PESQUISA INSTITUCIONAL II
BIANCA SEIBERT, CAROLINA FINGER,
KETELYN SCRITTORI, LUIZA ARAUJO E
PATRICIA SAVI

PERCEPÇÕES DOS...
profissão de Relações Públicas:
desafios históricos de

posicionamento no país
é no ambiente acadêmico que os
profissionais de Relações Públicas são
formados, construindo o futuro do mercado
objetivo geral

compreender quais são as
percepções dos estudantes
de Relações Públicas da
FABICO/UFRGS acerca da
profissã...
identificar o
contexto em que
os participantes
estão inseridos identificar de
que maneira as
pessoas ao redor
do estudante...
identificar o
contexto em que
os participantes
estão inseridos
identificar de
que maneira as
pessoas ao redor
do estudante
influenciam suas
percepções da
profissão
identificar de
que forma os
participantes
caracterizam o
profissional de
Relações
Públicas
identificar quais
são as ações do
estudante para se
tornar o
profissional que
almeja
Entrevistas em
Profundidade

Grupo
Focal
a partir da análise dos
dados, identificou-se

5 categorias
FUNÇÃO SOCIAL
DA PROFISSÃO
POUCO CLARA
“A minha irmã é RP, já é formada. E agora,
depois que ela fez, tá tudo certo. Mas eu
duvido que eles (os pais) saibam o qu...
“É... Não é bem desconhece... Passaram a
conhecer um pouco depois de termos
entrado na faculdade.”
“Acho que eles estão te...
“Bom, eu acho que passam os semestres e as
outras habilitações ainda não sabem o que
um RP faz. E eu acho que isso fica be...
“Tu sabe o que um engenheiro faz, o que um
advogado faz. Eu acho que o RP tem que
buscar. E quando alguém pergunta, é tent...
INDEFINIÇÃO DA
ÁREA DE ATUAÇÃO
NO BRASIL
“Eu não sei, porque eu acho que RP poderia
ter um pouquinho mais de Administração
nas aulas”
“RP é um híbrido, na verdade,...
“Normalmente é noção norte-americana de
RP porque vai sair em algum filme de
Hollywood, não vai sair em filmes brasileiros...
“Então eu acho que quando mostra não
facilita muito também, porque é diferente do
que a gente faz aqui. É uma outra função...
“Eu acho que tem muitas funções que se
confundem. Como tipo a gente briga com
jornalista em Assessoria e com PP em outras
...
“Mas é grande essa área né, dá pra fazer
várias coisas.”
“É por isso que eu não consigo desenrolar: O
RP fazendo uma coisa...
FALTA DE CLAREZA
NA ESCOLHA DO
CURSO
“Logo que a gente entrou, e “ah, porque
tu escolheu Relações Públicas?”. Eu ficava
apavorada, porque ninguém sabia o que
t...
“Não tenho o que fazer, vou fazer
relações públicas” (Entrevistado, como se
estivesse “imitando” outra pessoa falando)
“Ad...
“Eu gosto do curso na verdade. Por mais
que tenha toda essa confusão, eu ainda
consigo me ver mesmo dentro dessa
confusão ...
POUCA
PREPARAÇÃO PARA
O MERCADO PELA
UNIVERSIDADE
“Se a gente ficar só no que a FABICO vai
nos dar, a gente não vai sair com o que a
gente quer.”
“Porque a UFRGS não quer q...
“Mas aí é que tá, acho que eles (os
recrutadores dos estágios) avaliam muito
pelas universidades particulares. O
terceiro ...
“O problema dos professores da fabico é
que eles estão muito voltados pra área
acadêmica.”
“E eles querem que tu seja da á...
“Tem professor que reclama que os
alunos deixam a faculdade um pouco de
lado pra fazer estágio, só que tem muita
gente que...
“Eu e a (nome do entrevistado), a gente tá
fazendo cursinho de Illustrator porque
tipo a gente viu que precisa, que pedem
...
“O foco em jornalismo e publicidade e
nunca em relações públicas.”
FALTA DE UM
MODELO REAL E
COERENTE DE
PROFISSIONAL
“Na verdade, eu não tenho referência.”
“É que na verdade a minha motivação pra
fazer Relações Públicas foi ela (a irmã),
p...
“Ter um jornal, um tablet, qualquer coisa
do lado da cama, ele tem que saber o
que tá acontecendo no dia logo que ele
sai ...
“Eu vejo o RP tipo como, aconteceu
algum problema, tipo precisa fazer
alguma estratégia, que vai todo mundo
correr, pra el...
“Acho que o ideal é procurar algo fora da
faculdade.”
“E também eu vou em palestras, sempre
que tem de graça eu tento ir.”
considerações finais
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Estudantes de Relações Públicas sobre a profissão de Relações Públicas

863 visualizações

Publicada em

Apresentação realizada para a disciplina de Pesquisa Institucional II, do quarto semestre de Relações Públicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
863
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estudantes de Relações Públicas sobre a profissão de Relações Públicas

  1. 1. PESQUISA INSTITUCIONAL II BIANCA SEIBERT, CAROLINA FINGER, KETELYN SCRITTORI, LUIZA ARAUJO E PATRICIA SAVI PERCEPÇÕES DOS ESTUDANTES DE ACERCA DE SUA FUTURA PROFISSÃO
  2. 2. profissão de Relações Públicas: desafios históricos de posicionamento no país
  3. 3. é no ambiente acadêmico que os profissionais de Relações Públicas são formados, construindo o futuro do mercado
  4. 4. objetivo geral compreender quais são as percepções dos estudantes de Relações Públicas da FABICO/UFRGS acerca da profissão de Relações Públicas
  5. 5. identificar o contexto em que os participantes estão inseridos identificar de que maneira as pessoas ao redor do estudante influenciam suas percepções da profissão objetivos específicos identificar de que forma os participantes caracterizam o profissional de Relações Públicas identificar quais são as ações do estudante para se tornar o profissional que almeja
  6. 6. identificar o contexto em que os participantes estão inseridos
  7. 7. identificar de que maneira as pessoas ao redor do estudante influenciam suas percepções da profissão
  8. 8. identificar de que forma os participantes caracterizam o profissional de Relações Públicas
  9. 9. identificar quais são as ações do estudante para se tornar o profissional que almeja
  10. 10. Entrevistas em Profundidade Grupo Focal
  11. 11. a partir da análise dos dados, identificou-se 5 categorias
  12. 12. FUNÇÃO SOCIAL DA PROFISSÃO POUCO CLARA
  13. 13. “A minha irmã é RP, já é formada. E agora, depois que ela fez, tá tudo certo. Mas eu duvido que eles (os pais) saibam o que que é.” “Eu fui no meu antigo colégio, do fundamental, com meu namorado esses dias e comentamos ‘Ah, a gente tá na UFRGS e tal’ e eles ‘Ah o que tu tá fazendo’ e ele (namorado) ‘Engenharia Mecânica’, ‘Ah, parabéns! E tu (se referindo a entrevistada)?’, ‘Relações Públicas’, ‘Ah... (pausa constrangedora e de risos) Que legal’. Porque eles nem sabem o que que é, né…”
  14. 14. “É... Não é bem desconhece... Passaram a conhecer um pouco depois de termos entrado na faculdade.” “Acho que eles estão tendo consciência, mas é uma coisa que está sendo construída, não é uma coisa que eles sabiam.”
  15. 15. “Bom, eu acho que passam os semestres e as outras habilitações ainda não sabem o que um RP faz. E eu acho que isso fica bem explícito isso, mas não de forma a te constranger.” “Todo mundo pergunta quando é que a gente vai começar a servir um cafezinho.”
  16. 16. “Tu sabe o que um engenheiro faz, o que um advogado faz. Eu acho que o RP tem que buscar. E quando alguém pergunta, é tentar explicar, pelo menos.”
  17. 17. INDEFINIÇÃO DA ÁREA DE ATUAÇÃO NO BRASIL
  18. 18. “Eu não sei, porque eu acho que RP poderia ter um pouquinho mais de Administração nas aulas” “RP é um híbrido, na verdade, entre comunicação e administração. Tu não pode focar só num lado ou em outro. Tem que ter o meio termo. Tanto para administração, como para comunicação.”
  19. 19. “Normalmente é noção norte-americana de RP porque vai sair em algum filme de Hollywood, não vai sair em filmes brasileiros. Não sei, não é tão visível aqui. E lá, eu acho que lá o foco é bem diferente.”
  20. 20. “Então eu acho que quando mostra não facilita muito também, porque é diferente do que a gente faz aqui. É uma outra função para RP.”
  21. 21. “Eu acho que tem muitas funções que se confundem. Como tipo a gente briga com jornalista em Assessoria e com PP em outras várias áreas. Eu acho que se confundem muito. Deveria ser mais direcionado.”
  22. 22. “Mas é grande essa área né, dá pra fazer várias coisas.” “É por isso que eu não consigo desenrolar: O RP fazendo uma coisa só.” “Por mais que ele faça uma coisa só, ele precisa usar as outras. Precisa ficar munido de todas essas outras coisas.”
  23. 23. FALTA DE CLAREZA NA ESCOLHA DO CURSO
  24. 24. “Logo que a gente entrou, e “ah, porque tu escolheu Relações Públicas?”. Eu ficava apavorada, porque ninguém sabia o que tava fazendo. Daí eu falei que não passei e jornalismo e tô aqui, né. Vamos ver, né. A média é mais baixa.” “Eu acho que hoje ainda tem gente que não se encontrou, sabe. Mas vai fazer o quê? É complicado...”
  25. 25. “Não tenho o que fazer, vou fazer relações públicas” (Entrevistado, como se estivesse “imitando” outra pessoa falando) “Administração também.” (Entrevistado comparando os motivos que levam alguém a escolher Relações Públicas com os que levam à escolha da Administração)
  26. 26. “Eu gosto do curso na verdade. Por mais que tenha toda essa confusão, eu ainda consigo me ver mesmo dentro dessa confusão em algum lugar.”
  27. 27. POUCA PREPARAÇÃO PARA O MERCADO PELA UNIVERSIDADE
  28. 28. “Se a gente ficar só no que a FABICO vai nos dar, a gente não vai sair com o que a gente quer.” “Porque a UFRGS não quer que tu vá pro mercado.” “Além do lado teórico, podia dar uma visão de mercado também.” “Mas eu acho que a faculdade prepara sim, com certeza dá uma base. Mesmo que teórica, pra ti aplicar depois.”
  29. 29. “Mas aí é que tá, acho que eles (os recrutadores dos estágios) avaliam muito pelas universidades particulares. O terceiro semestre da PUC é completamente diferente.” “Eles (os alunos das universidades particulares) tem muita prática…”
  30. 30. “O problema dos professores da fabico é que eles estão muito voltados pra área acadêmica.” “E eles querem que tu seja da área acadêmica, porque pra eles rende isso. O professor ganha com isso.”
  31. 31. “Tem professor que reclama que os alunos deixam a faculdade um pouco de lado pra fazer estágio, só que tem muita gente que fala que quanto mais estágio tu conseguir fazer melhor, porque é lá que tu vai aprender alguma coisa.” “Acho que a gente tem que procurar o máximo de estágios.”
  32. 32. “Eu e a (nome do entrevistado), a gente tá fazendo cursinho de Illustrator porque tipo a gente viu que precisa, que pedem nos estágios de RP. E eu acho que é uma dessas coisas que tem certos conhecimentos que tu nem teve tempo de procurar, e a UFRGS não te dá tempo. E não é uma coisa assim. Eu acho que ok, tem que ter pré-requisitos, mas a UFRGS não oferece tanto pra exigir tanto.”
  33. 33. “O foco em jornalismo e publicidade e nunca em relações públicas.”
  34. 34. FALTA DE UM MODELO REAL E COERENTE DE PROFISSIONAL
  35. 35. “Na verdade, eu não tenho referência.” “É que na verdade a minha motivação pra fazer Relações Públicas foi ela (a irmã), porque ela parecia tão interessada e tão entusiasmada com o troço, que eu sabia que eu queria fazer daquele jeito as coisas na minha vida.”
  36. 36. “Ter um jornal, um tablet, qualquer coisa do lado da cama, ele tem que saber o que tá acontecendo no dia logo que ele sai de casa.” “Tem que ser carro importado (risos)” “(sobre empresa que o RP trabalharia): Uma que pague bastante.”
  37. 37. “Eu vejo o RP tipo como, aconteceu algum problema, tipo precisa fazer alguma estratégia, que vai todo mundo correr, pra ele, tipo, “o que a gente vai fazer”, o que resolver sabe? Tipo ele tem a solução.” “É por isso que eu não consigo desenrolar. O RP fazendo uma coisa só.”
  38. 38. “Acho que o ideal é procurar algo fora da faculdade.” “E também eu vou em palestras, sempre que tem de graça eu tento ir.”
  39. 39. considerações finais

×