As principais características necessárias na elaboração e execução de um projeto vencedor:
padronização, flexibilidade, do...
Teoria dos jogos: conjunto de estudos que analisam as estratégias adotadas pelas partes envolvidas
quando em franca compet...
O clima organizacional é o ambiente psicológico que existe em um departamento ou empresa, é
aquela condição interna perceb...
Liderança: é a influência interpessoal exercida em um determinado contexto. Trata-se de um
fenômeno social, uma capacidade...
Cola
Cola
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Cola

271 visualizações

Publicada em

nada

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
271
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cola

  1. 1. As principais características necessárias na elaboração e execução de um projeto vencedor: padronização, flexibilidade, documentação, modularizarão e planejamento. Tipos de projetos: projetos empresariais e projetos públicos. O conhecimento para os positivista, nasce de uma abordagem objetiva do mundo, ou seja, o sujeito do conhecimento se limita a observar a realidade na qual está inserido, desvendado, no fenômeno estudado, aquilo considerado como verdade. Tipos de conhecimento: Popular, filosófico, teológico e cientifico. Conhecimento popular se caracteriza por ser: valorativo, reflexivo, assistemático, verificável, falível e inexato. Conhecimento filosófico se caracteriza por ser: valorativo, racional, sistemático, não verificável, infalível e exato. Conhecimento teológico se caracteriza por ser: valorativo, inoperacional, e exato. Conhecimento cientifico se caracteriza por ser: real, contingente, sistemático, verificável, falível e aproximadamente exato. Planejamento estratégico visa desenvolver maior controle sobre as fases de um projeto. Princípios gerais do planejamento estratégico: Contribuição aos objetivos que se pretender atingir; Precedência do planejamento; Penetração e abrangência sobre as fases; Maior eficiência, eficácia e efetividade no processo Níveis de tomada de decisão: Estratégico: visa atender a política da organização Tático: relacionado com o método escolhido para atender a política organizacional. Operacional: manifestação prática das táticas planejadas. Nível de crise: a antítese da boa tomada de decisão, mas que se faz necessária quando em ocasiões extremas e inesperadas. Coaching: é a prática de formar equipes vencedoras graças à boa conduta de líderes mais experientes, os chamados coaches. O apogeu do planejamento estratégico se consolida com a crise do mercado financeiro global da década de 1970, impulsionada pelo aumento abrupto do petróleo, o que levou as empresas a concorrerem com uma estrutura mais dinâmica e flexível naquele ambiente externo hostil.
  2. 2. Teoria dos jogos: conjunto de estudos que analisam as estratégias adotadas pelas partes envolvidas quando em franca competição. Características dos Projetos: Temporariedade, exclusividade e progressividade. Hierarquia das ações no interior do projeto: Plano estratégico, portfólio, programa, projeto e subprojeto. A principal atividade de um PMO é supervisionar e gerenciar o projeto. Ciclo de vida de um projeto: Conceito ou iniciação, planejamento, Implementação ou execução e conclusão ou encerramento. Identificar e quantificar dados referentes à clientela, tais como os seguintes: Satisfação, fidelidade, retenção, captação e lucratividade. As estruturas organizacionais são classificadas em: Estruturas diferenciadas e exclusivas: para projetos de pouca complexidade desenvolvidos num ambiente organizacional com recursos próprios. Estruturas híbridas: podem ser utilizadas em processos internos. Estruturas matriciais: adotadas em ambientes de recursos escassos. Estruturas modulares: indicadas para tarefas especificas com equipe própria. Estruturas achatadas: adotadas em equipes tecnicamente de alto nível. Hierarquia das fases do processo de planejamento: Estudo de viabilidade, diagnóstico, alternativas, propostas e plano final. Empresa e indivíduo precisam estabelecer uma relação de ganha-ganha, uma parceria que renda frutos e crescimento tanto para a empresa, quanto para o individuo. O comportamento do homem nas organizações depende de duas dimensões de análise: a dimensão das variáveis pessoais e dimensão das variáveis da empresa. A teoria dos sistemas considera as organizações como organismos sociais que conservam características comuns, assim como os seres vivos, não importando sua natureza e complexidade.
  3. 3. O clima organizacional é o ambiente psicológico que existe em um departamento ou empresa, é aquela condição interna percebida pelas pessoas e que influencia os comportamentos delas. A cultura organizacional é composta por regras formais e informais que direcionam a forma de agir, pensar, perceber e compartilhar das pessoas que fazem parte de uma organização, direcionando os esforços de todos para alcançar os objetivos da empresa. A cultura existe três níveis: artefatos, valores e pressupostos. Missão organizacional: É a razão de ser da empresa, a resposta da organização em relação a uma necessidade da sociedade. Visão organizacional: Dá um rumo à empresa, é a imagem do futura que pretende alcançar. Valores organizacionais: São as crenças sobre o que é certo ou errado. Visão mecanicista: considera a empresa como uma máquina e as pessoas como engrenagens. Assim só a diretoria e a alta gerência devem conhecer as estratégias e as metas da empresa, pois delegar implica perder o poder. Visão Holística: A empresa é um sistema dinâmico e orgânico, a cooperação a impulsiona e a move, toda a equipe-chave deve conhecer as estratégias e as metas organizacionais e delegar é ganhar poder. Os principais processos de gestão de pessoas podem ser enquadrados em quatro conjuntos de subsistemas: Processos de captação de pessoas, processos de orientação e acompanhamento de pessoas, processos de desenvolvimento de pessoas e processos de remuneração, valorização e segurança de pessoas. São quatro as premissas que apoiam a construção de um modelo de gestão de pessoas: Foco no desenvolvimento e não no controle, foco no processo e não nos instrumentos, foco no interesse conciliado em vez de foco nos interesses da empresa e foco no modelo integrado e estratégico em vez de foco no modelo constituído por partes desarticuladas entre si. A gestão de pessoas caminha para práticas e políticas que objetivam desenvolver a relação empregado-empregador, alicerçada por subsistemas de gestão que propiciem uma relação de ganha- ganha, em que são aproximados os interesses dos colaboradores e os objetivos da organização. Nos grupos, os seus integrantes exercem papéis diferentes e complementares. As necessidades de participar deles podem ser caracterizadas em três níveis: Inclusão, controle e afeição. Grupo é uma reunião de duas ou mais pessoas que interagem em função de um objetivo. Equipe é um grupo que tem objetivos bem definidos e cujos integrantes buscam as mesmas metas por meio de habilidades complementares e de um continuo processo de experimentação e troca de experiência.
  4. 4. Liderança: é a influência interpessoal exercida em um determinado contexto. Trata-se de um fenômeno social, uma capacidade de influenciar as pessoas por meio de ideias, exemplos e ações e fazer com que atinjam metas propostas ou passem a acreditar em crenças ou conceitos. Estilos de liderança: Liderança autocrática: a chefia tem uma atuação mais centralizada e diretiva, exige obediência do grupo e decide quais são as tarefas e como devem ser executadas. A enfase recai no lider. Liderança democrática: A chefia procura ouvir as ideias, aceita sugestões da equipe de trabalho, estimula e encoraja a participação de todos. A enfase está simultaneamente no líder e nos subordinados. Liderança liberal (Laissez-faire): A chefia tem uma conotação de agente de informações, ou seja, estimula a iniciativa e a criatividade do grupo e exerce um mínimo de controle sobre as atividades. A enfase recai nos subordinados. Liderança situacional ou contingencial: consiste na habilidade e na competência em saber utilizar os estilos de liderança dependendo da situação, da equipe e das tarefas. São três variáveis que interferem no processo de comunicação: pessoas, físicas e semânticas O feedback é útil para: aumentar as competências e reforçar o comportamento desejado; alinhar expectativas e definir prioridades; preencher lacunas com novas informações; identificar e promover ações corretivas e aliviar o medo do desconhecido. A janela de Johari é uma representação das dinâmicas das relações interpessoais e dos processos de aprendizagem em grupo. Comunicação assertiva: é a comunicação franca e aberta de opiniões e sentimentos, com um tom moderado, de maneira adequada, que evita constrangimento, mas em que se diz o que deve ser dito. Core competencies, consiste na viabilização e integração de tecnologia e habilidades de produção que são difíceis de serem copiadas e proporcionam competitividade organizacional. MVVE= Missão, visão, valores e estratégias. Cargo é a aglomeração de todas as tarefas e responsabilidades atribuídas ao seu ocupante e está representada no organograma. Função ou funções são as responsabilidades atribuídas ao cargo. Análise de cargo consiste em um processo de colheita de dados para identificar os conhecimentos, as capacidades e as atitudes que o cargo exige. Descrição do cargo consiste em um documento contendo as atividades que devem ser realizadas. Avaliação 360 graus trata-se de um método que envolve toda a rede de relacionamentos e tem como foco principal o desenvolvimento de competências a partir do feedback que se recebe na avaliação dos pares de trabalho.

×