Apresentação para décimo segundo ano, aula 15

10.735 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.735
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5.437
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
52
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação para décimo segundo ano, aula 15

  1. 2. <ul><li>Neologia </li></ul><ul><li>empréstimos </li></ul><ul><li>amálgama (entrecruzamento) </li></ul><ul><li>acrónimos, siglas, abreviatura (redução) </li></ul><ul><li>onomatopeia </li></ul><ul><li>extensão semântica </li></ul>
  2. 3. <ul><li>Abreviatura (redução; truncagem) </li></ul><ul><li>metro (metropolitano) </li></ul><ul><li>pneu (pneumático) </li></ul><ul><li>foto (fotografia) </li></ul><ul><li>otorrino (otorrinolaringologista) </li></ul><ul><li>prof (professor) </li></ul>
  3. 4. <ul><li>Abreviatura p. d. (ou gráfica) </li></ul><ul><li>pág. </li></ul><ul><li>cf. </li></ul><ul><li>cfr. </li></ul><ul><li>eng.º </li></ul><ul><li>etc. [ et ceteram , 'e o resto'] </li></ul>
  4. 5. <ul><li>Siglas </li></ul><ul><li>RTP </li></ul><ul><li>PJ </li></ul><ul><li>OCDE </li></ul><ul><li>Acrónimos </li></ul><ul><li>UEFA </li></ul><ul><li>sida </li></ul><ul><li>PALOP </li></ul>
  5. 9. <ul><li>Fernando PESSOA, Mensagem , Lisboa, Ática, 2009 </li></ul><ul><li>Fernando PESSOA, Mensagem , 36.ª ed., Lisboa, Ática, 2009 (1.ª ed.: 1934) </li></ul>
  6. 10. <ul><li>Capa : tem um caligrama (poema visual) que usa versos de Pessoa e desenha a efígie do poeta. </li></ul>
  7. 11. <ul><li>Contracapa : reproduz o poema « O dos castelos », o primeiro texto de Mensagem ; em baixo, vêm os logótipos dos patrocinadores . </li></ul>
  8. 12. <ul><li>Lombada : tem só o título da obra. </li></ul>
  9. 13. <ul><li>Colofão (ou, à latina, colofon ): em vez do tradicional «Acabou de imprimir-se a […]», contém uma espécie de ficha técnica . </li></ul>
  10. 14. <ul><li>O anterrosto repete o desenho caligramático da capa. No entanto, há na p. [5] o que poderia ser o verdadeiro anterrosto, já que a página tem apenas o título, como é característico das páginas três. Terá sido lapso (e a ordem das pp. 5 e 3 ter saído mal, sendo a p. 1 uma mera folha de guarda)? </li></ul>
  11. 15. <ul><li>No miolo do livro há, no cabeçalho , o título corrente, nas páginas ímpares, e nome do autor, nas pares . Nesse espaço, dito dos «títulos correntes», vem «Índice» na parte do livro que lhe corresponde. </li></ul>
  12. 16. <ul><li>Na p. [7], temos a epígrafe : « Benedictus Dominus Deus Noster Qui Dedit Nobis Signum » (‘Bendito Deus Nosso Senhor que nos deu o Sinal’). </li></ul>
  13. 17. <ul><li>Preenche as quadrículas vagas da tábua seguinte, sobre a estrutura de Mensagem : </li></ul>
  14. 18. <ul><li>Os Campos </li></ul><ul><li>O dos Castelos </li></ul><ul><li>O das Quinas </li></ul>
  15. 19. <ul><li>Os Castelos </li></ul><ul><li>Ulisses </li></ul><ul><li>Viriato </li></ul><ul><li>O Conde D. Henrique </li></ul><ul><li>D. Tareja </li></ul><ul><li>D. Afonso Henriques </li></ul><ul><li>D. Dinis </li></ul><ul><li>D. João I D. Filipa de Lencastre </li></ul>
  16. 20. <ul><li>As Quinas </li></ul><ul><li>D. Duarte, Rei de Portugal </li></ul><ul><li>D. Fernando, Infante de Portugal </li></ul><ul><li>D. Pedro, Regente de Portugal </li></ul><ul><li>D. João, Infante de Portugal </li></ul><ul><li>D. Sebastião, Rei de Portugal </li></ul>
  17. 21. <ul><li>A Coroa </li></ul><ul><li>Nun’Álvares Pereira </li></ul>
  18. 22. <ul><li>O Timbre </li></ul><ul><li>[A Cabeça do Grifo:] O Infante D. Henrique </li></ul><ul><li>[Uma Asa do Grifo:] D. João II </li></ul><ul><li>[A Outra Asa do Grifo:] Afonso de Albuquerque </li></ul>
  19. 23. <ul><li>Segunda parte / Mar Português </li></ul><ul><li>O Infante </li></ul><ul><li>Horizonte </li></ul><ul><li>Padrão </li></ul><ul><li>O Mostrengo </li></ul><ul><li>Epitáfio de Bartolomeu Dias </li></ul><ul><li>Os Colombos </li></ul><ul><li>Ocidente </li></ul><ul><li>Fernão de Magalhães </li></ul><ul><li>Ascensão de Vasco da Gama </li></ul><ul><li>Mar Português </li></ul><ul><li>A Última Nau </li></ul><ul><li>Prece </li></ul>
  20. 24. <ul><li>Terceira parte / O Encoberto </li></ul>
  21. 25. <ul><li>Os Símbolos </li></ul><ul><li>D. Sebastião </li></ul><ul><li>O Quinto Império </li></ul><ul><li>O Desejado </li></ul><ul><li>As Ilhas Afortunadas </li></ul><ul><li>O Encoberto </li></ul>
  22. 26. <ul><li>Os Avisos </li></ul><ul><li>O Bandarra </li></ul><ul><li>António Vieira </li></ul><ul><li>«Screvo meu livro à beira-mágoa» </li></ul>
  23. 27. <ul><li>Os Tempos </li></ul><ul><li>Noite </li></ul><ul><li>Tormenta </li></ul><ul><li>Calma </li></ul><ul><li>Antemanhã </li></ul><ul><li>Nevoeiro </li></ul>
  24. 28. <ul><li>De que tratam as três partes de Mensagem ? </li></ul>
  25. 29. <ul><li>A 1.ª parte, «Brasão», trata da fase de formação de Portugal e seu crescimento. </li></ul><ul><li>A 2.ª parte, «Mar Português», versa a expansão de Portugal, os Descobrimentos. </li></ul><ul><li>A 3.ª parte, «O Encoberto», trata da estagnação da pátria e, profeticamente, do seu ressurgimento. </li></ul>
  26. 30. <ul><li>«Brasão» tem dezanove { numeral, mas por extenso } poemas, repartidos por cinco partes, que aproveitam classificações heráldicas (campos; castelos, quinas; coroa; timbre). A primeira destas sub-partes funciona como introdução às dezassete personalidades , abordadas em cada poema, que representam características do povo português. A epígrafe de «Brasão» é « Bellum sine bello », um oximoro (‘Guerra sem guerra’). </li></ul>
  27. 31. <ul><li>A parte «Mar Português» é constituída por doze poemas e não tem outra repartição. A epígrafe desta parte, « Possessio maris » (‘Posse do mar’), alude à saga dos descobrimentos. Desta parte já lemos em aula dois poemas: «Mostrengo» e « Mar Português » (este último, homónimo da secção). </li></ul>
  28. 32. <ul><li>A parte «O Encoberto» implica a visão esotérica de Pessoa, uma síntese de história, mito e profecia. Esta parte situa-se depois do desastre de Alcácer Quibir . Está aliás toda centrada na figura do rei D. Sebastião , o encoberto. Logo pelos títulos se vê que a organização, agora, decorre mais do simbolismo, não se adoptando tanto o formato ‘galeria de personagens’. A epígrafe é « Pax in excelsis » (‘Paz nos céus’), que corresponderá ao estado ideal conseguido com o profetizado Quinto Império. </li></ul>
  29. 33. <ul><li>Pelo índice, repara nas datas predominantes da elaboração dos poemas. Os poemas da primeira parte são quase todos posteriores a 1928 , ou deste exacto ano. Os textos de «Mar Português» são maioritariamente de 1918-1922 , a época do sidonismo. Finalmente, o ano mais representado na terceira parte é 1934 (precisamente, o ano da publicação de Mensagem , penúltimo da vida de Pessoa, quando o Estado Novo se implantava). </li></ul>
  30. 34. <ul><li>Que tipo de estrofe predomina? Dísticos, tercetos, quartetos ou quadras , quintilhas , sextilhas , sétimas , oitavas, nonas ou novenas, décimas, centésimas. </li></ul>
  31. 35. <ul><li>Os versos têm rima . </li></ul>
  32. 36. <ul><li>O metro (o número de sílabas métricas) predominante deve ser o o monossílabo, dissílabo, trissílabo, tetrassílabo, pentassílabo (ou redondilha menor), hexassílabo, heptassílabo (ou redondilha maior), octossílabo, eneassílabo , decassílabo , hendecassílabo, dodecassílabo (alexandrino). </li></ul>
  33. 37. <ul><li>Ó | mar | sal | ga | do | , quan | to | do | teu | sal </li></ul><ul><li>1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 </li></ul><ul><li>São | lá | gri | mas | de | Por | tu | gal! </li></ul><ul><li>1 2 3 4 5 6 7 8 </li></ul>
  34. 38. <ul><li>Outras curiosidades: </li></ul><ul><li>O único poema que não tem título é o terceiro aviso, que está na p. 81 . É o único texto em que o assunto parece ser o próprio poeta. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>O último verso de Mensagem é « É a hora! », seguindo-se-lhe a fórmula de despedida latina, « Valete, Fratres » (‘Saúde [Força, Felicidade], Irmãos’). </li></ul>
  35. 39. <ul><li>Brasão </li></ul><ul><li>O dos Castelos </li></ul><ul><li>Ulisses </li></ul><ul><li>D. Afonso Henriques </li></ul><ul><li>D. Dinis </li></ul><ul><li>D. Sebastião, Rei de Portugal </li></ul>
  36. 40. <ul><li>Mar Português </li></ul><ul><li>O Infante </li></ul><ul><li>Horizonte </li></ul><ul><li>Ascensão de Vasco da Gama </li></ul><ul><li>O Mostrengo </li></ul><ul><li>Mar Português </li></ul><ul><li>Prece </li></ul>
  37. 41. <ul><li>O Encoberto </li></ul><ul><li>O Quinto Império </li></ul><ul><li>[Screvo meu livro à beira-mágoa] </li></ul><ul><li>Nevoeiro </li></ul>
  38. 42. <ul><li>TPC </li></ul><ul><li>No manual, lê as pp. 126-127; p. 141. </li></ul>

×