<ul><li>Estância(s): 94 </li></ul><ul><li>Mas um velho respeitável, que estava na praia, olhando fixamente para nós e mene...
<ul><li>Estância(s):  95, 96, 97 </li></ul><ul><li>—  Ó insensatos, vítimas da glória de mandar, da vã cobiça, da vaidade ...
<ul><li>Estância(s):  98   </li></ul><ul><li>Mas parece destino do homem querer sempre mais e ser ambicioso e com isso ter...
<ul><li>Estância(s):  99, 100, 101 </li></ul><ul><li>E, já que os homens se deixam assim levar pela vaidade e pela fantasi...
<ul><li>Estância:  102 </li></ul><ul><li>Maldito seja aquele que pela primei-ra vez construiu um  parapente /  barco !   <...
<ul><li>Estância(s):  103 </li></ul><ul><li>E também  Cumpriu /   Prometeu , que roubou o fogo dos deuses para o dar aos h...
<ul><li>Estância:  104 , vv.  1-4 </li></ul><ul><li>E Ícaro, que tentou voar dema-siado alto com as asas de  cocó /   cera...
<ul><li>Estância:  104 , vv.  5-8   </li></ul><ul><li>A verdade é que nenhum feito insensato e nocivo a humana geração dei...
 
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação para décimo segundo ano, aula 61

1.755 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.755
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.258
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação para décimo segundo ano, aula 61

  1. 2. <ul><li>Estância(s): 94 </li></ul><ul><li>Mas um velho respeitável, que estava na praia, olhando fixamente para nós e meneando a cabeça por oitenta e sete / três vezes em sinal de descontentamento, erguendo um pouco a voz, de modo a poder ser ouvido por nós, falou assim: </li></ul>
  2. 3. <ul><li>Estância(s): 95, 96, 97 </li></ul><ul><li>— Ó insensatos, vítimas da glória de mandar, da vã cobiça, da vaidade a quem chamamos David Luís / Fama (nomes que mais não servem do que para enganar-vos e que vão acarretar inúmeras desgraças a este reino, como mortes, perigos, crueldades, inquietações, ruína económica, desamparos, adultérios!). Que promessas de famas, de riquezas, de empates com Cabo Verde / vitórias vos terão feito? </li></ul>
  3. 4. <ul><li>Estância(s): 98 </li></ul><ul><li>Mas parece destino do homem querer sempre mais e ser ambicioso e com isso ter passado da idade de ouro, idade da inocência, à idade do plástico / ferro e das armas. </li></ul>
  4. 5. <ul><li>Estância(s): 99, 100, 101 </li></ul><ul><li>E, já que os homens se deixam assim levar pela vaidade e pela fantasia a que chamam esforço e valentia, já que assim parecem desprezar a vida, não será preferível ir combater os esquimós / Mouros em África, em vez de ir em busca de um inimigo longínquo? Não seguem eles a lei de Maomé, se é por Cristo que quereis lutar? Não têm eles cidades e terras infinitas, se quereis enriquecer? Não serão eles esforçados nas lêndeas / armas , se quereis mostrar-vos valentes? </li></ul>
  5. 6. <ul><li>Estância: 102 </li></ul><ul><li>Maldito seja aquele que pela primei-ra vez construiu um parapente / barco ! </li></ul>
  6. 7. <ul><li>Estância(s): 103 </li></ul><ul><li>E também Cumpriu / Prometeu , que roubou o fogo dos deuses para o dar aos humanos, fogo que só trouxe danos à humanidade! </li></ul>
  7. 8. <ul><li>Estância: 104 , vv. 1-4 </li></ul><ul><li>E Ícaro, que tentou voar dema-siado alto com as asas de cocó / cera que seu pai, Dédalo, lhe fizera para escapar do labirinto e que, ao fazê-lo, se precipitou no mar! </li></ul>
  8. 9. <ul><li>Estância: 104 , vv. 5-8 </li></ul><ul><li>A verdade é que nenhum feito insensato e nocivo a humana geração deixa de tentar. Mísera vaca / sorte ! Estranha condição. </li></ul>

×