, e o Soito ganhou 3 jogos, empatou 1 e perdeu outro. Pouco depois, fomos almoçar. O almoço foi à espanhola: massa com tomate, salsichas e, para sobremesa, um gelado. Depois de almoçar, fomos para o largo da igreja, e ai participámos numa largada de touros. Os touros eram de plástico, tinham uma roda e havia pessoas a empurrar. Fartámo-nos de correr a fugir dos touros, foi muito divertido! Regressámos à escola, onde assistimos a um espetáculo de músicas e danças tradicionais daquela zona de Espanha. Pouco depois chegou a hora de ir embora. Adorei esta viagem. Nuno Aires – 5.º ano N o dia 4 de Junho, realizou-se uma visita de estudo a Espanha, até à vila de Fuenteguinaldo. Quando lá chegámos deram-nos as boas vindas, e depois fomos visitar as salas onde os alunos estudavam, e fiquei muito admirada por serem tão poucos alunos. Em seguida, fomos para um pequeno ginásio, onde os alunos espanhóis representaram o teatro da “Verdadeira história do capuchinho vermelho”. Depois do teatro, fomos para o pavilhão, onde, para além de jogar futebol, vimos os alunos de Freixo de Espada a Cinta a dançar, e dançaram muito bem. Logo a seguir fomos almoçar. Despois do almoço, fizemos uma espécie de encerro, com bois de brincar. Foi muito divertido! De regresso à escola de Fuenteguinaldo, pudemos ouvir algumas canções tradicionais de Espanha e depois regressámos ao Soito. Alanan Malú – 6.º Ano Magarida Martins - 6ºAno Camila Nicolau - 5ºAno JC - O Jornal do Colégio - 7
  8. 8. A IMPORTÂNCIA DA ÁGUA PARA OS SERES VIVOS Francisco Nabais, Nuno Aires e Ruben Moreno - 5º Ano N o nosso dia-a-dia, necessitamos da água para matar a sede, para cozinhar, para a nossa higiene… Como é um bem essencial para a nossa vida, tem de ser avaliada e tratada antes de ser consumida. Se isso não acontecer, podem surgir problemas graves na nossa saúde. A água própria para consumo humano denomina-se água potável. Água salobra é a água que contém grande quantidade de substâncias dissolvidas, podendo ter um aspeto turvo. Devemos colaborar contra a poluição da água, pois a água é a base da sobrevivência dos seres vivos. Camila, Francisco, Mariana e Mária – 5º ano A água tem diversas funções, todas importantes para a vida dos seres vivos, porque é essencial ao bom funcionamento do organismo. As plantas perdem água através das folhas, por transpiração. Os animais perdem água através da respiração, da transpiração, das fezes e da urina. Uma solução de água com minerais é absorvida através da raiz da planta. Os animais bebem água ou ingerem alimentos com a água. Nunca devemos desperdiçar a água, sobretudo no verão, quando ela é mais escassa. Não devemos destruir a floresta, porque as árvores são importantes para a conservação da água na terra. Naíde, Ruben, Rodrigo e Marta – 5º ano O s animais ingerem alimentos com água e perdem água através da respiração e da transpiração. A água é essencial ao bom funcionamento do organismo, pois a maioria das suas funções depende da água. A água é o principal componente dos seres vivos. Quando a quantidade de água no organismo é inferior às suas necessidades, o ser vivo fica desidratado, ou seja, com falta de água, pondo em risco a sua sobrevivência. A água é indispensável aos seres vivos, portanto não a devemos desperdiçar. Tatiana, Mónica e Diogo Nobre – 5ºano Telma Cloé - 5º Ano JC - O Jornal do Colégio - 8 Alonan Malú - 6º Ano
  9. 9. VIAGEM DE ESTUDO À EXPONOR (PORTO) Qualifica – Feira de Educação, Formação, Juventude e Emprego – 2013 A Qualifica é uma feira subordinada à temática da Educação, Formação, Juventude e Emprego, tendo como principal objetivo apresentar opções e soluções aos alunos com o intuito de os apoiar nas suas escolhas vocacionais, respondendo sobretudo às dúvidas relacionadas com a orientação escolar e profissional. Este evento realiza-se anualmente, correspondendo a um espaço de apoio aos alunos, podendo ajudá-los a encontrarem a sua orientação escolar e permitindo conhecer as novidades no que diz respeito às saídas profissionais, assim como da situação do mercado de trabalho atual. Em termos de organização, a Qualifica permite que os alunos contactem e explorem mais de perto a oferta formativa representada em stands que se relacionam com os seus interesses no sentido da obtenção de respostas para a definição da posição pessoal face às diversas possibilidades formativas e para as escolhas vocacionais a realizar no seu percurso a curto ou médio prazo. Das diversas atividades e stands presentes na Qualifica, destacavam-se os pavilhões dedicados às áreas das novas tecnologias e entretenimento, os centros de formação profissional, o recrutamento militar, a área da saúde, mas também outros tão diversificados como as artes, turismo, ambiente, ciência, ensino superior, etc… Prof. Victor Clamote N o dia 29 de Abril de 2013, a Turma do 9ºAno realizou uma viagem de estudo à Exponor no Porto, à Qualifica Feira de Educação, Formação, Juventude e Emprego. No espaço da feira podemos percorrer os inúmeros stands onde eram apresentadas exposições relacionadas com as saídas profissionais, de entre as quais destacamos as ligadas ao desporto e às novas tecnologias. Mas a amostra era bastante diversificada podendo também observar-se espaços dedicados ao vestuário e até apresentações de profissões tão específicas como são os cabeleireiros. Mas a diversidade não ficava por aqui, pois também existiam pavilhões dedicados à atividade agrícola, onde se podiam observar exemplos de atividades ligadas tanto à agricultura biológica como à pecuária. Outro dos pavilhões que se destacava na feira era dedicado as diversas funções e especializações ligadas ao exército português, podendo visitar-se e experimentar desde as viaturas, aos Helicópteros e inclusivamente algum tipo de armamento. Esta feira permitiu-nos observar a diversidade de saídas profissionais, que muitas até desconhecíamos, como o exemplo das especializações ligadas à vertente militar, mas também da área tecnológica e passando inclusivamente pela diversidades das atividades agrícolas. Alberto Miguel, Alexandre Saloio, Danilo Mendes, Paulo Jorge Batista, Raúl Martins, Sérgio Carrilho – 9ºano A viagem de estudo que realizámos à Qualifica - Feira de Educação, Formação, Juventude e Emprego, decorreu, no dia 29 de Abril, nos pavilhões da Exponor no Porto. Nesta feira tivemos a oportunidade de visitar as mais diversas atividades, que podem funcionar como saídas profissionais num futuro próximo do nosso percurso escolar. Destacamos sobretudo os stands dedicados à área científica, mas também às opções ligadas aos diversos ramos das Forças Armadas, às atividades agrícolas, ao turismo e ainda às novas tecnologias. Nos pavilhões pudemos recolher panfletos com informações mais específicas sobre os cursos que achámos mais interessantes e que podem funcionar como uma opção na hora de decidirmos o nosso futuro. Esta visita de estudo permitiu-nos, deste modo, conhecer melhor o vasto leque de opções relacionadas com as saídas profissionais e ainda aprofundar os nossos conhecimentos sobre o tipo de funções que algumas profissões exigem. Daniel Robalo, César Simão, João António Basílio, Sara Jorge, Cristiana Teixeira, Bernardete Moreira JC - O Jornal do Colégio - 9 E m Abril, a Turma do 9ºAno do Externato Secundário do Soito participou na Qualifica - Feira de Educação, Formação, Juventude e Emprego, no Porto. Esta viagem de estudo organizada pelo Serviço de Psicologia e Orientação do Externato proporcionou-nos a oportunidade de percorrer um evento dedicado à área vocacional e às saídas profissionais, onde, organizados por grupos, pudemos explorar os inúmeros stands, onde podíamos observar e recolher informações sobre as mais diversas áreas e profissões importantes como opções a seguir na nossa formação escolar. O que destacamos são os pavilhões dedicados às ciências, informática e desporto, mas também as opções ligadas às atividades agrícolas que cada vez mais se vêm revelando como uma escolha interessante no nosso percurso profissional futuro. Esta foi uma experiência nova e única, achando que foi bastante interessante, pois pudemos vivenciar experiências que podem ser decisivas futuramente. Mais uma vez adorámos esta viagem de estudo e, com certeza, que não a iremos esquecer… António Lourenço, Gilberto Nabais, Jéssica Lages, João Pedro Inês - 9º Ano Cláudia - 6º Ano
  10. 10. PASSATEMPOS SOPA DE LETRAS Descobre na horizontal e na vertical 15 palavras relacionadas com os direitos das crianças. (Não há palavras na diagonal.) O Dia Mundial da Criança é oficialmente o dia 20 de novembro, data que a ONU reconhece como Dia Universal das Crianças por ser a data em que foi aprovada a Declaração dos Direitos da Criança. Porém, a data efetiva de comemoração varia de país para país. Em Portugal, e em muitos outros países, o dia das crianças é festejado no dia 1 de junho. É um dia em que se pensa em todas as crianças que continuam a sofrer de maus tratos, doenças, fome e discriminações. AFETO, AMOR, COMPREENSÃO, ALIMENTAÇÃO, EDUCAÇÃO, PROTEÇÃO, PAZ, SAÚDE, NACIONALIDADE, LAZER, JUSTIÇA, IGUALDADE, FRATERNIDADE, FAMÍLIA, AMIZADE A T N K S E L I D A D E R W R S E X V A Q S E M H A S R N I A A C C Q C F X C B Q S A M O R D I E M A F E T O R F R C Z D W D V R X J F G G R S X V M D R A V X S E C C G C H G U V F M Q C B P R O T E Ç A O V E H V G V A B W U W H N R O R E B C U T B D J B D Y L N S N E 1 M E C E R N V D R N R K A F H D M T D C E E V D N M B E Y M F A M I Z A D E I V D R N B F I J N C U K G L Q A B D Q P A Z E T S N G D K M V I L B N F D V E A Y L Q Y A M H A G K B O F H M D E N Q X U C J U O J J D B J N P G N L E R M A Z I D X U F T K K E D L M B C H K D T Z S A N A V N G R L L F J Ç J G V M O U Y X E D M B H S F Ç N C U O K D E J P C U C D F V C N O A G V M V S H E C S K L A Z E R C B R M N F C B C B T G R V D I M Ç U E F A M I L I A V X V N I D T N R AS DIFERENÇAS Estes desenhos parecem iguais, no entanto, existem 10 diferenças. Identifica-as. João Martins - 6ºAno João Martins - 6ºAno JC - O Jornal do Colégio - 10 H P A I D C Y N A L I M E N T A Ç A O M T N Ç O O S F H M N Q B J E E W N A F Y R U M J I P W G N L Ç S N K S R Q M A D U T T O G N A C I O N A L I D A D E F V G I G G
  11. 11. PASSATEMPOS ADIVINHAS 1 - É pequeno, pequenino mas com tal poder e arte, Que se não o colam bem não vai a nenhuma parte ! O que é? 2 - Qual é coisa qual é ela que entra primeiro e só depois abre a porta? 3 - O que é que anda muito devagar, apesar de ter muitas patinhas? Trepa, trepa onde quer só para roer as folhinhas! 4 - Qual o Oceano que não se zanga com ninguém? 5 - No Verão sou fresquinho, No Inverno geladinho. Se mudam de posição, Mudo eu logo de direção. O que é? Mariana -5º Ano 6 - Sempre quietas, Sempre agitadas, Dormindo de dia, De noite acordadas. O que é? ANEDOTAS Na escola a professora pergunta a um aluno: - És do reino animal, vegetal ou mineral? - Do vegetal... chamo-me José da Horta! Iam duas serpentes, lado a lado, e, a certa altura, uma pergunta à outra: - Sabes se somos venenosas? - Acho que não somos. Porque é que perguntas? - Porque mordi a língua! - Senhor Padre, parti a cabeça ao Zé com uma pedrada! – Exclama, o Joãozinho, cheio de pena. - Meu filho, erraste! – Repreendeu-o o sacerdote. - Não errei nada, acertei-lhe em cheio! Francisco -5º Ano - Em quantas partes se divide a perna? - pergunta o professor ao Zé Carlos. O Zé Carlos não sabia, mas o amigo ao lado segredou-lhe: - Anca, coxa, perna e pé. O Zé Carlos, não ouviu bem e respondeu: - Anda, coxa, põe-te em pé... - Toninho, diga-me quantos são e os nomes dos Continentes. - ?! - Não me diga que não sabe?! Uma coisa tão simples, lembre-se das cinco vogais… Vá! Eu ajudo: Á..si..a - Ai! Já sei! Ásia, Ésia, Ísia, Ósia e Úsia! Soluções: adivinhas - 1 - O selo; 2 - A chave; 3 – lagarta; 4 - O Pacifico; 5 – Vento; 6 - As estrelas Nuno Aires -5º Ano JC - O Jornal do Colégio - 11
  12. 12. DESPORTO ESCOLAR R ealizou-se no Estádio Municipal da Guarda, dia 15 de março, mais um regional de megas, onde a nossa escola participou com os alunos apurados nas provas realizadas no Soito e, mais uma vez, tiveram uma prestação muito digna, com quatro alunos nos pódios e entre estes, uma apurada para representar o distrito nos nacionais. Foram medalhados os alunos: Nuno Aires, 3.º classificado no Megakilómetro; Benoit Cerqueira, 2º no Megasalto; Mariana Sousa, 2ª no Megakilómetro e a Cristiana Teixeira, 2ª no Megasprinter, que lhe deu acesso ao nacional realizado em Vila Nova de Gaia. Para além destes alunos medalhados, tivemos ainda alunos em lugares de destaque, nas várias provas. De salientar os sétimos lugares do João António e do Alberto nos respetivos escalões etários e o sexto lugar do Henrique no Megakilómetro. No Megasalto, o oitavo lugar da Camila, o quinto da Vanessa e o quarto alcançado pelo João Pedro. No Megasprinter, classificaram-se em sétimo lugar o João Pedro e o Benoit nos seus escalões, em quinto lugar o Anthony e em quarto a Mónica. Para que a nossa escola possa continuar a ter bons resultados e assim se promover é importante que os Encarregados de Educação continuem a permitir e incentivar os seus educandos a praticarem desporto e assim criarem hábitos saudáveis de vida. A escola dá os parabéns aos alunos premiados e agradece a participação de todos. Prof. José António Irina -6ºAno FICHA TÉCNICA J C O JORNAL DO COLÉGIO Nº 63 - abril/maio/junho Boletim do Externato Secundário do Soito Cooperativa de Ensino CRL Rua do Colégio - 6320-666 SOITO SBG - Tel. 271 601062 - Fax. 271605513 JC - O Jornal do Colégio - 12 Página on-line da Escola: www.extsoito.com Mail: geral@extsoito.com Coordenador: António Dinis Colaboradores: Alunos e professores da Escola Impressão: Litorraia (Sabugal) Depósito Legal: 241069/06 Tiragem: 250 exemplares

×