 O menino sol que nunca queria dormir 
Há muito, muito tempo, há milhões de anos atrás, não existia
nada à face da ter...
— Nunca estás quieto? — suspirava a Terra, extenuada.
— É sempre de dia! Nem podemos fechar os olhos! — diziam as
pequenas...
de parar e toda a gente ficará satisfeita!
O pequeno Sol saltou de alegria face à ideia de ter duas casas e,
sobretudo, am...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O menino sol que nunca queria dormir

220.625 visualizações

Publicada em

No começo do Universo, tudo correria bem, não fosse o Menino Sol recusar-se a ir para a cama e incomodar os restantes habitantes com os seus raios. Será que vão conseguir convencê-lo a deixar de brilhar, nem que seja por uns instantes?

Publicada em: Educação
0 comentários
15 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
220.625
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
174.832
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
76
Comentários
0
Gostaram
15
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O menino sol que nunca queria dormir

  1. 1.  O menino sol que nunca queria dormir  Há muito, muito tempo, há milhões de anos atrás, não existia nada à face da terra… Nada de nada! Nem mesmo pessoas ou animais. Em contrapartida, o céu já era habitado: o Sol, a Lua, as estrelas… já lá estavam todos. Naqueles tempos, eram ainda muito novos, caprichosos, malucos e, por vezes, mal-educados. Sobretudo o Sol! Passava o tempo a passear os seus raios novos e ofuscantes, todo orgulhoso por ser o mais luminoso, o mais cintilante! Aborrecia toda a gente com os seus raios, o seu calor e a sua luz. — Para de brilhar! Fazes-nos mal aos olhos! — diziam as nuvens. — Apaguem-no! Não consigo fechar os olhos! — resmungava a Lua. — Ah, estes jovens! Julgam que podem fazer tudo! — protestavam as estrelas mais velhas.
  2. 2. — Nunca estás quieto? — suspirava a Terra, extenuada. — É sempre de dia! Nem podemos fechar os olhos! — diziam as pequenas estrelas, que, como todas as crianças, precisavam de dormir. Todos os habitantes do Céu, cansadíssimos, irritados, tristonhos, começaram a pensar no que fazer ao menino Sol para ele brilhar menos: fechá-lo num armário escuro, pôr-lhe graxa preta… — Isto não pode continuar! — trovejava a Trovoada. — Temos de encontrar uma solução. E teve logo uma ideia, que contou à Lua e às estrelas. A Trovoada teve uma conversa com o menino Sol. — Solzinho, tivemos uma ideia. Vais brilhar entre nós algumas horas e, depois, ala!... vais brilhar para o outro lado da Terra. Assim, fazes dozes horas connosco e doze horas com o outro lado. Enquanto lá estiveres, eles divertem-se e nós dormimos. E enquanto estiveres entre nós, são eles a descansar. Assim, não precisas
  3. 3. de parar e toda a gente ficará satisfeita! O pequeno Sol saltou de alegria face à ideia de ter duas casas e, sobretudo, amigos em todo o lado. Desde aí, há noite sobre a terra na primeira metade do dia, para grande felicidade dos seus habitantes, que podem assim repousar. Foi nessa altura, aliás, que os homens apareceram, dizendo que, com um pouco de sol durante o dia e um pouco de escuro à noite, a vida seria bem agradável na Terra. Sabe-se que, à noite, o sol nunca chega a desaparecer totalmente, mas que está simplesmente do outro lado da Terra, a viver a sua segunda vida, na sua segunda casa, à espera de voltar. É por isso que nunca se deve ter medo do escuro.

×