Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 30

2.752 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.752
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.983
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 30

  1. 1. Na última quadra o poeta conclui o poema. Não tautologia
  2. 2. O maneta foi à manucure para tratar das suas dez belas unhas de gel. Não contradição.
  3. 3. Sob o sol da meia-noite, o cego lia um jornal sem letras. Não contradição
  4. 4. O poema é constituído por quadras. A esse tipo de estrofes chamamos quartetos. Não tautologia
  5. 5. Os três mosqueteiros eram quatro.
  6. 6. • • • • D’Artagnan Athos Porthos Aramis
  7. 7. Não choveu, porque houve seca. Não tautologia
  8. 8. [A meio de um comentário a um texto, opiniões próprias sobre o mesmo assunto ou paralelos com a vida corrente.] Relevância
  9. 9. Exmo. senhor Diretor de Finanças. | O requerente vem informar que está chateado com a situação criada pelo art.º 3, do decreto 45678, de 31 de março. Ainda falou com a sua querida Belinha ontem sobre o mesmo assunto. Coerência pragmático-funcional
  10. 10. Ganhámos, mas é preciso é levantar a cabeça e continuar a trabalhar. Não contradição
  11. 11. a) Na frase «O Irondino, o Sancho e o Gualter foram a Braga», usa-se a vírgula para... 3. separar elementos com a mesma função sintática.
  12. 12. b) Na frase «A Rita nunca, nunca chega a horas», usa-se a vírgula para... 8. separar os elementos repetidos.
  13. 13. c) Na frase «Camões, príncipe dos zarolhos, viveu no século XVI», usa-se a vírgula para... 2. isolar o modificador apositivo.
  14. 14. d) Na frase «O Gustavo anda a ler Fernando Pessoa e eu, um romance de Saramago», usa-se a vírgula para... 4. indicar a supressão de uma palavra, geralmente o verbo.
  15. 15. e) Na frase «Tu, Jorge, vais ao Porto esta semana», usa-se a vírgula para... 6. isolar o vocativo.
  16. 16. f) Na frase «Ele era, dizia-se, um bom jardineiro», usa-se a vírgula para... 7. separar uma oração intercalada.
  17. 17. g) Na frase «Se fores a Londres, visita o Museu Britânico», usa-se a vírgula para... 5. separar a oração subordinada adverbial que ocorre antes da oração principal.
  18. 18. h) Na frase «Os alunos, que faltaram à aula, ficaram a estudar para o teste», usa-se a vírgula para... 1. isolar as orações subordinadas relativas explicativas.
  19. 19. a) O Paulo comprou uma casa junto ao mar. (Entre o predicado e o complemento direto não se coloca vírgula.)
  20. 20. b) — Ó Mateus, que horas são? (Trata-se, aqui, de um vocativo, que deve ser seguido de uma vírgula.)
  21. 21. c) — Quem é aquela senhora? (O pronome interrogativo «quem» introduz uma oração interrogativa, que deve terminar com um ponto de interrogação.)
  22. 22. d) A Agostinha disse: — Vou para a escola. (Os dois pontos e o travessão introduzem o enunciado em discurso direto.)
  23. 23. e) Se voltas a ter esse tipo de comportamento... (As reticências indicam uma interrupção do discurso.)
  24. 24. f) Socorro! Estou preso aqui dentro! (Trata-se de frases exclamativas, que devem terminar em pontos de exclamação.)
  25. 25. g) O Hélio, o Alberto e o Zuzarte compraram tostas, queijo e fiambre. (Nas enumerações, os elementos separam-se por vírgulas.)
  26. 26. Complemento direto A Marlene vendeu o barco na semana passada. Os velejadores perderam a regata. O nadador-salvador atirou a boia ao náufrago. [complemento indireto] As focas comem peixe.
  27. 27. Complemento oblíquo Não te aconselho a fugir. Ele bateu ao irmão. [complemento indireto] Gosto de passear. Duvido disso.
  28. 28. Complemento agente da passiva O Brasil foi descoberto por Pedro Álvares Cabral. O Porfírio anseia pelo teu regresso. [complemento oblíquo] O barco foi desviado da rota pelo vento. Os papéis foram organizados pela secretária.
  29. 29. Predicativo do complemento direto A Luana continua na mesma empresa. [predicativo do sujeito] Os padrinhos estimavam-no como filho. O juiz considerou-o inocente. Os vizinhos tinham-no por caloteiro.
  30. 30. 1. Vestiste a tua camisola lilás. A — Na frase 1, o constituinte destacado desempenha a função sintática de modificador restritivo do nome.
  31. 31. 2. D. Maria I, a Piedosa, foi a primeira rainha reinante de Portugal. B — Na frase 2, o constituinte destacado é um complemento do nome. [modificador apositivo/explicativo]
  32. 32. 3. A minha mãe, que está de férias, vai para o Algarve amanhã. C — Na frase 3, o constituinte destacado é um modificador restritivo [explicativo/apositivo] do nome.
  33. 33. 4. A ideia da Ana Alice é interessante. D — Na frase 4, o constituinte destacado desempenha a função sintática de complemento do nome. [cfr. valor possessivo: «A sua ideia»]
  34. 34. 5. O meu irmão mais novo magoou-se. E — Na frase 5, o constituinte destacado é um modificador explicativo [restritivo] do nome.
  35. 35. 6. Não te esqueças de trazer leite, Rolando. F — Na frase 6, o constituinte destacado desempenha a função sintática de vocativo.
  36. 36. a) O Paulo e a Iva chegaram agora. sujeito
  37. 37. b) O filme era muito emocionante. predicativo do sujeito
  38. 38. c) Ofereceram-me um livro muito interessante. complemento indireto
  39. 39. d) O juiz declarou-o culpado. predicativo do complemento direto
  40. 40. e) O texto foi entregue pela minha aluna. complemento agente da passiva
  41. 41. f) A venda das camisolas foi um sucesso. complemento do nome Cfr. vender camisolas V Comp venda de camisolas N Comp
  42. 42. g) O Marciano, que é um excelente dançarino, venceu o concurso. modificador apositivo
  43. 43. h) Prometemos que regressaríamos daí a dois anos. complemento direto
  44. 44. i) É fantástico que venhas connosco. sujeito = Que venhas connosco é fantástico Sujeito Predicado Vires connosco
  45. 45. a) O sujeito da frase «Fala-se na entrada no mercado de carros mais ecológicos.» classifica-se como... 3. sujeito nulo indeterminado.  
  46. 46. b) Na frase «Naquela noite, chegámos cansadíssimos a casa.», o constituinte destacado desempenha a função sintática de... 6. modificador do grupo verbal.
  47. 47. c) Na frase «A casa parecia muito sossegada.», o constituinte destacado desempenha a função sintática de... 1. predicativo do sujeito.
  48. 48. d) Na frase «Ele encaixou a peça no puzzle.», o constituinte destacado desempenha a função sintática de... 5. complemento oblíquo.
  49. 49. e) Na frase «Eles deram-nos informações muito úteis.», o constituinte destacado desempenha a função sintática de... 7. complemento indireto.
  50. 50. f) O sujeito da frase «Há quadros muito interessantes neste museu.» classificase como... 4. sujeito nulo expletivo.  
  51. 51. g) Na frase «Eles entraram na casa amarela.», o constituinte destacado desempenha a função sintática de... 2. modificador restritivo do nome.
  52. 52. h) Na frase «A Susana, a melhor aluna da turma, teve uma nota excelente.», o constituinte destacado desempenha a função sintática de... 8. modificador apositivo do nome.
  53. 53. Anda, Luzia, quero vê-la... Andaluzia, quero vê-la...
  54. 54. Vinde, táxi, depressa! * Vim de táxi, depressa... Mas quem é o doido que trata um táxi por vós?
  55. 55. Não é Regina! Não erre, Gina!
  56. 56. Glória, adeus! Glória a Deus!
  57. 57. TPC — Em Gaveta de Nuvens, vai consultando «Funções sintáticas», reprodução de páginas da NGDP. (Já lá estava também cópia do mesmo conteúdo mas em capítulo da GPP, que, no entanto, me parece menos claro.) Entretanto, não esqueças de ir acabando o conto pedido a computador.

×