expositivonarrativo-descritivo
narrador na 1.ª pessoa não eraimpossível (mas não poderia coincidircom o sr. José)
de certo modoclaramenteentão
deu à sua menina o nome «Vanessa»          filhadeu um nome que não é um espanto                      bonito
Sendo que…
Nos--sa         Guarda--redes
tratamento. Que, diga-se já, não vale o desenhor tanto quanto em princípiopareceria prometer, pelo menos aqui naConservató...
do momento, modulações tão distintascomo sejam as da condescendência, dairritação, da ironia, do desdém, dahumildade, da l...
Vossa ExcellenciaVocelencia (ou Vocencia)Dr. Silva / O senhorO sr. José da SilvaSr. JoséO José da SilvaO SilvaO JoséVoceme...
14 (p. 17)
A = Derivação (afixação) por prefixaçãoprefixo baseincrívelressurgiremantepassadoa. desusod. anticorpose. influirf. indife...
B = Derivação (afixação) por sufixaçãobase sufixousadonaturalmentebancáriasb. probabilidadeg. europeus
C = Composiçãoradical   palavra          radicalrecém-nascidaspsicólogac. recém-chegado
D = Derivação por parassínteseprefixo base sufixoassociadasapresentaríamos
15 (p. 18)
Estes nomes próprios vieram denomes comuns e, num caso, de umadjetivo. Antes de serem apelidos,«Gordo», «Rato», «Sardinha»...
Processos morfológicosde formação de palavras
Derivaçãocom adição de constituintes morfológicos  afixação (prefixação, sufixação, parassíntese)sem adição de constituint...
afixação   por prefixação (invulgar; anti-rugas)   por sufixação (vulgarmente)   por prefixação e sufixação (invulgarmente...
derivação não-afixal (ex-derivação regressiva)     trocar > troca     ténis > teneconversão (derivação imprópria)     os p...
Composiçãomorfológica    biblioteca; luso-descendente    hipódromo; neurocirurgiãomorfossintática    abre-latas; picapau
16 (p. 18)
A tua cabeça está a impedir-me de ver ofilme.          (parte do corpo)Comprei vinte cabeças de gado      (unidades)És uma...
No dia 25 de novembro comemora-se o Dia Internacional Contra a ViolênciaContra as Mulheres.     A APAV alerta para a neces...
Também tem crescido o apoio daAPAV aos processos contra crimes deviolência doméstica, que aumentaram 9%em 2009, avultando ...
A APAV lembra que cabe àsociedade e a cada cidadão combater aviolência contra as mulheres e prestarapoio às suas vítimas.N...
COMUNICADO é, muitas vezes, sinónimo decomunicação, informação ou nota informativa.Trata-se de um documento através do qua...
Características do registo linguístico  — Linguagem objetiva e clara marcada pela  denotação; √  — Utilização da terceira ...
Estrutura do comunicado — Título (sucinto, atrativo e objetivo) e subtítulo; √ — Origem da informação (emissor); √ — Lead ...
impaciência, aborrecimento || Ui!, Bolas!,Poça!, Arre!, Apre!, Irra!, Hem!, M[...]a!,F...-se || Raios te partam!, Ora bolas!
reclamação, repulsa, rejeição || Hei!,Abaixo!, Safa!, Fora!, Arreda!, Cocó!,Faça-se amor!
TPC    Resolve (estuda) as pp. 18-20 doCaderno de Atividades, sobre Processosmorfológicos de formação de palavras.Reproduz...
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 9-10
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 9-10
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 9-10
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 9-10
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 9-10
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 9-10
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 9-10
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 9-10
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 9-10

1.367 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.367
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.050
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 9-10

  1. 1. expositivonarrativo-descritivo
  2. 2. narrador na 1.ª pessoa não eraimpossível (mas não poderia coincidircom o sr. José)
  3. 3. de certo modoclaramenteentão
  4. 4. deu à sua menina o nome «Vanessa» filhadeu um nome que não é um espanto bonito
  5. 5. Sendo que…
  6. 6. Nos--sa Guarda--redes
  7. 7. tratamento. Que, diga-se já, não vale o desenhor tanto quanto em princípiopareceria prometer, pelo menos aqui naConservatória Geral, onde o facto detodos se tratarem dessa maneira, desdeo conservador ao mais recente dosauxiliares de escrita, não tem sempre omesmo significado na prática dasrelações hierárquicas, podendo mesmoobservar-se, nos modos de articular abreve palavra e segundo os diferentesescalões de autoridade ou os humores
  8. 8. do momento, modulações tão distintascomo sejam as da condescendência, dairritação, da ironia, do desdém, dahumildade, da lisonja, o que mostra bema que ponto podem chegar aspotencialidades expressivas de duascurtíssimas emissões de voz que, àsimples vista, assim reunidas, pareciamestar a dizer uma coisa só. Com as duassílabas de José, e as duas de senhor,quando estas precedem o nome, sucedemais ou menos o mesmo.
  9. 9. Vossa ExcellenciaVocelencia (ou Vocencia)Dr. Silva / O senhorO sr. José da SilvaSr. JoséO José da SilvaO SilvaO JoséVocemecêVocêTu
  10. 10. 14 (p. 17)
  11. 11. A = Derivação (afixação) por prefixaçãoprefixo baseincrívelressurgiremantepassadoa. desusod. anticorpose. influirf. indiferenteh. sobrenomes
  12. 12. B = Derivação (afixação) por sufixaçãobase sufixousadonaturalmentebancáriasb. probabilidadeg. europeus
  13. 13. C = Composiçãoradical palavra radicalrecém-nascidaspsicólogac. recém-chegado
  14. 14. D = Derivação por parassínteseprefixo base sufixoassociadasapresentaríamos
  15. 15. 15 (p. 18)
  16. 16. Estes nomes próprios vieram denomes comuns e, num caso, de umadjetivo. Antes de serem apelidos,«Gordo», «Rato», «Sardinha» seriamalcunhas (o adjetivo «gordo»; os nomescomuns «rato» e «sardinha»). Quantoaos apelidos «Oliveira» e «Silva», éprovável que viessem mais imediata-mente dos topónimos (e nomes próprios)«Oliveira» e «Silva», mas estes deriva-vam já dos nomes comuns «oliveira» e«silva».
  17. 17. Processos morfológicosde formação de palavras
  18. 18. Derivaçãocom adição de constituintes morfológicos afixação (prefixação, sufixação, parassíntese)sem adição de constituintes conversão (ou derivação imprópria) derivação não afixal (ou derivação regressiva)
  19. 19. afixação por prefixação (invulgar; anti-rugas) por sufixação (vulgarmente) por prefixação e sufixação (invulgarmente) por parassíntese (engordar)
  20. 20. derivação não-afixal (ex-derivação regressiva) trocar > troca ténis > teneconversão (derivação imprópria) os prós e os contras [prep. > nome] o bem e o mal [adv. > nome]
  21. 21. Composiçãomorfológica biblioteca; luso-descendente hipódromo; neurocirurgiãomorfossintática abre-latas; picapau
  22. 22. 16 (p. 18)
  23. 23. A tua cabeça está a impedir-me de ver ofilme. (parte do corpo)Comprei vinte cabeças de gado (unidades)És uma cabeça! (inteligência)Na cabeça do pelotão vinha o camisolaamarela. (princípio)
  24. 24. No dia 25 de novembro comemora-se o Dia Internacional Contra a ViolênciaContra as Mulheres. A APAV alerta para a necessidadede se lutar contra a violência doméstica.A crescente intolerância à violênciacontra as mulheres — como testemunhao recurso à APAV (linha de apoio àvítima: 707 2000 77) — deve ser aindaaprofundada.
  25. 25. Também tem crescido o apoio daAPAV aos processos contra crimes deviolência doméstica, que aumentaram 9%em 2009, avultando os maus tratos,físicos e psíquicos, e os crimes sexuais.Subiram ainda os homicídios. A legislação e a justiça criminaldevem ainda melhorar, acompanhandoassim a intervenção de emergênciaprestada pelas organizações de apoio.Exige-se sobretudo a aplicação eficaz dasmedidas já previstas na lei.
  26. 26. A APAV lembra que cabe àsociedade e a cada cidadão combater aviolência contra as mulheres e prestarapoio às suas vítimas.Nuno Catarino2375nunocatarino@apav.pt
  27. 27. COMUNICADO é, muitas vezes, sinónimo decomunicação, informação ou nota informativa.Trata-se de um documento através do qualuma entidade dá a conhecer várias informa-ções, quer internamente, junto dos seusserviços, quer para o geral, por exemplo,através da comunicação social — comunicadode imprensa (press release). A finalidade docomunicado é simplesmente informar, deven-do o conteúdo veiculado ser verdadeiro,rigoroso e objetivo. Deverá ser redigido tendoem conta o público recetor e os objetivos quevisa atingir.
  28. 28. Características do registo linguístico — Linguagem objetiva e clara marcada pela denotação; √ — Utilização da terceira pessoa do singular ou do plural; √ — Recurso a frases e a parágrafos curtos e de fácil compreensão. √
  29. 29. Estrutura do comunicado — Título (sucinto, atrativo e objetivo) e subtítulo; √ — Origem da informação (emissor); √ — Lead (informação essencial, presente nos primeiros parágrafos…); √ — Corpo do comunicado (não demasiado extenso e com o surgimento da informação em importância decrescente); √ — Fecho (data e entidade responsável: nome, morada, endereço de correio eletrónico, contacto telefónico...). √
  30. 30. impaciência, aborrecimento || Ui!, Bolas!,Poça!, Arre!, Apre!, Irra!, Hem!, M[...]a!,F...-se || Raios te partam!, Ora bolas!
  31. 31. reclamação, repulsa, rejeição || Hei!,Abaixo!, Safa!, Fora!, Arreda!, Cocó!,Faça-se amor!
  32. 32. TPC Resolve (estuda) as pp. 18-20 doCaderno de Atividades, sobre Processosmorfológicos de formação de palavras.Reproduzi-las-ei em Gaveta de Nuvens.

×