matizar = colorir, graduar, realçar
apalaçado = como palácio
estucado = coberto com estuque
azafamado = com azáfama; apres...
Quando, a caminho do emprego,
passava num bairro burguês, o poeta ficou
a observar uma vendedeira de fruta, jovem
e pobre....
Estava ele nestes sonhos, quando a
rapariga lhe pediu ajuda. O poeta ajudou-
a a erguer a carga, ela agradeceu-lho
(«Deus ...
Quando, a caminho do emprego, passava
num bairro burguês, o poeta ficou a
observar uma vendedeira de fruta, jovem e
pobre....
melancia    cabeça

repolhos    seios

azeitonas   tranças de cabelo
nabos    ossos

                  uvas     olhos

certos frutos (posições de) colos, ombros,
  bocas, semblantes
melão     ventre

legumes   carnes tentadoras

ginja     sangue
tomate    coração

cenoura   dedo
TPC

           Prepara leitura
(compreensão; leitura em voz alta)
   de «De Verão» (pp. 268-271).
ir pensando já em termos de autoria
  das notícias? (e pôr ao lado?)

haverá escrutínio das notícias em
 termos individuais
Apresentação para décimo primeiro ano, aula 62
Apresentação para décimo primeiro ano, aula 62
Apresentação para décimo primeiro ano, aula 62
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação para décimo primeiro ano, aula 62

785 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
785
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
207
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação para décimo primeiro ano, aula 62

  1. 1. matizar = colorir, graduar, realçar apalaçado = como palácio estucado = coberto com estuque azafamado = com azáfama; apressado cobre = moeda || lívido = pálido semblante = cara, rosto injectado = corado pelo afluxo de sangue fragrante = cheiroso feto1 = embrião || feto2 planta pteridófita gigo = cabaz; ramo de árvore com frutos abóbora-carneira = colondro frugal = relativo a fruto
  2. 2. Quando, a caminho do emprego, passava num bairro burguês, o poeta ficou a observar uma vendedeira de fruta, jovem e pobre. Os legumes que a rapariga traz levam-no a estabelecer analogias com partes do corpo humano (não sem conteúdo quase carnal).
  3. 3. Estava ele nestes sonhos, quando a rapariga lhe pediu ajuda. O poeta ajudou- a a erguer a carga, ela agradeceu-lho («Deus lhe dê saúde»), o que, com a energia que dela emanava, revigorou o nosso poeta.
  4. 4. Quando, a caminho do emprego, passava num bairro burguês, o poeta ficou a observar uma vendedeira de fruta, jovem e pobre. Os legumes que a rapariga traz levam-no a estabelecer analogias com partes do corpo humano (não sem conteúdo quase carnal). Estava ele nestes sonhos, quando a rapariga lhe pediu ajuda. O poeta ajudou-a a erguer a carga, ela agradeceu- lho («Deus lhe dê saúde»), o que, com a energia que dela emanava, revigorou o nosso poeta.
  5. 5. melancia cabeça repolhos seios azeitonas tranças de cabelo
  6. 6. nabos ossos uvas olhos certos frutos (posições de) colos, ombros, bocas, semblantes
  7. 7. melão ventre legumes carnes tentadoras ginja sangue
  8. 8. tomate coração cenoura dedo
  9. 9. TPC Prepara leitura (compreensão; leitura em voz alta) de «De Verão» (pp. 268-271).
  10. 10. ir pensando já em termos de autoria das notícias? (e pôr ao lado?) haverá escrutínio das notícias em termos individuais

×