Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 68-69

4.441 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.441
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3.739
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 68-69

  1. 1. leitura Ortónimo • eu fragmentado • fingimento poético • dor de pensar • nostalgia da infância Heterónimos Mensagem
  2. 2. Os Lusíadas • estrutura • reflexões • episódios «com heróis»
  3. 3. • Textos de teatro – Luís de Sttau Monteiro, Felizmente há luar! • Textos narrativos e descritivos – José Saramago, Memorial do Convento (categorias da narrativa: • narrador, personagens, espaço, tempo, símbolos) • Textos para leitura em regime contratual
  4. 4. • O verbal e o visual a imagem fixa e em movimento – funções da imagem (argumentativa e crítica)
  5. 5. expressão escrita • Textos do domínio profissional – Curriculum vitae • Textos argumentativos/expositivoargumentativos – Textos de reflexão • Dissertação
  6. 6. funcionamento da língua • Continuidade, progressão, coesão e coerência textuais • Protótipos textuais • Consolidação dos conteúdos do 10.º e 11.º anos
  7. 7. compreensão oral • Documentários (científicos, históricos, literários) • Debate
  8. 8. expressão oral • Exposição (com plano-guia e materiais de suporte) • Debate • Leitura em voz alta • Recitação
  9. 9. [1.º período e parte do segundo] Os Lusíadas (Camões) vs. Mensagem (de Pessoa) Poesia de Fernando Pessoa e seus heterónimos [Resto do 2.º período] Felizmente há [3.º período] Memorial do Con !
  10. 10. [1.º período e 2.º período] Poesia de Fernando Pessoa e seus heterónimos [2.º período] Os Lusíadas (Camões) vs. Mensagem (de Pessoa) [Poesia de Fernando Pessoa e seus heterónimos] Memorial do Con [3.º período] Felizmente há !
  11. 11. •Sermão de Santo António aos •F Luís de Sousa •Cesá •Os s
  12. 12. Prémio Traduzir 2014 (alemão, espanhol, inglês, francês) Inscrição até dia 14 de janeiro, mas texto recebido (para preparação) a partir de 6 de janeiro; Prova é a 15 de janeiro (4.ª feira), bloco D, 14.30-17 horas; Prémios têm sido cursos de línguas.
  13. 13. turbar-se = perturbar-se torpor = falta de energia emoliente = que amolece, que tira a dor crepuscular = do crepúsculo; sombrio pardo = cinzento grilheta = anel na extremidade das correntes a que se prendiam os condenados a trabalhos forçados estribeira = estribo de montar à gineta mavioso = afável, terno, suave, agradável
  14. 14. já não chegava o péssimo tempo que faz, esta chuva, este frio, teriam feito bem melhor se me casassem na primavera direto livre Forma das falas de Maria Bárbara é mantida. Não há verbos introdutores, nem aspas ou travessões (que isolem as falas relativamente ao discurso do narrador).
  15. 15. a quem D. Maria Bárbara ordenou que mandasse saber que homens eram aqueles e o que tinham feito, que crimes, e se iam para o Limoeiro ou para a África indireto A forma das falas originais é alterada («mande» > «mandasse»; «são» > «eram»; «estes» > «aqueles»; «vão» > «iam»). Há verbo introdutor («ordenou») + que completivo. Não há travessões nem aspas.
  16. 16. e disse, Saiba vossa alteza que aqueles homens vão trabalhar para Mafra, nas obras do convento real, são do termo de Évora, gente de ofício, E vão atados porquê, Porque não vão de vontade, se os soltam fogem, Ah direto (ou direto livre?) Não há travessões ou aspas (embora maiúsculas isolem falas). Surge um verbo introdutor («disse»). Forma das falas originais é mantida.
  17. 17. como estará ela agora, passados todos estes anos direto livre Forma da fala-monólogo do oficial é mantida (suprimindo-se ponto de interrogação, porém). Não se isola essa fala da parte do narrador.
  18. 18. TPC — Lê páginas sobre «Reprodução do discurso no discurso» (GPP) e «Relato do discurso» (NGDP) copiadas em Gaveta de Nuvens. (Se ainda não o fizeste, vai concluindo a leitura de Memorial do Convento.)
  19. 19. Veremos o início de Marie Antoinette, de Sofia Coppola. É um filme em que encontramos peripécias que nos lembrarão situações análogas de Memorial do Convento. Além disso, a história passa-se na corte que inspirou a de D. João V.
  20. 20. ano a que respeita o início do filme: 1770 (casamento de Antonieta com o futuro Luís XVI) Luís XIV (Rei Sol) morreu em 1715 Luís XV reina de 1715 a 1774 Luís XVI reina de 1774 a 1793
  21. 21. datas de Memorial do Convento/D. João V: D. João V reinou de 1707 a 1750 Maria Ana de Áustria chega a Lisboa em 1708 Maria Bárbara nasce em 1711 Maria Bárbara casa com o futuro Fernando VI de Espanha em 1729

×